terça-feira, 17 de julho de 2007

no ócio, o Humberto indica


A vida é cheia das coincidências e a última que me aconteceu foi das boas.

Depois que eu escrevi aquela batelada de posts na última sexta eu não fiz mais nada. Tenho dois propósitos neste momento, relaxar o mais verdadeiramente possível e gastar o mínimo também possível. Enfim, para cumprir essas metas para julho eu aluguei um filme e li dois livros no fim de semana.

A coincidência fica no fato de os três serem meio parecidos, serem os três abordagens parecidas sobre a vida. E eu indico muito os três.

“Pecados Íntimos”, do diretor Todd Field, é um espetáculo. Veja bem, eu não sou crítico de cinema, não tenho condições de ficar falando que é bom por isso ou aquilo. OK, até daria pra fazer isso, já que ao contrário dos meus classmates e da maioria dos meus instructors, eu estudei alguma coisa em Comunicação e eu procurei aprender. Também o fato de ser um bom cinéfilo me daria crédito para fazer uma boa análise. Mas, sejamos honestos, não quero fazer análises, se estou descansando de algo é de passar ano e meio analisando “comunicacionalmente” alguma coisa. Mas, enfim, o filme é excelente porque tem literatura, tem psicologia e tem crítica à hipocrisia dos “bons comportamentos sociais”. Ainda por cima tem a Kate Winslet e a Jennifer Connelly. Bom, pega e assiste, não costumo indicar merda. Mas, OK, devo confessar que não se sai muito ileso de um filme desses.

Os livros também envolvem literatura (claro), alguma psicologia e muita crítica aos “bons comportamentos em sociedade”. Muitas amigas minha têm reclamado sobre falsidade e injustiça, seria interessante que lessem as duas obras. Falo de “Medo de Sade”, do Bernardo Carvalho, e de “Diário de um Fescenino”, do Rubem Fonseca. Claro que os dois são muito melhores do que eu, pobre coitado, consigo descrever. Vai lá e lê também.

Enfim, esses são meus pobres pitacos para quem lê meu “bróguy”. Queria deixar claro, contudo, que leio sim, e mais que a média da ralé que anda comigo (hehehe, vão me matar); Mas também assisto novela, TV Fama, Jornal Nacional, leio Nova, “ouvo” Pânico... não sou nenhuma dessas malas que se acham “o último Graciliano Ramos da estante”, não. Aliás, esse tipo é o que mais vê TV Fama e afins... esse tipo assiste até Raul Gil.


P.S.: Vale muito ler também “Nove Noites”, do BC. Sem contar os outros todos do RF (“Agosto”, “Feliz Ano Velho”, “Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos”...), pode ler tudo.

P.S.2: O nome do filme em português é bacana, mas em inglês, “Little Children”, é muito mais acertado.

Um comentário:

Helena disse...

Ei Humbert, estou aproveitando minhas férias da TOM pra ler As Travessuras da Menina Má, do Lhosa. É excelente e acho que vc ia gostar.
PS: Agosto é um dos meus favoritos!!!
Bjs,saudades