terça-feira, 31 de agosto de 2010

"Humberto, até onde ir para realizar um sonho?"

E fizeram uma pergunta, depois de tanto tempo. E que pergunta. E em que hora.
s
A primeira coisa que me veio à cabeça foi algo que me foi dito pela minha terapeuta, aaanos atrás, quando eu ainda precisava dela (saudade, Vânia, por onde você anda? Acho que a alta que você me deu prescreveu). Nas palavras de quem sabia do que estava falando, "sonhos são sonhos, são vontades que nem sempre têm como se tornar realidade (ao contrário dos desejos)". Isso segundo a terapeuta.
s
Mas como quem escreve pra esse blog quer mesmo é ler as bobajadas que eu escrevo, vamos lá. A primeira coisa mesmo que me veio à cabeça foi o filme "A História Sem Fim". Muita gente talvez não saiba, e pode até ser surpresa pra alguns, mas se eu tiver que dizer qual o filme mais importante na minha vida vou responder sem pestanejar que é esse.
s
Eu não o assisti no cinema, nem foi quando era criança. Vi na TV mesmo, ali chegando nos 15 anos. Eu era bem inocente, apesar de bem vivido, é bom ressaltar. Só sei que era uma época em que eu ainda brincava, mas também já era um momento em que eu sabia que queria escrever e que eu gostava muito de revistas e sabia delas mais que muita gente (muita gente compra revista, mas não tem tanta gente assim que goste de revista).
v
Fato é que estava assistindo ao filme sem muitas pretensões, mais por curiosidade mesmo. E nunca, que eu me lembre, um filme me parou daquele jeito. Sei que estava na sala com mais umas cinco pessoas (ah, mil novecentos e só uma televisão na casa), mas parecia que não tinha mais ninguém lá - era eu, o silêncio e o Atreyu. E o mais marcante, e eu me dei conta disso na hora, foi que vendo o filme eu tive um estalo tão intenso que caiu minha ficha do que eu queria da vida. Do que eu queria fazer na vida. Foi na cena das esfinges. O filme acabou e lá, em dezembro de 1991, comecei conscientemente a busca pelo meu sonho.
s
A Vânia, minha terapeuta, pode até ter tentado me convencer de que ser jornalista era desejo e era realizável e tal e coisa. Ela estava certa. Eu consegui mesmo me formar. Mas isso foi só um passo muito, muito pequeno (teria sido gigante pro Humberto de 14 anos, incoformado em ter que estudar ainda mais sete anos até sair da faculdade pra uma redação, mas enfim).
s
Ser o profissional que eu sempre quis ser, fazer o que eu sempre senti ter nascido pra fazer, se torna cada dia mais apenas um sonho. E um sonho, quando você vive com o pé atolado na realidade, pode ser algo que só machuca. Eu tento acreditar que é importante manter esses sonhos, até pra dar um colorido no dia a dia, mas eu já não tenho a mesma paciência. Eu não tenho mais, ou pelo menos penso que não tenho mais, o mesmo tempo que tinha em 1991. Não dá. E, um pouco pior, não acredito muito mais no tal sonho.
s
...
h
Então, se as respostas deste blog devem ser dadas com base no que eu sei sobre os problemas em questão, diria que o ideal, na busca pela realização de seus sonhos, é ir até onde isso não afete sua vida real e não estrague a beleza da sua vida real. Porque o perigo de insistir demais em sonhar é perder a oportunidade de viver experiências talvez muito melhores.
s
Não é pra se tornar uma pessoa azeda ou frustrada. Nem é pra simplesmente passar a fingir que não tem um sonho. Acho (e somente acho) que é mais um caso de adequar suas expectativas à sua realidade e de não desistir (mas sem se matar por isso). E de resto, deixar que o componente sorte-destino faça a parte dele, porque no fim das contas a vida se resolve por si mesma. E o tal do sonho deve se realizar.
s
É isso, né? Licença que eu vou pegar um voo no Falkor.
s
P.S.: Olha, cara leitora perguntadeira, se você quer mesmo, de verdade, uma resposta brilhante à sua pergunta, assista ao filme. Vale muito mais.
s

blogador

Hola queridos. :)
s
Estava meio offline ontem, então não deu pra comemorar como deveria o Blog Day, dia em que se festeja essa maravilha que é poder ter um blog.
s
Blogar é praticamente uma terapia. É ter um espaço onde você pode expor suas ideias, por mais inúteis que elas sejam, e ter gente que leia. E o mais legal, gente inteligente e interessante.
s
Quisera eu que já houvesse isso lá nos Anos 90. Eu teria sido o adolescente mais feliz do mundo. De todo modo, já me faz feliz poder ter um blog hoje. E ter leitores bacanas como os que aparecem (e ficam!) por aqui. :D
s
Abrazos pra todos, coragem pra tocar a semana!
Hasta luego!
s
d
P.S.: Por um bom texto sobre ter um blog, favor ler Caio Cesar. :)
s

