segunda-feira, 7 de novembro de 2011

palavras: as que não deveriam ser ditas e as que não dizem o que deveriam


"Você é um porco". Alguns minutos depois, outra pessoa, no mesmo contexto: "Você é um chato que se preocupa demais com limpeza". Difícil saber o que as pessoas esperam de você. O bom é que em certa altura da vida o que as pessoas querem ou não de você não é mais problema seu e você passa apenas a viver a sua vida, deixando para essas pessoas o problema de lidar com a sua felicidade.

Pensei muito nas picuínhas esse fim de semana e no quanto elas já nem me incomodam tanto assim. Mas é chato. E eu já me perguntava porque ficar remoendo bobagens quando aconteceu algo que eu já esperava:

Fui pra casa de uma grande amiga sábado, mas minha cabeça estava longe. Estava na minha casa, onde um dos nossos nenéns já dava sinais de que ia partir. Passei o dia fora, dormi fora, tentei esfriar a cabeça, não deu, voltei no domingo. Em não mais de dez minutos depois que entrei em casa o Koji se foi. Eu sentei ao lado dele, ele levantou a cabeça, olhou pra mim, respirou um pouco ainda, mas se foi. Só me esperou voltar...

Kojac morreu de câncer. Do diagnóstico até a partida foi rápido, coisa de semanas. Enquanto eu estava com ele, pensei nessa coisa da picuínha e do tempo que a gente perde com elas. E de tudo que a gente perde com elas. Senti por não ter estado mais ao lado dele. E senti um aperto também por pensar no outro amigo meu que teve câncer e no fato de ele, pelos motivos dele, nunca mais ter me dado notícia -- a picuínha, o câncer, a vida.

Não vou virar santo da noite pro dia e provavelmente amanhã já estarei de volta à correria de sempre, à esquentação com as pequenas bobagens. Mas ao menos por ora acho que posso me permitir sentir muito por não ter ao meu lado algumas das criaturas que eu mais amo. Porque a última coisa que o Koji me ensinou foi que uma hora elas têm que partir -- e que assim é a vida, que nunca para.
=(

Tchau Koji. Eu vou cuidar do seu irmão.


Boa semana pra nós todos.
Abrazo especial pra Cris.
.

17 comentários:

DMalk disse...

que lindo U,u...

Eu sou apaixonado por cachorros e esse tipo de historia sempre me comove, o amor dos cães e sempre assim surpreendente...

Mr. TV disse...

eu tenho MEDO da vida! é tão bom quando estamos brigando por picuinhas, mostra que estamos bem, todos ao nosso redor estão bem, dae vem a VIDA e nos faz perceber o que de verdade é importante para nós.

Edu disse...

Que dizer? Faça suas também as palavras que eu escrevi pro Reginaldo há uns dias. Que nós, os que ficamos pra trás, cuidemos uns dos outros - homens e animais.

Beijo! Te amo!

Thiago Almeida disse...

Amigo, sabia que isso ia render um post... haha
Eu também meio que tentei esboçar alguma coisa aqui. Saiu pouco, mas já foi suficiente pra tirar essa "revoltazinha" de dentro de mim. Nada melhor do que falar com a analista ou escrever no papel do caderno velho ou no microsoft word mesmo. kkkk
Agora deixa eu ler o post que só pelo título já saquei do que se trata.
Beijão

FOXX disse...

lindo, lindo, lindo
e que o Koji possa sempre ser uma lembrança do quanto se preocupar com bobagem pode te atrapalhar.

Janaína disse...

Nossa.. eu fico pra morrer com essas coisas, Humberto!
Dói demais da conta! Estou vivendo um drama pessoal de câncer na família. E por mais que a gente viva a vida, a coisa mais difícil de lidar é com a morte. Muito difícil.
Beijo, querido! E força aí!

Serginho Tavares disse...

meus sentimentos querido
sei bem como é perder quem amamos e quem nos ama muito
incondicionalmente

beijos

Le1dro disse...

É algo de deixar a gente sem palavras. Cachorro é tudo de bom ;)

alan raspante disse...

