terça-feira, 23 de junho de 2009

desencontros e encontros

Há tempos eu vinha afirmando que não lutaria mais contra os mal-entendidos. Já foram tantos na minha vida e já me fizeram sofrer tanto que depois de um ponto eu acreditei que conseguiria simplesmente ignorá-los para seguir em frente.

Hoje eu descobri que não sou totalmente capaz de não me desorientar por conta de mal-entendidos. E minha ansiedade, timidez e mente cabulosa têm parcela considerável de culpa no último equívoco do destino (logo não deve ser só equívoco nem só culpa do destino, eu sei). Desta vez, o que me machuca mais é que outra pessoa também sofre.

Ontem mesmo disse do alguém que eu vinha conhecendo e que achava que eu não tinha amigos e blábláblá, lembram? Pois é, eu vi coisa onde não havia. Me precipitei horrores. Tive uma impressão da impressão que talvez tivesse tido de mim. Total bullshit!

Daí me afastei achando que houvesse se afastado de mim. E do lado de lá aconteceu a mesmíssima coisa.

Detesto que me magoem. Mas Deus é testemunha do quanto me mata quando eu é que magoo os outros. Com ou sem intenção.

Nos primórdios deste blog eu fiz um post falando de uma coisa que eu chamo de “Síndrome de Jô Penteado” (leia aqui). Em resumo, significa tanto, tanto medo de que as coisas deem errado que quando elas dão certo fica no mínimo uma sensação de que é felicidade demais pra ser verdade e que alguma coisa vai acabar dando errado (e aí vocês já viram).

O fato é que eu tenho sido tão desapontado por tanta gente há alguns anos que desaprendi a lidar com gente de bom coração. E aí, quando essa pessoa me deu uma chance de demonstrar meus sentimentos, eu entendi que ela já se havia ido e pronto, já estava me preparando pra dar a cara a tapa de novo.

Enfim. Só sei que errei e estou arrependido. Espero que haja alguma chance de que, uma vez na minha vida novelesca, os desencontros sejam esclarecidos. E que se possa ser feliz (para o “Pra Sempre” que tiver de ser).
s

4 comentários:

Caroline disse...

Amigo,

Quem sabe ainda dá tempo. Não desista de uma grande amizade assim... Vamos lá!!

Abs.

Humberto disse...

Acho que vai dar, amiga. O post aí acima, em que eu cito a Luisa, já foi um pouco sobre isso. :)
Thnaks!

Fernando disse...

Viver é isso Humberto... Muitas vezes erramos sem querer ou acertamos sem esperar... é chato mesmo chatear alguém, mas a gente não pode agradar todo mundo e isso se comprova quanto mais a gente tenta fazer isso...

Humberto disse...

Pois é, Seu Fernando. Eu vou aprendendo. E no fim das contas, nem sei se fiz sofrer assim, sabe? Às vezes eu acabo me preoupando demais com os outros também. Enfim, o negócio e pegar leve e ir vivendo de boa.

Abração cara.