domingo, 16 de janeiro de 2011

amigo pra sempre. mesmo.

"Cem cães já foram resgatados das áreas atingidas pelas chuvas em Teresópolis". Todos nós certamente lamentamos muito pelas pessoas que perderam a vida e parentes nesse desastre todo no Rio. Mas estou certo também de que muitos, como eu, morrem de dó só de pensar nos bichinhos nessa situação toda. Aquela cena da doninha sendo resgatada tentando salvar o tilzinho, que se foi na água, deve ter ficado na cabeça de mais gente.
E
Se você ler a matéria da manchete aí acima, vai se deparar com a seguinte declaração do coordenador da Comissão Especial de Proteção Animal da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro: "Um dos cães estava muito debilitado, há dois dias cavando a terra no local onde o dono morreu soterrado". É pra partir o coração, né?
s
Eu sempre desconfio de gente que não gosta de bicho. Eu cresci tendo gato e cachorro e eu sei que o tipo de amor que essas criaturas têm pelos "donos" não é simples tática de sobrevivência. É um amor tão sincero que eu me pergunto porque o ser humano inventa tanto problema pra se relacionar.
a
Da mesma maneira que desconfio de gente que desdenha o carinho animal eu valorizo quem gosta de bicho. Esses dias uma grande amiga minha, em quem ainda não dei um abraço, me contou que deixou de viajar no reveillón porque não teve coragem de deixar sozinho em casa seu cão idoso. Eu já a achava uma pessoa maravilhosa, inteligente e sensível, mas depois dessa eu me tornei um fã mesmo.
s
Vocês já leram aqui no blog todo tipo de coisa pelas quais passei, nunca fiz muita cerimônia pra contar as tosqueiras que (só) acontecem comigo. Mas de tudo de pior que já me houve, nada, absolutamente nada, se compara ao período em que meu filhote estava perto de morrer por velhice. Isso foi em 2005, antes do blog.
s
O Plutón viveu como um filhote até os 14 anos de idade, era inacreditável. Era um cachorro que cuidava da família inteira e era tão inteligente que parecia treinado. Eu teria que fazer um outro blog pra falar dele. Enfim, um belo dia meu pai chegou com dois filhotes em casa, e como se soubesse do que se tratava, ali mesmo o Plutón jogou a toalha. Deixou a casa pros dois vigiarem e se deu uma aposentadoria. Só cuidava da minha mãe, que era motivo de ciumeira aqui, porque ele vivia colado nela. Sei que a partir desse dia ele começou a envelhecer numa velocidade que eu não acreditava e pouco mais de um ano depois partiu.
s
Só quem tem ou teve um cão idoso em casa sabe a dor que é. Porque não há muito o que fazer, a não ser dar carinho e retribuir o companheirismo que ele seguramente deu durante sua vida. Acho que pior que gente que não gosta de bicho é gente que maltrata (e até solta na rua) um bichinho quando envelhece.
s
Deus sabe que os últimos dias com meu neném foram os mais difíceis da minha vida. Eu só conseguia pensar o que devia ser ter um filho de verdade doente ou coisa assim, porque o que me doía ver o sofrimento dele, nossa... Cabia a mim a decisão de sacrificar e eu simplesmente não queria aceitar, porque de todas as lembranças que eu tinha dele a quem mais me vinha à cabeça era a dele tentando entrar no carro uma noite em que passei mal e fui levado pro pronto-socorro. Até uma hora em que vi que mais que ajudar, eu estava prolongando o sofrimento dele. Eu então autorizei a família a prosseguir, mas disse que eu não levaria. Fui me despedir dele (ai... ... ... ... ) ... só sei que enquanto decidiam quem levava ele morreu sozinho. Esperou só eu conversar com ele.
s
Não consigo terminar o post com lógica. Fecho com um texto que a Bruna Lombardi leu muitos anos atrás no "Video-Show". Acho que resume melhor o que eu gostaria de passar aqui neste post:
a

