domingo, 28 de junho de 2009

1989 - Parte II

Apesar de ter me sentido o último dos dinossauros quando escrevi o post sobre os protestos na Praça da Paz Celestial na China, vou continuar a série de posts sobre o ano de 1989. É um pouco pessoal, porque foi um ano muito, muito decisivo na minha vida, mas acaba servindo de desculpa para falar de outras coisas que, eu acho, foram importantes independente do meu umbiguinho de 12 anos.

Nesta segunda parte eu resolvi falar sobre o dia em que a Nova (olha ela aí de novo!) entrou de vez na minha vida. E sobre o que ela trouxe consigo.

Eu lembro da cena com nitidez (OK, o post todo vai soar como aquelas histórias de avô, mas fodas): numa tarde de junho de 1989, eu estava fazendo para-casa com o rádio ligado e a televisão também. O sol tava rachando. Daí a campainha tocou, meu irmão foi atender, e era entrega do primeiro exemplar da revista que minha irmã tinha assinado. Eu já conhecia a Nova, mas naquela época era da Mônica mesmo que eu gostava. Lembro perfeitamente do meu irmão abrindo o pacote e falando: “Xuxôna!” . E sem que eu tivesse a menor ideia, chegava na minha vida a Nova, e logo com uma de suas capas mais clássicas (essa mesma que ilustra este post).

Já era a nona capa da Xuxa na revista, e logo no editorial havia todas as outras oito (e eu fiquei louco com aquilo!). Eu poderia falar do ícone e do auge absoluto em que ela se encontrava naquele junho de 1989, mas acho que o momento não é bom pra ficar falando de mitos (melhor deixar a mulher em paz). Mas vou focar na revista mesmo.

Aquela edição de Nova, com os mesmos assuntos de sempre, mas com um enfoque que já se foi há muito tempo, me deixou com mais vontade de fazer revista. Naquele ano, eu já brincava de fazer revista. Mas eu fazia só a capa. Depois que eu li aquele editorial da Fátima Ali, que era a diretora da revista, eu fiquei com mais vontade. E aí eu lancei (OK, não morram de rir) a Ova (KKKKKKKKKK, OK, nem eu aguentei!).

E aí a revista foi chegando todo mês, e eu fui lendo aquilo tudo (imagine a matemática puberdade + Nova) e fui me encantando com aquelas fotos todas. E em setembro veio a edição de aniversário, com a Luísa Brunet na capa (vê como são as coisas e pessoas que marcam época... quer coisa mais anos 1980 que Xuxa e Luísa Brunet em capa de revista?). E no editorial dessa edição, Fátima Ali (que se tornou uma lenda pra mim) falava da Cosmopolitan, e tinha capa de todas as edições da revista pelo mundo. Daí acabou: a certeza que eu tinha até então de que seria médico deu espaço pra certeza absoluta que me tomou de que eu ia viver pra fazer revista (bela merda).

Em dezembro de 1989, depois de vários acontecimentos que serão contados ao longo deste ano agora, eu abandonei as capas da Ova e criei uma revista inteira descaradamente inspirada na Cosmopolitan. Sobre essa “publicação”, que durou cinco anos e teve 60 edições, eu conto outra hora.

E este post todo foi mesmo só pra dizer que em junho de 1989, a Nova chegou, com a Xuxa na capa, pra trazer o jornalismo pra minha vida. O caminho desde então tem sido longo – depois dos últimos acontecimentos, então, parece mais um caminho de teimosia. Talvez seja a hora de seguir o exemplo do meu amigo Fernando e fazer o caminho de volta, do jornalismo pra medicina. Na verdade, melhor não (se eu fizer com o bisturi os estragos que faço com as palavras eu tô lascado).

São 20 anos de Nova e de jornalismo na minha vida. Ainda não sei pra que serve isso. Mas é a curiosidade mesmo que vai me manter seguindo em frente. É assim que tem sido desde aquela tarde de junho.
d
P.S.: Pra ler a Parte I, clique aqui.
s

14 comentários:

Sarah disse...

