quinta-feira, 5 de agosto de 2010

uma história sem patos

Qualquer um que tenha lido um pouco deste blog sabe que eu sou defensor das mulheres e discuto o quanto posso a questão da igualdade entre os sexos. Sabe também que eu odeio a cultura ginofóbica que existe no Brasil (e no mundo, né?) e que o preconceito contra a mulher me irrita particularmente quando o, digamos, "algoz" é jogador de futebol.
s
Mas cá pra nós, não dá pra aguentar essa história da pensão alimentícia da Sthefany Brito. Gente, isso peca contra a luta.
s
Veja bem, como eu disse, mais do que feminista, eu diria que batalho como posso pela igualdade entre homens e mulheres. Daí, se Stefhany, jovem, bonita, saudável e com boas chances de construir uma carreira de atriz, se separa de Alexandre Pato, sem filhos e depois de pouquíssimo tempo de casamento, por que essa mulher precisa de uma pensão fenomenal? Mais que isso, por que essa mulher precisa de uma pensão? A capacidade dela de se manter acabou no dia que ela se casou?
as
Me desculpem, mas nesse caso eu tenho que concordar com o cara. Na minha humilde (e nada importante pra ninguém) opinião, esse moço tem mesmo que lutar até onde puder pra não ter que pagar uma fortuna pra essa menina, porque ela tem todos os meios de seguir com a vida dela. Aliás, ela é tão jovem que ela tem mesmo a vida inteira pra viver. O cara teria que ser mesmo muito pato pra aceitar sem chorar que grande parte do patrimônio dele vaze com essa facilidade.
s
Relacionamentos acabam toda hora. Entre jovens e entre famosos, então, toda hora mesmo. Agora, se ela teve maturidade suficiente pra decidir se casar, até mesmo dando um tempo na sua profissão de atriz, é de se imaginar que essa mulher também tenha maturidade pra saber que ela pode ser independente e trabalhar (até porque, imagino de novo, quem abraça a profissão de ator é porque ama muito isso, logo, não deverá ser nenhum sacrifício pra ela).
s
Sério, não diria que é decepcionante esse episódio porque nem eu nem ninguém esperava nada muito diferente disso (pareciam dois meninos brincando de casamento esses dois). Mas é muito chato ver esse lenga-lenga dessa pensão alimentícia. Se na união foi um conto de fadas, no divórcio eles podiam agir como adultos e resolver logo isso. Pelo bem de uma possível igualdade entre os sexos.
s

6 comentários:

Janaína disse...

Final infeliz pra casamento de conto de fadas com jogador de futebol e posterior lenga-lenga de pensão!? Huuummm.... Deixe-me ver...
Vale levantar aquela plaquinha de arquibancada de estádio, onde se lê "EU JÁ SABIA!!!" ou vai parecer muita maldade da minha parte, hein?!

Caroline disse...

Amigo,

Concordo demais com você. Acho um absurdo uma muhlher ganhar pensão se nem ao menos teve um filho com o cara. Hoje, tenho uma amiga minha que está vivendo essa situção. É um pouco mais velha, mas vai eu tentar colocar isso na sua cabeça...

Abs.

Sarah disse...

Não houve surpresa mas indignação, é o tipo de atitude que só serve pra torrar a imagem dela ( aliás, que ela nem deve prezar).

O absurdo está na decisão que permitiu com que ela sonhasse em receber esse valor obsceno ( que, óbvio, eu sabia que num ia vingar). Cada pérola jurídica que a genet vê.
Eu me revoltei pelo Pato, porque a decisão falava que ela teria direito a "morder" inclusive parte dos contrários publicitários ahahaha, é muita asneira!!
O cara casa,fica com ela uns dias e é obrigada a carregar esse ebó pra sempre?
Sai de retro!

Fernanda disse...

Acho que os jovens estão casando para ter motivo de fazer uma festinha do tipo de alguns milhões, principalmente essa menina que desde o dia que ela apresentou o PATO no fantástico como noivo e que iriam casar,na hora falei aqui em casa,vê se essa menina tem cara de dona de casa, mulher casada...Melhor fez Sandy que ficou afastada aprendendo a fritar ovo para o marido. Mas Stefany achou que o PATO já estava pronto e era só "papa"...Mas não é bem assim não, casamento requer primeiramente estômago, pois engolimos um sapo a cada dia, e essas menininhas acham que isso é um absurdo, mas se vc casa-se por amor esse "engolir sapo" faz parte dos dois lados. Imagine como essa menina deve ser antipática, pro cara larga-la em plena lua de mel e preferir uma boate com os amigos com certeza ela é um porre e aí ele preferiu ficar de ressaca com os amigos que conserteza não roubaria dele tanto dinheiro como ela fez. Começou no casamento, a recepção, o vestido dela (ridiculamente pago por ele) isso é o fim!O caro foi e está sendo um Pato mesmo, tá na cara que ela queria aparecer e ele queria ser o mais novo separado do pedaço.Todos já sabiam que não iria durar, acho que até eles. Mas o matrimônio é coisa de "louco", "apaixonado"...São poucos que levam isso a sério e geralmente quem leva é quem casa por amor e com um homem trabalhador(que na real significa pobre)como esemplo: EU!Bjs!

o Humberto disse...

É mulheres, vcs já disseram tudo. É um caso muito lastimável mesmo, né? Foda.

Mr. TV disse...

oi Humberto, sabe, meu medo ao falar sobre o caso de Sthefany era parecer machista, insensível, mas lendo o seu comentário sobre o assunto vejo que não é machismo por minha parte, tem a ver com caráter, honestidade, dignidade. Princípios básicos para se viver em uma sociedade justa. Tantas mulheres pelo mundo cheias de filhos, abandonadas pelos seus homens, tendo que ir a luta para o sustento dos mesmos. Lastimável. Abs...