quinta-feira, 29 de novembro de 2007

domingo, 25 de novembro de 2007

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

no que pensas, rapaz?

Outra passada relâmpago por aqui só pra dizer que não precisa ler meus pensamentos: eu mesmo digo o que se passa na minha cabeça (já faço isso direto mesmo, né?).

Anyways, na minha cabeça esta semana (e provavelmente por mais um tempo) só toca "Read My Mind", do Killers. Também adoro o clipe. E as minhas amigas mais próximas chegarão a outras conclusões (acertadas provavelmente). Bom, é música boa pra cantar alto, então dá uma olhada na letra se você não pegar de ouvido, e bora berrar a belezura por aí.

So, can you read my mind? :)
Beijos pra todos, sigo nadando até o fim, volto em breve e de vez.


P.S.: Na foto, Brandon Flowers, vocalista do Killers, "desprovido" do cavanhaque do clipe.
P.S.2: E como eu sou ridículo, também está na minha cabeça a musiquinha do minininho da propaganda da coral (que tem medo do quarto cor-de-rosa). Mas essa eu vou tirar da cabeça logo, se Deus quiser!

domingo, 18 de novembro de 2007

pausa na pausa (ou "black and yellow")

Existem filmes que eu realmente gostaria de ter assistido no cinema. "Little Miss Sunshine", ou "Pequena Miss Sunshine" (dã!), é um deles. Na verdade, acabei de assistir e por conta disso mesmo quebrei minha pausa neste blog (confesso que tava mesmo doido pra fazer isso). Eu precisava escrever.

O filme sempre me pareceu simpático. Eu sempre gostei do visual. Eu gosto de amarelo e preto, sempre gostei, sempre foram minhas duas cores favoritas, apesar de todo o fascínio que eu tenho pelo vermelho e, em menor escala, pelo azul também. Mas, enfim, finalmente tive a oportunidade de assistir, sossegado, ao filme. E ele é muito, muito mais do que eu esperava.

Seria difícil pra mim, por exemplo, dizer qual personagem se parece mais comigo. Tem dois ou três que chegam a ter uma semelhança até exagerada, pelo menos do meu ponto de vista.

A vida tem umas coisas realmente engraçadas. Todo mundo que lê este blog sabe que eu estou no meio de uma batalha dura e com poucas chances de vitória, mas tô aí nela, nadando. Foi por isso que fiz a pausa, pra me dedicar mais. Eu tenho pensado em tanta coisa nesse período e aí, quando eu resolvo dar uma descansada (na verdade, assistir ao filme pra praticar meu inglês), eu vejo um filme desses. Qual a graça? A semelhança com as conclusões a que eu tenho chegado. A semelhança com as ironias. A semelhança com algumas de minhas reações diante das "surrealezas". Se eu não conseguiria apontar qual dos personagens se parece mais comigo, eu posso dizer sem medo de errar que a cena do filho na kombi, lá pelo final da história, poderia muito, muito bem ter sido protagonizada por mim (tipo, ontem, no Palácio das Artes).

Enfim, "Little Miss Sunshine", além de ter a Toni Collette, que eu amo, é um filme lindo. Visualmente lindo. Espiritualmente lindo. Se serve de sugestão, assistam e assistam. E depois assistam.

Mas de volta ao preto e ao amarelo, eu viajei nessa maionese também, sabe? Porque o filme é triste, mas é alegre (não chega a ser comédia, como o classificaram, mas é bem alegre). E daí eu pensei nas cores, o sad preto e o gay amarelo (happy só se traduz como alegre em propaganda idiota de cerveja ruim).

Fiquei pensando bem em mim...Eu não sou exatamente triste, mas também não sou do tipo esfuziante (graças a Deus, tem coisa mais chata?). Eu acho que essa combinação que tanto me atrai desde sempre (mas que não rola com roupa, please) é bem um resumo da minha personalidade. Há um certo equilíbrio, eu acredito.

O filme me fez pensar em mim e gostar das conclusões, isso não é ótimo? Eu lembrei do Charlie Brown, que é totalmente o que eu costumava ser até alguns anos atrás (e que tá sempre com a simpática camisa amarela de traços pretos).

