quarta-feira, 7 de outubro de 2009

minha uva, meu vinho (a brand new day)

Uma leitora deste blog me perguntou sobre quando, enfim, o cara certo aparece. Hum...

Não, não tenho resposta pronta pra isso. Se tivesse estaria rico com minha agência de casamentos. Mas chuto que o cara certo até existe e, se bobear, tem aos montes por aí. O que não existe é esse “cara certo” que tanto se idealiza. O cara lá da música da Rita Lee, "lindo, fiel, gentil e tarado", hum, acho que não existe não – pelo menos um desses quatro adjetivos ele não vai ter, posso apostar.

Daí porque esse namorado ideal nunca aparece, gente como essa amiga, que é inteligente e bonita que só ela, fica sofrendo e sofrendo, às vezes até à toa. A expectativa pra que esse ser imaginário apareça é tão grande que a pessoa esquece de si mesma, esquece de se cuidar, de se divertir, de ser feliz – e, convenhamos, uma pessoa que não se cuida, não se diverte e não é feliz tem MUITO menos chances de conhecer qualquer pessoa que valha a pena.

Outro problema que acontece muito por causa desse ser mitológico chamado “cara certo” é de amigas que, enfim, encontram um parceiro, se relacionam com ele e começam a achar que o cara não é uma boa pessoa, só porque ele não consegue ser perfeito, do jeitinho que era pra ser. Tudo vira motivo pra achar que o cara não vale a pena e que o certo a fazer é sair fora e voltar a procurar o “cara bacana”. Eu desconfio que há gente que gosta mesmo é da caça e da chorumela da caça – porque isso acaba sendo mais fácil (e até mais interessante) que conviver com um homem real e amá-lo.

Relacionamento não é sinônimo de facilidade nem de perfeição. Se você ainda acredita nisso, pare de ler a Capricho (e a Nova e a Gloss e a TPM e este blog aqui também). Não é fácil conquistar um relacionamento, não é fácil estabelecer um, não é fácil que os dois envolvidos sejam felizes. Mas nada na vida é fácil. E talvez o prazer da coisa esteja exatamente em vivenciar o amor de maneira adulta, companheira e leal (já que nem todos conseguem ou precisam ser fiéis).

Quem acompanhou os primeiros anos deste blog viu quantas vezes eu quebrei minha cara. Quantas vezes tinha certeza de que tinha encontrado a pessoacerta pra logo quebrar feio a cara (sem falar nos casos do meu amigo Fulano). O “o Humberto Explica” já foi um festival de flor roxa (aquela que nasce no coração dos trouxa). Enfim, enquanto conversava com a amiga de que falei no começo deste post, lembrei de um texto do ano passado. Primeiro, nem acreditei que fui eu mesmo que escrevi. E depois, achei que devia relembrar aqui um parágrafo dele. Segundo este que vos escreve (jan. 2008):

"De repente você tem que encarar os fatos de que a pessoa que você ama é só uma pessoa normal, muitas vezes até bem mais normal do que você gostaria que fosse. E aí você tem duas opções: ou se anula de vez e passa a viver de acordo com as regras, as vontades, as crenças e a vaidade da outra, ou você busca aquele algo de amor-próprio que ficou escondido em você – e demonstra para a pessoa querida que você é gente, não um puppy, e que é a troca de idéias e experiências entre vocês que vai fazer o sentimento bom crescer e a felicidade florescer."

Bom. Acho que o que eu tô tentando dizer é que mesmo que o tal “cara certo” não exista, todo mundo tem como ser feliz. No caso dos que pretendem fazer isso com alguém ao lado, talvez seja necessário apenas viver os sentimentos de uma maneira mais madura e honesta.

E você aí, amiga, deixa o chororó pra lá. Porque você é muito mais que isso. E tem uma vida linda, longa e muito iluminada esperando por você. Come outside and see.

Besos pra todos.


P.S.: Viram só como o mesmo jardim onde nasciam aquelas flores roxas pode dar lugar a um tipo de vegetação muito mais consistente, uh?

d

7 comentários:

Vinix disse...

Acho que estou precisando conhecer seriamente sua amiga, Humbs

Janaina disse...

Tem horas que a gente precisa mesmo de um "sacode" pra acordar do sonho e ver o que está perto. Ou melhor, ver de fato, com olhos verdadeiros, de boa vontade(e não de sonho), o que está perto, que muitas vezes, pode ser melhor e mais surpreendente do que o sonho. Ando precisando... rs
Beijo, querido!

Verlaine Prado disse...

AAAAAAAAAADOOOOOOOOOOOREEEEIIIIII!
PERFECT!

xicoarantez disse...

ISSO MESMO, MAS VOLTO PRA COMENTAR DE NOVO. MUITA COISA, VOU RELER E REFLETIR.. MAS..AMEI!!

R. paschoal disse...

Muita gente perde o tempo de uma vida procurando a pessoa certa... uma pena. Amor é algo que se cultiva, não vem pronto. Basta querer, basta se dedicar. E que não se espere muitos adjetivos, pois o que importa mesmo é o substantivo.

Abração!

R.

Caroline disse...

Adorei o post amigo. Realmente o cara perfeito não existe. Espero que sua amiga saia dessa, pois é uma fase dificil, mas depois que vc compreende certas coisas, tudo fica mais fácil e claro.

Abs.

Humberto disse...

Thanks pelos comentários todos, povo! Isso que me faz escrever aqui nessa bagaça querida.

Besos a todos!