segunda-feira, 29 de setembro de 2008

o querido Machadão

E por falar em olhos de ressaca, como não?, tenho que fazer alguma menção ao centenário da morte de Machado de Assis.

E vai ter que ser só menção mesmo, já que meu tempo é curto e eu não conseguiria (bom, nem com muito tempo) fazer um texto que explicasse o quanto eu gosto do Machadão e o quanto eu adoro “Dom Casmurro” (apesar de todo o esforço que as professoras do ensino médio faziam pra gente odiar esse tipo de leitura).

Enfim, todos os portais prepararam especiais para homenagear a data. Eu sugiro este especial e mais este outro aqui.

E, acima de tudo, sugiro a leitura do “Dom Cassoco” (como eu chamo :P) e de quantas outras obras desse espetáculo de autor você puder ler.

É isso. E eu realmente lamento não dar pra escrever muito mais.
Besos.

3 comentários:

Caroline disse...

Realmente este livro é ótimo.

Abs.

Sarah disse...

Bom,até hoje só ouvi críticas ao meu comentário mas não consigo mudar de idéia. Machadão é mesmo muito bom mas o que eu gosto é do modo dele escrever. As estórias acho previsíveis, juro que não vejo nada demais na estória em si.
Na época de escola era um porre ter que ler coisas do gênero, mas lia, fazer o que. Escola, vestibular...
Dom Casmurro...tu acha que ele era neurótico ou foi traído? Eu acho que era neura.
Só fui ler com gosto mesmo este tipo de livro depois, com calma, sem cobrança. Que nem o Quincas, que é super bom.
O livro que mais gosto é do Realismo, O Cortiço, do Aluísio de Azevedo. Muito bom mesmooo.Escreve muito.Fora que o personagem principal pra mim era o Armando Bogus.

Humberto disse...

Eu tb odiava todos na escola. Odiava. Até hoje detesto ler por obrigação.

Eu li o Dom Cassoco por minha conta, depois de adultescente. COnfesso que gosto das traminhas também (rs), eu adoro qualquer história. Tem que ser um Pauno Coelho pra eu não me interessar.

Do realismo, já leu "O Homem", do Aluízio Azevedo? É muito engraçado.

Aqui, não entendi a do Armando Bogus (leseira total minha).

Tenho que fazer logo o top ten dos livros.

Bjos!