quinta-feira, 17 de junho de 2010

até quando?

Acabei de ler que a Emanuela de Paula foi chamada de "macaca" na São Paulo Fashion Week. É uma lástima ler esse tipo de notícia. Ainda mais quando você lê que quem tentou ofender é uma (vaca? égua?) caçadora de talentos ressentida com o sucesso da moça e de olho no dindim dela.
s
Sinceramente, é muito baixo nível. Tem que ser muito, muito sem berço pra achar que a etnia de alguém é algum demérito. Ainda mais pra chamar de macaca. Essa ignorante deveria saber que ser negro nunca foi motivo de vergonha. Eu costumo argumentar que ser de uma ou outra (do que se convencionou chamar de) raça por si só não deveria ser motivo pra se ter orgulho. Mas, sinceramente, quando se pensa nas burrices da Humanidade, como a declaração dessa caça-talentos, ser negro acaba sendo motivo pra se orgulhar, sim (afinal, são séculos lutando contra esse tipo de gente atrasada).

Ninguém é 100% politicamente correto. Mas se pra tudo na vida a gente precisa de bom senso, quando o assunto é racismo a gente precisa do dobro. Sempre tive certa ojeriza por gente racista. Nunca foi uma coisa que eu consegui entender de verdade.

Eu sou muito fã da Emanuela. É uma moça linda, vem construindo sua carreira com brilhantismo e é uma das top models brasileiras (de verdade) mais bem sucedidas desde Shirley Mallmann.

E digo ainda mais: Já que o assunto é racismo, particularmente o racismo na moda (já muito falado aqui), vale lembrar que se já é bonito ver Emanuela, negra brasileira, exibindo sua beleza em editoriais e passarelas, é ainda mais lindo lembrar da icônica Alek Wek, top sudanesa dos anos 90/2000. Essa é um espetáculo. Ficam aí duas de suas capas, a clássica da Elle estadunidense e a coloridíssima da Elle sul-africana. Dessa top, então, eu sou muito, muito fã (vale ler este texto do Vitor Angelo sobre ela).
Enfim. Dá pra acreditar em gente racista nesta altura do campeonato? Na moda? Podre, né? Ninguém precisa disso. Não mesmo.

Arrasa Alek!

Tonn, vai se fuder.

4 comentários:

Sarah disse...

Situação grotesca hem!!A pessoa quando perde a razão em alguma discussão (ou quando nunca teve)tem essa caracterísica de partir para ofensas pessoais.Pelo que li na notícia linkada elas disputam valores na Justiça, da época que trabalharam juntas.Devia estar desesperada pra arranjar ofensas a qualquercusto.Partiu pra ignorância.
Imagina que coisa mais patética a cena acontecendo. A tal Mônica, ao contrário do que podia imaginar, só conseguiu desrespeitar a si mesma. Podre!

Menino, a Alek tem um livro sobre a história dela, que máximo, deve ser emocionante!

Até a Naomi que é a modelo negra mais famosa do mundo sempre deixou claro que sempre sofreu preconceitos. Imagina o que essas mulheres passam no mundo tão fútil da moda...Tem que ser guerreira mesmo!

Janaína disse...

Nossa.. sem comentários. Nem tenho mais discurso pra comentar absurdos como este! Parece que a gente tá dando replay nos absurdos. E pior: rebobinando a fita do atraso mental, intelectual e humano. Vergonhoso, lamentável, deplorável e todos os substantivos dessas três coisas que forem possíveis de se usar pra classificar atitudes como esta.

xico Arantez disse...

sim

o Humberto disse...

Não é ridículo esse tipo de coisa? E é foda que sempre acontece, eu torço pra nçao ter que escrever mais sobre isso, mas esse tipo de situação absurda tem que ser publicada pra acabar mesmo. Pau no cu de gente racista.