sexta-feira, 31 de outubro de 2008

é vermelho!

E então, leitoras, alguma de vocês viu a última, sobre o vestido vermelho? Não? Dá uma lida aqui, então.

É... A Lady in Red já devia saber.

Tempo curto, correria de sempre, sexta-feira bombando. Post mínimo, mínimo... :(

Então, bom final de semana pra todas, parece que vai chover em TuBHcanga, por isso aproveitem o lado aconchegante da vida (se é que vocês me entendem). :P

Besos! :)
d

força!

Com a destreza e o soco potente de um lango-lango, rumo a uma das metas para 2008. Aff!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

divas de papel

Que o meu trabalho de conclusão de curso foi sobre a publicidade impressa feita para mulheres eu acho que qualquer um que segue o blog já sabe.

Que eu adoro revistas (ultimamente mais o fazer que o ler), também, todo mundo já sabe de cor.

Enfim. Estava hoje procurando um vestido vermelho na internet pra fazer um post que ficou pra amanhã e me deparei com o site da Unilever trazendo uma espetacular história das campanhas publicitárias das marcas da empresa.

Nem tive tempo ainda de viajar como gostaria, mas já pirei nas campanhas do Lux Luxo. É muito bacana ver como as estrelas do sabonete passaram de pálidas atrizes hollywoodianas a iluminadas atrizes brasileiras, incluindo uma Isabel Fillardis negra e linda, no auge de sua beleza.

Também adorei ver a Bruna Lombardi lançando creme rinse (kkkkkkkkkk, tão bonitinha!!!). E tem ainda o anúncio do leão escovadinho, que é tão besta que eu simplesmente adoro.

Enfim, vale demais dar uma visitada, se possível com tempo, nesse site. É, no mínimo, a história da publicidade, das mulheres, dos padrões de beleza e do consumo no Brasil. Muito, muito bacana!

Abraços pra todas.

kk

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

adorável sedutora

Capitu sempre foi minha personagem favorita. Na verdade, tenho até que reler "Dom Casmurro", mas há anos eu aponto a obra como a mais perfeita. Agora, eu tenho que confessar, eu estou apaixonado pela Maria Fernanda Cândido como a mulher dos olhos de ressaca. Linda, linda, linda, do jeitinho que eu imaginava. Não vejo a hora de assistir à minissérie.

Um pouco de muita beleza pra começar esta semana.
Abraços pra todos.
h

2010


sexta-feira, 24 de outubro de 2008

não canso de rir

Eu adoro “Hermes & Renato”. Porque os caras que inventaram o Joselito Sem Noção costumam ter muito mais noção que a maioria dos idiotas que a gente vê na TV, na moda, no cinema, em todo canto.

Esses dias eu assisti ao “Jornal Jornal”, quadro do programa, e eles estavam tirando uma com a cara daquela banda estúpida chamada “Cansei de Ser Sexy” (CSS, para a pobrada no exterior). E já é um clássico!

Eu OBRIGO cada leitor deste blog a dar uma olhada nesta pérola dos caras do "Hermes & Renato". Se você não conhece a banda de vera, veja o clipe de uma “música” mais famosinha aqui. E depois veja o “H&R”.

É isso, povo. Bora tratar de começar o fim de semana rindo. E terminar feliz também.

Abraços pra todos!
d

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

então tá bom, gentchi

Viu o vídeo? Engraçado, né? Dá uma olhada nesta matéria de 2006 aqui. Ela também é engraçada. Só não dá pra rir do beco sem saída em que se encontra TuBHcanga. Mas como "engraçado" é a palavra deste momento triste, não custa lembrar aquela piadinha que diz que a única saída é pelo aeroporto. Se a green line ficar pronta algum dia antes da próxima eleição, é claro.
d

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

melhor coisa no mundo

Alguém que sorria sincera e gostosamente quando me vir. É pedir demais? :P

Só pra dar uma subidinha no ânimo do blog, uma foto da Angie na Esquire. Linda. Melhor sorriso do mundo.

Um pouco de leveza costuma fazer bem.

Besos pra everyone! :)
h

post atrasado III (TV lixo)

O caso de Eloá, em Santo André, eu não vou comentar. O máximo que eu, cá longe, posso fazer é lamentar sinceramente e muito. Sugiro, contudo, a leitura do post que a Lorena fez sobre o episódio.