Caro,

acho que vc é o penúltimo dinossauro, eu sou a última. Adoro esses posts sobre 1989.
Lembro, lembro, lembro dessa capa, linda!
A Nova também e ntrou na minha vida nesse ano. Meu pai trazia ela pra casa porque a filha do dono da empresa em que ele trabalhava na época comprava e depois largava lá às moscas. Aí ele trazia e eu lembro bem de algumas. Essa da Xuxa é uma, junho de 89 mesmo.
Só depois de anos, atrás das fotos da Adri , que eu pude folhear algumas desas revistas de novo e relembrar que já haviam passado pelas minhas mãos num ano que foi muito feliz pra mim também.
Ah, só para constar, eu quase fui médica também srsrsr. Coincidência nossos gostos né?

bj

Janaína disse...

Gente... recordar é viver! 1989 foi um ano bacana mesmo. Não tenho muitas lembranças minhas, pessoais, da época, não sei porquê. Mas me lembro de muitos fatos. E agora, com o seu testemunho e o da Sarah, eu acho que ser médico devia ser uma febre da nossa geração. Também tentei, mas não passei do 1º vestibular. Larguei a saúde, fui pelas veredas das leis e voltei pras palavras. Deixei esse legado médico pro meu irmão caçula, o André, que "criei" como se fosse filho e hoje segue brilhantemente esse rumo. Vai ficar rico muito antes da irmã jornalista, tenho certeza. Assim como tenho certeza de que, no futuro, quando eu olhar para trás, vou ver que se 1989 foi marcante, 2009 foi mais ainda. O importante é não parar nunca de caminhar em busca do que sonhamos.

Fernando disse...

Puxa! Não sabia toda a importância de 1989 para você. Mas é assim mesmo: certas coisas nos marcam e vai com a gente o resto da vida, independente se a gente quer que nos acompanhe ou não. De ano, assim que marcou foi 1999, acho um dos melhores da minha vida...

Humbert disse...

Pois é, Dona Sarah, de junho a dezembro de 89 é que a Adriana mais apareceu. Só dava ela. E essa capa da Xuxa é muito clássica (há anos eu procuro a edição de maio, com o “na próxima edição”, que tem foto mais bonita ainda). Dois dinossauros mesmo nós dois, kkkkkkkkk!

Janaína, mulher, ainda acho que você tem que correr atrás do Direito (sem querer te desanimar do Jornalismo). É muito a sua cara. E já que O importante é não parar nunca de caminhar em busca do que sonhamos (e se esse ainda for um sonho seu), corre atrás!

Fernandão, chegado, 1989 foi muito importante mesmo. Um monte de coisa, o verdadeiro “turning point”, como dizem os falantes da língua inglesa. Agora, to com você e não abro, 1999, que também foi muito importante pra mim, foi um dos mais divertidos da minha vida (em agosto eu falo disso).

Esse papo de revival é de véio, mas eu me divirto. Eu gosto das lembranças, mas elas são só isso mesmo, lembranças. O bom mesmo é a vida agora e a vontade de torná-la melhor a cada dia. :)

Abrazos pra todos!

Sarah disse...

Minino, já peguei essa revista de maio de 1989 ns mãos,só não levei pq não tinha nada da Dri, mas folheei sim.
Quem é a capa, vc lembra?

Humbert disse...

Acho que é uma top americana da época, se pegar essa revista de novo a senhora guarda e me manda! :P

Sarah disse...

firme

Anônimo disse...

Oi Humberto,
este post é antigo mas me trouxe tantas surpresas que foi impossível
resistir e não escrever,por vários motivos,são:
Primeiro,compartilho da mesma paixão por revistas desde de minha adolescência,por isso estou me encantando com o blog.
Segundo,esta ediçao também me marcou,eu já gostava muito da xuxa e coleçionava fotos dela e foi em uma veja antiga que tinha aquele encarte de assinaturas que vi uma capa de Nova 88 com ela,fiquei louco,e começei a coleçionar aqueles encartes já que eu não podia comprar aquelas revistas,ainda tenho um tanto.
Em 89 comprei a minha primeira NOVA,coincidêntemente a edição anterior com a lindissima Renné Simonsen na capa,linda,linda.,Que na capa lia-se "TESTE:Vocês dois são SADO OU MASO???"isso me intrigou tanto...,que diabos seria ser sado ou maso? Nunca me esqueço disso.
Enfim quando abri a revista e vi aquela foto de próxima edição com a Xuxa,pirei e contei os dias pra poder comprar a minha segunda e histórica edição,daí consegui em sebos quase todas as ediçoes antigas que eu quis,hoje sou mais relax,mas sei que passei minha adolescência sendo instruido em como conquistar um homem,rsrsrs.
Um abraço de um também mineiro apaixonado por capas de revistas.
Rodrigo.