Eu lembrei do clipe de uma banda grunge dos anos 90, na minha adolescência, digo, infância... A banda era a Blind Melon, e o vídeo era da música "No rain": tem uma abelinha (preta e amarela, claro) que passa o clipe todo tentando se encaixar nesse mundo cinza.

Eu pensei na própria abelha, o bicho, que ferroa, mas também produz algo doce. Eu sei que isso soa pieguíssimo, mas é bem eu (não o pieguíssimo, mas o ferroar e produzir mel da abelha. OK, e o voar e fazer cera bem de vez em quando também).

Enfim, acho que não adianta muito sofrer mesmo não (na verdade, segundo um dos personagens adianta um pouco, sim). No fim, como já dizia meu escritor favorito, o Fernando Sabino, dá tudo certo.

Já tinha tempo que eu havia decidido mudar o layout do "humberto explica", justamente pra amarelo e preto. Depois do filme, agora é que eu vou mudar mesmo. Logo, logo.

Eu volto pra "pausa". Em breve eu tô aqui for good.

Abraços pra todos.


P.S.: Assistam o filme. E assistam o clipe da abelinha também, é cafoninha, mas é legal (se falar que a definição serve pra mim também, apanha!). Bjos.
P.S.2: Toni Collette fez o "Casamento de Muriel" e "O Sexto Sentido", pra citar dois.
P.S.3: Tá, eu concordo, gay hoje tá mais pra gay que pra alegre mesmo. Mas whatever, deu pra entender.
P.S.4 (que resume o post):

domingo, 11 de novembro de 2007

o Humberto dá uma pausa

Queridos todo mundo. Eu tinha mil posts novos pra colocar aqui no blog esses dias. Para essa semana, tinha mesmo preparado uma seriezinha (não uma sirizinha), a primeira do "humberto explica", que ia falar das louras na TV e a vida da mulher brasileira. Ainda vou fazer tudo isso, vou escrever, vou viajar na minha maiozinha aqui. Mas não dá pra ser agora.

Este post aqui é pra avisar a todos que acompanham o blog, todos que são corajosos o suficiente para ler meus textos, todos os amigos, que "o humberto explica" vai fazer uma pausa até o fim do mês. Sim, fiótes, só em dezembro. Eu mesmo lamento (talvez só eu mesmo lamente), mas as coisas andam muito, muito puxadas pro meu lado, a barra tá muito pesada e mesmo com toda essa carcaça grossa que eu tenho, o jumentão aqui não tá dando conta fácil, não. Por isso vou precisar focar ainda mais na missão pra conseguir alguma coisa. E desse modo, pra tentar que minhas mínimas chances de conseguir completar a travessia do oceano com vida fiquem um pouquinho maiores, vou ficar distante do computador por esses próximos vinte dias.

"Mas, Humberto, e essa Alessandra Negrini aí em cima, me explica?". Claro que explico, não foi pra isso, afinal, que eu criei este blog, pra "explicar"?

Bom, em primeiro lugar, eu coloquei ela aí porque eu sou apaixonado por essa mulher há mais tempo do que eu posso revelar aqui (hehehe, entregar a idade jamais!). Mas na verdade, ela ia já ser tema de um post que vinha sendo adiado há meses. Em setembro a Alessandra deu uma entrevista na TPM, onde fez a seguinte declaração:

“Tenho uma solidão muito profunda, um lugar aonde ninguém chega”.

Fiquei tanto tempo martelando isso na minha cabeça. Não gosto de admitir essas coisas não, principalmente publicamente assim para meus dez leitores, mas pensei que o que ela disse é exatamente o que eu sinto.

Eu gosto de conviver com as pessoas, por mais que a maioria delas me dê uma preguiça descomunal. Eu gosto de ouvir as pessoas, eu gosto de ter amigos, gosto de sair, de dançar, gosto muuuuito de conhecer gente nova. Mas, sabe lá o bom Deus porquê, eu sinto que ninguém consegue ter uma idéia do que é ser o "Humberto". Na verdade, acho que ninguém sabe o que é ser o outro. Enfim, às vezes me bate essas consciência de que não importa o que haja, eu vou ter sempre que contar...comigo. E, acreditem, isso não é fácil.

