quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2009 até o último segundo

Em memória de um ano vivido intensamente
do primeiro ao último momento.
Valeu 2009.

Que venha 2010.
Mas que venha bombando porque a gente não está aqui para brincadeira.


Feliz Ano Novo a todos vocês, meus amigos leitores!
s

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

I know that you're no good, but...

Nunca é tarde pra lembrar a primeira musa deste blog.
Amy, eu ainda te amo.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

ho, ho, ho!

A todos os amigos do blog, os votos sinceros de Feliz Natal!!!
:)
s

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

niEceS

Saudade das doninhas desse mini All Star sujinho...
Não sei nem se lembram de mim.
:(
s

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Avatar é bacana

Hoje eu fui assistir "Avatar", no meio da tarde, bem relax, pronto pro que viesse. E querem saber? Eu adorei o filme! :)

Achei bem bacana. Tem umas duas ou três coisinhas em que eu poderia meter o pau, mas, sinceramente, como entretenimento valeu demais. Caroline, se não viu ainda, vai adorar. Xico, que não queria ver, adorou também. Vou lá no Cinebuteco agora ver o que o Fernando, autoridade em cinema, achou.

Enfim, se vale como sugestão, fica a dica pra ver "Avatar". Achei digno.

Abrazos pra todos!
]s

P.S.: Fiquei com vontade de assistir de novo, só que desta fvez em 3D, alguém se habilita pra me acompanhar?
d

where have all the talented 1990's young female singers gone?

Hola pueblo!

Estava sem acesso à internet, dá pra crer?

Anyways, sexta eu teria postado e não deu, mas segue aí agora uma música que esteve na minha cabeça por alguns momentos nesse dia. Depois sumiu. É uma musiquinha de uns dez anos atrás, que eu adoro, da Paula Cole (foto), uma dessas cantoras promissoras ótimas dos anos 90 que eu nunca mais vi.

Fica a dica; Eu pelo menos ainda não consegui achar "Where Have All The Cowboys Gone" uma música chata.

Besos pra todos, vou postar mais coisas!
:)
s

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

de repente 36


Quando eu tinha 13 anos, costumava rezar, antes de dormir, e pedir a Deus que eu acordasse com 36. Rezava com muita fé, talvez com uma inocência já desproporcional para a idade, mas pedia com muita, muita vontade ao Pai pra eu dormir adolescente e acordar um homem.

Sim, você já viu coisa parecida (mas isso foi antes de qualquer filme).

Você aí deve estar se perguntando por que eu fazia isso. E por que eu queria acordar com 36, não 40, não 25, mas 36. A resposta é mais ou menos simples.

Que eu tivesse motivo para querer deixar de ser logo adolescente (na verdade nem era ainda), acho que é meio óbvio pra quem me conhece e até pra quem apenas lê o blog. Mas nem eram as coisas das quais eu queria me livrar que impulsionavam meu desejo. Eu queria acordar com 36 anos por tudo aquilo que eu achava que seria o bom da coisa.

E o que seria, afinal, o bom da coisa?

Quando tinha 13 anos, queria acordar com 36 porque, na minha cabeça de menino, achava que aos 36 anos todo homem já é um homem de verdade; já sabe o que quer; já escreveu sua história; já construiu suas bases; já sabe quem são são verdadeiros amigos. Achava que com 36 anos um homem já sabe o que o torna especial e já sabe dar valor à vida; achava que com 36 anos um homem já tem muitas realizações para contar, já conheceu e viveu em muitos lugares, já tem muito a ensinar, mas ainda tem muita vitalidade para aprender e querer mais; achava que com 36 anos um homem tem consciência da sua beleza, da sua força, do seu brilho. Com 13 anos, eu tinha certeza que um homem de 36 tem motivo para se orgulhar e tem muitas pessoas que se orgulham dele e o admiram muito; que com 36 anos um homem é intenso, é caloroso, é apaixonante, é sinceramente feliz e maduro. Pedia a Deus para acordar com 36 anos porque estava certo de que com essa idade um homem já se encontrou - e já encontrou quem ele esperava encontar.

Já estou relativamente perto de, enfim, ter meu desejo realizado. Não sei se todos os homens têm a benção de chegar aos 36 sendo metade do que eu imaginava serem os homens de 36. Não sei se eu mesmo vou conseguir.