A Velhice do Cão
Seu cachorrinho já lhe terá proporcionado muitas alegrias.
Cuide para que tenha um final de vida feliz.
Sempre que for possível deixe que ele permaneça ao seu lado,pois este será, realmente, um dos poucos prazeres que lhe restarão na velhice.
A grande despedida está próxima,e ele, por instinto sabe disto.
É natural que deseja a companhia daquele que aprendeu a amare respeitar durante sua vida.
Não o abandone agora.
Ele já não será aquele animal bonito de antes.
Seu pêlo começa a cair, seu caminhar perdeu a elegância e sua cabeça, penderá, cansada, sobre suas patas.
Somente seu olhar acompanhará os passos de seu dono.
Lembre-se que,dentro do peito, ele ainda possui aquele coraçãoque vibrará com o som da sua voz, do seu mestre.
E, chegando ao fim, não se envergonhe, chore.
Você acaba de perder o mais dedicado dos amigos...
O cão.
s
s
Muita saudade do meu neném. Sempre.
s

12 comentários:

Heron disse...

Que post bonito. Dei um abraço apertado forte aqui na Mile, nossa 'cãozinha', que assim como Plutón, é mais do que uma companheira, é parte de nossas vidas.

Ainda mais quer será mamãe! Os tios estão felizes hehe. Ótima semana Humberto! Abs!

Débora disse...

Eu sou supeita pra falar dos animais e principalmente dos caes que sou completamente apaixonada. A cena da senhora dependurada na corda tentado salvar o caozinho cortou meu coração. Mesmo diante daquele desespero ela tentou até o ultimo segundo salvar o bichinho. É por isso que eu amo meu Iguinho!!!(Igor é meu schinawzer albino gordo e epilético...rs.Além de tudo ele ainda toma gardenal controlado de 12h em 12hrs para nao dar convulsão). Ele nao apareceu lá em casa a toa,foi um enviado para me mostrar o que é ter amor incondicional por um animal e como eles tem o dom de deixar nossos dias mais alegres e coloridos!

o Humberto disse...

Ah, gente, que legal os coments dos dois. :D

Déboara, Iguinho é muso já. Ele parou de comer meia?

Podíamos apresentar ele pra Mile, que tal?

Abrazos pros dois!

david era uma vez... disse...

Nossa Humberto, muito legal isso... eu tive cães que envelheceram comigo e vi com muita dor morrerem, perdi gatos da pior maneira possivel, envenenados por vizinhos demoniacos ( não dá pra chamar um ser que envenena um animalzinho, por outro nome senão demoniaco).
As vezes eu me pergunto, por que escolhemos ter animais, se depois sofreremos com a perda deles?
Mas quando vemos a felicidade que eles nos dão, eu percebo que o ciclo da vida é esse e a gente aprende com ele!
Abraços meu querido

Heron disse...

Pois é, vamos fazer o casamento de Mile hehehehe, ela está precisando.

E ela também come minhas meias para lá de cheirosas hahahaha. AMO minha cremosa!

Janaína disse...

Nossa... eu nem comento esse lance de cachorro, Humberto! Lá em casa já chegou a ter 5 cães durante uma época. Eles foram morrendo e é horrível o sofrimento por causa do apego que a gente cria. A última remanescente dessa leva é a Nala, que já tá velha, ceguinha, obesa e mais pra lá do que pra cá. (Só pra vc ter uma idéia, ela tem esse nome por causa do Rei Leão. Olha a idade do desenho e calcula... ) Ainda sentimos muito em ter que enterrar os bichinhos, e por isso, decidimos que será o último cachorro que teremos. Agora, pra poupar o sofrimento, teremos um aquário grande e cerca elétrica no muro. A casa pode até ficar mais triste, mas o sofrimento será menor e teremos um sofá digno em casa, pela primeira vez em muitos anos... rs

Débora disse...

Depois de ter que operar 4x ele parou! Ele é muso mesmo!Se a Miller quiser namorar ele está às ordens.. hehehe

Sarah disse...

Ai Humbert, nem me fale...aos prantos aqui...não posso com isso, vc bem sabe.

