terça-feira, 17 de julho de 2007

cantando no chuveiro...

Falei em Raul Gil, pensei no tanto que eu tenho medo daqueles meninos cantando. CremDeusPai!, como diria minha amiga Polli, aquele bando de pobre coitado quase estourando a garganta pra cantar como adulto. De verdade, aquilo me dá medo, tipo medo que a gente tem de assombração quando é pequeno.

Mas, enfim, falando de cantar, e pra esse post não ficar uma band, lembrei do tanto que as pessoas costumam cantar música errado a vida inteira, sem saber. Eu sou mestre nisso. Tem até umas que eu já sei que estão erradas e não consigo mais cantar certo.
Vou começar a dar alguns exemplos disso de vez em quando, meu e dos outros (vou dar nome aos bois, hehehe! Tô brincando.).


1) Conhecem “Malandragem”, do Cazuza, cantada pela Cássia Eller, não conhecem? O Humberto canta:
Eu ando na rua
Eu tomo um treck
Mudo uma planta de lugar...


E na mesma música, a sabedoria de Cazuza by Humberto:
Morrer é não viver a realidade...



2) “Como Nossos Pais”:
Mas é você
Que é mal passado e que não vê!
É você
Que é mal passado e que não vê!

Ah, nem vem!, muito pior é neguim falar “Ãh, sabe aquela música da Elis Regina que o Belchior regravou?”.



3) Tem internacional também, quem disse que não? Sabe “The Blower’s Daughter”, aquela lindura do filme “Closer”, cantada pelo Damien Rice? Então, no finalzinho não tem umas mulherzinhas que cantam de fundo e tal e ninguém entende nada? KKKKK, então, essa eu sei que canto errado, já sei qual é a certa, mas enfim...minha versão é estúpida, nem sei se vocês vão conseguir “sonorizar”:


Hi-uhmm(gemido)....Beyoncé that I love you...
Beyoncé-é that I want you
And leave it all behind...



4) E, finalmente, o “Troféu Inocência” (O quê, ainda não falei do “Troféu Inocência Cega”?! Aguardem os próximos posts!):

Juro, desde sempre eu achava que a música era assim. E eu descobri que não era há poucos anos. Sabe uma banda vééééia, Dr. Silvana e Cia? Aquela única música deles? Então, vê se você entende qual eu achava que era a problemática da música:

Eu fui da mamãe
Fui da mamãe


KKKKKK, essa eu tenho que explicar. Eu jurava que depois da problemada toda, dos vizinhos fazendo bagunça, polícia chegando e tal por conta dela, a mãe da moça magoou e rompeu com a filha, que, triste, contava que foi da mamãe, não é mais. KKKKKKKKKKKK, ai, eu vou parar de escrever esse blog, isso é um atestado de idiotice que eu tô assinando!



P.S.: Escrevi esse post depois do outro sobre o filme e os livros, mas postei antes pro outro aparecer primeiro na tela.

P.S.2:
Eu ando nas ruas
Eu troco um cheque

Mudo uma planta de lugar...

E na mesma música de Cazuza:
Bobeira é não viver a realidade...

P.S.3:
Mas é você
Que ama o passado e que não vê!
É você que ama o passado e que não vê
Que o novo sempre vem

P.S.4:
When did I say that I loathe you?
Did I say that I want to
Leave it all behind?

P.S.5: Eu adoraria dizer que eu tenho medo dos cantorrores dos Raul Gil por despeito, já que eu canto mal, mas não, eu tenho medo deles porque eles são freak mesmo.

P.S.6: Cara, meus textos tem P.S. demais, cruzes, tenho que parar com isso!

Um comentário:

Clenio disse...

Demorei aaaaaaaanos pra convencer a minha mãe de que a música da Elis não tinha nada a ver com "mal-passado" e ainda não tenho certeza que ela se convenceu...
E a música do Dr. Silvana eu também demorei a perceber que era "dar" ao invés de "da". Também era um pouco inocente (ou retardado, enfim...)

Bjos
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com