Também tenho que lamentar pela mídia. Foi nojenta a cobertura. Eu não vi a entrevista da Sônia Abrão, mas imagino o nível (pior mesmo só se fosse o Leão Lobo o entrevistador). E a Globo, Deus do céu, achei que ia explorar o caso até no programa da Angélica. Incrível como sugaram até a última gota que dava pra garantir um ibopezinho.

No meio disso tudo, por uma dessas coincidências esquisitas, o filme "174" vai ser lançado sexta-feira. Eu dei uma olhadinha no trailler e fiquei feliz de ver a Cris Vianna em cena de novo. Por outro lado, pra mim fica sempre a mesma estranheza (e eu comentei isso no post da Lorena): A vítima fica sempre meio deixada de lado. Há uma preocupação enorme com o seqüestrador, com o que o levou a fazer a bobagem, com isso, com aquilo. Mas e a vítima? Alguém aí vai fazer um filme sobre ela? Alguém aí sabe o que ela ia fazer aquele dia? Alguém sabe dos sonhos que ela deixou de realizar?

Eu não estava no Brasil quando aconteceu o seqüestro do ônibus 174, mas quase morri de vergonha quando vi. Porque eu lembrava bem de tragédia parecida, que aconteceu em 1989, e já imaginava que em se tratando de Brasil eu voltaria a ver outras, como esta da Eloá agora.

Enfim, não tenho o que render neste texto. Não preciso de Ibope. E, mesmo sendo jornalista, eu costumo respeitar o sofrimento alheio.

Tem jeito pro Brasil?
Esperamos que sim.


post atrasado II (Senhor, sua obra é um espetáculo)


Spia só que lindura Gisa batendo perna em Paris semana passada. Quanto garbo. Quanto estilo. Quanta beleza. Quanto pobre morrendo de inveja.

post atrasado I (Senhor, tende piedade)

Quarta-feira passada, dia 15 de outubro, o mundo caindo. Enquanto isso, no Ego... Preciso comentar? Como assim "vira um caldo, não entendi"?

terça-feira, 21 de outubro de 2008

sábado, 18 de outubro de 2008

born to be alone?

E é assim mesmo. Sombra.
Mas com uma luz lá no fundo, eu acho. Acabou. Obrigado.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

fervendo os miolos

É em dias de calor fedaputa como o de hoje que bate mais forte o medo de eu pagar a língua. Mas ainda não entendi a do blazer, porque se tá calor pra quê vestir algo com manga longa? E se tirar o blazer fica informal demais. Enfim, ainda tem algo indefinido nesta moda. Vejamos o que virá – De preferência sem esquecer que já houve momentos em que usamos jeans saint-tropeito. Well, whatever. É o calor.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

estressa e brocha

Acompanhei meio por alto a discussão sobre o fato de a campanha da candidata Marta Suplicy insinuar que Gilberto Kassab, o candidato adversário, é gay. O “embasamento” para a insinuação é o fato de o senhor em questão não ser casado nem ter filhos aos 48 anos.

Francamente? Que preguiça... Vindo justo de Marta Suplicy?

Eu acho decepcionante, em primeiríssimo lugar, por pensar que mesmo a maior capital do país ainda consegue ser retrógrada. Que diferença faria, afinal, se o administrador fosse ou não biba?

Também é lamentável que Marta Suplicy desperdice tamanha chance de uma mulher conquistar um posto político importante no Brasil (cargo que já foi dela, aliás) apelando para ataques pessoais. Isso só reforça a antipatia (pra não dizer preconceito) generalizada que há contra mulheres no poder.

Também é péssimo o quanto a imprensa se empenhou em ampliar o problema. Claro, óbvio, evidentemente, foi uma atitude ridícula de Marta. Mas, se a insinuação viesse do outro lado, será que haveria tanta defesa à parte ofendida? Será que, de novo, não haveria uma demonização da mulher pela enésima vez? Será que a vida pessoal da candidata seria tão menos importante? Nem preciso responder, né?

De todo modo, pra mim, o mais incrível é pensar que Marta Suplicy, sexóloga de longa data, que há décadas vem tentando (hum...) abrir a cabeça da pobrada brasileira contra tabus e, curiosamente, contra a homofobia, tenha tido que apelar pra uma baixaria nível “Superpop”.

