terça-feira, 28 de setembro de 2010

e eu assisti "Glee"

Lembram de um post que fiz uns meses atrás, dizendo que eu não aguentava o hype em cima da série "Glee"? Pois bem. Como bom articulador que sou e como cabeça dura que não sou, aceitei o desafio do meu querido amigo Guilherme, que me propôs assistir alguns episódios. O Gui até mandou um DVD pra mim, com a primeira temporada inteira.
s
Demorou até eu ter tempo e coragem pra ver, confesso que estava com mega preguiça. Mas um dia foi. Bem, não posso dizer que "pagueeeeeeei minha língua", mas enfim, costumo acostumar fácil com qualquer série, então... Bem, vamos às observações:
s
Em primeiro lugar, é legalzinha, agrada, você acaba querendo assistir e tal. Mas continuo achando que espetacular ela seria se eu tivesse a idade do público-alvo. Porque muitos dos dramas ali já não soam como drama pra mim, nem quando dizem respeito ao elenco adulto. Então, continuo achando que é meio exagero o fanatismo com que muitos conhecidos meus, que já passaram dos 30, se referem a "Glee".
s
As vozinhas: Bem, realmente, as versões nem sempre são as melhores. A escolha das músicas é bem legal, e no contexto das historinhas fica bem bacana. Mas as vozes do elenco feminino são insuportáveis. Eu juro que não entendo porque escolheram a atriz Lea Michele (de saia levantada na foto) pra ser a protagonista. Ela canta quase tudo e a voz dela é a mais chata, o miado dos gatos aqui de casa é mais agradável. E tem mais: na verdade, a única voz feminina que eu gosto é a da antagonista, a atriz Dianna Agron (a loirinha sentada na bicicleta, na foto); quanto mais eu assisto, mais eu acho que ela é que talvez venha a se tornar uma estrela em algum momento no futuro.
s
Ainda sobre as vozes femininas, o que mais me intriga em "Glee" é o fato de um seriado musical estadunidense não ser estrelado por uma negôna. Como assim???!!! As afro-estadunidenses parecem que já nascem cantando, e aí justo em "Glee" tem apenas uma personagem, a Mercedes, até um tanto apagada. Me explica! É descuido ou é intencional pra mostrar o racismo pelas bandas de lá?
s
Já com relação às vozes do elenco masculino, me agradam mais. É uma coisa meio "Backstreet Boys", mas é bacana. A melhor voz pra mim é a do ator Kevin McHale, que faz o cadeirante Artie.
s
Falei que os draminhas são bem adolescentes. Isso não impede que a relação entre o personagem Kurt, teenage gay bem anos 2000, e seu pai, típico macho do meio-oeste dos Estados Unidos, não seja bem apresentada. A biba às vezes é uma vaquinha, mas sempre que o que está em pauta é a vida dele com seu pai viúvo, a coisa fica um pouquinho mais profunda (e interessante).
s
O que mais eu posso dizer? Bom, pra quem gosta de música pop, a série é bacana. Na verdade, como entretenimento descomprometido, "Glee" é muito boa.
s
Também tenho que destacar a atuação da atriz Jane Lynch, como a "cruel" professora Sue Sylvester. Na verdade, eu olho pra ela e já tenho vontade de rir (isso, desde que ela interpretou a gerente da loja onde o "Virgem de 40 Anos" trabalhava).
s
Por fim, pra fechar o post, o musical que mais gostei até agora: "Dream on", do Aerosmith (que eu amo), na voz do professor de espanhol Will Schuester, interpretado pelo ator Matthew Morrison. O áudio tá ruim no Youtube, mas vê aí.
d
É isso. Próxima língua pra eu pagar, pode mandar aí! Pago mermo!
s
Abração, Gui! Abração pra todo mundo.
s
s
P.S: Preciso confessar, adoro essa capa da Rolling Stone aí acima.
P.S.2: Ah, agora com conhecimento de causa, achei o tal episódio especial da Madonna. Muuuita forçação de barra.
s

8 comentários:

Fernanda disse...

Sinceramente não sei do que se trata...Acho porque não tenho paciência nenhuma de assistir musicais...Acho cansativo e como já não tenho muita paciência com TV esses tipos de series não me prendem nem um pouco...

Guilherme disse...

É Humberto, para falar a verdade toda a trama é extremamente forçada mesmo, o pessoal fugiu muito da realidade, não se pode levar muito a sério mesmo..
Lembro quando eu assisto o Greasy, nos tempos da brilhantina.. eu comecei a achar que todos os americanos eram retardados, por causa dos estereótipos dos 'adolescentes' que estudavam na escola de lá. É o jeito do humor deles mesmo. é uma maneira de fazer aparecer, ter atenção, mesmo que seja infantilizando os personagens.
Quanto à voz, eles também gostam de uma voz mais estridente.. é questão de gosto. Eu particularmente adoro um som mais alto, agudo. Também concordo que o Artie tem uma voz excelente, ele cantando o Dream a little dream of me é fantástico, a Mercedes tem um baita vozeirão e muitas vezes é usado para dar gritos agudos intermináveis... ela cantando sozinha, dá um show também!!
adorei o post. fico feliz que tenha gostado do Glee!
forte abraço

xico Arantez disse...

100 palavras! mas axo uó!

Janaína disse...

Eu vi uma ou outra coisinha no Youtube e achei que não é nenhuma graaaande novidade, não! Sei lá! Bem padrão série teen norte-americana mesmo, com um ou outro conflitinho muito de leve, só pra falar que "é pra fazer pensar". No mais, mais do mesmo. Acho que sou eu que não estou mais na idade de me empolgar com sse tipo de coisa mesmo... rs

Caroline disse...

Oi amigo,

Também já tentei assistir. Concordo com você que os dramas são muito adolescentes. Mas se vc quer assistir algo sem se preocupar, por diversão mesmo é até legal.

O mais legal mesmo é você pensar que um dia, os conflitos relatados já foram os seus rsrsrs...

Abs,

Tainá disse...

Não gosto de Glee, Mas 'Imagine' ficou HIPER fino.

railer disse...

eu sou suspeito pra falar de glee pois gosto muito. inclusive tou escrevendo uma postagem sobre a série.

tenho todos os cds e também músicas não lançadas como 'last christmas' ou 'burning up'.

também gostei muito de 'dream on', 'bohemian rapsody', 'imagine', 'my life would suck withou you', 'it's my life X confessions' e por aí vai...

o Humberto disse...

Amigos, valeu pelos comentários todos.

Só queria ressaltar isso que o Gui falou sobre a voz estridente das mulheres estadunidenses, isso é meio marca de lá mesmo. E também queria lembrar de "Anos Incríveis", que era espetacular e nada superficial (outros tempos, né?, ainda mais pq era série de época)

Abração a todos!