quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

11 séries (novas e velhas) que andei vendo em 2011


Num ano em que eu vergonhosamente negligenciei a leitura (shame on me) e fui bastante relapso com os filmes também, acabei me entregando às séries. Acompanhei algumas atuais, revi todos os episódios de algumas antigas, soube (mas não vi) de outras que geral tá adorando e eu talvez vá seguir ano que vem.

O hábito de assistir um (ou dois. ou cinco. :P) episódio de determinada série toda noite antes de dormir começou em janeiro, quando revi "Two and a Half Men", a fim de me ajudar a superar a barra que passava naquele momento (e, acredite, ajudou bastante). Depois vieram as outras dez.

Séries são comerciais, são coisa de gente pouco preocupada em ser intelectual e tal, mas eu devo confessar que muito do que acompanhei nessas 11 aqui listadas mexeram mais comigo do que eu imaginaria. Três cenas em particular mexeram profundamente comigo, e eu nunca mais esqueço. Falo das três a seguir, em algum momento neste post. Vamos ao restante da lista:


"Os Normais" - Que prazer sempre é relembrar as aventuras de Vani. No começo de abril, quando as coisas começavam a se ajeitar, postei aquele sambinha clássico dela, mas não me deu sorte não, viu. Bem a la coisa de Vani, naquele mesmo dia começou a saga que ia me deixar uns cinco meses, sem, bem, deixa pra lá.

"The Middle" - Minha série favorita de longe entre as atuais, garantiu a melhor cena que vi este ano. Infelizmente não consegui o vídeo do momento em que Sue Heck tenta completar a prova para ser aceita na equipe de Cross Country. Ao mens achei a imagem, pra registrar esse momento em que chorei o mesmo tanto que ri -- muito.

"Modern Family" - Uma outra visão sobre o mesmo tema, família. Muito boa também, especialmente por aquele espetáculo chamado Sofia Vergara.

"Queer as Folk" - Série muito, muito boa. São pouquíssimos os episódios mais fracos (como o final, por exemplo), mas nada que diminua a qualidade da obra. Nunca conseguia assistir mais de uma de uma só vez porque sempre me deixava sempre muito pensativo. Pensava, por exemplo, no que teria mudado em minha vida se eu tivesse acompanhado a série quando foi exibida. No mais, a segunda das três cenas de que falei foi nesta série: eu comecei a assistir "QAF" com uma pessoa, que idolatrava o Brian; aquilo sempre me irritou um pouco. Fato é que quando vi a tal cena, onde o Brian finalmente se mostra vulnerável e encarando a própria vida, foi foda. Quando ele passa pelo Justin lhe dando apoio, aí eu queria morrer mesmo.


"Sex and the City" - Essa comecei a rever há pouco tempo. Também gosto muito, mas ainda acho que apesar de sempre rolar uma identificação aqui, outra ali, é uma coisa feminina demais. Mesmo assim, há alguns dias falei aqui de uma cena que valeu pelo série toda, lembram?

"Glee" - Acompanhei "Glee", confesso. Mais pelo hábito mesmo, pelos alunos que gostam. Vamos combinar, é uma série bem mais ou menos, né? Sei lá, meio coisa de biba de 12 anos.

"Anos Rebeldes" - Eu precisaria de um post pra explicar a aventura que foi assistir "Anos Rebeldes". Tem coisas que são engraçadas, como a coincidência de se assistir determinada obra audiovisual em determinado momento da sua vida. Eu queria estapear a cara da Maria Lúcia (papel da Malu Mader) na cena final da série, tal qual aquelas velhas que falam com a personagem na TV, queria gritar "viu, sua asna, foi perder tempo com o idiota, podia ter tido seu quarto e sua vida!". Enfim, outra hora, talvez, falo disso.

"Tapas & Beijos" - Eu andei assistindo também. Acho legal, Andréa Beltrão amo muito, Fernanda Torres também, mas acho que o hype é levemente exagerado. Não acho que seja lá isso tudo não.

"Macho Man" - Essa eu já gostava mais, apesar de não ter feito tanto sucesso. Acho que acabou, inclusive. Como eu vou viver sem a Nikita e a Veneta?

"Ugly Betty" - Pra fechar com chave de ouro. Não porque a série seja essa coisa toda, acho que nem é. Mas eu adorei. Tanto que não me conformo que tenha acabado apenas na 4a temporada. Eu sinto falta das personagens, do ambiente da revista. Tem dia que eu tenho vontade de ligar pra Wilhelmina Slater, pra depois lembrar que era ficção. Foi em "Ugly Betty" também que rolou a 3a cena mais marcante do ano, aquela em que a protagonista vê partir o cara que ela amava. Ai, é muito sem noção torcer pra que Salma Hayek resolva ressuscitar a série?

Tá bom, né? Que séries vocês me sugerem pro ano que vem? Vale tudo, nova, velha, qualquer temática.

.

8 comentários:

FOXX disse...

ah, as cenas do justin no final de ugly betty me deixaram com um aperto no coração...

Caroline disse...

Adoro Glee, pois alguns personages são tão autênticos....

Bjos

Heron disse...

Das 11, fico com 3. E concordo com a citação do Foxx, as últimas cenas foram 'phoda'.

Aliás, a última temporada de Ugly Betty foi 'phoda'.

Reginaldo disse...

Sou fã da familia Heck! Brick Heck é o meu preferido!

Edu disse...

Breaking Bad e Battlestar Galactica

Tainá disse...

se vale qualquer temática, recomendo skins, mas começando pela terceira temporada. na primeira vista é só sobre 'sexo festa e drogas', mas skins é sobre muito mais do que isso.

Alan Raspante disse...

Minha série favorita é Greys Anatomy, mas até hoje eu não consegui ver todas as temporadas. Preciso resolver isso!

Enfim, nnca fui de acompanhar séries. Odeio me apegar e depois a série acaba e me deixa assim... Orfão!

railer disse...

fala mal do glee e elogia macho man... vai entender...