segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

2007: retrospectiva de um ano bacana :)

Um, dois, três, testando. Assim começou o primeiro post dest blog, lá num workshopzinho dado pela famosa Carmen, naquele lugar que eu já não pronuncio mais o nome. Foi numa tarde tranqüila, depois que eu passei uns dias fazendo um frila na Tchon. No dia 25 de abril de 2007, às 14:42h, “o Humberto Explica” entrava na web. Surgiu do nada. Eu já tinha planos de fazer um blog, por isso estava na palestra, mas a idéia era fazer uma revista eletrônica e tal. Na pressa, precisei criar um blog teste, pra ir aprendendo a lidar com as ferramentas. Daí pensei nas minhas amigas, e no tanto que vinham me alugando nos MSNs da vida e resolvi fazer do blog/teste um portal para compartilhar as dúvidas de todas. O blog/revista ainda não saiu. O “Humberto Explica” não parou mais :)

O primeiro coment que eu recebi (quase implorei por ele) foi da Alê, já no segundo post (“Testando de novo”):

lê disse... falta de assunto, hein? beijinho!!!

Falta de assunto? Ela não imaginava o que estava por vir. Ainda nos primeiros posts pedi encarecidamente por um pouco mais de noção no mundo. E fechei o mês com quatro postezinhos, o último explicando justamente de onde saiu a idéia do blog.

MAIO, 12 posts
Sabe lá Deus por quê, as mesmas amigas que viviam pedindo conselhos ficaram intimidadas e não perguntaram nada! Até que uma primeira corajosa fez a primeira pergunta do blog: afinal, pra quê servem as sogras? Neste post foi usada também a primeira foto, do filme “A Sogra”. E a fufura da Polly, do CremDeuspai fez o favor de discordar da minha primeira explicação, é mole? Daí passei o mês chafurdado em gripes e amigdalites, ralando meu fófis no cascalho por um dejeto excremental ridículo da “faculdade”, ouvindo muita Alanis Morissette (que acompanhou muitos dos meus momentos no blog ao longo do ano). No meio disso tudo me perguntaram qual é o sentido da vida: recorri de Liliane Ferrarezi a Steve Tyler pra achar uma resposta. Também em maio me deslumbrei com os acessos ao blog pipocando pelo mundo e postei a primeira foto-post (post só com foto e no máximo uma frase). Trazia minha musa Naza, numa época em que eu quase joguei um baiano escada abaixo (devia ter jogado o mineirim caladim que ficou comendo quétim). E pra fechar um mês muito osso duro de roer, ainda tive que agüentar amigas e seus namorados chiliquentos: sob o título de “Whatever”, saiu o primeiro desabafão, aquele da espada justiceira, sobre amigos que duvidam da amizade do outro.
JUNHO, 10 posts
Junho foi igualmente osso, mas pelo menos era o fim de muitas dores de cabeça. Mas foi um mês bem J.T.C. (Jesus toma conta ou, para os mais afetados, Jesus take care). Só Deus mesmo pra dar força, já que tinha um Chevette no meio do caminho de minha vida surreal. Mas em junho eu já estava apaixonado por Amy Winehouse, sua voz e sua “Rehab”: um verdadeiro alívio num ano cheio de Rihanas e outras merdas parecidas. Nesse mês eu finalmente apresentei o dejeto lá naquele lugar: foi uma experiência tão, tão tosca que eu senti saudades sinceras do céu laranjado das noites texanas. No blog eu falei de revista pela primeira vez, a Vanity Fair, com a carta da Salma Hayek. Falei da atriz mexicana e da saudosa Clara Nunes, e em meio a um pout-pourri de emoções, falei de vida pessoal mais rasgadamente. Não devia, mas... E foi a primeira quebrada de cara que minhas leitoras acompanharam. Fechei o mês declarando minha relação com a amoxilina.
JULHO, 17 posts
Cara quebrada, cara preparando pra quebrar de novo. Comecei julho bem empolgadinho, falando de muitas mulheres, sua beleza, sua força e o preconceito de gênero ainda mais forte que continua a existir no Brasil: Isabel Fillardis, Carla Perez e sua "burrice", Xuxa, a Miss Brasil, Elza Soares no PAN, Thaís Araújo... De férias, indiquei livros e filmes. E respondendo a uma das perguntas mais difíceis do ano, mandei alguém chutar o balde e, sem querer, ajudei alguém a pousar em Paris!
AGOSTO, 21 posts
Revistas, revistas, revistas... comecei agosto falando delas, principalmente do meu carma, a Nova. Auge total e absoluto de Camila Pitanga e sua deliciosa FrancisBebel, de “Paraíso Tropical” – mas auge não suficiente para a atriz ser a primeira negra na capa da Cosmopolitan brasileira. Aliás, ainda não rolou a primeira negra na capa da revista “muderna”. Falei no blog das viradas que minha vida sempre dava em 08/08 e acabei com a regra (este ano não rolou nada especial :( No dia 11 de agosto finalmente eu tive tempo e grana e caí na nite! Uma experiência INESQUECÍVEL, provavelmente o post mais inspirado que eu escrevi. A mudança radical não veio no dia 08, mas ela veio aos poucos em agosto, sim: Comecei a contagem regressiva para a libertação das dolorosas. Ainda falei de mais mulheres belas, inteligentes e poderosas. Talvez pra confirmar que agosto é mesmo mês de cachorro louco, tive uma constatação meio chata, que já vinha preparando o caminho sem eu saber. Houve um festival de Jazz na Savassi, memorável. E mesmo depois de muito beijo na boca, a ficha caiu, mas caiu muito e eu quebrei fenomenalmente a cara na tarde de 22 de agosto. Essa foi foda de fato. A mesma “You give me something” que me deixava nas nuvens tornou-se um hininho meio deprê. Fui um tóba, mas eu fiquei forte, eu acho. E me reergui, porque alguém tinha que explicar os namorados joselitos às minhas leitoras cotovias. Fechei o conturbado mês revoltado com o fim do papel pobre, o blog mais bacana do ano (depois do meu, é claro).