Contar comigo não é fácil porque eu sou muito auto-crítico, de doer. E também não desisto das coisas. Continuo feito um trouxa achando que elas podem acontecer, sim, que ainda vale insistir naquele maledito desejo que cresceu lá num passado arcaico, naquela certeza idiota de que esse objeto quase extinto de comunicação chamado revista ainda fará parte da minha vida.

Já perdi o rumo da viagem. Já perdi o rumo. Totalmente. Anyways.

Sigo nadando. Cruzando o mar de água salgada com as mãos furadas de tanto dar murro em ponta de faca. Mas sigo nadando. Sozinho, como não poderia deixar de ser. Torcendo, pedindo a Deus pra não morrer na praia. Na verdade com medo de chegar vivo, mas em outra praia. O desconhecido é foda. Eu me viro bem, mas uma vez na vida eu queria que as coisas fossem mais tranqüilas.

Enfim, todos, amigos e leitores todos: "o humberto explica" volta ali no finalzinho de novembro, começo de dezembro. Não me abandonem, não, please. Porque no fundo, no fundo, essa solidão toda que eu sinto às vezes, lá no fundo no fundo, é puro medo de ver ir embora, pela enésima vez, as pessoas que eu amo. (Sim, até o Humberto tem medo).

Beijos pra todos, até breve.
P.S. (porque tem que ter P.S.): Aproveitem a pausa para reler os posts antigos. Alguns até que valem. Beijos.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

mantra final!!!

Gente, e ele finalmente chegou. Deus realmente é um cara muito bom. Não, não foi Jesus que chegou ainda. Aliás, Este pra mim tá sempre aí, do contrário eu pelo menos já tinha ido pro saco. Mas, enfim, falo do mantra pra novembro. O último do ano. O mais esperado. Falta um mês pra eu sair da pocilga. Um mesito. Deus seja sempre muito louvado.

Para os interessados, que também utilizam esses mantras, vai aí a dica: este tem que ser repetido como o refrão de Frozen, da Mammoça. Então, se irritou, ouviu alguma asneira de aluno ou professor, tem mil trabalhos em grupo pra fazer e nem São Humberto tá ajudando a passar a raiva? Senta, estica a coluna, junta os polegares nos indicadores, estica o resto dos dedos, respira fundo e manda ver:
Isso há de te dar paz(ciência) e você terá força e juízo pra ver que um futuro de alegria, prosperidade e beleza se aproxima (mesmo!).

Deus nos abençõe!
Besos pra everyone, se eu não tiver mais um tempinho, bom final de semana pra nós todos!

!Que rico!

Que eu ando bem sem tempo de postar não é novidade nenhuma para meus leitores mais fiéis. Que logo, logo eu vou voltar com muita coisa também todo mundo já sabe. De todo modo, achei uma novidade (só hoje!) na net que eu não podia deixar pra comentar depois: blog novo e muito bacana na área!

Pensa rápido: novo, muito bacana, na área...isso te lembra quem? Vocês eu não sei, mas no meu caso lembrou logo meu chuchu querido, a brilhantérrima gata-garota Mariana Lopes, a Mari, de quem eu fui orgulhoso estagiário na Tchón por um ano de muita ralation governamental. Só por ela eu liguei pra tanto asno, só por ela eu ralei o tóba no cascalho como ralei. Porque trabalhar pra Mari não era trabalhar pra Mari, era trabalhar com a Mari. Ela era alguém ali, preocupada com o crescimento profissional da gente. Fora que, tudo isso à parte, ela é uma das criaturas mais hilárias que eu conheço. Enfim, a gata é gente nova, é muito bacana e tá sempre ligada no que acontece na área.

E por (mais) uma dessas coincidências da vida, justo agora que eu decidi aprender a cozinhar decentemente não é que a Mari me cria um blog falando sobre suas deliciosas receitas criativas? Até hoje eu espero pela tal da abóbora recheada, hehehe!

