quinta-feira, 9 de junho de 2011

mosqueteiro

Um último post sobre as revistas que andei mexendo ontem. No meio delas achei essa foto, na edição da Nova de agosto de 1986, com um certo Paulo César Grande, o então Aramis, sonho de consumo da Tina Pepper (só?) na novela "Cambalacho".

Cambalacho mesmo é o que a vida fez com ele, mas a gente entende. Ninguém é obrigado a viver num retrato de Dorian Gray, não é mesmo?

.

15 comentários:

Dan disse...

ele era lindo mesmo!

Mada Aveiro disse...

Olá Humberto,obrigada pela visita ao Blog Bruna Lombardi Beleza Rara.Agradeço tb por estar fazendo parte dele,Suas colaborações serão muito bem vindas.envie pelo meu email comunidadeart@hotmail.com.
Agradeço desde já

Sarah disse...

"Cambalacho mesmo é o que a vida fez com ele".
Sad but true!
Ele era mesmo gato e quando começou a embarangar minha tia falou: "Esse aí engordou e encarecou", rs.
Cruel!

Janaína disse...

A natureza é implacável, realmente! E o tempo não foi generoso com ele (o contrário também não! rs)não, né?!
Mas toda vez que ouço o nome do Paulo César Grande, a primeira coisa que me lembro nem é da novela Cambalacho, mas sim da piada do casamento dele com a Suzy Rego (com quem a natureza também foi meio madrasta, diga-se de passagem) KKKKKKKKK
Ai... ai... C`est la vie!

o Humberto disse...

Dan, que eu me lembre não tinha pra nenhum outro não. Mas assim como o Escort XR3 conversível amarelinho, a beleza dele ficou lá nos anos 80. :(

Mada, vou contribuir mais depois, tem muita Bruna aqui na minha coleção.

Sarah, ninguém imaginava que ia virar esse bucho né? foda.

E Jana, lembro bem da piadinha, rs beso!

railer disse...

o tempo pra todos, não tem jeito. por isso eu acordo cedo pra ir malhar, pra tentar chegar lá em forma! hehe

Anônimo disse...

Esse cara era uma DELICIA quando novo, e o Mario Gomes olhos azuis outra delicia puts, hoje só o bagaço!!!!!

Anônimo disse...

Bem que o dono do blog poderia colocar aqui alguma matéria sobre a série Blossom com o ator lindo Joseph Lawrence sonho de consumo na época.

Rita disse...

leio sempre, mas quase nunca comento! Mas diante deste post não posso deixar de comentar, pq, eu tb era vítima da piadinha do sobrenome: o meu tb é Rêgo, então imagina o que eu ouvia, de tias, primas, colegas da escola e até do meu próprio pai? " Como vai ficar o da Rita, se ela casar (detalhe: na época, se eu tinha 9 anos era muito!) com o Paulo Cesar Grande?" Me recuso dar a resposta, hahaha!!!

Beijos!
Adoro seu blog!!!

o Humberto disse...

Hehehe, Rita, uma honra que você tenha gostado do blog. Volta sempre, comenta, fica à vontade, eu adoro.

Agora,eu ri muito do seu comentário. Imagino que pelo menos seu pai deve ser divertido, já que fazia a piada quando vc era criança ainda (saudade dos anos 80, tão politicamente incorretos).

Grande abrazo!

Anônimo disse...

Por que ele não fez tratamento para continuar com cabelos,era tão bonito,até que hoje em dia ele está bem,o que estraga é a careca.

Serginho Tavares disse...

ele era um absurdo nos anos 80, lembro como se fosse hoje dele desfilando de sunguinha na beija flor
rs

Anônimo disse...

Ele quando jovem era uma delícia de homem, agora ficou um tribufu horroroso, um bucho, um canhão! Careca, gordo e feio! Como a natureza foi má para ele!!!!!!

ME TARZAN disse...

A natureza dá e leva de volta. Não adianta nem espernear.

Júlio César disse...

De fato, o Paulo César Grande e o Mário Gomes eram de tirar o fôlego! O Ronnie Von e o Carlo Mossy também. A natureza é cruel e, às vezes, uma ajudazinha com um Pitanguy da vida consegue prolongar ou pelo menos amenizar os efeitos da força de gravidade. Uma pena que muitos homens -especialmente os belíssimos como os por mim citados acima- recusem-se a utilizar a ciência para prolongar o seu poder de atração física. A maioria sequer tinge os cabelos - vide o Antônio Fagundes, antes unanimidade nacional em sex-appeal e, agora, protagonista de velhinhos gagás. Fazer o quê, né? Que seja feita a vontade dos homens conservadores - eles têm o direito de perder a beleza.