E Marta Suplicy, que deve acompanhar discussões acadêmicas sobre gênero, deveria saber que tão opressora quanto o feminismo é a regra social que obriga um homem a se casar e a ter filhos só para demonstrar sua heterossexualidade. Ou os sujeitos heterossexuais não têm direito de querer viver sozinho ou como lhe seja melhor? Opção na vida é direito só de gays e de mulheres?

Enfim, só mais um episódio que retrata o atraso deste país. E, desculpe querida Marta, mas diante de tamanha babaquice não dá pra apenas relaxar e gozar, não.


P.S.: Por falar em baixaria, gente retrógrada, eleições e fim do mundo, não dá pra não mencionar TuBHcanga, claro. Os dois extremos de nosso beco sem saída se declararam contra o aborto, a descriminalização da maconha e, veja só, contra a união civil de homossexuais. Como dizia a Lucy, do desenho do Snoopy, “parem o mundo, eu quero descer”.
s

terça-feira, 14 de outubro de 2008

só a voz de Amy

Aí eu olho pra capa do CD da Amy e eu escuto músicas como "Tears dry on their own" e eu tenho certeza, certeza, de que a Amy deve ser chegada minha de outra encarnação. E aí eu sei que ela me entende e, mesmo do outro lado do mundo, compõe pra mim. Só pode ser isso.

Beijos.

domingo, 12 de outubro de 2008

brilho eterno

Que eu adoro blogar não é novidade pra ninguém. E que eu tenho andado sem tempo pra escrever o quanto eu gostaria também já não é nada novo pra quem acompanha o blog. Na verdade, assim como aconteceu no ano passado, pelo menos até meados de dezembro eu devo escrever menos. Não menos posts, eu espero, mas posts menores. O tempo tende a ficar cada vez mais curto nas próximas semanas.

“Humberto, o que tem isso a ver com essa mulher maravilhosa aí na foto?” Tem a ver que foi por conta dessa mulher maravilhosa que uma das minhas leitoras mais bacanas chegou até o blog. E como não vou ter tempo de escrever posts enormes, pensei que este “último” poderia ser dedicado ao assunto que trouxe nossa querida Sarah ao “o Humberto Explica”: a modelo Adriana de Oliveira.

Considerando a média de idade de minhas leitoras, é possível que muitas não se lembrem da Adriana. Talvez se lembrem, vaaagamente, da repercussão de sua morte, em janeiro de 1990. Naquele que seguramente era o começo de seu auge.

Qualquer um que se interesse por revistas e por modelos lembra bem desse brilho no olhar que você pode ver nas fotos. Porque só ela tinha.

Em 1989, justamente quando o meu interesse por revistas, modelos, publicidade e jornalismo se consolidou, era quase impossível não encontrar Adriana de Oliveira em algum editorial de moda. O sorriso era o mais lindo. Ela era facilmente reconhecível.

Aqui em casa já rolava uma assinatura da Nova, e embora eu ainda não soubesse o nome da modelo bonita dos cabelos pretos e anelados (coisa raríííííííssima hoje) e dos olhões azuis, eu já contava com uma capa estrelada por ela. E essa capa veio, a primeira da década de 1990. Foi quando eu soube de seu nome. Adriana de Oliveira estava em todas, em tudo, como neste comercial da Kibon. E aí, numa noite, o “Jornal Nacional” vem sem avisar e noticia a morte, por overdose de drogas, da minha modelo favorita (Aliás, da favorita de todo mundo que gostava, fazia ou conhecia revista). Uma menina linda que tinha tudo, sem exagero nenhum, tudo de bom pela frente.
ff
Quando eu descobri que a Sarah gostava da Adriana eu fui me surpreendendo com várias coisas. A primeira delas, o fato de já ter quase vinte anos que a Adriana morreu. Depois, visitando o site que a Sarah tem em homenagem à modelo, acabei descobrindo que a memória dela continua bem viva – Tem muita gente que escreve sobre ela, tem muito vídeo com a Adriana no Youtube.