Pois então caros assíduos do "humberto explica" (e já convoco também os do Cremdeuspai, que é da Polly, que também trabalhou com a Mari e sabe o tanto que a mujer é um talento), especialmente você, querida leitora que vai casar ano que vem, tratem de dar um pulinho lá no Nabatedeira (já devidamente incluído na minha lista de favoritos aí do lado). Não é todo dia que a gente tem o prazer de de ler algo escrito por alguém inteligente hoje em dia. Muito menos receitas!

Mari, gata, sucesso sempre pra você. Algo me diz que seu caminho te encontrou! :)

Besos pra todos, esse post foi escrito na hora do almoço, eu vou comer! :P


P.S.: Mari, mujer, antes de me ensinar a cozinhar cê vai ter que me ensinar a deixar meu blog bonito como o seu. Como assim, que design todo é esse, hehehe?
P.S.2: Antes que alguém repita a gloriosa proeza de me chamar de machista, indiquei o site pra amiga que vai casar porque a amiga (e leitora do blog) é ela e não o seu noivo. Ele é só "quase-amigo", hehehe.
P.S.3: Lembrei da Dinorá, KKKKKKKKK! Tinha que tá no YouTube!

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

:(

Tinha escrito um post lindo, enorme, sobre uma pessoa linda que eu conheço. Tava no final e o texto sumiu todo. Uma da madruga, não animo escrever de novo não.

Lili, fico te devendo essa.
Besos pra everyone.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

cora, moçada, cora nessa hora

Nadando dia e noite, noite e dia. A paulêra tá só começando.
Vamo que vamo. E de braçada.

sábado, 3 de novembro de 2007

Humberto, rogai por nós!

O post de hoje é no mínimo curioso. Pelo menos pra mim. Talvez para aqueles que não me conhecem nem tenha tanta graça. Mas eu penso que pra quem já desfrutou um tempinho com esse blogueiro modesto as informações a seguir serão até engraçadinhas.

Vê bem essa descrição:

"Um homem caridoso, amável e sábio, que granjeou a estima de todos os seus concidadãos".

Hehehe, quer mais. Que tal isso, então?:

"Um pobre pecador, clamando para que sejamos todos conscientes da nossa transitoriedade neste mundo".

Sim, falo do Humberto. Obviamente, não de mim mesmo, mas de São Humberto, também conhecido como Santo Humberto, representado na imagem aí acima. Hoje, dia 03 de novembro é dia deste santo, pop que só ele na Bélgica,país onde ele foi bispo (em Tongres, Maestricht e Liège). Meu xará viveu no século VIII e morreu dando conselhos (como costumam fazer os Humbertos todos, pelo visto):

"Fazei penitência, está chegando, aproxima-se o dia do julgamento. A morte está próxima, não tarda a vir, como diz a Escritura. Sim, deste sono todos seremos presa. Se alguém se sente culpado, em falta, caído no pecado, ainda há tempo de recorrer a salutares medicinas. Ide, enquanto uma porta jaz aberta, para que a alma não morra com o corpo. Quem fez malfeitos, que se arrependa de todo o coração. E vós, irmãos, pesai e repesai o que tendes feito. Doravante, ponde toda a vossa atenção naquilo que ides fazer."

Bom, a morte estava próxima mesmo, mas dele pelo visto. Os Humbertos acertam sempre, de um jeito ou de outro. E, claro, por mais que sejam uns bestões que se preocupam com os outros mais do que deveriam (que o diga no que se refere às amigas traíras), no fundo tão de olho é no seu:
"Quanto a mim, pobre pecador, a vós vos falo, mas é por mim que temo".

Essas comparações são todas brincadeiras, nem preciso dizer. Eu respeito santos, todos eles, e não ia tripudiar justamente daquele que carrega meu bonito nome. Mas tem umas coisas que são curiosas.

Não consegui decobrir muito sobre o santo, mas soube que o São Humberto era um nobre lá da Bélgica que teve uma visão de um cervo com uma cruz luminosa entre os galhos. Eu não comentarei. Mas posso bem imaginar a Alessandra lendo isso, assim como imaginaria a Jacira se ela não tivesse trocado meu blog pelo flog do anão há muito tempo.

