quarta-feira, 8 de junho de 2011

uma História e tanto

“Não suporto ‘Roque Santeiro’. Chata! É uma novela muito superestimada. Uma pena ser reprisada no Canal Viva.”


Eu li isso ontem numa rede social e senti uma leve desanimada. Primeiro porque me desanimaria ouvir de qualquer um a afirmação acima; segundo porque veio de alguém jovem, mas inteligente.

Que brasileiro não tenha memória não é novidade (até o brasileiro lembra disso). Mas um fenômeno mais recente que não cansa de me incomodar é essa desinformação dos jovens adultos. Simplesmente avaliam coisas e pessoas até mesmo de um passado recente com o olhar de hoje, ignorando o fato de que o mundo já foi diferente (esse texto do Rodolfo Araújo, publicado recentemente na Você S.A., descreve a situação de maneira irretocável).

Ninguém é obrigado a gostar de tudo que "todo mundo gosta", graças a Deus, e alguns talvez tenham o dom de ver o que ninguém antes viu, o que é bom. Não custa, porém, dar uma boa pesquisada antes de opinar. Classificar uma obra como “Roque Santeiro” como superestimada é ignorar o impacto que ela representou e o contexto político e cultural sob o qual ela foi produzida (isso considerando sua primeira versão, censurada em 1975, e a versão de estrondoso sucesso que foi ao ar dez anos depois).

Eu assisti à essa novela em 1985, aos oito anos de idade (eu já era meio adultinho, acreditem) e adorava. Depois revi aos 14 anos, quando reprisaram em “Vale a Pena Ver de Novo”; adorei do mesmo jeito, especialmente se levarmos em conta que já tinha um pouco mais de conhecimento para entender as críticas e piadas. Depois consegui a proeza de rever em 2001, quando “Roque Santeiro” se tornou a única novela até hoje reprisada duas vezes no “Vale a Pena Ver de Novo” – nem preciso dizer que aos 21 anos, recém-formado em Letras e vindo de um intercâmbio no exterior, a obra se confirmou simplesmente genial pra mim (eu tenho minhas ressalvas com o último capítulo, mas o que é isso perto de outros trocentos capítulos perfeitos?).

Enfim, claro que eu entendo que alguém pode não gostar de “Roque Santeiro” ou do que quer que seja. Mas não posso evitar de ficar um pouco chateado vendo que os parâmetros para se considerar algo arte ou não, bom ou ruim, estão se tornando cada vez mais superficiais. Mas faz parte da evolução, né?

Lamento não ter o canal Viva em casa, do contrário assistiria à novela de novo. E, não duvido, teria ainda mais motivos para considerá-la a melhor produção na História da teledramaturgia brasileira.


P.S.: Este post não poderia ser ilustrado por outra imagem que não a da Viúva Porcina na capa da Nova, em novembro de 1985. E eu tenho essa pérola em minha hemeroteca! É um exemplar muito surreal, porque na época as capas da revista já eram bizarras (imagina ser uma produção bizarra nos anos 80) e ainda assim a presença da personagem (mais até que da atriz, Regina Duarte em seu melhor momento) conseguiu ser algo muito ousado.
P.S.2: Se o colega supracitado quiser descer a lenha em mim, fique à vontade. Eu não tive a intenção de ser ofensivo (e espero não ter sido) e to sempre aberto a mudar meu ponto de vista (mesmo em relação a “Roque Santeiro”).
P.S.3: Inspirado nessa capa e nessa discussão, resolvi colocar ainda hoje mais dois posts com capas históricas. Eles vão aparecer aqui ao longo do dia.

Abrazos!
.

17 comentários:

Dan disse...

ainda vou ver sua hemeroteca de perto.

ficou com duplo sentido isso? kkkkkkk
bjo queridão!
=)

o Humberto disse...

Hahaha, será um prazer!

ficou com duplo sentido isso? kkkkkkk²

Bjo lindão!

Alexandre Felipe disse...

o pior é que esse jovem q não gosta de Roque Santeiro deve adorar o Restart...

Abraços

Alexandre
http://soupretomassoulimpinho.blogspot.com/

Anônimo disse...

Roque Santeiro,marcou a história da telemadramaturgia,só por isso já é indiscutivel sua importância.
Os que assistiram em 1985 não esqueçeram o fenomeno que foi,eu ainda tenho o albúm poster da novela,pena que não completei(senti uma imensa vontade de encontra-lo na minha seção das antiguidades guardadas).
Eu tenho esta capa também,e me lembro da felicidade ao encontra-la em uma banca na av.Paraná.
Obrigado pela deliciosa lembrança e aguardo mais e mais,sr.Humberto.
Parabéns.
Rodrigo.

Mr. TV disse...

Acredite, vc não é o único a lamentar não ter o canal Viva em casa! Não só pelas novelas, vem aí Roque Santeiro, mas ainda tem Vale Tudo, Rei do Gado, VAMP, Anos Rebeldes e etc, mas também pelo incrível acervo de bons produtos da TV Globo que lá passa. Imagina, até Chacrinha se pode ver lá, sensacional!
Eu estou com 28 anos e deparado as críticas dos novos adultos de hoje, aqueles que acabaram de sair da puberdade, sinto-me um velho, literalmente. Seu texto acaba por constatar que ninguém mais se interessa por História, salva-se poucas exceções, pouquíssimas mesmo! O que vale é o Hoje (e amanhã até ele será descartado! uma pena), aquilo que aconteceu lá atrás e que fez a diferença para esse novo hoje virou artigo de museu, isso quando não jogam toda a história no lixo. Triste!

P.S.: sobre o fenômeno de audiência que foi Roque Santeiro, vi a reprise em 2000/2001 e o sabor foi inigualável. É sem dúvida um grande marco da teledramaturgia brasileira; tou certo ou tou errado?

hehehe...

beijo Humberto, se cuida...

Mr. TV disse...

* deparado com as críticas...

(só para ajustar)

abs...

Rafael Paschoal disse...

Hoje, posso te garantir: a Globo não teria colhões de produzir algo tão fenomenal quanto Roque Santeiro.

As novelas atuais são vergonhosas, apesar do tal Cordel Encantado estar "encantando muita gente". Mas como você bem disse, são outros tempos!

Tô certo, ou tô errado?

Caroline disse...

Essa novela foi simplesmente maravilhosa. É impressionante como as pessoas opiniam sem entender. Isso está irritante ultimamente. Já tinha lido o texto da Você S&A.

O último paragráfo resume muito bem os dias de hoje:

Menos, pessoal, menos. Antes de se sentar na janela, você precisa entender um pouco como o ônibus funciona, para onde ele está indo e quem já estava dentro dele quando você entrou. Você deverá comprar sua passagem, porque a que o seu pai lhe deu não vai levar você a todos os lugares que quer ir. Até porque, a maioria dos lugares você não faz a menor ideia de onde fica.

Ou seja, menos, bem menos....

Abs,

Ah! Tenho o Canal Viva. É muito bom rever de vez em quando, trabalho de qualidade.

Tô Ligado disse...

Gente... uma dica pra quem não tem o viva em casa: baixe e instale o megacubo. São TODOS os canais de tv, além de séries e filmes pisponiveis on line... tem tbm aquele aplicativo do orkut, MegaTV que depende muiuto da conexao... mas tá valendo!

PS> Anjo Mau e Mulheres de Arei tbm foram reprisadas duas vezes no VAPVD

Heron disse...

Viva o canal Viva! hehehe.

Também não tenho Humberto. Ainda bem (hahaha). Abraço!

Mr. TV disse...

Desculpe, mas Anjo Mau e Mulheres de areia foram reprisadas apenas uma vez no Vale a pena ver de novo.

A Viagem e A Gata comeu, essas sim, apareceram duas vezes na sessão.

Lembrete: Roque Santeiro foi reprisada pela primeira vez na Sessão Aventura e depois sim pelo Vale a pena ver de novo.

Abs...

o Humberto disse...

Brilhou Mr. TV, vc não é Mr. à toa! É isso mesmo, do jeitinho que vc falou, A Gata Comeu duas e A Viagem duas vezes no VAPVDN e Roque Santeiro no exclusivo horário no fim da tarde.

Thanks pela consultoria, e pó parar de pedir desculpa. :D

o Humberto disse...

Bom, os comentários de vcs todos reanimam minha fé na intelig~encia humana. ;)

alan raspante disse...

Eu acompanhaei Roque Santeiro em sua exibição de 2001, mas claro que me lembro beeeeeem vagamente. Mas, sei que me divertia com os personagens de Lima e Regina. Seria maravilhoso se a Globo reprisasse a novela mais uma vez no VAVDN.

Bem, com certeza esse garoto "citado", não viu um capítulo sequer da novela... Portanto, se quer julgar, ao menos "conheça" aquilo o que está sendo críticado, não é mesmo?

Ótimo texto, Humberto!
[]s

o Humberto disse...

É, eu acho que o moço não deve ter visto com carinho mesmo não, mas tudo pode mudar né? Vai que ele assiste agora, entende melhor e passa a gostar.

Se não gostar tb, acontece. É impensável pra mim, mas acontece né?

Abração Alan!

Emerson Felipe disse...

Olá, excelente texto sobre uma excelente novela, o fenômeno Roque Santeiro, a qual conheci pelo Canal Viva e gostei bastante.
Apenas uma correção: a primeira reprise, de 1991, se deu na Sessão Aventura, às 17 horas, mais ou menos. A segunda reprise, de 2000/2001, que aconteceu no Vale a Pena Ver de Novo. E outras novelas já haviam sido reprisadas mais de uma vez antes de Roque Santeiro, como Escrava Isaura. E no Vale a Pena Ver de Novo, a primeira a ter duas reprises dentro dessa faixa foi A Gata Comeu (1989 e 2001).

o Humberto disse...

Valeu Emerson, e suas observações estão corretíssimas.

Abraço!