A história do Pluton é linda, e ele é maravilhoso, me lembra meu outro cão amadíssimo que mora com meu pai e por quem tenho loucura. Ele é exatamente assim, tem 13 anos, por aí, mas parece um bebê, super ativo, não tem nem início de catarata, nada, quebrou a pata 3 anos atrás, teve que por pino, quebrou o pino, os médicos ficaram passados, ele é muito traquinas. Lindo, inteligentíssimo, muito carinhoso.

Sobre o vídeo famoso, eu, ingênua vi li a "manchete": Veja o resgate da mulher etc...e a "sena" do vídeo parada era ela segurando a corda. Cliquei pra rodar e de cara já vi a tiazinha em cima do telhado com um cão. Que isso, nem assisti, parei na hora, não tenho condições de ver um treco desse.

Já o Leão sem abandonar o túmulo da dona e todos os outros maravilhosos que estão sofrendo tanto e que se foram nessa desgracera ( assim como foi em Blumenau). Céus...é tenebroso pensar no quanto, de modo geral,esses amigos fidelíssimos e carinhosos são relegados a segundo plano mas, graças a Deus, existem almas iluminadas que os ajudam.

Sobre o texto da Bruna, eu lembro, choramos horrores aqui em casa.

bejus

Cris disse...

Vim do blog do Rafael..baú do Jamal...
Li algumas coisas e, eu sei o porquê, aterrisei aqui e aqui fiquei, neste post!

Já gosto de vc! Só porque um dia vc amou, cuidou, sofreu e chorou por um animal.

Minha vida desde os 17 anos é uma luta pelo direito e libertação dos animais. Tudo que sei aprendi com três humanos na minha vida e todos os bichos que passaram e passam por ela, desde uma tartaruga até uma girafa....rs

O mundo poderia não ter música, mas não poderia ficar sem esses seres incríveis e fascinantes.

beijo para vc e seu amigaço que de algum lugar, te espera!

o Humberto disse...

Cris, muito, muito bem-vinda!

Que legal tudo isso que vc escreveu.

Eu gosto de conviver com gente, não conseguiria ser um hermitão. Isso apesar de muitos loucos que cruzam meus caminhos.

Mas sabe Deus o quanto eu gosto de bicho. Agradeço por cada um que passou pela minha vida (daria muitos posts aqui). Como vc diz, a gente aprende muito com eles.

Qdo eles morrem a gente pensa em nunca mais ter outro, mas é bobagem. É a vida, a gente tem que prosseguir e deixar o coração ser ocupado por outro serzinho precisando da gente, pronto pra dar carinho tb.

Bom, conta mais sobre sua luta pelos animais, tem muito mais gente que vai gostar de saber. A Sarah, leitora caríssima aqui do blog, tb é das nossas.

Aos demais amigos que comentaram neste post, meu abraço sincero. Tudo muito bacana. Isso é que dá gosto em ter um espaço, um blog, é compartilhar esses casos todos.

Beijos!

Nélida disse...

Ola Humberto!
Eu estou tendo agora a minha primeiro experiencia com um cão e já nao consigo ver a minha vida sem ela (tb se chama Nala, e tb é por causa do Rei Leão, embora ela ainda não tenha um ano de idade).
Há uns tempos ela teve de ficar internada por um dia, e a casa ficou tao triste sem ela!
Enfim! É uma relação especial, uma comunicação sem palavras.
Fiquei com curiosidade de ver o video da doninha tentando salvar o cao. Não encontrei na web! Tens o link?
Um beijo :)

o Humberto disse...

Oi Nélida, tudo bom?
Espero que já esteja tudo bem com sua cachorrinha.

Então, o vídeo que você falou deve ter sido tirado da rede. Eu provavelmente linkei quando escrevi o blog. Mas, olha, melhor que você não tenha visto, pq se for o que eu tô pensando ela nao conseguiu salvar o caozinho. :(

Obrigado pela vizita. Passe sempre por aqui, o blog vai voltando por essas semanas.

Abraço.