terça-feira, 16 de setembro de 2008

fim da terça-insana (continue pensanso na Grécia, continue pensando na Grécia, continue pensando na Grécia...)

Incrível como o dia foi esquisito. Foi ruim do minutinho que eu acordei e ainda não o engoli até agora. Aliás, estou, de fato, com um gosto ruim na boca, um mal-estar. Hoje parece que tudo deu errado pra mim e pra todo mundo por perto. Haja copinho d’água.

Estava tudo tão cinzento e frio (até o tempo), que eu me peguei me perguntando pra quê tudo? Por quê tanto esforço, pra quê as noites sem dormir, os dias com a cara enfiada em livros e no computador, pra quê o esforço pra dar tudo certo? O quê é tudo certo, quem define isso? Eu? O que fazer quando tudo dá errado? E, às vezes pior, o que fazer depois que já deu tudo certo?

A verdade é que de vez em quando (e, graças a Deus, tem sido bem de vez em quando mesmo) tudo parece tão, mas tão sem sentido, pior, sem saída, que eu literalmente preciso parar. Fechar os olhos, me desligar de tudo, tentar achar uma luz (vai ver é por isso que tem sempre que ser no escuro).

Hoje eu olhei minha pilha de revistas. Olhei minha pilha de livros. Olhei o sem fim de textos sobre isso e sobre gênero que eu venho lendo. Hoje eu tentei lembrar de onde surgiu isso tudo na minha vida e tentei pensar para onde vai me levar isso tudo.

Hoje eu pensei em todos os idiotas bem sucedidos que eu conheço e tive certeza, mais uma vez, que o idiota-mor sou eu, que continuo sem ter onde cair duro. E aí vem a avalanche de perguntas: Onde é que eu errei? Dá tempo (e tem como?) arrumar as cagadas? Dá pra ser sujo pra conseguir as coisas? Dá pra conseguir as coisas sem ser sujo? Se dá, não era pra eu ter conseguido já há muuuuuito tempo? Como é que eu fui pro Cu do Mundo sem UM ÚNICO puto e deu tudo tão certo? Ôpa, acho que ao menos descobri onde eu errei.

O mais bizarro do dia de hoje é que as coisas já estiveram muito piores. Não sei nem se as coisas estão ruins mesmo. Mas algo, sei lá o quê, me dá ao mesmo tempo certeza de que as coisas não estão bem, não ficarão e que eu cansei de tentar fazê-las ficarem. Será que a preguiça que eu estou das pessoas tem algo a ver com isso? Será que eu adquiri igual preguiça de mim mesmo? Será que você adquiriu depois deste post mala?

Eu sei, eu sei, isso parece um texto de adolescente. Talvez resida aí boa parte do problema (se ele há) todo.

Valha-nos Deus, permita que a quarta-feira e os dias seguintes sejam mais iluminados, pra mim e pra todos que eu vi chorando hoje por conta da ignorância alheia.

Bonsoir.

5 comentários:

Caroline disse...

Amigo,
Não desanima não viu. Se precisar estou em casa hoje à noite.
Qualquer coisa me liga.

Força, fé e coragem.

Abs.

Humbs disse...

Tks, força pra todos nós.

Lorena Pôssa disse...

Esse post poderia ter sido escrito por mim... semelhanças mil. Bom e ruim saber que mais pessoas tbm sentem isso...

Certa vez a Cássia Eller disse:
"nao existe certo e errado. vc faz o q pensa, q acaba dando certo".

=)

Janaína disse...

Humbert, querido! Também ando cheia de questionamentos que, se eu for parar pra considerar, pulo no abismo! Tenho um emprego medíocre cercada de gente demagoga e falsa, estudo vc sabe onde, meu "dejeto excremental" é (des)orientado por vc sabe quem e, de quebra, amo a quem não me ama. Adoraria te dar a mão, mas na onda que eu tô, a gente acabaria suicidando junto!
Mantenha a fé e a calma, amore...é o que eu tenho tentado fazer. Como diria Jorge Vercilo, que eu amo sem esperar correspondência, "acredite no final feliz".
Beijo, lindo!

Humberto disse...

Tks pelo apoio, moças. Esta semana está muito atípica mesmo, mas no final tudo é pra melhor. bjos.