terça-feira, 9 de março de 2010

(meow)

"Ai, gato é isso, gato é aquilo, eu não gosto de gato por conta disso e mais daquilo...".

Eu respeito o direito de todo mundo de gostar e não gostar do que quer que seja. Mas o fato de eu respeitar não impede que eu tenha uma preguicinha de algumas opiniões.

Eu conheço um milhão de pessoas que não gostam de gatos. Até aí, OK. Mas na maioria dos casos, trata-se de puro preconceito e eu acho isso muito murrinha. Daí porque neguinho não gosta dos felininhos, começa com uma comparação imbecil com cachorro. É um tal de "cachorro é fiel, gato é traiçoeiro, interesseiro, vingativo, blábláblá". Sinceramente, é de lascar.

Essa bobajada contra gatos vem da época da caça às bruxas. Queimavam as mulheres (com o brilhante argumento de que elas eram possuídas -- mas sobre o preconceito contra as mulheres eu já falei demais -- e queimavam juntos os gatos das pobres. Tudo porque gato tem aquela coisa de ficar olhando como se visse alguma coisa que a gente não vê.

Enfim, daí queimaram a gataiada toda e o que aconteceu? Uma coisinha meiga chamada "Peste Negra", que acabou com metade dos seres humanos na Terra. E justamente quem ajudou a exterminar a doença? Os gatos que sobraram, que foram caçando os ratos.

Não sabia disso, né? Pois é, essa daí os cachorros daqui de casa, amigões que são dos gatos daqui também, já sabem até de cor.

Tudo isso eu quis dizer só pra dar aqui no blog o destaque merecido para Frosty, o gatinho inglês que passou 30 dias preso num frigorífico e sobreviveu. Diz aí, que tipo de ser fresco e blábláblá conseguiria essa façanha? Nosso amiguinho ficou meio detonadinho, mas pela carinha na foto dá pra ver vai superar fácil -- e com elegância.

Gatos, cachorros, gente. Tem os bons, os os menos bons. Mas no fundo, todos merecem uma chance. Se você não pode com gatos por conta de alergias, que pena. Mas se você não pode por pura frescura, quando tiver uma chance, conviva com um (ou dois, é melhor ainda). Você vai ver que até o quanto um bichinho pode ensinar sobre a ignorância humana -- e ainda sobre o bem que faz receber e dar um pouco mais de carinho.


P.S.: Aos meus amigos que não gostam de gatos, não quis ofender mesmo, OK? ;)
s

5 comentários:

Sarah disse...

Imgina se eu num vi a notícia do Frosty, coisa mais querida do mundo.

Amo gatos, amo cachorros,amo crocodilos,porcos e todos os animais do mundo.
Sempre tive gato, hoje tenho 3, um de 13,5 anos, um de 10 e um delicinha de 4, delícias, delícias.Gato vicia, num dá pra ter um só. E só quem tem sabe o quanto é bom conviver com eles, o quanto são dóceis, amigos, protetores, incríveis. E olha que meu animal preferido é cachorro!

Essa coisa de que o gato não está nem aí para as pessoas é balela, dê a eles carinho que eles retribuem em dobro.É demais!!

Toda vez que aparecem essas notícias com bichinhos em apuros, o bom é que sempre aparecem pessoas para adotar.

Espero que ele esteja bem quentinho e seja bem cuidado.
Que judiaria...comendo ervilhas congeladas....chuinf

xicoarantez disse...

EU TAMBÉM AMO TODOS OS ANIMAIS... TENHO JAQUETAS , SAPATOS E CASACOS COM A PELE DE QUASE TODOS, VC VAI AMAR MEU CASACO DE GATO...LUXO

Caroline disse...

Não gosto de animais, mas respeito quem gosta.

Abs.

Tati Jubi disse...

Concordo com a Sarah: gatos são muito carinhosos! Meus bebês são todos lindos e carinhosos ( Nicolau, Tutu e Guigui) e tem o dom de detestar quem eu detesto também. O Nicolau, por exemplo, adora o Humberto, apesar do incontestável ciúme estampado em seus lindos olhinhos azuis.
Olha a cara de ódio pela humanidade que o Frosty fez para a foto. Amei!

Tainá disse...

hahaha, você vai adorar esse video.
http://www.youtube.com/watch?v=fzzjgBAaWZw