Só sei que hoje, 17 de dezembro de 2009, um homem que eu conheço acordou com 36 anos. Absolutamente do jeitinho que eu sonhava ser quando acordasse com essa idade.


¡Feliz Cumpleaños Señor!
Gracias pelo modelo e por tudo o que eu tenho aprendido sobre a vida com você.
Você merece toda a felicidade do mundo, meu querido!
Toma que toma!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

mais caro, mais caro: EXTRA!

REGISTRE-SE que o Extra (Pão de Açúcar) é o PIOR HIPERMERCADO DO PLANETA, do universo!!!

Em primeiro lugar, qualquer pessoa com um mínimo de noção sabe que lá não é "mais barato, mais barato". Muito pelo contrário, tudo é sempre mais caro que qualquer lugar.

Mas isso é o de menos - Quem é rico e pode (como eu, claro) que pague o que quiser. O pior é o atendimento mesmo. Você choca hooooooooooooooooooooooooooooooooooooooraaaaasssssss na fila, SEMPRE!!! E não adianta pegar a fila de 20 volumes - até porque é nela mesma que você passa ódio.

Sempre tem um imbecil que pega essa fila com um carrinho lotado. Cadê funcionário pra mandar pra fila certa??? Cadê??? Cadê??? E quando são vários imbecis com carrinho lotado???

E a pão duragem de açúcar?? Agora eles tiraram a pessoa que embrulha pacotes de outro lugar quando você entra. E daí?

Daí que cheguei lá hoje abarrotado de sacolas com encomendas, depois de rodar o inferno a tarde toda (centro comercial de TuBHcanga = inferno) e tive que, eu mesmo, embrulhar tudo pra entrar. Detalhe: a sacola que eles dão é EXTREMAMENTE vagabunda. Imagina embrulhar um monte de coisa ali, só pra passar raiva mesmo!

Daí, como precisava (muito) de umas seis bugingangas, lá fui eu, sem carrinho, inocentemente achando que ia chegar, pagar e vazar. Inocência cega, claro. Cestinha?? No Extra??? Pra quê????

Jesus, o que eu penei segurando mil sacolas mais as compras, incluindo vidro, na porra da fila que não acaba nunca. Que óóóóóóóóóóóóóóódio!!!!!

Aí, enfim, o grand finale: quando finalmente cheguei no caixa, a mocinha passou minhas compras com aquela cara, pegou meu cartão, passou e tal, e ficou olhando pra mim, com os pacotes na mão, incluindo o da sacola vagabunda do Extra que já tinha rasgado. Como eu não tinha absolutamente nenhuma condição de embrulhar nada, eu educadamente pedi que ela me ajudasse. E ela??? "Ai, agora EU vou ter que embrulhar compra???".

Nossa, eu não sou capaz de descrever o que deve ter sido minha cara. O pior foi não poder ter dado na cara dela justamente porque a mão estava cheia de coisas. Sabe Deus como eu consegui embrulhar tudo e como eu saí dali pro táxi. Mil funcionários passaram, olharam, "é isso aí mermo se vira mané".

Por essas e outras que eu repito: O Extra é o pior hipermercado do Brasil! Só pra facilitar caso algum outro cliente revoltado resolva jogar no Google.

Acho um absurdo!
s

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

tipo idem

Notícia de hoje no Uol:

lhinhoves

Comentário de hoje no "Humberto Explica":

- Carai, ficou igualzim um véi.

s

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

vai, volta, vai, volta, vai...volta...

Depois da Mulher-Melancia, da Mulher-Jaca, da Mulher-Qualquer-Coisa, acho que a novidade é a Mulher-ioiô.

Ela é a rainha dos namorados decididos (acharam que eu ia falar dos indecisos? Não mesmo, pra mim esses caras já decidiram o que querem há muito tempo): é um vai e volta sem fim, precisou a Mulher-ioiô vai, precisou a Mulher-ioiô vem.

Deixa quieto.


P.S.: É bom esclarecer que, NÃO, eu não escrevi este post especialmente pra NINGUÉM.
s

la niña graciosa!