Anônimo disse...

Oi Humberto,
este post é antigo mas me trouxe tantas surpresas que foi impossível
resistir e não escrever,por vários motivos,são:
Primeiro,compartilho da mesma paixão por revistas desde de minha adolescência,por isso estou me encantando com o blog.
Segundo,esta ediçao também me marcou,eu já gostava muito da xuxa e coleçionava fotos dela e foi em uma veja antiga que tinha aquele encarte de assinaturas que vi uma capa de Nova 88 com ela,fiquei louco,e começei a coleçionar aqueles encartes já que eu não podia comprar aquelas revistas,ainda tenho um tanto.
Em 89 comprei a minha primeira NOVA,coincidêntemente a edição anterior com a lindissima Renné Simonsen na capa,linda,linda.,Que na capa lia-se "TESTE:Vocês dois são SADO OU MASO???"isso me intrigou tanto...,que diabos seria ser sado ou maso? Nunca me esqueço disso.
Enfim quando abri a revista e vi aquela foto de próxima edição com a Xuxa,pirei e contei os dias pra poder comprar a minha segunda e histórica edição,daí consegui em sebos quase todas as ediçoes antigas que eu quis,hoje sou mais relax,mas sei que passei minha adolescência sendo instruido em como conquistar um homem,rsrsrs.
Um abraço de um também mineiro apaixonado por capas de revistas.
Rodrigo.

o Humberto disse...

SENHOR RODRIGO!!!
Você vai gostar dos posts de hoje!

Também estou preparando uma série de posts pra sair em breve que talvez te surpreenda um pouco. Da mesma forma como este seu comentário me surpreendeu.

Quanto às NOVAs e maio de junho de 1989 que vc tem, MORRO pra conseguir tb. Tenho da de junho, mas em estado ruim de conservação. E a foto do na Próxima edição tenho digitalmente, um outro leitor me mandou. Eu simplesmente sou louco por essa sessão de fotos, adoraria ver muitas mais dela.

Enfim, vai acompanhando o blog que meu lado revisteiro vai escrever bastante esse mês.

Abração pra vc!
:D

Anônimo disse...

Já pode contar comigo como seguidor fiel.
Quanto as revistas,eu moro em sampa agora e isso me fez ter que abandonar muitas revistas,apesar de minha familia estar em BH,não pude deixar aquela tonelada de revistas comendo poeira e ocupando espaço,não vi opçao senão guardar as capas e algumas fotos.
Se bem me lembro estas fotos da Xuxa na próxima edição foram as últimas,depois a revista parou de anunçiar o que vinha,infelizmente.
Eu claro guardei estas fotos e são realmente lindas,se quiser posso lhe lhe mandar por email.

Abraços.

Rodrigo.

Anônimo disse...

Já pode contar comigo como seguidor fiel.
Quanto as revistas,eu moro em sampa agora e isso me fez ter que abandonar muitas revistas,apesar de minha familia estar em BH,não pude deixar aquela tonelada de revistas comendo poeira e ocupando espaço,não vi opçao senão guardar as capas e algumas fotos.
Se bem me lembro estas fotos da Xuxa na próxima edição foram as últimas,depois a revista parou de anunçiar o que vinha,infelizmente.
Eu claro guardei estas fotos e são realmente lindas,se quiser posso lhe lhe mandar por email.

Abraços.

Rodrigo.

o Humberto disse...

Aiiii!! pq eu não te conheci antes de vc ir pra SP, eu teria ficado com as revistas todas sem o MENOR problem, rs.

Bom, em breve postarei mais sobre revistas por aqui. Por ora tem que dar uma descansada senão o povo enjoa né?
;)

Abração rapaz!

Jerônimo Souza disse...

Igualmente, 1989 foi um grande ano para mim. Um pouco triste, mas um grande ano. Já falei muito sobre isso no meu blog Hangar. Resumindo: realizei meu sonho de trabalhar com quadrinhos, encontrei a mulher da minha vida mas perdi tudo em novembro. Justo no mês do meu aniversário. Enfim, era a minha despedida de Sampa. Estava indo para a Juréia em 1990.