terça-feira, 6 de outubro de 2009

atento e forte

Às vezes eu me pergunto porque os brasileiros, que já eram conformados, se tornaram ainda mais conformados com tudo. Os mineiros, então, nem sei o que dizer. Tudo virou politicagem, no pior sentido da palavra. Todo mundo se cala, ninguém vê nada, ninguém sabe de nada, deixa tudo como tá. E isso vale pra tudo, das coisinhas erradas do dia a dia, como a funcionária morcega que todo mundo finge que não é morcega, até o parlamentar corrupto que vai habitar eternamente em alguma posição de poder no país. É foda.

No meio desse conformismo (ou dessa cumplicidade, vai saber) todo, são pouquíssimas os que se dão ao trabalho de falar o que todo mundo gostaria de dizer mas não diz. Eu destaco o meu caro Caio Cesar, que sempre nos brinda com posts de muito, muito bom senso no seu [cc] na [www]. Em se tratando do lugar onde a gente vive, suas palavras chegam a ser corajosas (e, o que é melhor, nada vendidas a ninguém).

Ontem, outra pessoa que eu admiro muito resolveu, assim do nada, botar a boca no trombone também. O Xico criou um novo blog (à sua maneira nada rebuscada) só pra falar de pequenos absurdos (que porque são ignorados se tornam coisas que irritam enormemente). Como o estado de tosqueira sem comentários do Mercado Central aqui da roça. É algo que ninguém merece. O melhor é que o blog do Xico, além de ser super bem-humorado, é aberto pra todo mundo soltar a voz e dizer tudo o que acha absurdo. Sugiro uma passada lá, é só clicar aqui e sutar o balde.

Mesmo sabendo dessa fama toda do brasileiro de dócil, receptivo, patati patatá, não consigo deixar de pensar que já houve momentos em que fomos mais firmes e mais corretos. Tempos em que não nos conformaríamos como o que era muito errado. E isso me faz lembrar de uma frase famosa da bailarina Isadora Duncan (na foto acima): "Você já foi ousada, não permita que a amansem".

P.S.: Falando do site do Caio, vale ressaltar o espaço aberto para o debate. Eu, particularmente, me divirto com os argumentos de quem se posiciona contra o que ele diz. São de dar dó.
P.S.2: A fama acima citada do brasileiro só vai aumentar agora, né?
s

8 comentários:

cerejas disse...

Humberto querido...não reclame dos mineiros, vc não tem noção de como são os cearences!!!!!
Bjs, cereja em conserva

Humberto disse...

KKKKKKK, eu faço uma ideia!
Besos moças!

Fernando Império disse...

Não são mineiros, nem cearenses... são BRASILEIROS! Mas parece que falar de política ou discutir assuntos sérios é sinônimos de gente chata, gente nada a ver... Eu bem que tentei na época do COCO LOKO (blog antigo), mas desanimei.

Achei melhor falar sobre cinema, agrada mais. =/

Humberto disse...

Eu lembro do COCO LOKO, Fernando, foi lá mesmo que eu soube da sua existência. Realmente, é como você disse, tentar ser um pouco mais politizado, no sentido bom da palavra, é pedir pra ser tachado de chato hoje em dia. Vai entender.

Sarah disse...

Nada mudará enquanto não formos atingidos por uma revolução moral.

Enquanto isso, aguardemos os tsunamis e etcétera.

Eu também lembro do Koko Loko, era um menino que estudava comigo e desenhava muito, ele desenhou o motoqueiro fantasma na minha mesa.

OBS: love Duncan!

Loliveira disse...

Olá Humberto, primeira vez por aqui e no todo, adorei seu blog.

Sobre o post, vale ressaltar que não somente brasileiros. Aqui em Portugal é puro silêncio! Quem abre a boca e fala o que pensa, é tachado de "queichinhas" e os que falam na mídia, levam com o apelido ou alcunha do "que tem costas-largas".
Estamos num mundo cada vez mais escasso de príncipios e valores morais.
Cumprimentos

Humberto disse...

Uai, Sara, o Coko Loko que eu lia era do Fernando do Cinebuteco, você estudou com ele??? Quanto à revolução moral, ishi... no Brasil? No mundo? Tá meio osso, não tá não? Por fim, quanto a Isadora Duncan: Erpetáculo. Essa citação foi a epígrafe do meu trabalho de conclusão de curso na Comunicação.

Loriveira, grande prazer ter uma nova leitora, ainda mais alguém vivendo tão longe. Agradeço seu comentário e confesso minha ignorância (Não sabia dessas coisas em Portugal, embora a gente sempre imagine). Volte sempre por aqui, e comente sempre também. Brigadão!

No mais, povo, bora tentar ter um pingo de esperança, né, porque jogar a toalha ainda não combina muito com a gente.

Abrazos!

xicoarantez disse...

ADOREI ESTA POSTAGEM..MUITO POLITICA, FAZ A GENTE PENSAR SOBRE MUITA COISA..HAZÔ!!