Mais (e melhores!): São Humberto é padroeiro dos caçadores, dos guardas florestais e, e, e....PROTETOR DOS RAIVOSOS!!!
KKKKKKKKKKKKK, eu queria saber disso na época em que fui estagiário de mídia! Dá pra crer numa coisa dessas? A Mari tem que saber disso! Então, já sabem, bateu aquela raiva, a cólera tomou conta do seu ser? "São Humberto, rogai por nós!"

Eu adorei.

São Humberto, agora querido, querido, morreu dia 30 de maio de 727; 1255 anos antes de seu xará mais cabeça-dura vir a um mundo ainda tão bárbaro quanto o que ele viveu. Na sua época, pelo que eu entendi, tornou-se santo porque viu um veado com uma cruz luminosa na cabeça. Hoje em dia é bem capaz de eu encontarar vários por aí – mas tá looonge de isso me santificar. Bem, ou não, vai saber.

:)

E, bem, já que é dia do santo mesmo, deixa eu fazer minha prece:

São Humbertão, xará, com todo respeito, pede a Deus pra me ajudar aqui embaixo, porque tá osso. Eu prometo que visito a cidade que leva seu nome, Saint Hubert, lá na Bélgica, e ainda acendo uma vela nessa capelinha charmosa dedicada ao senhor, lá na França.

Rogai por nós, pecadores, amém!


Adorei, adorei.


P.S.: A fonte das informações sobre o querido santinho e sobre tantos outros estão num site católico. Minha amiga Lê, que tanto gosta deles, pode fazer a festa lá.

P.S.2: Olha que bacana, não bastasse saber que tem um santo tão gente boa e de tão boa procedência com meu nome, descobri também que tem uma raça de cachorro chamada "Cão de São Humberto". Não digo?, até no final achei mais uma semelhança! Os Humbertos e seus cachorrinhos :) ...

UPDATE:
Achei mais informações sobre meu xará santo num site portuga, ora pois. Acessa lá e divirta-se. Mas reze pra ele, hein! :)

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

that'$ what I want

Hola everyone, ainda resta algum leitor inteiro depois desse processo intenso de derretimento em que nos encontramos? Só os do hemisfério norte né?

Bom, gentada boa, eu tô muito querendo postar hoje, mas é finzim de feriado, na verdade começo de feriadão, tá quente pra mim, eu vou enrolar descaradamente.

Deixo pra vocês uma musiquinha, que diz muito sobre minhas conclusões filosóficas nos últimos dias. Eu queria botar a versão da banda (bom, acho que é uma banda! :P) Flying Lizards, que tá no (ótimo) filme de Sessão da Tarde "The Wedding Singer", mas não achei, vai essa aí mesmo. Aliás, a trilha sonora toda do filme é muito boa.

Divirtam-se, não derretam totalmente, e quem estiver num lugar fresquinho, please, manda as vibrações pra mim.

Beijos pra todo mundo, eu vou voltando. :)

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

eu vórto!

!Hola povo!

Tem sido difícil postar nos últimos dias, tanto pelo calor insuportááááável que tá nessa roça quanto pela correria que eu tô nela. Passei, na verdade, só pra dizer que logo volto a escrever. Tem um bocado de assunto pendente que eu tenho que viajar aqui no blog, coisas que vão da "traição feminina" (tema sugerido por leitora indócil), "amigos mala do passado que reaparecem como se nadativesse acontecido" e "amigos ótimos do passado que reaparecem ainda melhores" até a "CuOPA do Brasil", a música que já deu, as loiras e a mídia, a "mulheres-demo" de Sete Lagoas...

Enfim, dêem uma forcinha aí, aguardem só mais um pouco, eu volto e falo, aliás escrevo, muita melda. Enquanto isso dá uma passada lá no Cremdeuspai, no Plástico Rico, no PapelPop. Tem muita coisa pra se fuçar nesta net maluca.

Abraços, I'll be back!