SETEMBRO, também 21 posts
Nessa altura do campeonato “o Humberto Explica” já tinha virado um verdadeiro diário palpiteiro e personal meu, já que as perguntadeiras resolveram fazer as perguntas por telefone mesmo. Humpf! PERGUNTEM! Hehehehe. O mês começou com a festa do ano. Depois dela nada, NADA mais foi a mesma coisa. E quer um conselho? Nunca diga eu te amo. Em setembro também passou um outro furacão Humberto pelo Texas! E por aqui eu e Jacyra discutimos por conta de um bigode, dá pra crer? Nites de sábado foram zoadas no Mary in Hell, aqui em Tubiacanga, mas domingos fodidos (pleonasmo) também proliferaram.... Fechei o mês falando das ruivas em minha vida. E ouvindo "Fluorescent adolescent", do Arctic Monkeys!
OUTUBRO, 23 posts
Outubro mal começou e eu pulei de cabeça numa das maiores idiotices que já fiz na minha vida: a seleção-marmelada do mestrado em Comunicação da Universidade Federal de Tubiacanga. Meses estudando feito um otário, dia, noite e madrugada para um jogo de cartas marcadíssimas. Uma vergonha, uma vergonha. Antes, encontrei a felicidade, também no Mary in Hell, mas ela voou de volta pra França... No calor de Tubiacanga não beijei quem eu queria (com suas tatuagens que me fizeram acordar antes das 6 da manhã!), mas beijei quem não queria – no rosto, graças a Deus! E do nada, no meio da Floresta, o número três veio mostrar que ainda tinha muito 2007 pra rolar. Mesmo que fosse morro abaixo. Ou acima. Ou abaixo. Ou acima. Ai, Jesus...

NOVEMBRO, 12 posts
Novembro foi osso. Passei o mês todo nadando, digo, estudando pro concurso-marmelada, lendo muito Fuckô, e por isso quase não postei no blog. Mas avisei o porquê e pedi força pros leitores fiéis – Que deram! O blog teve um acesso foda, mesmo com poucos posts. Minha ficha caiu que eu queria dinheiro. E aí eu descobri meu xará, o São Humberto, pra me ajudar nos momentos de fúria, hehehe. Já sentindo a quebrada de cara histórica com as revistas, voltei meu coração à musica e ao cinema, que vinham ficando de lado nos últimos anos. Com injusto atraso assisti à "Little Miss Sunshine" e adorei. E mesmo que vá me trazer lembranças dolorosas pro resto da vida, o som do Killers me ganhou pra sempre. Because this river is wild!