Eu cheguei a me perguntar se não era meio bizarro essa coisa de ainda gostar, lembrar de alguém que se foi há tanto tempo. Mas concluí que não é não. Em primeiro lugar porque a gente sempre tem um ídolo que se foi, sobretudo gente que se foi cedo (Marilyn Monroe, Jim Morrisson, Kurt Cobain, Clara Nunes...). E em segundo lugar, aí é conclusão minha mesmo, eu acho que o brilho, esse despojamento da Adriana, pelo menos pra mim, são característicos de uma época que se foi, se não junto, pouco depois dela. Os tempos, as relações, as pessoas hoje são muito escrotinhas. A gente vive a era Galisteu, da forçação de barra, da necessidade de aparecer, de fingir tudo, de fingir pra gente mesmo, uma época de livros e palestras de auto-ajuda. O brilho se foi.

Todas as fotos neste post são obra do também saudoso José Antônio, fotógrafo que também mexeu com meu imaginário por anos. Você talvez conheça a filha dele, Nana Moraes, que herdou do pai a tarefa de fazer capas bacanas por aí (sem contar no André Schiliró, que eu adoro, e que foi assistente do Zé). Enfim, também as fotos do José Antônio têm alguma coisa que já não existe mais.

Post saudosista? Coisa de velho? Esquisitice total deste blogueiro? Não sei dizer. Acho que enjoei desta época em que todo mundo sabe de tudo, em que todo mundo é auto-suficiente. Mas não vou ficar divagando sobre mil coisas diferentes. Porque este post eu fiz foi pra Sarah, pra homenagear nossa querida Adriana de Oliveira e pra por um pouco de beleza neste site. Chega de falar de pitis de Madonna, do mau gosto da Família Miranda, das saias e pochetes do Marc Jacobs. Afinal, a década de 00 dos anos 2000 está quase chegando ao fim e a gente tem de ter esperança de que haja jeito pra esse mundo.

Bom, me perdi. Mas acho que vai haver quem me entenda.
Adriana, seu brilho estará sempre por aí.
Beijos pra todos, boa semana.


P.S.: Todas as fotos nesta página foram feitas para capas da Nova (e pensar que hoje em dia “capa de Nova” é sinônimo de tosqueira). Infelizmente só a verde rolou. Eu, na minha infância revisteira, fiquei anos imaginando como não teriam sido capas lindas, sobretudo a amarela. Até hoje me mordo de vontade de ver as outras fotos da sessão. Será que alguém tem pra me mostrar? Alguém aí na Abril, hum, hum?
P.S.2: Não posso deixar de mencionar que à época da Adriana, meu sonho era acordar com 36 anos (hehehe, ai, as crianças de antigamente eram tão estúpidas e felizes...). Hoje, às vezes, me dá vontade de voltar aos 12 anos (hehehe, ai, os adultos de agora são tão estúpidos e cagões...).
P.S.3: Agradecimentos ao meu amigo Heder Perdigão, designer brilhante, que tratou as imagens pra mim.

Beijos, everyone, beijos...

hum...bem...como é que é mesmo?

Só queria dizer que eu não entendo. Só isso.


P.S.: Na imagem, cena do filme "A fronteira da alvorada", que abriu o Indie aqui em TuBHcanga. Também tem seu charme, mas acho que também não entendo: não sei sé é sério, se é brincadeira, se é sincero, se é sujo, se é são, se é doido, não sei se é profundo ou se é pura superficialidade. Simplesmente não sei. Não entendo.
P.S.2: OK, você aí também não entendeu este post. Acho que não era pra entender mesmo. Beijos.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

chatona

Tô garrando uma birra da véia... Vê só o que eu li hoje no Glamurama:

Já ando sem vontade de ir, agora então. Preguiça dessas viadagens...

Amanhã eu ainda dou uma passadinha por aqui. Tem um post gigante (e prometido pra Sarah) pra escrever. mas desde já, besos pra todas, bom fim de semana!

P.S.: Em casos de viadagens desse tipo, o melhor é respirar e fazer "huummm-hummm", como a própria véia ensinou a fazer em Frozen. :P

matador

Spiem! Aliás, ouçam!

Novo CD do Killers a caminho, já com capa e tudo! Pra ouvir uma (ótima) faixa do novo álbum, "Human", é só clicar aqui. Não vejo a hora de ouvir as outras.