Quem viu a Suri Cruise vestida de bailaora flamenca em Sevilla ontem? Essa menina é mesmo um espetáculo! E o sapatinho de lunares? E os brincos? Será que deram um abanico pra ela também? Imagina só essa gracinha dançando una sevillana?

Muy graciosa!

aventureira

Não que haja alguém capaz de substituir nossa Marilda, mas eu confesso que há na TV uma outra criatura que tem me feito rir horrores – e, muito, graças a uma certa semelhança que ela tem com cada um de nós e as bagaças que a gente acaba passando direto.

Eu falo da Christine, a Old Christine, do seriado “The New Adventures of Old Christine”, no Warner Channel (acho que passa no SBT também, mas minha TV não pega esse, ã-rram, canal). Enfim, adoro o programa! Adoro a protagonista! Também gosto muito de outros personagens.

Sem contar que a Christine é interpretada pela Julia Louis-Dreyfus, que era ninguém menos que Elaine Banes em “Seinfeld”, outra personagem que eu amava.

Fica aí a dica pra quem não conhece ainda e procura uma boa fonte de risadas. Porque a Christine é podre – mas quem não é?

Abraços pra todos!

;)

na caixinha

Hola povo que lê meu blog!

Andei meio sumindo, mas tô aí. E, a propósito, respondi a todos os comentários até o post da música da Simone, aquela que todo mundo ama.

Bom, falando de posts e de leitores, vou aproveitar pra comentar uma das novas leitoras que apareceram aqui. Falo da Tainá, mocinha fina, bonita e inteligente que tem um blog igualmente fino, bonito e inteligente, o Tiffany’s Little Box. Quando eu crescer vou ter um blog organizado e clean assim.

Enfim, eu adoro os textos da Tainá. E apesar da pouca idade (quase igual a minha), ela dispara umas pérolas que deviam ser aprendidas por muitas das leitoras aqui do “Humberto Explica”. Coisas como:


“Vai lá e se enturma vey. Alguém tem que gostar de você ou de alguma coisa que você faz. Ninguem morde, ninguém vai te tratar super mal de cara.”

“O pior dos venenos... é aquele que te agrada.”

“Se tem uma coisa que não supooorto é gente que fala, fala, mas não quer te dar atenção.”

“Ok, todo mundo na vida já foi um pouco poser em alguma coisa. Mas tem gente que é muito, muito tenso de se ver. Faz pose, se acha superdescolado, imita mania dos outros, e acha que tá abafando, quando metade da sala ri pelas costas dele.”

“No começo, exalta o quanto você é doce, especial, quase te pede em casamento. Esse é o sinal: Quando a esmola é gorda , desconfie! Aí depois vem um discurso filosófico a respeito de justiça e valorização da sinceridade incrementado com frases como: ‘Não posso fazê-la feliz nesse momento’ ; ‘Não tenho capacidade para fazer juz às suas expectativas’. O irônico é ele só perceber isso no dia seguinte.


Eu adoro o que ela escreve (e em bom português!). Sei lá, me faz tomar vergonha na cara. Ou me dar valor.

Eu recomendo demais!

Abrazos Tainá. Abrazos pra todos!


pura matemática


+


=

A solução da sua vida sentimental pode ser uma mera questão de escolher bem os corredores do supermercado por onde você deve passar.
s

domingo, 6 de dezembro de 2009

Camila Trindade, Brazil's next (top?) model

E como especulado na internet, foi mesmo a Camila Trindade quem ganhou o "Brazil's Next Top Model". Tudo bem que ela tem a meeeeesma cara de todas as modelos. Mas eu achei até digno. Ela tinha seus pontos positivos: Nunca se sentiu à vontade com a ralé; Não gostava da Míriam; Se olhar muito dá até pra achar ela parecida com a Sinead O'Connor.

Eu gostava mesmo era da Tati e achava a orelhudinha a mais bonitinha. Mas acho que a Camila foi um bom resultado. E pelo menos não foi a Bruna, que apesar de ser boazinha como modelo, se acha demais (e parece Avatar).

É isto por ora, povo.
Sucesso Camila.
Besos pra todos, ótima semana!
;)
s

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

R.I.P.


Esse fato me fez pensar no meu professor de literatura do Estadual Central, Éder Simões (provavelmente, o melhor professor que eu tive).