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

hora de se jogar

Besos, povo, semana que vem tô de volta!
:)
s

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

post bem grande

Os dias têm sido estafantes e corridos e tensos. Mas não são os mais intensos que eu já vivi. Nesses 30 anos, sabe Deus tudo que já passei. Fato é que uma hora a gente acaba dando um tempinho pra pensar. Porque simplesmente correr insanamente porque tem que resolver tudo pode até ser eficiente (o que nem sempre acontece), mas não deixa de ser uma estupidez.
s
O que eu pensei hoje foi o quanto a gente acaba se afastando das pessoas que ama pela simples desculpa de que tá sem tempo. É realmente foda dar conta de tudo em 24 horas hoje em dia. Mas tem gente que se "ocupa" de coisas que realmente não precisa ou que realmente não servem de argumento pra não dar atenção a alguém. Ficar pendurado no Twitter o dia inteiro? Não precisa, né?
s
Nessas de ficar deixando pra depois a oportunidade de ver alguém de quem você sente falta, perdi de uma vez por todas a chance de rever uma criaturinha que eu vou amar sempre. Quando tiver uma foto boa dele eu farei um post sobre o Nicolau. Nicolau, singelo gatinho siamês que viveu, olha só, 18 aninhos na maior classe. Passei as últimas semanas adiando uma visita ao meu enteado safado, como eu costumava chamá-lo, e daí soube no domingo que ele morreu mês passado.
s
Foi um gatinho que eu deixei de abraçar. Mas e se fosse um amigo?
s
Isso me fez pensar muito no quanto as relações hoje em dia podem ser estúpidas. As redes sociais e a internet seguramente podem ser excelentes (veja este blog mesmo, quantos amigos faço e mantenho aqui). Mas o que houve com as relações interpessoais? É muito chato interagir? Vale mais ter um trilhão de conhecidos (ou não) nos Facebooks da vida do que estar com que você ama e quem te ama?
s
As relações se tornaram uma coisa distante. Mesmo quando se está próximo, vive-se numa falta de carinho tão grande que não se sabe nada de quem está com você.
s
Hoje eu ouvi um comentário a meu respeito, que normalmente passaria por bobagem. Praticamente fui chamado de inútil, à tõa e acomodado. Eu nem liguei muito na hora. Mas daí, como numa daquelas epifanias dos contos da Clarice Lispector, eu lembrei de um caso que aconteceu no Texas.
s
Fala-se sempre dos defeitos dos estadunidenses, como se todos os outros cidadãos do mundo fossem desprovidos de falhas. Enfim. Um dos hábitos que eu amava no povo daquele país é o do respeito à propriedade. Uma encomenda pode ficar semanas na sua porta sem que ninguém roube. Nessas, uma sacolinha passou uns 10 dias na porta da minha casa por lá. Eu tinha certeza que não era pra mim, então esperei que meus colegas de apartamento recolhessem. Como eles não pegavam nunca, e estressadinho que eu era, peguei aquilo e joguei na mesa. Ao que caiu da embalagem um livrinho e o cartão abaixo:
Eu fiquei tão sem palavras hoje quanto fiquei no dia, dez anos atrás. Tão afundado que eu estava nas milhões de coisas que tinha pra fazer enquanto trabalhava e estudava naquele país, demorei dias até ver que minha amiga alemã tinha deixado o melhor presente de aniversário que já ganhei bem na minha porta. É ou não é de chorar?
s
E como presente bom não perde efeito nunca, quando lembrei disso hoje (afundado nas milhões de coisas que tenho pra fazer), lembrei que não sou inútil, não sou à tõa e, nossa, tô muito, mas muuuito longe de ser acomodado. Ôh.
s
Quem quer que tenha me magoado muito dizendo uma bobagem dessas devia na hora estar muito infeliz com alguma coisa que certamente não é minha culpa. Só gostaria de deixar claro, não que eu tenha que fazer isso, mas enfim, que eu já vivi muita coisa e já convivi e amei muitas pessoas. Que com certeza gostaram e talvez ainda gostem muito de mim também.
s
Enfim, o mundo segue, as coisas vão mudando e a gente tem que se adaptar mesmo pra não ficar pra trás. Mas delicadeza, atenção, bom senso e um pouco de amor próprio e pelos outros são coisas que costumam atravessar os tempos. s
Eu posso não entender, mas respeito a opção de algumas pessoas de se (esconderem?) relacionarem só virtualmente. Mas pelo menos pra mim, sempre vai valer mais uma conversa amiga ou fiada, um abraço dado com vontade, um mísero olhar de companheirismo. E é por conta disso que, por mais atolado em compromissos que eu esteja, ainda vou tentar estar ao lado de quem é importante pra mim e se importa comigo.
s
É isso.
Beijos aos meus amigos, sempre queridos.
s
s
P.S.: Wherever you are on Earth, Nadine, never forget that YOU are a wonderful person!
s

aownnnn....

Em tempos de muito pouco tempo, posts que dispensam palavras. Mas, se você ficou curioso pra saber a história dessa foto fuefa é só clicar aqui.
s
Besos pessoal, logo volto escrevendo horrores (me refiro ao volume de textos, mas acho que serve para a qualidade também, né?)
:P
s

terça-feira, 24 de agosto de 2010

the world is mine

Eu resolvi abraçar o mundo. Já sei que vai me dar muito trabalho e que eu vou ficar sem muito tempo, mas eu preciso tentar. s
Você não tentaria?
s
Besos povo!
a

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

parceiros

Oi povo!
s
Como eu tô muito na correria hoje, e pra não ficar sem um post no começo da semana, vai aí a última do Twitter do Flávio Gikovate, que, pra variar, eu achei linda:
l
"Uma das melhores coisas a ser conquistada nessa vida é encontrar um parceiro sentimental que, além de amante, também seja nosso melhor amigo."
s
Esse homem sabe de tudo. Tem coisa melhor que estar com alguém com quem realmente você queira estar (e vice-versa)?
d
Besos, amigos, volto logo!
s

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

o Humberto indica mais uma vez :D

Fim de semana chegou, povo querido!
s
Desta vez, ao invés de simplesmente desejar bom descanso ou boa farra e tal, resolvi variar e indicar uma ou duas coisinhas mais culturais (acho que venho falando tanta bobagem aqui que é bom fazer o inteligente de vez em quando, né?).
s
Na hora de fazer as escolhas, parti do princípio de que você aí (você, não eu, claro) não quer ou não pode gastar muito dindim. E aí vão indicações :D :
f
Como a foto principal do post sugere, minha primeira indicação é ler "Dom Casmurro", do Machadão. Continua sendo meu livro preferido (seguido na cola por "Cem Anos de Solidão", do Gabriel García Marquez). Se você nunca leu, é minha dica principal. Devore. Se já leu, faça como eu vou fazer, leia de novo. (Só pra constar, a foto principal, como vocês sabem, é da minissérie "Capitu", da Globo. Até hoje não saiu em DVD, um absurdo, principalmente se considerarmos que uma merda como "Cinquentinhas", que passou um dia desses, já tem DVD. Mas você acha "Capitu" no Youtube, então fica como sugestão valiosíossima também).
s Se você está mais pra ficar na sua, curtindo música, vou sugerir uma só (e daí você vai pensando em outras): "Broken Strings", do James Morrisson com participação da Nelly Furtado. Eu adoro a voz dele e também tenho minha simpatia por ela. E a música é boa de ouvir, de cantar (letra facílima). Enfim, coisinha bem básica mesmo.
scAgora, se você estiver podendo um pouco mais e tiver a sorte de ter uma montagem em cartaz na sua cidade, minha indicação teatral é a peça "Casa de Bonecas", do Ibsen. Eu lembro que ela foi encenada uma vez pela Ana Paula Arósio, e foi perfeito. Queria muito que passasse aqui por TuBHcanga uma hora. De todo modo, dá pra ler a peça também.
s Por fim, como costuma ser o entretenimento mais comum pra quem está meio sem grana (e também costuma ser perfeito pra esses dias muito frios), minha indicação de DVD: "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças", do Michel Gondry. Não conheço ninguém que tenha visto que não tenha se tornado fã imediatamente. Sei que muita gente não gosta do Jim Carrey, mas ele costuma ser um ótimo ator dramático. Além disso, o filme ainda conta com gente como Kate Winslet (que chegou a ser indicada ao Oscar pela sua atuação), Mark Rufallo e Kirsten Dunst. É um filme simplesmente lindo.
s
Bem, acho que tá bom, né? Tenho certeza que de alguma coisa aí você vai acabar gostando. E ainda aposto que quando você for rica(o) como a Carolina Ferraz vai continuar adorando tudo que foi citado aqui (afinal, tudo isso deve ser ainda melhor a bordo de um cruzeiro no Mediterrâneo).
s
Besos, pessoas queridas, bom final de semana mesmo pra todos nós!
;)
s

dormiu bem?

Bom dia.
s

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

not a loser


Não sei quantas de vocês já ouviram falar da Nina Lemos. Ela é uma jornalista que eu adoro, leio o que ela escreve pelo menos desde 2002 (na época, na coluna do "2 Neurônio" na Folha de S. Paulo). Costumo ler os textos dela mais na TPM.
e
Eu tenho uma ou duas birras da TPM, já falei aqui, mas gosto da revista. E principalmente gosto da Nina. Se alguma de vocês, queridas leitoras desse blog, ainda não conhece o trabalho dela, um bom começo é ler o artigo "Não sou loser, baby". Acredito que muitas de vocês vão se identificar. (Eu discordo quando ela menciona que para os homens a coisa é mais fácil, mas a resposta ficou lá no site da revista.)
s
Bom, eu pretendia escrever muito mais a respeito, mas é tardaço da madruga agora e eu vou programar este post pra entrar durante o dia. Numa outra oportunidade escrevo melhor sobre a Nina. Aliás, melhor: deixo mais uma vez a sugestão pra conhecerem o trabalho dela. Dêem uma olhada nesta matéria, por exemplo, que já foi citada aqui no blog.
s
Enfim, Nina, você é foda.
Besos moças, vocês também são. ;)
s

EU SOU RICO!!!! EU SOU RICO!!!!

Eu sei que é over, que todo mundo até já se cansou disso na internet e que é pura bobagem. Mas eu adoro esse momento clássico da Carolina Ferraz. Clica aqui pra ver. Vai, quem nunca teve vontade de fazer igual? Ali, quando você tá no ônibus lotado, depois de ralar o dia inteiro, fala que não dá uma vontadezinha de radicalizar?
x
Não sei vocês, mas eu ainda vou gritar:
"EU SOU RICO!!! RICO!!!"
KKKKKKKKKKKKKK!!! Sério, eu adoro essa bobagem!
s
Bom dia pra todo mundo! :D
s
d
Update no mesmo dia: Agora você também já pode gritar à vontade "Eu sou rica!!!". Basta apertar o botãozinho aí abaixo quantas vezes quiser (no meu caso, 4.654.890.654.789.324.000 de vezes).
Botaoteca - Instant Button Eu sou Rica

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

um muso pro blog

Desde que virei usuário do Twitter, meses atrás, fico meio chocado com a quantidade de bobagem. Neguinho realmente não tem o que fazer (e outros, pior ainda, estão no trabalho, têm o que fazer, e mesmo assim twittam absolutamente o dia inteiro, eu fico de cara).
s
Mas como tudo costuma ter também o lado bom, há gente que usa o Twitter pra, em poucas palavras, fazer valer seu dia. Nessa categoria, quem tem ganhado ainda mais minha atenção é o psiquiatra Flávio Gikovate (pra quem não conhece, é esse moço aí na foto).
s
Eu já gostava do Gikovate desde muuuito novinho (OK, li algo dele em alguma revista quando era adolescente). Mas me tornei admirador desde que comecei a ler seus livros, enquanto eu preparava minha dissertação sobre a imagem da mulher na publicidade para a mulher.
s
Fato é que agora adoro cada vez que ele solta suas verdades de 140 caracteres no Twitter. Algumas são doídas, mas todas fazem você pensar tudo. Se você tem Twitter, não deixe de seguir o @Flavio_Gikovate. Se você não tem e nem pretende ter, dá ao menos uma olhada nas últimas do doutor:
dQuando este blog nasceu, vocês devem lembrar, a ideia era que eu respondesse às perguntas aflitas das minhas amigas e, assim, todas as outras amigas pudessem me poupar de responder tudo de novo (já que as questões costumavam ser as mesmas). Infelizmente as perguntas pararam (eu sinto falta das bobagens). Mas como "o Humberto Explica" continua sendo um blog de apoio irrestrito à mulherada, fica aí a dica então pra ficar de olho do Dr. Flávio Gikovate. Porque o Humberto continua explicando as bobagens, mas se a situação precisar de uma solução fundamentada em algo que não seja apenas experiência de vida, melhor dar uma olhadinha no que o Seu Giko tem a dizer.
s
Ficam aí, então, mais algumas sábias palavras do moço:
s
É... besos...
a
s
P.S.: Curioso lembrar que o nome do blog, assim como a própria ideia, dele surgiu do nada e porque eu tive que criar em cima da hora. Mas, sinceramente, essa coisa de eu falar "o Humberto", hoje em dia acho péssimo, parece Pelé falando "o Pelé", irgh!
P.S.2: E "o Humberto Explica" ainda por cima, KKKKKK, não sei de lhufas nessa vida!
P.S.3: Ah, fodas, eu me divirto.
s

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ana

Ana Beatriz Barros
d
Ana Hickmann
j
Ana Paula Padrão
b
Anna Kournikova
b
Ana Paula Arósio
m
Ana Buceta

Não, caro leitor, cara leitora, você NÃO leu errado. O nome da cidadã aí, jogadora da seleção espanhola, claro, de futebol, é Ana Buceta mesmo. Nada mais tenho a dizer.
:S
s

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

na saúde e na doença

Acho que não é novidade pra ninguém que 2010 tem sido um ano bem atípico e um tanto esdrúxulo pra mim. Mas acontece, parte da beleza da vida é que ela tem altos e baixos (e, sabendo disso, a gente tem que se preparar pra tudo e estar tranquilo e atento).
s
Das várias coisas que eu tenho aprendido no meio dessa "tempestade", está o fato de que amigo de verdade dá um jeito de estar perto. Na hora da merda e na hora do sucesso. Porque, eu acredito, pra amigo de verdade, você é o mesmo independente de estar por cima ou por baixo e é desse você que ele gosta.
d
Daí tem sido algo especialmente bom o apoio de muitos amigos. Gente como os que têm como estar perto de mim e participar de um jantar na sexta-feira à noite, gente que tenta encontrar há um ano, gente que vive sem tempo, mas escreve sempre. E, mais legal, gente que não me conhece pessoalmente, nunca me viu de perto, mas passa sempre uma energia tão boa que parece que cresceu comigo (e aqui eu vou citar nomes, Sarah, Fernando e Rafael).
s
Quando chegar a hora da bonança, é do que essas pessoas fizeram por mim que eu vou lembrar quando pensar nos tempos de chuva forte. Vou lembrar de cada palavra, cada indicação, cada sorriso, cada empurrão, cada coisa que me fez rir. Porque é isso que vale no fim das contas.
s
Uma hora a bonança vem. Pra todos nós.
Besos!
s
s
P.S: Preferi não citar nomes pra ser fino. :P Mas você aí que se encaixa no perfil, sinta-se fortemente abraçado. :)
P.S.2: Gente, li todos os comentários dos posts abaixo, tá? Adorei todos, como de costume, e vou responder cada um loguinho. Thanks e besos! ;)
d

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

not easy, but... adorable

Pra fechar uma semana que foi muito punk.
Besos pra todo mundo, ótimo findi!
clique na imagem

Flamenco na TV

Tem tempos que não sigo nenhuma novela. Também não sou o maior fã da Nathalia Dill, embora me pareça uma boa atriz. E, por fim, desde "A Viagem", que eu adorava, não tenho tido muita paciência pra novela espírita.
h
Mas fato é que por uma dessas coincidências da vida eu liguei a TV enquanto trocava de roupa (verdade gente) e pus na novela das seis, "Escrito nas Estrelas". E pus bem na cena em que o moço lá, aquele ator pentelho, tem um dejà vu e lembra da vida passada dele.
s
O que pega é que a vida passada do casal foi em Toledo, na Andaluzia, e a mocinha era bailaora de flamenco, vejam vocês. Eu já pedi o Xico, que é o expert, pra ver e me falar o que ele achou. Eu, amador que sou, achei que a menina convenceu bem. Não sei se foi pelo cante ao fundo ou se foi porque me pegou de surpresa, acabei achando bem digno. Depois eu li que ela aprendeu com a Eliane Carvalho, que o Xico disse que é óóótima, então acho que minha avaliação não foi tão ruim assim.
s
Pra quem não viu é só clicar na foto ou no link (vai direto pro minuto 5:20). Podiam bem convidar meu professor pra fazer uma ponta na novela né?, ia arrasar. :D
s
s
P.S.: Falando em Flamenco e TV, o vestido que a Sônia Braga usou no Jô ontem, vou te contar. Acho que é o modelo de lunares mais bonito que vi até hoje.
x

INSS

Tadinha da Vanusa, gente, a mulher trocou as bolas de novo. Era o caso de aposentar, né?, tirar umas férias longas. Porque se continuar errando as músicas desse jeito dá pra começar a achar que tá ficando gagá, né? Verdadeira Old Lady Gaga (trocadalho do carilho, eu sei).
n
Se bem que isso bem pode ter sido de propósito também, pra virar viral e ela voltar pra mídia (aí seria mais uó ainda).
s
Sai dessa Vanusa, se não der pra decorar mais as letras, chama o caminhão de mudança e dá a volta por cima em outra área.
s
Beso, se lembrar meu número me liga. Mas não canta o hino não, tá?
s

Halle Berry e a Vogue de setembro

[Fui procurar um post que falava da edição de setembro da Vogue e achei isso (detalhe para a primeira frase do texto, kkkk!!!).]
s
Bom, vocês já devem ter ouvido falar que nos Estados Unidos a edição de setembro das revistas femininas é a mais importante do ano. Em se tratando da Vogue, então, é uma publicação icônica.
s
Daí que todo ano é aquela história pra ver quem vai estrelar a edição mais especial de todas. E neste ano ela tem um quê de mais especial ainda. É que depois de 21 anos uma negra volta a ser capa da edição de setembro.
s
O que eu sei dessa história é que quando, em 1989, uma jovem Naomi Campbell foi capa dessa edição, deu o azar de ser a menos vendida da história da Vogue (sacanagem, né?). Acontece que muita coisa mudou. Especialmente nesses anos Obama.
s
Daí a linda atriz Halle Berry (capa da revista pela segunda vez) foi a eleita para estrelar a "the september issue" de 2010. Eu confesso que demorei um pouco pra gostar da capa e que não morri de amores pelos vestidos de veludo usados no ensaio. Mas depois entendi que são fotos inspiradas nos anos 1940, que são a nova aposta da moda. Daí já passei a adorar. Achei muito interessante que não tenham escolhido uma branquela qualquer (com todo respeito) e que provavelmente tenham pensado numa coisa mais "divas negras da música na época" quando escolheram Halle. Fora que ela é linda mesmo.
s
Se não me engano Halle é a primeira atriz negra a ganhar uma segunda capa na Vogue. A publicação tem seus méritos, já que saiu na frente no quesito estrelas negras e que mesmo no pré-Obama já nos presenteva com essas belas em suas capas. Mas dá pra fazer mais, né?, sempre dá.
s
Enfim, é uma edição que eu gostaria de ter aqui. Que venham ainda mais Vogues com estrelas negras na capa e que as revistas de moda daqui façam mais isso também (pessoal da Elle, tem anos que não vejo uma na revista, hein? Gracie Carvalho, Emanuela de Paula, tá na hora Suzana Barbosa).
s
É isso. Besos pra todos, então!
s
s
P.S.: Acabei de lembrar, Suzana Barbosa, se você por acaso ler este post e se por acaso cogitarem uma model negra pra ser capa da Elle, escolhe a Tati Domingos? Nunca mais vi aquela louca em lugar nenhum. :P
s:

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

sem inspiração

Sério, gente, tô doido pra postar, mas desde terça-feira tô numa crise de criatividade que só. Amanhã já é sexta e eu não consegui pensar em nada original ou interessante ou profundo ou engraçado pra comentar aqui.
s
Não sei se é culpa dos últimos dias, que têm sido puxados, se sou eu mesmo que ando me cobrando demais ou se é cobrança demais de outras pessoas mesmo, mas o resultado tem sido um cansaço espiritual e mental de arregaçar. Mas que, como tudo, vai passar.
s
Amanhã eu tento postar decentemente, tá?
s
Besos, queridos!
;)
s

terça-feira, 10 de agosto de 2010

em busca da conectividade

Meu agradecimento incomensurável ao Breno Mayder, da Hamy. Não apenas por dar um senhor trato no meu computador, mas pela amizade sincera. Não tem preço saber que há gente como ele no mundo.
s
No mais, a foto simboliza bem minha manhã de hoje, num trajeto meigo de metrô e ônibus (com o CPU na sacola) do Renascença ao Barreiro (pra quem não está em TuBHcanga, isso é algo como ir do Morumbi a Copacabana).
s
Enfim, dia longo, mas absolutamente válido (post sobre isso em breve).
s
Tô exausto, volto amanhã.
Besos.
s

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

com a cara e o bom senso

Lembram daquelas capas da Elle francesa, com tops e atrizes sem nenhum photoshop? Pois neste agosto de capas duvidosas, mais uma vez a revista Claudia mostrou porque é a feminina mais vendida no país. A publicação propôs, e ninguém menos que Luiza Brunet aceitou, fazer uma capa sem retoques. E deu certo!
s
Se foi 100% sem photoshop eu não tenho como afirmar. O que posso dizer é que o que eu vi nas bancas é digno de dar os parabéns. Diria que é histórico. Pode-se afirmar, sem erro, que é a primeira capa de revista com a senhora Luiza Brunet. Todas as rugas nos olhos estão lá, dá pra ver até aquelas dobrinhas na pele do braço.
s
De verdade, tiro meu chapéu pra Luiza Brunet e para a Claudia, que de certa forma sempre foi uma publicação para mulheres maduras. Dá gosto ver a revista apostando numa beleza mais real. E dá gosto ver Luiza abrindo mão de posar de mocinha e exibindo sua beleza de mulher quase cinquentona, sem os habituais retoques de imagem. Maravilhoso!
s
Enfim, este blogador apaixonado por revistas agradece essa demonstração de bom senso e deseja vida longa e sucesso a Claudia e Luiza. Parabéns!
ss

flamenco no parque

Este foi outro final de semana cheio de Flamenco também. Na verdade, tudo ontem e tudo graças à mesma Companhia. Dentro das atrações trazidas a TuBHcanga por conta do FIT (Festival Internacional de Teatro), pudemos assistir ao famoso Antonio Canales e sua trupe de manhã, com o espetáculo "Suíte Flamenca", e à noite, com uma versão flamenca da peça "A Casa de Bernarda Alba", de Federico García Lorca.
d
A atração à noite foi no Palácio das Artes, e foi linda. Foi particularmente interessante pra mim porque o Xico já vinha trabalhando em sua versão flamenca da obra, então foi legal ver o que já fizeram. (Ah, e foi péssimo ver o excelentíssimo senhor deputado federal que não é psicólogo furando a fila e sentando no melhor lugar, em detrimento das pessoas que ficaram horas na fila que virou quarteirão).
d
Mas o "Suíte Flamenca", Dios mio!, o que foi aquilo? O caras dançam demais e numa velocidade que putamerda. Eu não saberia explicar. De arrepiar os cabelos. Destaque para o Amador Rojas (no começo achei que era a Taís Araújo, mas, nossa!, o cara é muito foda). O melhor bailaor pra mim foi um loiro de cabelos compridos, mas infelizmente não dá pra saber quem é quem e dar nome aos bois. A Cia. do Antônio Canales só tem homens, mas a cantaora María Carmona também deu um show à parte.
d
Vale ressaltar também a beleza do Parque Lagoa do Nado, onde a apresentação foi feita em arena aberta. Lindo o local, eu não conhecia.
d
Enfim, ontem deu gosto ver aquele povo dançando e cantando e tocando. Flamenco de vera (e não é a do "crássico"*). O próprio Antonio Canales parecia emocionadíssimo com o retorno da plateia (já que tanto os "vips" do Palácio quanto o "povão" do parque ficaram impressionados com o que viram e aplaudiram de pé).
s
s
P.S.: Então, eu acho que a trava louca era o Amador Rojas. Alguém aí, do "framengo", confirma pra mim e pros meus leitores?
P.S.2: Na foto, o tal loiro e ao fundo o Antônio Canales. O povo é muito bom.
P.S.3: * Vera do "crássico" é piada local mesmo, sorry.
s
s

perguntinha

A semelhança sou só eu que vejo mesmo?
s

quem é quem?

Justin Biba com cabelo.
Justin Biba sem cabelo.
Carolina Dieckmann sem apliques no cabelo.
Pica-pau careca (cláááássico, muito bom, pra ver clique aqui!). nsPaulinho Vilhena quase entrando pra turma.
g

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

saudades de Malibu

É, gente, meu tempo na internet hoje acaba neste segundo, hoje foi top correria. Fica então, mais uma vez, Jennifer Aniston, rainha da semana, sorrisão lindo, pra fechar o expediente e desejar um fim de semana espetacular pra todo mundo!
s
Besos!
s
s
P.S.: Senhor, sei que peço demais, mas permita que esse fim de semana seja realmente espetacular. Em nome de Jesus.
P.S.2: Jen, te amo, me leva pra passar um findi em Malibu com você. Please! Deixa eu por as pernas pra cima com você, vai?
d
s

uma câmera na mão e nenhuma noção na cabeça

E diz que uma amiga da Galisteu postou no Facebook esta foto aí. Pra quem não sabe, a apresentadora teve seu primeiro bebê ontem.
d
Apesar de sempre desconfiar dessas coisas que "caem" e "vazam" na internet, eu só comento o seguinte: Essa mulher que fez isso não é amiga, não. PelamordeDeus, uma pessoa que divulga uma foto dessas não quer o bem de um amigo, não.
d
Tá certo que o nenenzinho saiu fofo e que a foto não deixa de ser lá meiga. E tá certo também que eu não acho a Galisteu a mulher mais bonita do mundo. Mas, cá pra nós, soltar uma foto dessas na mídia? Ah, é judiação! Todo mundo sabe que qualquer mulher tá um caco depois do parto. A Galisteu pode não ter um rostinho de Emma Watson, mas procura sempre se apresentar bem. Se não tiver o dedo dela nessa história, sério, acho que era caso digno de rompimento de amizade.
s
Vocês aí, leitoras queridas, me respondam: Se pusessem uma foto sua nos Orkuts da vida, com cara de quem ficou 30 horas em trabalho de parto, o que vocês fariam? Hum?
s

fina

Capa da Harper's Bazaar deste mês, finíssima, com a Jen, musa das mais queridas deste blog, que voltou a dar as caras por aqui esta semana. Achei no Edit Mags, da Mayra Carvalho, um blog também muito fino sobre revistas.
s
Volto aqui ainda hoje, besos.
s

economia no shampoo

Não sei vocês, mas eu adorei esse visual Mia Farrow da Emma Watson. Aliás, acho essa menina linda de qualquer jeito. Nunca consegui assistir um "Harry Potter", mas sempre fui com a cara da mocinha, ela é fina.
s
Besos, bom dia pra todo mundo.
:)
s

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

uma nova Vogue Brasil

Vocês devem ter lido há alguns dias a notícia-bomba de que a Condé Nast se uniu à Editora Globo no Brasil. Pra quem não sabe, a Condé Nast é responsável pela publicação da Vogue US, da Vanity Fair, da New Yorker e da Love, entre outras publicações muito fodas.
s
A primeira grande mudança que isso representa é o final da era Vogue Brasil na carta Editorial. Olha, francamente, não vejo isso com maus olhos, não. A edição brasileira da Vogue vinha numa sem gracice de desanimar qualquer um. Eram as mesmas capas pouco inspiradas (e quase sempre com a Isabeli Fontana) de sempre, nada de muito impacto. É verdade que a revista sempre foi muito bonita e com um padrão de impressão impecável, como tudo que envolve a Cartal Editorial, mas pra uma Vogue já estava algo que ninguém merecia.
s
Por outro lado, morro de medo de pensar no que pode se tornar essa Vogue Brasil nas mãos da Editora Globo, sobretudo em tempos de remake de "Ti-Ti-Ti". Não teria nada mais nada a ver com a revista que uma capa com a Ísis Valverde (protagonista da novela e atriz, que eu adoro, mas não daria). Ou pior, já pensou que filme de terror Fernanda Souza na capa de uma Vogue? Carolina Dieckmann??
s
A Vogue US tem mantido uma linha editorial com atrizes na capa que eu (e muita gente) não gosto muito, mas é algo mais compreensível na cultura estadunidense. E a edição de lá tem uma Anna Wintour na direção que consegue bancar isso numa revista realmente de moda. No Brasil uma ideia dessas pode facilmente virar uma versão chic da Manequim.
s
Sei lá, pode ser temor exagerado de fã de revistas. Eu vou torcer pra essa nova fase da Vogue nacional significar uma reviravolta mesmo, que a revista fique linda, vou torcer pra ela voltar a ser a melhor publicação de moda neste país (e torcer pra que ela considere moda como muito mais que roupa ou que esses designers afetados daqui). Mas eu não posso evitar de fazer a Regina Duarte (sim, eu tenho medo).
s
Quanto às outras publicações, que nem têm versões brasileiras, prefiro nem falar ainda. Especialmente quando penso na Vanity Fair, minha favorita de longe, na New Yorker e na Love (tenho muita dificuldade em imaginar as edições tupiniquins dessas publicações).
s
Enfim, vamos esperar pra ver.
d
ss
P.S.: Muito mais coisas pra dizer, mas aí já papo pra revisteiro mesmo.
P.S. 2 (super cara-de-pau): Condé Nast-Globo, se for rolar umas seleções pra jornalista nessas revistas, tô dentro, tá? Sério.
s

uma história sem patos

Qualquer um que tenha lido um pouco deste blog sabe que eu sou defensor das mulheres e discuto o quanto posso a questão da igualdade entre os sexos. Sabe também que eu odeio a cultura ginofóbica que existe no Brasil (e no mundo, né?) e que o preconceito contra a mulher me irrita particularmente quando o, digamos, "algoz" é jogador de futebol.
s
Mas cá pra nós, não dá pra aguentar essa história da pensão alimentícia da Sthefany Brito. Gente, isso peca contra a luta.
s
Veja bem, como eu disse, mais do que feminista, eu diria que batalho como posso pela igualdade entre homens e mulheres. Daí, se Stefhany, jovem, bonita, saudável e com boas chances de construir uma carreira de atriz, se separa de Alexandre Pato, sem filhos e depois de pouquíssimo tempo de casamento, por que essa mulher precisa de uma pensão fenomenal? Mais que isso, por que essa mulher precisa de uma pensão? A capacidade dela de se manter acabou no dia que ela se casou?
as
Me desculpem, mas nesse caso eu tenho que concordar com o cara. Na minha humilde (e nada importante pra ninguém) opinião, esse moço tem mesmo que lutar até onde puder pra não ter que pagar uma fortuna pra essa menina, porque ela tem todos os meios de seguir com a vida dela. Aliás, ela é tão jovem que ela tem mesmo a vida inteira pra viver. O cara teria que ser mesmo muito pato pra aceitar sem chorar que grande parte do patrimônio dele vaze com essa facilidade.
s
Relacionamentos acabam toda hora. Entre jovens e entre famosos, então, toda hora mesmo. Agora, se ela teve maturidade suficiente pra decidir se casar, até mesmo dando um tempo na sua profissão de atriz, é de se imaginar que essa mulher também tenha maturidade pra saber que ela pode ser independente e trabalhar (até porque, imagino de novo, quem abraça a profissão de ator é porque ama muito isso, logo, não deverá ser nenhum sacrifício pra ela).
s
Sério, não diria que é decepcionante esse episódio porque nem eu nem ninguém esperava nada muito diferente disso (pareciam dois meninos brincando de casamento esses dois). Mas é muito chato ver esse lenga-lenga dessa pensão alimentícia. Se na união foi um conto de fadas, no divórcio eles podiam agir como adultos e resolver logo isso. Pelo bem de uma possível igualdade entre os sexos.
s