Capa, música nova, descobri tudo isso no blog da Denise Dahdah, na Quem. Ela consegue gostar da banda de Las Vegas ainda mais que eu. Bom, na verdade acho que ela consegue gostar tanto quanto eu. :)

Besos!


P.S.: Minhas vizinhas que me aguardem, a cantoria (e os momentos de felicidade explicita) vai recomeçar, héhéhé.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

na beira do campo

Eu não sou desses que pegam no pé de estrangeirismos na língua portuguesa. Sou menos ainda daqueles que apedrejam o uso de vocabulário em inglês, mas não sofrem com um abajur. Também já tive a oportunidade de morar fora e sei do valor de todas as culturas, por mais estúpidas que algumas nos possam parecer, por isso procuro não cair na bobagem de achar que uma é muito melhor que a outra.

Mas eu realmente odeio quando algum estúpido resolve usar uma palavra estrangeira pra designar alguma coisa que já tem denominação em português.
Daí que um imbecil resolveu que as pomponetes, que sempre foram pomponetes, agora são “cheerleaders”. Nos países de língua inglesa, sobretudo nos Estados Unidos (onde elas são uma tradição), tudo bem. Mas no Brasil?! “Cheerleaders Brasil”?! Ah, um tempinho, por favor, pode ser?

Pra mim pomponete é pomponete é pronto. Tipo aquela inesquecível do Atlético Mineiro, que fez cursinho comigo e que fazia a rapazeada inteira parar pra olhar cada vez que entrava na sala com a peitança no lugar.

Enfim, ando muito cansado de idéia fraca.
Ponto final.


P.S.: Ponto final uma respeitosa peida. Esqueci de perguntar: Vocês sabem de quem foi a “idéia” de “trazer” as cheerleaders para o Brasil? Hum? Hum? Clica aqui pra saber. E depois me conta: Podia ter saído de outro buraco?

P.S.2: Agora, hilário mesmo são as revistas que o site das “cheers” usa na seção “mídia”. KKKKKKKKK!!! Eu pagava pra ver as mocinhas na Vogue, na Elle e até na Marie Claire, que é mais chuletinha.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

limão

Você viram a Giovanna Antonelli na capa da Nova de outubro? Eu achei uma boa escolha, não acho ela esse espetáculo todo não, mas ela já merecia essa capa há muito tempo. E também, sei lá por quê, a atriz está muito bonita mesmo ultimamente, então tem mais é que fazer capa a rodo. A capa dela na Nova (na net, não vi de perto ainda) tá muito bonita.

Agora, eu só não entendi uma coisinha (inha mesmo): Qual é a desse micro-peito lá em cima, quase no pescoço? Sou eu que estou vendo coisa ou erraram a mão no photoshop? Desenharam esse pitico aí ou é impressão minha?

Bom. Vindo da Nova tá até bom demais. Eu diria que tá uma capa até discreta. :)

É isso por ora, besos.

facílimo

Como assim a capa da FaçaFácil deste mês tem a mesmíssima foto da capa da Gloss de junho? Não são nem da mesma editora! Será que a agenda da Ivete tá assim tão lotada? Será que não rolava pelo menos de ter escolhido outra foto da sessão? Jisuis!, o trem deve tá feio mesmo. Copiar-colar total, isso é que eu chamo de fazer fácil!...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

we are family

Hoje saiu um vídeo da Angie passeando com parte de sua prole e eu lembrei que tinha um post sobre a família Jolie-Pitt pra escrever.

Eu devo estar andando muito sem tempo mesmo. Porque resolvi responder a um coment da Sarah que eu tinha prometido e me dei conta de que foi lá pra agosto (vixe!).

Então, lá pra agosto eu fiz um post sobre as declarações da atriz Roseanne Barr a respeito das adoções de Angelina Jolie e Brad Pitt. Obviamente, não resisti à piadinha de imaginar minha amiga Jen(nifer Aniston) rolando de rir do barraco. Mas aí Sarehte respondeu e eu achei que merecia mais comentários.

