segunda-feira, 16 de março de 2009

Beyoncé, beyond

E viva a beleza negra! Depois da histórica edição com Michelle Obama, a Vogue estadunidense traz em sua capa a simpática Beyoncé. E ela está linda. A revista diz com todas as letras que mulheres de verdade têm curvas – o que nos faz esperar que a muitas vezes sem sal Vogue Brasil troque a infinitamente mais sem sal Daiane Conterato (e afins) pela Mulher-Melancia.

Brincadeiras à parte, adorei a capa com a Beyoncé. Uma mulher como a Anna Wintour definitivamente não é foda como é à toa.

Abrazos pra everyone.
c

4 comentários:

Janaína disse...

Até que enfim!! Tomara mesmo que a Vogue continue nessa linha, reconhecendo a beleza das mulheres de diferentes biotipos. Por um instante até pensei que a revista tivesse dado moral pra Michelle Obama por ser ela a Primeira Dama Mundial e pela questão da eleição norte americana ter sido a pauta do momento. Mas me parece que não. E ainda bem que isso está mudando. Cansa ver só as branquinhas e magrinhas nas capas das revistas mais famosas. Fico me sentindo uma alienígena lendo essas revistas e vendo que não tem quase nada com o que eu me identifique.

R.Paschoal disse...

Beyonce, benza deus, é a personificação da palavra "curvas", né?

Gosto muito de seu trabalho, apesar do novo album ser meio "esquizofrênico".... rs

Fernando disse...

Beyoncé é foda! Isso resume tudo.

Humberto disse...

Jana, melhor que isso só se você fosse a próxima capa da Vogue. E sem dúvida diversificar os tipos que ilustram as capas é muito necessário.

Grande Rafael, bem-vindo ao blog! Eu acho que tem bastante coisa esquizofrênica no trabalho da Beyoncé, de modo geral, mas no fim das contas tô como Fernando - ela é foda! rs Até "Single Lady", que eu achei uma chatice quando ouvi eu tô gostando agora.

Enfim, ela me parece bacana. E é uma estrela, sem dúvida.

Abrazos!