segunda-feira, 31 de março de 2008

e o que é pior?

O “Humberto Explica” já rasgou uma sedinha pra Natália Guimarães algumas vezes. Já chegou até a dizer que ela era um motivinho pra gostar dessa roça que é TuBHcanga. Mas, putamerda... Namorar KLBosta? Aí não, aí não dá, não! E isso consegue ser pior, porque há que diga que é namoro de fachada, pra ela continuar saindo com o Aedes Neves. Como diria meu amigo Rodrigo Negão, PuLLLtamerda! O que é pior nessa situação?

***

Ta vendo? A gente fala bem de algumas pessoas e corre o sério risco de quebrar feio a cara. Essa coisa da Miss me fez lembrar que não dá pra “pôr a mão no fogo” por ninguém. Eu lembrei até de um caso que ocorreu uns oito anos atrás...

Já houve um tempo em que existia virgens (e nesse mesmo tempo era bacana ser virgem, vê que bosta?). Eu e algumas amigas fomos adolescentes numa época de transição, tinha as (e os!) virgens e as não-virgens e tava tudo na boa. Mesmo assim, ainda tinha quem olhasse meio torto pras “avançadinhas” (pensa bem que mundo caduco!).

Anyways, daí eu lembro do povo na escola falando de quem era, quem não era, quem devia ser. E lembro direitinho de mim falando: “A Cássia é virgem! Eu ponho a minha mão inteira no fogo que ela é!”.

Primeira observação: Spia que bosta, se eu que já era o mais feminista do bando, tava defendendo a virgindade da amiga, imagina o que não falando das, digamos, "dadas"?

Segunda (e conclusiva) observação: Uns poucos anos depois, a Cássia me ligou pra contar fufa: E assim que eu perguntei (eufórico, eu confesso) quem tava grávida, a Cássia respondeu na latinha: “Eu”. KKKKKKK, eu teria me sentido muito baixo se não fosse a Cássia – tão minha amiga e se tão sabendo que aquela pergunta era quase um cumprimento pra nosso bando, especialmente quando alguém anunciava fofoca quente.

Moral da história: Já queimei minha mão algumas vezes. Depois da última queimada, graças a uma briga minha com meia faculdade pra garantir que uma amiga não era interesseira, não ponho nem uma unha quebrada no fogo por ninguém. Cada um que faça o que quiser, que seja o que quiser, porque tá mais que certo mesmo. E eu não sou pai de ninguém pra ficar defendendo ninguém. Mal dou conta de mim. :P

Jesus, esse post era pra ser mínimo!


P.S.: Da série “não é a cara?”: Janaína, ela não tá a cara da Cléo Pires nessa foto?
P.S.2: “Cássia” é nome fictício, é óbvio!

Nenhum comentário: