sexta-feira, 30 de julho de 2010

neste fim de semana, tudo pode dar certo

Pra fechar o dia com chave de ouro, sugestão de cinema pra este fim de semana! Não sei os críticos (vou ler o post do Fernando agora), mas eu adorei "Tudo Pode Dar Certo" ("Whatever Works"), do Woody Allen. Eu poderia até falar muita coisa, mas, sabe como é, sexta-feira, anoitecendo, não vou ficar escrevendo aqui não, a noite me espera, rs. Mas fica a dica, se for pegar um cineminha, eu acho que é uma boa escolha.
s
Ótimo findi pra vocês todos, segunda-feira eu tô de volta.
Besos!
s

Cleo Pires na Playboy (o desespero das duas capas!)

Saíram as capas da Playboy de 35 anos com a Cleo Pires!
Desespero e muita coisa a dizer, antes mesmo de ver as revistas de perto.
s
Como vocês lembram, Cleo foi clicada por dois fotógrafos para a mesma edição comemorativa de aniversário da publicação. Nem preciso comentar que a capa do Jacques Dequeker é minha preferida. Porque é muito diferente de tudo que já foi feito na história da revista. Não morri de amores pela língua, mas é Playboy, então alguma coisa tinha que ser sacaninha no meio de uma capa tão artística. Afinal, a revista tem que vender (e já viu como é a peãozada que não sabe ler nem o nome "Cleo Pires", se não tiver uma imagem dela bem nítida, capaz de neguim não saber nem que é a Playboy dela). Mas eu achei um espetáculo, quero pra ontem. Um dia ainda vai ser um pôster em algum canto da minha hemeroteca.
a

Quanto à capa clicada pelo Bob Wolfenson, bem, tá bacana, mas tá bem nada de mais também, né? Na verdade, eu acho que o Bob entrou nesse jogo pra perder (um pouco). Porque o Jacques Dequeker arrasa demais e as fotos dele com certeza vão ser diferentes de todas as outras já publicadas nos 35 anos da Playboy. Então, considerando a beleza do ensaio, sem ver a revista, eu aposto minhas fichas que as fotos do Dequeker vão ser melhores. Por outro lado, Bob sempre foi responsável por ensaios dos mais maravilhosos da Playboy (vide Maitê Proença em 1996). E Bob sabe que tá fotografando pra uma revista de mulher pelada (e não de nu artístico). Então é bem capaz de as fotos dele fazerem muito mais sucesso, se considerarmos o interesse do leitor.
f
Eu vou ter que pagar (o dobro!) pra ver. Porque eu adoro a revista, adoro essas edições comemorativas, adoro o trabalho dos dois fotógrafos e (nem precisava falar) sou louco pela Cleo.
f
Em algum momento em breve comentarei os ensaios com mais propriedade, OK? Deixa eu continuar o surto agora.
f
Besos. Cleo, me liga!
asss
s
Update na mesma hora: Acabei de ler que a capa do Bob corresponde a 90% das edições nas bancas. Ou seja, esquece aquilo de ele entrar perdendo. E avalia meu desespero agora pra conseguir a capa em preto e branco. :S
s

muuuuito antes de Raquel Zimmermann cortar os cabelos

E minha querida Raquel Zimmermann, aquele espetáculo de top model, apareceu há poucos dias com um cabelinho novo – e, com o mundo caindo por aí, isso foi assunto em mil sites diferentes. Aff. Não é pra tanto, né gente? Ainda mais a Raquel, que troca de cabelo toda hora.
s
Curiosamente, no mesmo dia eu tava naquela de reformar o quarto e levar revista pra lá e pra cá e acabei achando isso aí acima: Raquel Zimmermann no período mezozóico, estrelando uma capa da Claudia em 1999. Não é uma preciosidade histórica minha hemeroteca?
s
Eu tinha tudo pra zoar a Quéquis por essa capa, mas acho que prova é justamente o contrário. Numa época Célia Pardi em que as capas da Claudia eram o verdadeiro uó do borogodó (precisava disso tudo de informação? E essa imagenzinha em cima da logo???), Raquel já dava sinais de que era boa profissional, e a capa nem parece tão ruim. Mas, cá pra nós, ela mudou bastante, né? Cadê aquele bico marca registrada? :P
s
Raquel, você arrasa. Os jornalistas de moda é que não evoluem nem um pouco e insistem em matérias (???) superficiais. Seu cabelo (que sempre foi lindo) não tem nada com isso.
s

"Acharam esse mico? Tô boba!
Agora meu queixo cai mesmo."


P.S.: Falando em moda, alguém aí tá assistindo "ti-ti-ti" e gostaria de comentar? Porque eu não vi nada ainda (eu tenho medo).

c

se joga!

Bom dia moçada!
Hoje é sexta-feira! Dia em que a gente acorda naturalmente abençoado (pelo menos quando você não trabalha com publicidade).
Você é gata!
Pra começar, vai aí sugestão musical que, suspeito, já coloquei aqui antes. Mas eu tô no clima da música, então se já tiver ido vai de novo. Clica aqui pra ouvir (e pra cantar, já que o videozinho tem letra!).
Seu dinheiro tá sobrando!
Adoro essa "Unwritten", da Natasha Bedingfield. É popzinha mesmo, mas eu acho que é tão boa, não sei se me faz sentir bem ou se coincidentemente sempre toca quando me sinto bem. Se o seu inglês está em falta, vê a tradução aqui (lembrando que essas traduções sempre dão uma empobrecida). Presta atenção pelo menos no trecho abaixo:
Você é sinceramente feliz!
Release your inhibitions
Feel the rain on your skin
No one else can feel it for you
Only you can let it in
No one else, no one else
Can speak the words on your lips

Drench yourself in words unspoken
Live your life with arms wide open
Today is when your book begins
The rest is still unwritten
Você arrasa!
É isso mesmo, hoje eu acordei ainda melhor!
Um dia maravilhoso pra todos nós!
:D
Delícia!

quinta-feira, 29 de julho de 2010

saia justíssima

Eu gosto do Brasil. Dificilmente trocaria este país por qualquer outro, pelo simples fato de que nasci e me fiz aqui. Eu sou do mundo, aprecio e respeito as belezas de todas as nações, mas gosto é dessas terras aqui mesmo.

Entretanto, há uma característica cultural do brasileiro com a qual não me identifico: o tal do "jeitinho brasileiro". Na verdade, se for considerar isso como uma maneira de administrar problemas, vá lá, não deixa de ter um quê de "proatividade" que tornaria a coisa interessante. O foda é que jeitinho brasileiro é mesmo aquela coisa da "corrupção boazinha", do querer se dar bem de qualquer jeito, do "no meu ninguém toca, o do coletivo que se foda".
a
Acho que passou meio batido (não por mim), a história de uma senhora brasileira que demonstra bem isso (mas com requintes de cara-de-pau e velho-riquismo brasileiros). E não é que Dona Maitê, aquela mesma indefectível do "Saia Justa", atriz, musa, poetisa, fina, meiga, bateu seu pezinho pra garantir míseros R$ 13.000,00 por mês?
edstadual básica
Salário da Globo? Nãããão. A história é outra. Maitê recebia do Estado de São Paulo uma pensão nesse valor desde a morte de seus pais. Até aí, uai, normal, né? O curioso é que, pela lei, essa pensão é paga às filhas solteiras dos funcionários públicos estaduais. E Maitê, brasileirinha que só ela, passou anos "juntada" com o empresário Paulo Marinho (o que, no fim das contas, é casamento). Daí cancelaram a pensão dela no fim do ano passado. E Maitê, super pobrinha, autora de best seller, apresentadora de "Saia Justa" e estrela de novela das oito que é, correu atrás de seus direitos de órfã solteira e conseguiu seus R$13.000,00 mensais de volta.
s
Não é digno? Eu acho. Queria bem ver o que a Maitê do "Saia Justa", tão viajada, teria a dizer sobre esse lapso de personalidade do brasileiro, esse estilo "João Grilo" de ser.
s
São esses casos que dão uma desanimada quando a gente pensa em Brasil. Não há óleo de peroba que baste pra esse povo daqui. E aí a gente pensa naquelas velhinhas que penam pra receber R$ 400,00 do INSS e dar conta de remédio, SUS... Dá vergonha.
s

bola gato

Esse jornal Meia Hora não existe. Eu não sei nem como comentar uma capa dessas, só sei que eu me entreguei e ri. Porque é muito podre. De alguma forma, tem que respeitar tamanha cara de pau e tamanho "tô nem aí" com as coisas (afinal tem tanto jornalismo que paga de sério e é extremamente sensacionalista).
s
Quem achou essa pérola foi minha amiga Heleninha. Ela é tão fina que chega a ser difícil crer que foi mesmo ela quem achou (se bem que ela vem tentando ser garota do Super há anos, hehehe).
s
Abrazos a todos, bom dia!
s

quarta-feira, 28 de julho de 2010

final de semana flamenco

E, cara de pau que sou, dancei em público de novo. E pior, dancei diante de um público que gosta de Flamenco.
s
Assim na verdade, na verdade, o público era gente que gostava de Flamenco (mas provavelmente entende menos que eu ainda) e gente que também dança (e provavelmente se acha ainda mais que eu).

Fato é que foi um final de semana inteiro na Feria de Santiago, uma espécie de teste pra o que poderá vir a ser o Festival de Flamenco de TuBHcanga. Foi no Grêmio Espanhol aqui na cidade, um lugar muito bonito escondido na Pampulha.

Foi bem divertido tudo por lá, todo mundo se sentindo o último gitano do planeta. O lounge das velas do Xico e dos Biscuits da minha amiga Lu ficou lotado o tempo todo. E eu tive a oportunidade de conversar mais com as alunas da Cia. Andaluz, foi muito bacana mesmo.
s
Fiz um curso de patadas (não pede pra explicar que eu não consigo) com a Tiza Harbas, ela arrasa, é ótima bailaora e cantaora (foda foi que tinha uma aluna idiota na frente tampando tudo, sempre tem que ter um caxião mala). Mas foi divertidíssimo também porque tava parecendo colégio (no lado bom e no lado ruim, quando a aula parecia que não ia acabar mais).
s
Quanto à minha apresentação em si, foi uma bosta. O lugar onde eu estava no tablado estava péssimo, parecia que ia soltar, estava oco e eu não ouvia meus taconeios. Pra piorar, uma vaca estúpida, grossa e se achando a Eva Yerbabuena fez uma pergunta imbecil enquanto a gente esperava pra entrar e eu, jacu de galocha que sou, ao invés de fazer como todo mundo e fingir que não ouvi, fui ser educado e responder. A égua não entendeu a resposta e saiu bufando. Nossa, eu ODEIO gente estúpida, ainda mais quando a pessoa se acha porque eu também ODEIO gente que se acha. Daí, já alterado, subi ao palco doido pra acabar aquilo porque também havia uma certa desorganização no festival e isso é outra coisa que eu também detesto, então, no fim, saiu tudo errado na minha dança. Mas fodas.
s
Só sei que no fim, depois de ouvir um cantaor gemendo igualzinho minhas enxaquecas, eu já tava pedindo pra ouvir Ramones no talo.

Mas valeu a pena. Espero que da próxima vez as coisas estejam mais organizadas, eu esteja mais preparado e os egos estejam um pouquinho menos inflados.

Queria fechar parabenizando o professor, Señor Xico Arantez, que apesar de ser doido e outras coisas, é um espetáculo de professor, é o melhor bailaor nessas terras e não tem nada da afetação que uns e outros têm aqui na roça. Parabéns também pras meninas todas da Cia., que estão cada dia mais maravilhosas no palco.
Espero que vocês, leitores queridos, vejam esse povo dançando uma hora, vocês vão gostar.
Besos a todos!
s
ss
P.S.: Quanto às fotos, bem, eu sou o fotógrafo oficial da Cia. Andaluz. Daí quando eu tô no palco fica difícil. Mas dessa vez nossa amiga Fefa fez umas, então dá pra vocês verem o pontinho preto azedando lá no fundo. :P P.S.2: Nenhuma das pessoas do time das que "se acham" foi fotografada por mim, logo não está neste post. Aqui neste blog, especialmente neste post, só gente talentosa de verdade!

e no meio da bagunça, agora tô de volta mesmo!

Hola povo!

Como vocês sabem, tá rolando uma reforma aqui em casa e por isso fiquei sem computador. Era pra ter sido uma semana só, mas daí sabe como são essas coisas. Meu belo quarto, por exemplo, deu biziu na pintura e vai ter que refazer tudo de novo. Mas eu cansei de esperar, montei o PC num canto qualquer e tô aqui de volta!
s
Lembrei particularmente de vocês na hora do "transporte" da revistaria. Eu nem me atrevo a contar quantas são agora, mas são muuuuitas. Na hora de carregar de um canto pro outro é que a gente vê. O pior é que eu não sei só levar as revistas pra guardar. Acabo sempre achando alguma coisa engraçada ou que me chama a atenção.
s
Desta vez, garrei fui numa Nova com a Gal Costa na capa, dá pra crer? Mas eu nem comprei essa revista pela capa, não (até porque, quando a achei num sebo o estado de conservação dela já estava péssimo). Comprei foi pelo "Na próxima edição", que tinha mais fotos de um ensaio da Xuxa pra revista, que eu sempre adorei. De todo modo, é curioso pensar que uma estrela da MPB era capa da Nova em 1988 (e hoje é só estrela do "BBB").


Nessa mesma edição de maio tinha ainda o anúncio do primeiro número da Elle, não é bacana? Saudade de quando a Elle era assim, não consigo ser o maior fã dela hoje em dia (não sei dizer por quê, mas tem uns dois anos que a revista me parece tão sem personalidade).

Como tava mesmo com muita pressa de guardar tudo, fucei só em mais outra Nova, também procurando o "Na próxima edição". Era de 1987 e tinha a Luma, noviiiiiinha. Mas o mais legal era o "Guia de Videocassete" que viria de brinde, hahahahaha! Olha a TV na capa do guia! Isso serve pra esse povo que paga de moderninho, de twitteiro, pra ver que mais cedo ou mais tarde (e hoje em dia é bem mais cedo), toda tecnologia ainda vai ser motivo de piada ("Putz, Humberto, cê teve um blog por anos? Que coisa mais anos 2000!").
s
Tô de volta, povo! :D
s
ss
P.S.: "NO PRÓXIMO POST" - Saiba mais sobre a participação deste blogador-bailaor de Flamenco na Feria de Santiago!
s

quinta-feira, 22 de julho de 2010

aquecendo as castanholas

Hola queridos!
d
Pessoal, como tá rolando uma reforma lá em casa, tô sem internet esta semana. Além disso, tô me preparando pra minha próxima apresentação flamenc, que acontecerá na "Feria de Santiago", no Grêmio Espanhol, aqui em TuBHcanga.
s
Bom, por isso o sumiço e por isso a correria. Semana que vem tô de volta aqui, bombando com sempre.
s
Abrazos a todos!
:D
s

sexta-feira, 16 de julho de 2010

já voltei! :P

Não, não arrumei emprego ainda, mas podem continuar torcendo por mim, please.

O que pega é que eu tava doooido ontem, levemente esbaforido, já sem saber o que fazer, daí dei aquela surtada. Mas não dá, né?, como é que eu fico sem postar? E, realmente, como Xico e Sarah falaram, nada a ver, não é um post ou dois que vão tomar meu tempo e atrapalhar minha busca. Pelo contrário, escrever aqui é meu alívio, meu momento, meu pedaço pra extravasar e pensar melhor nas coisas, né não?
s
s
Então, eu volto com a mesma cara de pau de sempre, rabinho entre as pernas e já metendo meu focinho onde não sou chamado. Aliás, sou chamado, né? Afinal, alguém tem que falar de babacas como esse menino do nariz de tomada da Série Prepúcio (como diz o Xico), que saiu por aí falando que as brasileiras são ogras?
s
Fazfavor né, filhim?, vocês enfiam essa bobajada de vampiro e mocinha e lobisomen (homem?) goela abaixo das adolescentes do mundo inteiro e você ainda tem a pachorra de achar ruim? Agradeça que a maioria delas ainda não tem idade nem discernimento pra concluir que essa história é uma bosta e que você é só um atorzinho péssimo que não deverá ter longa vida no cinema. Mas tudo bem, você também é só mais um adolescente sem discernimento, do contrário já teria desistido da carreira (não falei que eu ando azedo?, hehehe...).
s
Enfim, pra quem ontem estava convicto de que daria uma pausa no blog, eu já voltei me achando demais, né? Deixa eu partir então, já dei show suficiente esta semana.
s
Besos, povo querido, bom descanso pra vocês todos, segunda-feira eu tô aí (continuem na torcida por mim, hein!).
s
s
P.S.: Acho que ainda não tô 100% não, viram a quantidade de "né" que eu usei nest post? Vou descansar um pouquinho, é bom né?
s

quinta-feira, 15 de julho de 2010

in-definição

Então, pessoal... Bem, preciso dizer que o blog vai dar uma parada. Por determinação deste blogador desempregado, que anda muito preocupado e consequentemente muito azedo (vide post anterior), novos posts só assim que eu voltar ao mercado de trabalho. Chantagem emocional mesmo, rs... Preciso do pensamento positivo de vocês. E preciso focar ainda mais na missão, porque tá muito osso.
a
Sorry aí.
Besos, espero voltar muito, muito em breve.
o/
s

cadê meu presente?

E hoje, que é dia internacional do homem?
Ah, tá bom! Precisa mesmo.

Diz que não é uma homenagem, mas sim uma data pra lembrar a raça macha de que precisa cuidar da saúde. É bom lembrar mesmo, homem precisa ser lembrado o tempo todo do que tem que fazer. E eu falo isso sendo homem e gostando muito de ser. Mas eu tenho que dar a cara a tapa, homem é uma raça que não vale nada. Nada, nada, nada, nada mesmo.
s
Tô mentindo?
s
ss
Update no mesmo dia:
KKKKK, OK, OK, eu confesso, tava azedo a hora que fiz o post. Era fome, queria acabar logo pra ir almoçar.
d
Então, pra me redimir, vai aí um post mais bem humorado sobre o assunto. É só clicar aqui (aproveitem e cliquem aqui também :P)
d
E, Fernando, você vale demais! Assim como o Molinsky e eu também! :D
s

toca pra frente!

Nada mais sacal que ex que não entende que agora é ex. Ainda mais quando você é o atual.
Dê-se ao respeito, rapaz, vai cuidar da sua vida!
s

vida agitada, urru!

E precisa dizer mais alguma coisa?
:s
s

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Beyoncé na capa da Nova

Louvável que a Nova tenha já uma segunda negra em sua capa. Desta vez foi internacional, ninguém menos que a Beyoncé.
d
Uma escolha acertada. A Honey B. é mesmo uma das mulheres mais poderosas do momento, tem um corpaço, é lindona sim, acho muito merecedora de qualquer capa.
d
Minha única birra é com o fato de que ela tá quase loira na foto. Eu sei bem que aí não é exatamente culpa da Nova. Mas de toda maneira, dava pra ter escolhido uma foto em que a cantora negra estivesse mais próxima da beleza negra mesmo.
d
Acho uma lástima essa obrigação que as estrelas têm de se aproximar o máximo possível de um ideal nórdico de beleza. Beyoncé aloirou, Sabrina Satto aloirou, Jennifer Lopez aloirou, Shakira tá mais loira que a Xuxa. É um direito de cada uma delas, claro. Mas acredito que é um ponto fraco, além de ir contra a beleza natural de cada uma delas.
g
De todo modo, ressalte-se o valor que tem ver mais uma estrela negra na capa da Nova, a segunda na história, a segunda no mesmo ano.
g
Resta esperar que belas brasileiras como Camila Pitanga, Sharon Menezes, Cris Vianna e Emanuela de Paula também possam estrelar logo a capa da revista.
g
Abraços pra todos, bom dia!
s

passa o sal?

Eu e essa minha memória de elefante.
s
Eu lembro bem quando, em janeiro de 1989, minhas irmãs receberam a Capricho do mês. Na capa, nada de Piera, Cláudia Zardo, Paula Prandini ou Sandra Bortolatti, as gatinhas da revista. A estrela da edição foi uma tal de Gabriela, filha da Regina Duarte.
s
Eu lembro muito bem do quanto todo mundo ficou de cara com a falta de sal da menina. Mais de cara que isso todo mundo só ficou quando no final do mesmo ano essa menina participou de um concurso no Faustão, recém-contratado da Globo, pra escolher uma telespectadora que partiparia da novela "Top Model" (pra quê essa menina participar, já que era óbvio que sendo filha da Regina Duarte ela teria papel garantido?).
s
Aliás, mais de cara ainda ficamos todos quando a Flávia Alessandra, que venceu o concurso, ficou com um papel inexpressível, a Adriana Esteves, 2º lugar, ficou com um papel melhorzinho e a Gabriela, 3ª colocada, ficou com o papel de filha do protagonista. Por essas que eu sempre odiei peixada.
s
Mas como a vida segue e o tempo resolve tudo, hoje vemos que não basta ser filho de peixe se você não tiver um mínimo de talento que garanta seu lugar. Flávia Alessandra, apesar de ter tido que casar com o Marcos Paulo e interpretar mil Lívias, está aí poderosa. Adriana Esteves também não tem do que reclamar. Já Gabriela, o que dizer?
s
Passaram-se mais de 20 anos e Gabriela Duarte continua desprovida de sal. Arrumaram um papel pra ela na novela nova, que pelo que me contam era pra ser de uma mulher provocante e engraçada, mas adivinhem? Claro que não colou, né?
s
Ela ainda ganha umas capas de revista também, como a da Estilo deste mês, aí abaixo. Mas sei lá por que, nunca acho que dá pra descer.
s
Alguém aí sabe das antigas gatinhas da Capricho? Aposto que elas ainda dão um caldão. E tenho certeza que dariam capas muito melhores.

Eu tenho medo.
s

terça-feira, 13 de julho de 2010

é do Brasil

Eu nem ia falar desse lixo dessa logomarca da Copa 2014 no Brasil. Mas aí eu vi esse videozinho no Youtube hoje e achei que eu tinha pelo menos que postá-lo aqui. Acho que todo mundo merece ver umas bobagens dessas. Destaque para a Gisele e a Lindsay Lohan. Aliás, destaque pra todo mundo. Os caras que fizeram isso são muito à tõa, mas pelo menos garantiram minha risada de hoje (me refiro aos que fizeram o vídeo, não os que fizeram a logomarca – esses também devem ser à tõa também, mas o trabalho deles é de chorar mesmo).
s
P.S.: Por falar em bobagens boas da internet, o novo blog na lista dos favoritos aí ao lado é o Morri de Sunga Branca. Se você estiver pra baixo, dá uma lida. Duvido que vai continuar borocochô. Procure os posts sobre a Claudia Leitte e a Sandy, pra começar. Muito bom!
s

yeah!!!

Numa época em que somos obrigados a conviver com bizarrices como NXzero, Restart e Fiuk, não custa torcer pelo retorno do bom e velho rock and roll. Salve o Dia Mundial do Rock. Yeah!!!
a

segunda-feira, 12 de julho de 2010

acho, logo é

Semana começando, já amanheço lendo de tudo na internet. Sempre foi um prazer pra mim acordar e saber o que há de novo ou o que dizem sobre o que está acontecendo, desde a época do jornal batendo na janela do meu quarto.

Tem sempre muita coisa boa pra ler, como este texto do Daniel Piza. Mas ultimamente, tem sido um festival de bobagens que tá começando a dar muita preguiça. As bobagens engraçadinhas ainda valem, afinal todo mundo tem que rir. O que mata mesmo são as bobagens que pagam de sérias: uma praga cada vez mais crescente na internet é o profissional do "acho", gente que opina sobre tudo, sem que tenha o mínimo trabalho de fazer uma pesquisa antes ou ao menos se certificar de que sabe do que está falando.

Eu diria que é uma geração Cláudia Leitte de intelectuais, em todas as áreas do (não)conhecimento. São posts, artigos e principalmente twits com opiniões sem embasamento ou argumento nenhum. Coisas como as que costumam ser proferidas por gente cabeça como Isabella Fiorentino.

O pior é que tudo que é dito por essas pessoas se torna verdade indiscutível. Ressalte-se: INDISCUTÍVEL. Porque além de se acharem no direito de dar como certa qualquer bobagem, esses novos intelectuais não permitem discordância. Ao menor sinal de que você vai argumentar em contraposição já vêem com a clássica "essa é a minha opinião" ou o "não aguento a turma da patrulha na internet".

Ora, tem dó. Se é só "a sua opinião" e "ninguém tem nada com isso", então guarde-a só pra você. Publicar pra quê? Eu entendo que se uma pessoa não tem preparação para o diálogo, não tem também para formular opiniões e consequentemente não tem também para expressá-las. Eu não sou obrigado a ler merda e ficar calado. Se você quer escrever tolices, especialmente na internet, esteja preparado pra ouvir de outros usuários que você escreveu uma tolice.

Eu amo internet. Qualquer um que já tenha um dia feito pesquisa de escola naquelas enciclopédias velhas dá valor a tudo que se pode descobrir e aprender na web. E eu amo ainda mais o fato de que todo mundo, como eu aqui mesmo, tem a oportunidade de dizer o que pensa. Mas eu torço pra que a rede seja cada vez mais espaço para a troca de ideias, mesmo as fracas. Esperar de um meio de comunicação como esse que ele funcione numa via de mão única como costumavam ser os meios no passado é um pensamento absurdamente atrasado. Usufrua do seu direito de dizer o que pensa. Mas esteja aberto para ouvir o que pensam sobre o que você pensa, dê-se o direito de voltar atrás ou ainda de repensar, discutir, aprender e elaborar melhor seu pensamento.

Pra começar a semana tá bom né? Já cumpri com minha cota de achismo.
Abraço sincero a todos.


P.S.: Reforço a sugestão de leitura, costuma valer muito mais ler as palavras do Daniel Piza que as minhas.
s

sexta-feira, 9 de julho de 2010

this fever for you is just burning me up inside

Escute esta música. Ela já esteve aqui no blog outras vezes. "I drove all night", na voz do Roy Orbison (e no clipe do mesmo) é provavelmente o maior incentivo que eu ainda tenho pra tirar essa bendita carteira de motorista. Porque nada me parece mais sexy, intenso e avassalador que a ideia de que alguém possa dirigir a noite inteira só pra estar comigo, make love to me.
d
Alguém por quem eu dirigiria a noite inteira eu já encontrei. Falta só a habilitação mesmo. ;)
d
Besos everyone, ótimo final de semana pra nós todos!
s

quinta-feira, 8 de julho de 2010

nem santos nem demônios – apenas humanos

Tinha prometido falar sobre o filme que assisti domingo passado, então lá vou eu. Na verdade, minha ideia era falar não apenas de "Patrick 1,5" (o tal filme), como dos últimos filmes com protagonistas gays que eu vi.

Só pra constar, que eu me lembre, esses últimos, do mais antigo ao mais recente, foram "Shortbus", "Shelter", "Angels of America", "Do Começo ao Fim", "Pecado da Carne" e "Patrick 1,5".

Na verdade também, eu tinha toda uma outra ideia pra tratar neste post, mas à medida que fui lembrando dos filmes, vi que ela não tinha muito razão de ser.

Fato é que tomando "Patrick 1,5", "Do Começo ao Fim" e "Shelter", eu já ia concluindo que todo filme com, digamos, "temática gay" traz personagens bonzinhos, fieis, criaturas sem o menor desvio de conduta possível – e isso, em todos os casos, foi algo que me cansou um pouquinho, porque não existe ninguém suficientemente insuportável pra ser 100% perfeito.

Entretanto, no que fui fazer este post lembrei dos outros filmes. Esses sim, acho que são filmes muito bacanas, que abordam a questão da homossexualidade de uma maneira mais próxima do real e até mesmo extrapolando o "mundinho". Não são histórias de gays, mas histórias de seres humanos. Já falei aqui no blog sobre "Shortus" e sobre "Angels of America" (que na verdade é uma série do HBO). "Pecado da Carne" também merecia um post, mas acabei adiando demais, então fica pelo menos a dica pra quem quiser ver um filme muito bom. Quanto aos três citados no parágrafo anterior, são as versões gays dos filminhos água com açúcar da Meg Ryan, e a menos que você esteja muito apaixonado ou simplesmente querendo assistir uma historinha de amor, não têm muito pra acrescentar em sua vida.
s
Na verdade (mais uma vez), digo isso tomando minha experiência como espectador. Eu gosto de obras que mexam comigo, que me façam pensar ou sonhar, filmes que de alguma maneira ampliem minha perspectiva das coisas (isso talvez explica o fato de obras tão diferentes como "A História Sem Fim" e "Dogville" serem meus filmes preferidos).

Atualmente o que venho assistindo é o há muito finado seriado "Queer as Folk" (na foto), que também parte de um núcleo de personagens gays, como explicita o nome. Sempre ouvi falar da série, mas sempre fiz uma ideia muito, muito diferente dela, e talvez por isso mesmo nunca tenha me apetecido pra assistir.

Fato é que vi os episódios da primeira temporada e, confesso, tô meio de cara com o quanto tudo tem me feito pensar muito. Cada capítulo me faz pensar em muitas coisas mesmo. E adoro a complexidade das personagens: ninguém é exatamente santo nem vilão. Eu vejo muito de mim em cada um deles. E há o que me faz pensar bastante em muitas coisas que vivi nos últimos dez anos. Na verdade, em muita coisa que vivi nos últimos 30 anos.
s
Estou gostando muito de "Queer as Folk", e sei que estou atrasadíssimo pra comentar isso. Mas não importa (eu nem tinha blog na época). Gosto de trabalhos bem feitos. E, como disse, gosto de obras audiovisuais que mexam comigo.

Não sei se concluí algum raciocínio neste post. Talvez seja exatamente porque há muita coisa passando pela minha cabeça nas últimas semanas.

Bom, é isso por ora.
Abraços a todos.


P.S.: Não custa lembrar, estou sempre aberto às sugestões cinematográficas, não sei se deixo suficientemente claro o quanto eu adoro um bom filme.
;)
s

quarta-feira, 7 de julho de 2010

famosos de Vera

E o Tom Cruise voltou ao Brasil! Desta vez com a Cameron Diaz! Eles vieram divulgar o filme "Encontro Explosivo". Diz a crítica que o filme é bommmmm! Olha a cara de felicidade do Tom:

"Non, non chêgá mucho perto baruanga!"

Cameron também se sentiu suuuper à vontade com a pobrada, digo, com os fãs:

"Tira a máu do meu pecho, vadia, já falé que non é silicone!"

Mas a parte que eu mais gosto mesmo é ver as "celebridades" que comparecem pra babar o ovo. Gente bonita, elegante e sincera, cheia de talento e personalidade, verdadeiros ícones da cultura brasileira. Gente como...
a

Bruna di Túlio (?)

Ivo Meirelles (??)

Joana Balaguer (???)

Só deu dó mesmo do Milton Golçalves...

"Quê que eu tô fazendo aqui, Jesus? De novo?!"
s
No meio dessa babunça toda, Cameron só teve uma coisa a dizer pro "TV Fama":

"Cadê a Véura?"
sc

a xoxota mágica

Curioso que essa Copa 2010 tenha servido mais pra pensar que pra torcer. Não sei quanto às pessoas normais, mas pra mim foi inevitável notar uma ligação entre o futebol e o machismo nesse Brasilzão de Deus.

Seleção tupiniquim jogando e lá estava Mick jagger, o pé frio, na arquibancada. Mick Jagger ao lado de Lucas, seu filho com Luciana Gimenez. Luciana Gimenez, a estupradora. Quando o Brasil perdeu, houve quem dissesse que a culpa era da apresentadora porque era culpa dela ter um filho com Mick Jagger (e culpa dela fazer com que o dinossauro Rolling Stone tenha algum motivo pra torcer pelo Brasil).

É muito bizarro. Mesmo com um time inteiro de homens adultos muito bem pagos pra jogar e vencer, ainda assim houve muito espaço na mídia e nos Twitters da vida pra dar uma demonizadinha na Luciana Gimenez. Só eu vejo algo muito doente nisso? É ginofobia mesmo?

Copa rolando, futebol alimentando toda uma nação, e enquanto isso o goleiro Bruno, do Flamengo, na boa, treinando tranquilamente, enquanto a polícia tenta solucionar o "sumiço" da amante dele. O delegado do caso chegou a lembrar que era vantajoso pra ela ter um filho com jogador e aquele blábláblá de sempre.

Não dá pra dizer que ela não deve ter visto isso como uma oportunidade de melhorar de vida – é triste, mas essas coisas acontecem. O que eu não suporto é essa maldita mentalidade machista de achar que alguém tem culpa e é sempre a mulher. Como assim?? Por que raios ainda se acredita no "golpe da barriga"? Por que as pessoas insistem em chamar Luciana Gimenez de burra, mas adoram ressaltar que ela foi inteligente na hora de engravidar do Mick Jagger?

Até quando, pelo amor de Deus, vai-se insistir na ideia de que uma mulher engravida sozinha? Não há mulher que estupre um homem, me desculpe, mas não há? Não há homem que transe sem que queira, que eu saiba não existe uma xoxota mágica que faça um cara ter ereção e transar sem que ele queira fazer isso. Se é responsabilidade da mulher se previnir contra gravidez é igualmente responsabilidade do homem não sair por aí engravidando todo mundo.

Mick Jagger era um homem casado e muito vivido quando transou com Luciana Gimenez. Ela pode não ter sido santa nessa história, mas ele sabia bem o que estava fazendo também.

O caso Bruno é pior porque envolve violência. Hoje foi expedido o mandado de prisão contra ele (já que pelo visto, e infelizmente, Eliza é morta) e o jogador já está foragido. Sinceramente, alguma dúvida de que no machista país do futebol (em época de Copa), onde a vítima é sempre a mulher (basta lembrar o caso Daniela Perez), esse cara vai sair ileso?

Eu tenho certeza que sim. E ainda vai voltar a jogar no Mengão. E vai ser aclamado como craque do Brasileirão. É de doer.

O "golpe da barriga" da Gimenez não vai ser esquecido nunca. Assim como o "filme pornô" da Xuxa ou o "casamento da Cicarelli". Mas a traição do Mick Jagger, o comportamento do Pelé em relação à sua filha não reconhecida até a morte e o fato de que o Ronaldinho deixou a mulher grávida em casa pra terminar a noite no motel com dois travestis, isso daí é coisa pra ninguém saber que aconteceu – A Patrícia Poeta não vai falar no "Fantástico", o Macaco Simão não vai fazer piadinha na Folha, o Tiago Leifert não vai comentar no "Globo Esporte" e ninguém vai discutir em mesa redonda nenhuma. Nunquinha.

Ah!, quem se importa?, em 2014 o Brasil vai ser Hexa. Em casa!
Pra frente, Brasil.
s