Bom, na verdade não tem muito mais o que dizer, não. Eu acho que tem neguinho que adota filho por marketing, que faz caridade por marketing e tal. Mas, sinceramente? Antes fazer por esses motivos e fazer do que não fazer (quer dizer, adotar uma criança com o interesse de aparecer eu acho meio tosco). Na verdade, EU dou mais valor ao bem feito discretamente. Mas bem é sempre bem e é sempre muito bem-vindo, sobretudo neste mundo cada vez mais esquisito.

E também, eu não acredito que a Angie adota essa pobrad, digo, essa criançada toda por puro interesse. Posso até ser jacu, mas penso que ela se tornou mãe dos importadinhos de boa mesmo.

Muito mais criticável (atenção Dona Roseanne) são as Paris Hiltons da vida, que não têm NADA de significativo pra oferecer ao mundo.

Eu li que a Angelina que adotar (parir, sei lá) mais filhos. Que tenha. Porque no fim das contas, e eu já cansei de dizer isso aqui, da sua vida cada um é que sabe. Facílimo ficar julgando. Vai ver até a Paris Hilton sabe da sua, hum, vida.

E só pra fechar, eu preciso dizer: Esses meninos são muito style. Eu adooooooro a cara da Zahara, é a minha favorita. E essa Shiloh sabe ser bonitinha.

Ai, ai. A Angie bem podia me adotar, viu?

Inté, povo, besos.


P.S.: Dizem que família é tudo igual, mas a vera é que há famiglias e famiglias. Spia a mais nova da Família Piranda. Sinceramente, nem há o que comentar, pra mim ultrapassou qualquer limite da tosqueira comentável. É o mais puro e sincero Jesus Toma Conta.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

releitura contemporânea de Drummond II

No meio do caminho tinha muitas pedras.
Mas o caminho era tão lindo...

pé no chão

Back to life. Back to reality.

prorrogação

Eu fiquei um tanto chateado de não ter podido votar, mas tive uma grata surpresa ao voltar a TuBHcanga e me dar conta de que vai rolar um segundo turno. Não que eu acredite que muita coisa vá mudar (sei lá, de repente até piore), mas só o fato de ter ficado claro que nem a pobrada é tão trouxa já vale. Vejamos no que vai dar. Antes, não custa dar uma olhadinha no quadro abaixo, que faz parte desta matéria do UOL.

Besos pra todas, bom estar de volta. :)
ff

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

ela voltou!

Como foi bem lembrado pela minha querida Janaína, Liliane Ferrarezi is back!
Ela está nas páginas da Elle de setembro, em um editorial de beleza. Tomara que venha na capa em breve. Espetáculo essa minha top querida!

Liliane, menina bonita, pode brilhar sem dó!
Beijos pra todos, agora eu vou mesmo.

de calça curta

O tempo anda curto e as calças também.

No dia 15 do mês passado este intrigado blogger perguntou a suas estilosas leitoras o que elas achavam do estilo deste senhor:

E tipo que TODAS odiaram. A Carol achou barango demais, a Sarah classificou como show de horror, a Débora lamentou, a Jana pediu ao Cristo pra acudir, a Luisa chamou a atenção para o topete cheio de gel e as orelhas esquisitas e a Lorena disse que não encarava nem a pau . E ainda teve a Polly, que disse que “em cima de um iate próprio, convidando a moçada pra um passeio até Búzios ia muuuuuuita mulher começando a achar lindo”.

Bom, Polly, acho que não ia dar pra mulherada, não. Isso porque o sujeito na foto é o Lorenzo Martone, namorado dO Mark Jacobs. KKKKKKKKK, ou seja, o iate era de outro.

Eu, na verdade, estava de sacanagem era com a calça curta mesmo. Porque o povo da moda estava numa forçação de barra com esse modelito que já tava me deixando de saco cheio. Num determinado blog de uma biba de modinha, então, o cara já tava era apelando porque “os hoooooomens careeeeeeeeetas insistem em cobrir as peeeeeeeeernas!”.

Não agüento esse povo da moda, porque vivem dizendo que “estilo cada um faz, roupa bacana é roupa confortável, blábláblá”, mas quando cismam de fazer alguma coisa virar onda, pronto, qualquer um que não goste é cafona e careta. Imagina só um monte de pançudo com as pernas peludas de fora, tipo aqueles que tem pelo rosquinha, que fim.

O pior nessa história toda é que depois de ver um milhão de fotos e desfiles e whatever com esses modelos de bermuda social não é que eu tô começando a achar que vou acabar aderindo uma hora? Ai, a tongue paying é foda, hehehe! Esse aí abaixo (sem o mocassim e as ombreiras!) eu acho que usaria. E o do topo deste post também.
i
Não agora, certamente. E não todos os looks. E muito menos esses topetões de gel. Também não sei se usaria justamente numa situação profissional. Mas, sei lá, pra uma manhã de sábado no iate, hahaha, vai saber!

Ai, muito podre. Eu ia render bem mais sobre este tema, mas como eu já disse à exaustão, o tempo anda curto como essas calças. Vamos ver no que vai dar essa história.

Besos, mulheres lindas, thanks pelas respostas!

P.S.: Bermuda e blazer, hum, pode ser que role. Agora meia-calça, NÃO, mil vezes NÃO, é toooooooooosco e não haveria pentelho que sobrevivesse (OK, eu também sou tosco).
P.S.2: Amigas leitoras, por motivo de força maior, não postarei nos próximos dias. Mas volto na segunda-feira, se Deus quiser. Divirtam-se, leiam posts antigos, visitem os blogs da Lorena, da Polly, da Lu. E não me abandonem! :)
Beijos!
P.S.3: Ah, sim, este é o Marc Jacobs. Não, não é a Feiticeira de peruca curta na última foto.
f

inimiga ursa

Queridas leitoras, sugiro a leitura desta nota sobre a vice candidata republicana à Casa Branca, Dona Sarah Palin, e os ursos polares. É triste.

Depois assistam a esta pérola do "Saturday Night Live", também sobre Dona Sarah. É só pra quem sabe inglês, mas é ótimo, a Tina Fey está perfeita e a cara da outra atriz também é hilária.

No mais, eu repito o que eu já disse aqui: Sarah, só a minha leitora.

Besos.

moreninha linda

Pra abrilhantar esta quarta-feira no blog, a bela Tamiris Freitas, modelo aqui de TuBHcanga que já vive em Nova York há um tempo. A beleza morena dela me faz lembrar outra top morena que fez história, a espetacular Dalma Callado, que será homenageada no primeiro "Prêmio Moda Brasil", este mês.

Não sou do tipo de pessoa que adora dizer que “é absuuuuuuurdo tanta modelo loira no Brasil”. Elas não podem deixar de ser brasileiras só por serem loiras. E também tem gente de todo tipo neste país. Mas eu confesso uma certa predileção pelas morenas. São muito lindas.

As tops morenas de ontem, as de hoje. As tops de todos os tipos. Eu adoro essas mulheres.
Dalma, chiquéééérrima, em capa da Vogue nos anos 70.

being bored

- Blábláblóbló, bluóblóblóblábló, blóbló.
- Blóbló.
- Blálóblóbláóblóbláóblóbláóbló bláóblóbláóblóbláóbló bláóbló bláóblóbláóbló bláóbló bláó blóbláó blóbláó blóbláóbló bláóbló bláóblóbláóblóbláó blóbláóblóbláóblóbláóbló bláóblóbláó bló bláó bló bláó bló bláóblóbláó blóbláó blóbláó bló bláóbló bláóblóbláó bló bláó blóbláó bló bláóbló bláó bló bláó blóbláóblóbláóblóbláóblóbláóblóbláóblóbláóblóbláó......
- ...
- ...
- ...
- ...
-Blóblá? Blá?
- ...
- ...
- ...
- Bló?...
- ...
- Blálóblóbláóblóbláóblóbláóbló bláóblóbláóblóbláóbló bláóbló bláóblóbláóbló bláóbló bláó blóbláó blóbláó blóbláóbló bláóbló bláóblóbláóblóbláó blóbláóblóbláóblóbláóbló bláóblóbláó bló bláó bló bláó bló bláóblóbláó blóbláó blóbláó bló bláóbló bláóblóbláó bló bláó blóbláó bló bláóbló bláó bló bláó blóbláóblóbláóblóbláóblóbláóblóbláóblóbláóblóbláó...
- ...
- ...
- ...
- ...
- ...
- ...
- (aos gritos) JESUS TOMA CONTA, SOCOOOOOORRO!!!!!!!!!


E assim é a minha tarde uma vez por semana.