Dentre as várias coisas profundas que ele nos fazia pensar, eu lembro bem de uma reflexão sobre viver plenamente, sem se preocupar com coisas medíocres com as quais as pessoas esperam que nos preocupemos porque se um caminhão te amassar quando você estiver parado, esperando um ônibus, por exemplo, é a sua vida que terá se perdido (a de fato e a que você gostaria de ter vivido) e não a vida daqueles que ficavam te regulando.

Eu obviamente não sei ser intenso e maravilhoso como o Éder. Mas acho que essa historinha, somada ao que pudemos conhecer da história da Leila Lopes, deixa muito mais claro o recado deste post.

Um abraço pra todos.
s

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

olhos nos olhos

Uma leitora muito querida e amiga de todas as horas mandou isso aí abaixo hoje. Valeu pra ela. Vale pra mais um monte, que eu sei.

(ao que parece, a citação é de Charles Chaplin):


...Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude e aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo. Às vezes mudar é preciso, nem tudo vai ser como você quer. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente. Não é preciso perder pra aprender a dar valor e os amigos ainda se contam nos dedos. Orgulho demais pode fazer você abrir mão de pessoas importantes, então vale a pena deixar ele de lado. Não tem como esconder a verdade e o tempo sempre vai ser o melhor remédio; mas seus resultados nem sempre são imediatos. Quando as coisas parecerem difíceis, relaxe! Sempre tem o plano B. Não fique preocupado: você nunca sabe quem está se apaixonando pelo seu sorriso...


Eu não tenho muito mais a dizer, né?
Juízo amigas, juízo...
d

Patrícia Poeta na capa da Nova - Aleluia!

E não é que a Nova fez uma capa bonita?! E em dezembro?! E com uma mulher bonita, bacana, boa profissional? Taí Dona Patrícia Poeta, mostrando que até pro mau gosto da Nova há saída. Gostei!


P.S.: Quando conseguir imagem melhor e maior, publico aqui.
P.S.2: Nova agora também tem formato pocket. Agora, quando der aquela vergonha de ler essa bagaça em público, você pode enrolar a revista e enfiar no bolso (achou que eu ia sugerir outra coisa, né? Pode deixar que isso aí a própria revista vai se encarregar de sugerir. :P)
s

1989 - Parte III

Exatamente 20 anos atrás, sem que tivesse a menor intenção, alguém, que provavelmente não tinha lá aquela afeição por mim, me deu o melhor presente que eu já ganhei na vida.

Na verdade não era pra mim - Ficou pra mim. Mas eu lembro nitidamente quando, pela porta da garagem, a velhinha que vivia lá em casa trouxe na sacola dois filhotes. E eu tive que cuidar deles até os donos de fato virem buscar.

A vira-latinha ganhou do dono o nome de Catita (a Cláudia Abreu em "Que rei sou eu?", lembram?). Mas ao irmãozinho dela, cujo dono demorou muito pra buscar, eu dei o nome de Plutón (eu tinha pouca idade, vá...). Fato é que no dia em que meu neném ia embora eu me enfiei debaixo de um sofá pra deixar ele comigo. E ele ficou comigo. Por 16 anos.

Nunca até aquela manhã chuvosa de dezembro eu sonhei em ter um amigo tão amigo. Nunca tinha experimetado carinho tão grande. E justo de um cachorro. Só não digo que ele era a lealdade em pessoa porque, bom, ele era um cão fofo.

Eu não vou escrever muito mais porque nenhum dos meus leitores conheceu meu filhote, então não vai fazer muito sentido. Eu só queria deixar registrado que a cada dia 2 de dezembro eu lembro do meu sagitarianinho nada desastrado.

Saudade.


P.S.: Plutón pro papai. Snoopy pro resto da pobrada.
P.S.2: Hoje também é um dia muito especial pra mim por conta de outro sagitariano, esse bem mais desastrado. Mas tão querido quanto meu saudoso bebê. ;)
P.S.3: Que tal a "Snoopa" flamenca (by Balenciaga)?
s

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

ah nãããããoooonnnn!!!....

A Marilda vai sair da "Grande Família"! Como assim, o blog vai ficar sem sua musa-mor?!! Ah não, Nenê!
s