quarta-feira, 5 de março de 2008

um + um = dois



Prosseguindo na discussão sobre a "Semana da Mulher", vou começar tentando atender ao pedido de uma das minhas favoritas: a Lê, que pediu pra eufazer posts menores. Vou tentar, gata!

Bom, antes de escrever este post tive que pensar demais. Não porque seja profundo, como nenhum dos outros é. Mas porque pra fazê-lo eu teria que assumir que, sim, estou assistindo ao "Big Brother"... Sorry, é difícil não assistir a essa melga, você diz que não vai ver, mas acaba vendo, não tem jeito. E, justamente porque eu quero estudar esta questão da imagem da mulher, na verdade a história dos papéis sexuais na mídia, eu não posso deixar de ver, é um prato cheio para as discussões (Linda minha desculpa. O pior é que é vera.).

Não vou falar sobre a história do programa, o que tá rolando nesta edição. Quem estiver a fim de se atualizar a respeito pode acessar um blog chamado De Cara Pra Lua (mas atenção, leia os posts, não os coments, porque esses te fazem se sentir muito estúpido por estar assistindo o tal programa).

O post de hoje quer só homenagear a "vilã" da vez, Natália, a nova miss do "BBB". Natália engatou um namorico com outro participante do jogo, como sempre acaba rolando. Mas ao contrário das demais, ela não se anulou. Continuou aproveitando tudo, manteve suas próprias idéias. O cara, o último dos machistas, pelo menos como fez parecer, vivia "ensinando" a ela como se comportar, o que uma mulher deve ou não fazer e tudo isso, segundo o rapaz, porque ele queria protegê-la. Vêm aí as questões: Proteger do quê? Quem pediu proteção? O que exatamente é essa proteção? Mulher = Alguém que precisa de proteção automaticamente?

Natália, sem fazer esforço, mostrou que é uma mulher, ainda que pareça um pouco imatura pros seus 22 anos (como, convenhamos, todo mundo de 22 anos parece hoje em dia). E escancarou isso lindamente no dia em que o "namorado" foi eliminado do programa (sendo derrotado por ela mesma): ao contrário das namoradas chorosas anteriores, ela vibrou, gritou, brilhou, reviveu com a saída do cara (e, sobretudo, com a sua própria permanência na casa). Ela mostrou que tem autonomia e que ela existe, indepentedente da presença de um homem com ao seu lado. Natália acabou lembrando muita gente de que uma mulher é um ser completo, e que seus parceiros vêm pra acrescentar, não pra completar ou mesmo moldar sua personalidade.

Foi lindo, muito lindo isso, como as fotos acima mostram.

De novo, fica aí a idéia pra se pensar a respeito. Porque assuntos como a autonomia feminina não costumam ser tema de matérias sobre o Dia Internacional da Mulher. Em lugar nenhum.


P.S.: A nota triste disso tudo é que, claro, Natália ficou como "a infiel", "a traíra", "a que não valorizou a proteção de seu homem". Mais triste que isso só aquelas bailarinas do Faustão cruxificando a moça (sem a presença dela) e endeuzando o cara. E ainda mais triste que isso só eu ter que confessar que assisto Faustão (mas esse eu juro que é só muuuuito de vez em quando).
P.S.2: Desculpa, Lê, não consegui escrever menos. Eu tento na próxima.

Besos.

12 comentários:

Polly disse...

"uma mulher é um ser completo, e que seus parceiros vêm pra acrescentar, não pra completar ou mesmo moldar sua personalidade".

Gostei demais!

Beijos

Caroline disse...

Amigo,
Sei muito bem o que né namorar um cara "machão". Deus me de paciência, pois se me der força eu bato.

O pior ainda está por vir no caso sa Natália, pois quando ela for no Faustão, as dançarinas irão a favor dela. Vale até a pena colocar uma fita para gravar essa parte do programa.

É só esperar para ver.

Abs

Anônimo disse...

