segunda-feira, 16 de agosto de 2010

na saúde e na doença

Acho que não é novidade pra ninguém que 2010 tem sido um ano bem atípico e um tanto esdrúxulo pra mim. Mas acontece, parte da beleza da vida é que ela tem altos e baixos (e, sabendo disso, a gente tem que se preparar pra tudo e estar tranquilo e atento).
s
Das várias coisas que eu tenho aprendido no meio dessa "tempestade", está o fato de que amigo de verdade dá um jeito de estar perto. Na hora da merda e na hora do sucesso. Porque, eu acredito, pra amigo de verdade, você é o mesmo independente de estar por cima ou por baixo e é desse você que ele gosta.
d
Daí tem sido algo especialmente bom o apoio de muitos amigos. Gente como os que têm como estar perto de mim e participar de um jantar na sexta-feira à noite, gente que tenta encontrar há um ano, gente que vive sem tempo, mas escreve sempre. E, mais legal, gente que não me conhece pessoalmente, nunca me viu de perto, mas passa sempre uma energia tão boa que parece que cresceu comigo (e aqui eu vou citar nomes, Sarah, Fernando e Rafael).
s
Quando chegar a hora da bonança, é do que essas pessoas fizeram por mim que eu vou lembrar quando pensar nos tempos de chuva forte. Vou lembrar de cada palavra, cada indicação, cada sorriso, cada empurrão, cada coisa que me fez rir. Porque é isso que vale no fim das contas.
s
Uma hora a bonança vem. Pra todos nós.
Besos!
s
s
P.S: Preferi não citar nomes pra ser fino. :P Mas você aí que se encaixa no perfil, sinta-se fortemente abraçado. :)
P.S.2: Gente, li todos os comentários dos posts abaixo, tá? Adorei todos, como de costume, e vou responder cada um loguinho. Thanks e besos! ;)
d

7 comentários:

R. Paschoal disse...

Aqui no suburbio a gente sempre conta "cazamyga", tanto nos momentos de glamour, quanto nas horas de muxoxo.

Por enquanto é digital, mas em três semanas tô em BH e te dou um abraço de verdade, guri!

Sorria e faça bonito no catwalk!
:D

Sarah disse...

meu coment anterior não foi,google podre rs mas, eu disse e repito:

que cada palavra aqui dita é a pura verdade e que a gente aprende a duras penas quem é ou não nosso amigo de verdade ( dentro e fora da família).

que é muito bom poder ter o carinho de quem gosta de você pelo que você é e não poelo que você tem no momento.

e que me sinto muio alegre de estar citada mais uma vez em um de seus posts porque realmente te adoro!

bjs

Caroline disse...

Oi amigo,

Sinta-se abraçado.

Abs.

Janaína disse...

Humbert, amore! Tamo aí pra o que der e vier. E agora, malhando os bracinhos pra te abraçar cada vez mais forte! rs
Beijo! Beijo! Beijo!

o Humberto disse...

Valeu Rafael, venha logo mesmo aqui pra roça, vai adorar os causos suburbanos de TuBHcanga!

Sarah, um dia desses vi meu depoimento no seu Orkat e foi uma surpresa das melhores pra mim. Você tem sido uma amiga que põe em cheque todo o conceito de distância. A impressão que dá é que você mora na casa ali ao lado. Brigadão sempre!

Carol, amiga, nem preciso falar né, a gente não começou a puxar papo do nada um com o outro a tõa. É pq já era pra ser mesmo. (Onde andará aquele moço que tava na fila tb?, tão fino ele).

Jana, gatérrima, malha mesmo. Amo você, mulher.

Abraços a todos, adoro vocês!
;)

Fernanda disse...

Humberto concordo demais com vc, talvez seja por isso que me simpatizei tanto com vc. Acho que amigo é aquele que está presente em oração...Não necessáriamente aquele que está o tempo todo do lado, lógico que precisamos daquele que fica alí segurando nossas "ondas", mas diversas vezes precisamos daquele que está lá longe mas com vc em pensamento e liberando energia positiva, mandando reflexões, coisas que talvez o que está tão perto não consegue pois está na paulera junto com vc...Vc é um cara d+ e te conheci por meio de outro cara encantador que por sua vez é um desses amigos de todas as horas, de onde vem a bronca e o apoio, por isso a cada dia escolho vcs como amigos de toda vida...Bjs!!!Estou aqui!!!!

Sarah disse...

eu moro ao lado, "longe é um lugar que não existe" :)