segunda-feira, 9 de março de 2009

o sorriso mais lindo do mundo

Finalmente comprei meu exemplar da biografia de Clara Nunes, espetáculo da belezura, do talento, do carisma. Acho que já mencionei que o sorriso dela é o mesmo da Janaína, grande amiga, grande leitora. Como o tempo anda curto, e eu comprei mais um monte de livros, minha mãe vai ler primeiro. Depois que eu finalmente puder me dedicar a essa leitura eu comento aqui, sobre o livro e sobre a grande cantora. :)

Besos.


P.S.: Já sabem, se precisarem rodar a baiana, optem pela Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela - você derruba o barraco como, mas com muito mais estilo, hehehe.
s

9 comentários:

Lorena Pôssa disse...

Te indiquei ao Prêmio Dardos lá no meu blog!

Bjo!

Janaína disse...

Ôh, gente... olha eu "me achando" por causa dos seus elogios, Humberto!!! Quisera eu ter um décimo do talento e da beleza dessa mulher! Quando a vejo, me lembro de mim, criança, encantada por todos os adornos que ela usava, com as saias enormes, os cabelos ao vento, girando e girando. Acredita que eu podia imaginar até o cheiro que ela tinha? Era quase hipnose quando eu a via. Encanto puro!
Ela é uma das primeiras referências de diva que eu tenho na vida.
Eu, aqui na minha humildade, como simples Janaína e boa filha de Iemanjá que sou, coloco o meu azul básico e só tento exalar meu perfume, distribuir sorrisos e balançar meus adornos ... E sonhar que vou ser Clara Nunes algum dia! rs
Beijos, querido! Delicie-se porque certamnte esse deve ser um primor de literatura.

Fernando disse...

Sorrisão mesmo... e olha que não parecia ser bonita, mas a expressão dela de alegria, já a tornava diferente... Depois faça uma crítica da biografia aqui pra gente!

Humberto disse...

Não se iluda, Fernandão, era linda. Você tem que ver as fotos no livro.

E, você, Janaína, brijo completo. Todo elogio pra você é pouco, mulher.

Vou ler o livro logo e tento fazer uma crítica decente.

Abrazos pros dois!

Sarah disse...

Nossa, eu amo biografias!!! Nem gosto de entrar em livrarias quando a grana tá curta ( sempre?). Mas eu entro e acabosofrendo, por isso também, sou rata de sebos! he he

Fala a verdade, tem coisa melhor que passar a tarde num sebo , fuçando, fuçando...

Humbert disse...

Sarah, mulher, a gente tinha que se ver. Os dois juntos numa livraria ou num sebo talvez ajudassem a controlar os gastos, tipo AA, a gente seria algo do tipo RLA (revisteiros e leitores anônimos). Eu tb adoro biografias, adoro sebos e tb passo longe de livraria qdo não quero gastar. :P

R.Paschoal disse...

Clara Nunes é Portela!!!

Anônimo disse...

Lú, não sei se tem no livro mas, a Clara Nunes morou na rua Jari,133-Renascença. O senhor que a levou a primeira vez para uma rádio ainda é vivo e vira e mexe tá caminhando na Bernardo.
Tati. (agora em São Brás do Suaçuí)

Eduardo disse...

Respondendo ao Fernando, quanto ao que foi digo: "e olha que não parecia ser bonita, mas a expressão dela de alegria".

Fernando, hoje é final de semana, sábado, dia das águas doces e salgadas, o dia que Oxum e Iemanjá domina. Entrei na net, pesquiso rapidamente sobre Clara Nunes e de cara encontro um determinado link, entro no site ao clicar neste link e me deparo com este site cujo qual escrevo, de imediato leio sua frase, e venho aqui lhe dizer palavras simples apesar do extenso texto que já se vai...
Clara Nunes era uma mulher cheia de defeitos e inúmeras qualidades, era gente de carne e osso, chorava, se alegrava, se emburrava, ia ao extremo junto aos amigos e não media esforços pra ajudar a quem conhecia, e isto terminou prejudicando-a, pois bem sabemos como o mundo é cheio de oportunistas. Ao contrário do que vc comentou, talvez por um impulso ou falta de conhecimento, aqui venho lhe dizer. Eu convivi com Clara algum tempo, e neste tempo talvez imaginário, talvez surealista, talvez não existente, Clara era uma pessoa de causar impacto apenas com seus passos silenciosos ao entrar em determinado ambiente. Ela deixava estacticos aqueles que para ela lhe direcionavam o olhar, e tudo isso não era por ser CLARA, perceba que seu olhar é enigmático e atraente, seu sorriso ilumina e seu jeito de se vestir e se portar era um charme aos olhos de qualquer um. Origem humilde, em tempos que a tecnologia não era tão favoravel como é agora, quando na tv as produções eram quase que caseiras e rústicas no improviso, ela dominava a tela quando aparecia.
Por onde passava o ambiente parava pra lhe olhar, existia uma mágia sim, não somente aquela que lembrava os orixás, mas uma mágia de presença de espírito.
Seu sorriso era apenas um detalhe, não tenha dúvidas disso.
O livro qual vcs estão comentando, mostra uma boa representação e realidade do que é e foi Clara Nunes, mas lembre-se, se o livro agrada aos olhos não tentem imaginar como agradava mais ainda conviver com ela em vida.
Grande abraço a Todos!