quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Taís Araújo

Eu sei que a Taís Araújo não é unanimidade. Nem minha preferida ela é também. Mas eu a acho linda. Às vezes ela consegue ser surpreendentemente ainda mais linda.

Taís estreou um brilho, no século passado, encarnando uma ótima e inesquecível Xica da Silva. Anos depois, em 2004, fez história como a primeira protagonista negra de uma novela da Gróbis. E agora, mais uma vez, põe seu nome na História da TV brasileira como, novamente, primeira protagonista de uma novela das 8h (das 9h, sei lá). Pra completar a boa fase, está maravilhosa na capa da Claudia de setembro, como vocês podem ver.

Eu não consigo deixar de achar um pouco bizarro que em pleno século XXI ainda seja "inovador" uma mulher negra ser protagonista de novela, capa de revista etc. Já disse um milhão de vezes (e obviamente não sou o único) e repito que isso deveria ser algo muito, muito comum, sobretudo no Brasil. De todo modo, não vou me ater à questão do preconceito, não desta vez. Pelo menos neste post, o que eu quero é ressaltar o brilho da Taís e desejar sucesso pra ela. E pra todas as outras Taíses, Helenas, Pretas e Xicas da Silva por aí.

Besos mujeres!
d

10 comentários:

Janaína disse...

Também não a tenho como minha principal referência de beleza ou de competência negra e feminina, não. Acho ela até meio "afetada" às vezes. Mas temos que reconhecer: ela realmente está linda e provando a cada trabalho que é boa de serviço. Tem moral e merece aplausos.

Fernando disse...

Linda na capa... e de uma beleza genuinamente negra que é de deixar queixo caído.

Sarah disse...

Ela é linda, tem uns dentes perfeitosssss. E acho ela bacana e boa atriz, não está na Gróbis só pq é bonita.

Aquele papel que ela fez na novela do Foguinho me fez rir muito, uma escrota.

Xica da Silva, eu assisti, essas novelas da Manchete eram mó da hora.

Agora, que raio que o parta que vão fazer a coitada contracenar com o Dentadurilson Mayer? Meu, a novela cheia de homem gato, absurdamente bomabada de maravilhosos (Solano, Hilbert, Lacerda)e a desinfeliz vai beijar o Mayer? Revoltante!

Humberto disse...

Adorei os coments, adorei. E com essa e Xica da Silva, voltei a falar que "eu sou rico e eu posso" e a chamar os outros de estrupício, hehehehe.

Não resisti e comprei a revista, que lança um "manifesto" contra o racismo. Infelizmente, tirando a Taís da capa, não há uma negraziha, mulata ou morena clara que seja nos editoriais e moda, beleza etc. Sem contar os anúncios. Se a Clauia realmente quer acabar com o racismo, pelo menos no mundo editorial, vai ter muuuuuito ainda o que fazer. Mas tá valendo.

Abrazos povo!

cerejas disse...

Acho ela linda demais e super mereceu viver essa Helena!
Olha só...tá tendo promoção no comendo cereja, corteio de um conjunto de lingerie lindo!
Bjs, cereja em conserva

R. paschoal disse...

Engraçado que eu não reparo nessa coisa dela ser negra,coisa e tal. No quesito talento, Thais Araujo continua não me surpreendendo.

Humberto disse...

Sarah, esqueci de comentar sobre seu comentário a respeito do José Mayer, KKKKKKKKKKKKKKKKK, ri demaaais!!!!

No mais, thanks Cerejas pelo comentário. E Rafael, bacana seu comentário tb. COmo disse no post, a Taís não chega a ser unanimidade.

Abrazos!

Mara disse...

Creo que ya que es la primera vez que paso por aquí para dejar mi8s huellas voy a dejarlas en español.
El hecho de Thaís Araújo protagonizar una novela del horario noble de la televisión significan que los medios de comunicación de masa están abriéndose aún para los “diferentes”?
Pero, por qué el hecho de una actriz negra protagonizar la novela de las ocho de la Red Globo es algo tan importante a punto de merecer atención y discusión?”, me preguntarán los contentos. Ora, porque los íconos de la cultura de masa interfieren sutil e insidiosamente en nuestro cotidiano, no importa se somos brasileños o norteamericanos. Los íconos de la industria cultural (cine, telenovela, publicidad y etc.) interfieren en la manera como nosotros nos construimos y a los otros. Xuxa o las estrellas de Hollywood, con sus pieles blancas y ojos azules, reproducidos en muñecas, mochilas, zapatos y camisetas. El éxito de Thaís Araújo es importantes porque, hasta entonces, la cultura de masa - que es sinónimo de cultura blanca y cultura dominante – ofrecía, a los consumidores negros y/o “diferentes”, sólo dos modelos de posibilidad: aceptar que el blanco es superior y, por lo tanto, está más que justificado sus ventajas y privilegios en relación a los negros o casi negros; o imaginarse milagrosamente en el lugar del blanco para vivir de modo imaginario la experiencia blanca como negación de la condición real de negro. El consumo de los íconos y de las mercancías de la cultura de masa blanca y dominante, por parte de los afro-descendientes (y estos no pueden dejar de los consumís), genera varias negaciones de sí, siendo de más grave el prejuicio internalizado que lleva jugadores de fútbol negros a sólo relacionarse amorosamente con rubias.
Con Thaís Araújo haciendo la chica sufridora de la novela de las ocho, puede ser que las niñas negras crean que pueden ir además de las empleadas domésticas, encarceladas y prostitutas. Pueden ser que niños negros brasileños que jamás fueron ángeles en procesión o dramatización en la escuela no se reconozcan sólo en el Saci de Monteiro Lobato.
Tu blog está barbaro mi gustó muchisimo
besos largos desde acá

Humberto disse...

Dios, Mara, mucho me gusta su comentario (y mi portuñol!). Muy bueno!

Vueltate simpre! Muy honrado estoy! :)

Sarah disse...

dentadurel ahahahah, maldade né?