quarta-feira, 15 de abril de 2009

sol de agosto

Janaína me lembrou e eu coloco aqui pra quem não viu. E não é que o “Fantástico” do último domingo falou justamente sobre poder esquecer certas coisas do passado, do jeitinho que eu lembrei num post recente? Até citaram, claro, o “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”.

Eu me contentaria em esquecer a bandeirinha da Dinamarca, pra mim já tava ótimo. Na verdade, já estou quase lá e sem tratamento nenhum.

Por outro lado, falando de seres que queremos esquecer, vou falar dos que não nos cansamos de lembrar. Bom, eu não canso.

Esses dias tenho pensado muito na minha amiga Fabiane Laube, cantora brilhante que vive na Finlândia. Ela viveu comigo no Texas. Talvez sejam os dez anos dessa experiência, que se completam em 2009, que estejam me fazer pensar tanto nela. Talvez seja um presságio de que ela está vindo por aí. Sei lá. Eu adoro a Fabiane, mesmo ficando longos períodos sem falar com ela.

E assim acontece com várias pessoas, gente com quem não interajo sempre, mas que nunca me esqueço.

Abrazos pra todos, os que estão por aí e os que estão longe pra caralho.
S
s
P.S.: Achei essa foto dela no Google. Me deu mais saudade ainda. beijo, gata!
s

3 comentários:

Janaína disse...

Um sorrisão desses deve ser realmente difícil de apagar da memória, Humberto! Guarda porque é realmente muito bonito. É sorriso de alguém que deve ser realmente diferente e especial.

Humba disse...

Só digo que eu morro de saudade dessa safada e das nossas bagunças na terra dos capiáu estadunidense!
:P

Daniel disse...

Estudei com ela em Belo Horizonte no Dom Bosco dos 5 aos 10 anos! Lá se foram 25 da última vez que a vi...e até hoje o sorriso marcante e suavidade ficaram na minha mente! Pessoa linda e marcante! Saudades dela também!