quinta-feira, 22 de maio de 2008

Let it be

Até que ponto dá pra se preparar para as surpresas da vida?
Ruins ou mesmo boas, nunca dá pra se preparar para as surpresas pelo simples fato de que se desse para se preparar elas não seriam surpresas. Como disse um segurança num shopping aqui em TuBHcanga, “O imprevisto é sempre inesperado”.

Talvez uma maneira de se fortalecer para o que não conhecemos (ou não queremos ou queremos e não sabemos) é ficar com o pezinho atrás. Brincar de Curupira.

Tô falando borracha aqui.

A única coisa que eu queria dizer é que a gente deve viver, planejar o que dá, ir administrando as coisas, mas sempre se preparar para o quê e para quem a gente não conhece. Dessa vida e desse mundo a gente não sabe nada. Aliás, eu acho que Deus manda a gente pra cá é pra aprender mesmo. E daí, quando a gente aprende deve ser a hora de voltar...


O pai de uma grande amiga minha sabia das coisas. E hoje ele foi pra um lugar mais bacana. Eu não o conheci, mas pela grandeza da filha que ele criou (e que o amava como eu vi poucos filhos gostando do pai), eu tinha muita admiração por ele. E é por isso que vou estar sempre com ela, mesmo quando ela precisar apenas de uma palavra de carinho.

Minha amiga, eu estou sempre do seu lado. Força nesta hora. E fique bem porque seu pai tá com o Pai de todos nós, então tá bem também.


Besos pra você, gata. E besos pra everyone.
Juízo, povo.

Um comentário:

Polly disse...

Sábias palavras!
E força pra sua amiga, que é uma pessoa de astral bacana e que tá aqui para aprender e tornar nossa vida um pouco mais alegre mesmo...não é?

P.s: eu também o admirava por tabela...homem guerreiro, como a gente deve ser.

Beijos