sexta-feira, 14 de maio de 2010

memória do coração

Esses dias eu e dois amigos fomos "obrigados" a ouvir um sermão (literalmente um sermão) sobre o que era gratidão. Nas palavras do padre às criancinhas presentes, "gratidão é a memória do coração" (algo tipo "Chambinho, o queijinho do coração", eu creio).

Anyways, achei curioso que esse papo tenha vindo esta semana. Eu não acho que gratidão seja algo que se tenha que esperar de uma pessoa. Porque não é porque alguém te deu algo ou fez algo por você que você tem que ser grato. Nem sempre o que acham que é bom pra você é bom de fato. Se não é obrigatória, a gratidão não deixa de ser um plus.

Por outro lado, ingratidão é um negócio que me irrita e me decepciona profundamente. Porque você não ter obrigação de ser grato é uma coisa, agora, você não dar um pingo de valor à atenção de outrem com você e, pior, fazer pouco caso disso, aí eu acho sacanagem.

Eu conheço aguém que, tendo um mihão de amigos (bom, alguns amigos e um monte de conhecidos), sempre tratou uma de suas amigas como irmã. Eu sou testemunha das muitas vezes em que esse alguém levou água na peneira pra essa "amiga" e das muitas vezes que ele brigou com muita gente que duvidava um pouco da amizade dela por ele. Mas enfim. Fato é que esta semana a tal amiga vazou de cidade sem sequer mandar um SMS com o mais simples obrigado, como se nada tivesse acontecido e como se os dois não tivessem vivido mil coisas e como se ele não a tivesse tirado da merda umas mil vezes. Sinceramente, eu fico de cara (ele não).

O bom dessa história é saber que eu ainda me surpreendo com as pessoas. Só gotaria que as surpresas boas fossem mais frequentes que as ruins, mas enfim, assim é a vida.

Quero só ver como será a vida dessa amiga sem o melhor amigo que ela já teve ao seu lado. Tomara que aprenda a se virar. E tomara que ele, sendo a pessoa de bom coração que é, faça sempre amigos mais emocionalmente inteligentes. Chega de antas.

Besos pra todos, hasta lueguito.
s

4 comentários:

LAÍS disse...

eu já cheguei a conclusões parecidas:

http://avidaeumaopera.blogspot.com/2010/03/uma-coisa-que-machuca.html



besos :)

xicoarantez disse...

EU JA TO ACOSTUMADO A ESSE TIPO DE COISA. NÃO ESPERO NADA DE NINGUÉM, QUEM PERDEU FOI ELA.. IHIHIHI

Sarah disse...

Concordo plenamente Humberto,tem coisas que deixam a gente de cara sim, mas isso acontece com mais intensidade quando a gente não sabe com quem está lidando porque se já sabe, não há que falar em surpresa.

Tudo que é feito de coração, de verdade,atos desprovidos de interesse sempre fazem com que as energias positivas retornem para a pessoa que os fez.Isso é uma lei da vida. Com certeza, no fim das contas o beneficiado é seu amigo.

A dita cuja vai aprender com a vida a dar valor às coisas porque vida ensina. Aí vai cair a ficha de que era feliz e não sabia :)

Caroline disse...

Amigo,

Não posso nem imaginar se um dia você for embora e não se despedir de mim...

Adoro você, mas sei que estou sumida...