DEZEMBRO, 28 posts com este
O que foi publicado em dezembro vocês leram outro dia mesmo. E leram mesmo. Porque os acessos ao blog bateram o recorde e superaram minhas expectativas. Brigadão moçada! Foi neste mês que eu me apaixonei pela Nola, de “Match Point”, que eu CSS (Cansei de Ser Sandy). Em dezembro eu fui de Leila Diniz à Giza Bündchen, minha pastora, passando pela Sacha, me feri feiamente com a Nova, decidi dedicar ao corpo o tempo perdido que dediquei ao cérebro (“Brain dead, body better than ever”). Neste último mês de 2007 fiquei sensível ao ponto de chorar todo dia com a "Caverna do Dragão", zoei com a Marina Person (não conhece? Normal.), revi "Closer", ri horrores na chuva, declarei minha admiração por Helenosa de Tróia, ri dos nicks idiotas no MSN (muito sem noção todos eles), lembrei da moda em minha vida, consegui minha carta de alforria, deixei nascer a flor roxa, entreguei a Alê à sua terra natal, zoei com as asneiras televisivas, pensei nas cagadas que são as escolhas erradas de nossas vidas.


E assim foi o ano, gente boa. Acabou 2007. Se fue! A hora agora é de limpar tudo, pessoal. Limpa tudo! É hora de tirar pesos, atrasos, dores, mágoas, picuinhas que apareceram no meio do caminho. A vida segue normalmente amanhã, mas dá pra aproveitar o clima pra criar coragem e começar 2008 com uma atitude mais positiva e mais firme. Osso sempre será alguma coisa, mas a gente dá conta de se virar. 2007 não foi a coisa mais fácil do mundo, mas foi um ano muito bacana pra mim. Conheci muita gente nova e eu gosto disso. Me livrei de um encosto que durou quatro anos (verdadeiros quatro ânus). Quebrei muito a cara, mas levantei todas as vezes. E consegui um ano muito melhor que 2006, então minha meta foi alcançada.

Pra 2008 eu não tenho muitos planos, não. Só quero levar as coisas mais calmamente. Sabe aquilo de relaxar e gozar? E não vou carregar nas costas problemas dos outros, não, sorry. Continuo amigo, continuo aí, mas não me procurem pra descarregar energia negativa, não. Se eu realmente puder ajudar, estamos aí, mas se não for o caso, please, do it yourself. Afinal, o Humberto explica, mas não resolve problema dos outros (mal, mal, bem mal, mal resolve os dele). Não tenho capacidade nem obrigação para tanto. Sejamos adultos, maduros e fortes. Deus há de nos dar força e muita sorte!

Em 2008 eu quero felicidade pra todo mundo. Eu quero compartilhar mais momentos felizes com meus amigos e amigas, que salvaram meu ano de 2007. Eu torço pra que me procurem principalmente pra contar coisa boa, pra todos nós!

“O Humberto Explica” foi a coisa mais legal de 2007 pra mim. Eu realmente agradeço todo mundo que deu seu alô por aqui! Vou tentar fazer o blog ficar cada vez mais bacana, pode deixar.

Gente, muito sucesso, muita grana, muita alegria e muito beijo na boca pra todos nós em 2008! Porque a gente merece!

Besos!

4 comentários:

le disse...

que venha 2008!!!
coloca aqui depois o mapinha, para ver a minha bolinha em paris!

Humberto, o próprio disse...

Pó deixar, hehehe!

Caroline disse...

Que bom que 2008 chegou. Torço para que este ano traga somente coisas boas, pois nada, nada será como antes.
Bjos.

Polly disse...

Adorei a sua avaliação do ano de 2007 e, coincidentemente, muito parece com a minha própria avaliação:
1)Melhor que 2006
2)Menos do que será 2008

E para 2008, minhas expectativas são poucas, mas honestas e parecidas com a sua:
1) Ser feliz
2) Cuidar mais do corpo
3) Me livrar da negatividade dos outros
4) Viver a vida tranquilamente

E que Deus, como você mesmo pediu, nos dê muita força e muita sorte...uhuuuuuuuuuuu! Valeu.