quarta-feira, 12 de agosto de 2009

garçon, traz o torresminho

Acreditar ou não acreditar em Deus é coisa de cada um. A relação com o Criador e a maneira como se entende o Próprio também é uma coisa muito particular, eu penso.

Eu conheço muita gente que acredita, que tem fé e tal. Conheço muito mais gente ainda que pede e pede e só pede. Vai, eu também peço pra caramba.

Eu respeito, mas não gosto de igreja. Minha fé é em Deus mesmo e ela é fruto de muitas coisas que aconteceram ao longo da minha vida.

Entonces. Isso tudo pra dizer que eu (e acredito que mais um monte de gente) acabo agradecendo bem menos do que deveria. A gente acaba sendo engolido pela correria do dia a dia e acaba não refletindo sobre a vida, sobre tanta coisa boa que a gente recebe toda hora, inclusive a própria vida.

Eu pensei nisso por causa de uma matéria que eu vi (mas nem li, olha a correria de novo) no G1, sobre um caminhão que tombou enquanto transportava porcos. Sinceramente, já parou pra pensar que judiação? O bicho nasce bicho, porco, é criado pra ser abatido e ainda por cima despenca de um caminhão em movimento. É ou não é pra agradecer a Deus o fato puro e simples de ter nascido homem?

OK, eu e minhas filosofias de butequim. Mas fiquei com tanto dó dos porquinhos que acabei viajando na maionese (e também queria uma desculpa pra agradecer o presente español que eu recebi).

É isto. Gracias!
d
ss
P.S.: Buena sorte, señor!
s

10 comentários:

Caroline disse...

Concordo com você amigo. Desde que passei a encarar e vida de um outro jeito, as coisas ficaram bem melhores.
Agora, eu não rezo e sim faço orações. Isso é bem diferente.

Abs.

Fernando disse...

Ahahahahahah que viagem! Mas enfim, engraçado e triste ao mesmo tempo! (coitado dos porquinhos acidentados)

Ahhh, obrigado pelos coments lá no blog e pela Revista Veja =P

Sarah disse...

Nem leio uma notícia dessa que me corta a alma, aliás, não leio nenhuma desgracera sobre animais.
Porco, amo demais, e coleciono coisas de porquinho rosa. Essa semana apareci com um prato e uma colherinha de porco, o povo só olha e nem fala mais nada ( infantilidade...) mas,é muito lindo e dá pra comer fruta amassada com aveia e mel.
A amiga da minha mãe tem uma criação demini porcos numa fazenda, sempre que dá cria ela me oferece um, queria tanto um lugar para ter um porquito!
Tá ligado o Clooney que tinha um porcão de estimação? Uma delícia!
Quanto a minha convicção espiritual, digamos assim, antes de nascermos humanos já estagiamos no reino animal, so...

Helena disse...

Hoje o dia foi bravo. É o terceiro caminhão que tomba e que tive notícia. Ainda bem que não estávamos no caminho de nenhum deles :)

Kyara disse...

com isso que você escreveu fiquei pensando nos porcos do caminhão, na noticia que enfocou um "caminhão de porcos" e não um de galinhas, de cavalos, de vacas... a moda agora é porco. Porco doente, porco acidentado, enfim, porquinhos de todo o mundo agora são vilões e eles nem sabem disso.
E falando em fé, as pessoas tem "fé" que qualquer gripe adquirida em dias de hoje é suspeita...
enfim, sem mais por hoje.

Kyara disse...

ah... e gostei da almofadinha de porquinho, muito simpática a almofada e o porquinho rosa.
bj

R. paschoal disse...

Ah, eu vi a reportagem, e fiquei chocado. Os bichinhos espalhados pelo asfalto, tontinhos... é muita judiação, mesmo.

Já vi o mesmo com galinhas, só que ao vivo. Elas, no entanto, não resistem tanto. Morrem de susto.

Não quero nem pensar muito a respeito, senão entro nessa onda vegan, que eu acho cafona ao extremo... rs

Grande abraço!

( Desculpem-me os vegans, mas é cafona mesmo. E só para constar, não como carne de porco. Só frango. )

Humberto disse...

Gente, quanto comentário, que beleza!
Vamos lá:

Caroline, o negócio é esse, né? Mesmo se a vida for doida (e ela é), o negócio é não ficar sofrendo nem fazer sofrer.

Fernandão, viajei demais nessa maionese, hehehe. Acho que foi o post mais sem pé nem cabeça que fiz nos últimos tempos. Mas é que eu fiquei chateado pelos porquinhos mesmo. :P

Sarah, já vi que você gosta de bicho que nem eu (afirmação de duplo sentido, hahaha). Eu já ouvi falar do porco de estimação do Clooney, sim. Agora, vou te contar, eu já vivi numa casa onde se criava porcos. Não como pet. Era PÉSSIMO o dia de matar o bicho (sim, porque criava, engordava, matava, enfim, péssimo). Resumindo: nunca comi carne de porco e acho que é porque ouvia de perto o sofrimento do bichinho.

Helena, nem fala de caminhão tombando em TuBHcanga. Quando a gente acha que nada mais pode piorar o trânsito daqui vem essas. Haja paciência...

Kyara, você disse duas verdades: o porco virou culpado de tudo e qualquer ziquizirinha agora é gripe suína. Quanto à almofadinha, também gostei, escolhi a imagem até pra dar uma amenizada.

E Rafael, cara, eu tb morro de dó de bicho que é criado pro abate (mais ainda quando esses caminhões caem). Pensa a galinha morrendo de susto, sacanagem. Como você falou, é foda ficar pensando nisso porque vegetariano (e, pior, vegan) eu não viro mesmo (e cada um com seu cada um, mas eu tb não tenho muita paciência pra vegan, não. Viu o Kurt do Information, né? Não bebe, não come carne nenhuma... preguiça :P)

Abrazos pra todo mundo, mais tarde eu volto.

Vinix disse...

O que mais me chamou a atençao é que sequer falaram sobre o estado de saúde dos bichos. Uns pareciam grogues, outros desmaiados, outros mortos e até porco paraplégico, se arrastando pra sair dali eu vi.

ana disse...

ai, arrasou!... qdo eu vi a foto fiquei pensando nos que ja tinham virado torresmo debaixo das "ferragens".... fiquei querendo saber se oq ia acontecer, se eles iam pegar os sobreviventes, juntar numa pampinha e seguir viagem, mas nem pra isso prestaram...
:(
fatos q entristecem o dia!