É, Humbert, meu caro! Nesta Semana da Mulher a gente tem mesmo que parar um pouquinho pra refletir sobre algumas coisas. A maioria das pesosas no mundo é mesmo muito hipócrita. Eu acho que valorizar o "cabresto" do homem e criticar o direito de liberdade da mulher é lugar comum até hoje, infelizmente! Para mim, o que vale mesmo é a gente ser o que realmente é, com coragem, autenticidade e força na peruca pra segurar a onda disso tudo (estando de um lado ou do outro da história) e não dar uma de vítima das circunstâncias depois.
Não assisto ao BBB, mas comentam que essa Natália, de boba não tem nada! E ela tá certa.. não tem que ter mesmo! Eu tô do lado dela. E do seu também, sempre!
Beijo da Jana

lê disse...

num aguentei e li tudinho... pode continuar escrevendo seus textos mega legais e mega gigantescos que eu vou engolir a preguiça e ler, viu?
mas... aqui... do bbb eu sabia... mas FAUSTÃO??? ah não... você está oficialmente convidado para vir à minha casa todos os domingos para não PASSARMOS por isso... hehehehe
beijoca! luv u!

Humbert disse...

KKKKKk, Alê! Já disse que é meeega-esporadicamente! Não dou conta nem de ficar em casa domingo.

Quanto aos outros coments, é isso aí mulherada. Como disse a Jana, força na peruca!

minidani disse...

quer namorar comigo?!
hahaha
otemo

Humbert disse...

Namoro! Hehehe! Sua avó ia gostar, né? Lembra da gente no Bolão? KKKKKKK! Besos gata!

Emanuelle disse...

Putz, o pior q é mesmo... A gente diz que não vai assistir, sabe que é uma droga, mas acaba pescando nem que seja uma ceninha. Adoro seu ponto de vista, sua forma de abordar as coisas. Concordo com o q vc disse! O problema é só que a Nathália, como a maioria das BBBs, apela para a "bunda". Ela não se anula e firma sua "personalidade" ao passo que continua se exibindo exageradamente contra a vontade do machistão. Aliás, em alguns ramos, especialmente o artístico, mulher tem que se expôr, se exibir, apelar pro lado sexual pra ficar famosa. Não sei até que ponto isso é liberdade... Fica mais uma reflexão! Besos besos e mais besos :)

Manu de novo disse...

Ah, deixa eu aproveitar!! Eu queria muuuuito comentar o post do carnaval, mas não consegui, n teve jeito! Dava um tilt sinistro todas as vezes que eu tentava. Vou deixar aqui fora de contexto só pra vc saber q eu li!!!!! Um mês depois... Era algo mais menos assim:

"Eu tb adoraria estar pela Europa cocêis no Carnaval! Ano q vem a gente vai, quem sabe?!!!
Sei q vc n tá desfazendo, gatão!! Pra conhecer Salvador, é melhor que não seja no Carnaval mesmo (ou vc não verá nada além de povão e trio elétrico kkkkkkkkk).
Não dá mesmo pra engolir Craudinha, mas já que a probrona aqui ficou em casa, me joguei atrás de Ivete e do Chicretão hehehehehehe!!! Ah, nunca vi tanto mineiro no Carnaval de Salvador! Tomaram conta!! E perdi a conta de quantos estavam vestindo camisas com a bandeira de Minas".

Eu dou uma sumida, mas apareço e me atualizo!!!
Um xêruuuuuuuuuuuuuuuuuuu :)

Humberto, cheio dos coments e rindo à toa disse...

Manu, gata, adorei seus comentários. Realmente é complicado isso de a mulher ter que "apelar pro lado da bunda, pro lado sexual". De todo modo, ainda que mínima, é uma liberdade. Ela pode (ou não) apelar pra bunda. No mais, convenhamos, piscinão ali o dia inteiro, não dá pra ficar de calça jeans, né? (e a Gróbis - e a Nathália - sabem o que fazer). Por fim, tem que ter juízo, mas não precisa ter vergonha do corpo mais não, né? Hehehe).

Por último, minha filha, eu ia demaaaaaais atrás da Ivetona, eu adoro a Ivetona! Feliz de vc pobrona em casa no carnaval da Bahia. Pobrão em casa no carnaval de TuBHcanga é uóóóóó! É igualzinho uma vinhetinha que tá passando na MTV, do carinha assistindo TV, kkkkkkkk!!!

Besos mulher bonita!

Thiago disse...

Quem fala q não vê mente!
Saudade de vc....
Acredita q ainda estou sem msn?
Dureza... :p

Humberto disse...

MOÇADA, TEM POST DO DIA 08, SIM, MAS O "BLOGGER" TÁ FORA DO AR, É MOLE?... SE NÃO ROLAR DE POSTAR HJ, AMANHÃ SEM FALTA O TEXTO TÁ AÍ. BESOS PRA TODAS.