Morte é algo que me deixa... Me deixa sem palavras, realmente. Agora, neste momento, não tenho o que dizer. Nada mesmo.

Acho que a morte é assim, é mais que um ciclo ou o fim... Acontece quando não há nada. Estranho, é como se alguém falasse por você e tirasse você dali.

Nada a ver esse comentário. Enfim...

Dan disse...

poxa...
queria estar ai e te dar um grande e demorado abraço!
=(

Heron disse...

Ow meu amigo, lacrimejei aqui com seu depoimento. Ainda mais por estar com uma ninhada em casa né...como te falei.

Wednesday é um cagão e Friday, de sobrenome Estrela, é a mais gostosinha de apertar.

Enfim, nascer e morrer; chegar e partir; é a vida.

Grande abraço meu amigo.

Lobo disse...

Essas coisas quebram minhas pernas. Não tenho uma sensibilidade muito grande para a partida de pessoas, mas a partida de bichinhos sempre acabam comigo.

Existem aqueles que tem medo de adotar um cãozinho porque temem o dia de sua morte. Só que eles não se dão conta que todo o tempo em que ele está vivo compensa pra lá de muito a tristeza do dia que os bichinhos se vão.

Ele conseguiu te esperar para partir. Guerreiro ele. Que tenha o merecido descanso agora.

Cris disse...

Ahhhhhhhhh, se todas as pessoas tivessem na vida a oportunidade de amarem e serem amadas por um animal eu TENHO CERTEZA que haveria mais gentileza, bondade, fidelidade entre nós, seres humanos.
Que maravilhosa exepriência com seu Grande Amigo. Fiquei feliz, muito feliz em saber que vc estava com ele. Partir ao lado de quem amamos é partir sendo acarinhado, lembrado, amado pela última vez com essa matéria aqui, que apesar de pouco importar, nos concede o benefício do afago, do olhar, do cheiro, da respiração...
Obrigada eu , pelo carinho, por poder ser presente, ainda que ausente, por ter o privilégio de orar por mais um animal.
Conhece? Pra vc:
""Eu me dei conta de que cada vez que um de meus cachorros parte, ele leva um pedaço do meu coração com ele.
Cada vez que um cachorro novo entra na minha vida, ele me abençoa com um pedaço do coração dele.
Se eu tiver uma vida bem longa, com sorte, todas as partes do meu coração serão de cachorro e então eu me tornarei tão generoso e cheio de amor como eles."

Só mudo a palavra cachorro para a palavra: ANIMAL

Beijo enorme pra vc e pra seu Grande Amigo com olhos atentos em tudo que vc aprendeu....rs

Ei, lembor-me de vc ter comentado comigo sobre essa pessoa com câncer. As reações são estranhas. Tenho cinco GRANDES AMIGAS. perdi uma há três anos com um câncer raríssimo. Na época até fiz um post pra ela, quando mantinha meu blog. Humberto, ela me ligou após a segunda sessão de quimio. Fiquei com ela até esse dia, pq nesse telefonema ela disse que nunca mais queria me ver e que eu não fosse ao seu funeral. Ela morreu cinco meses depois. Não fui no seu funeral e eu entendi o porquê desse pedido. Se quiser, nos falamos depois.

Nil Witchimichen disse...

:{ "Eu vou cuidar do seu irmão" Lindo!

melo disse...

nem me fale..fui criado com os cães e só não ando de quatro porque reservo esses momentos para minhas práticas sodomitas ou quando cego de amor..

enfim...quando um desses ia, era luto oficial e bandeira a meio pau em casa..queríamos um mas tenho é dó dele ficar só o dia todo aqui...

e sua frase:

O bom é que em certa altura da vida o que as pessoas querem ou não de você não é mais problema seu e você passa apenas a viver a sua vida

é ouro, todos deviam nascer com isso embutido...

Claudinha disse...

Meu amigo querido, quanto me emocionei ao ler aqui as suas palavras e ler também nas entrelinhas a sua mensagem. Chorei e choro por todos estes motivos...
Un beso guapo!

railer disse...

sinto muito.
fique bem.