segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

sur-real life

Ótima semana pra você, que acordou morrendo de preguiça, mas pensou que a vida taí é pra ser vivida. Então levantou, sacudiu a poeira e foi se esforçar quando, antes mesmo de rezar, foi abençoado por Deus.
s
Obrigado, Senhor, por surpresinhas como a de hoje. Eu prometo que vou me comportar -- ou não, né?, porque o Senhor coloca uma coisa dessas DO MEU LADO todo dia, difícil prometer se comportar. (com todo respeito, PUTAQUIPARIIIIIIIIIIUUUUUU!!!!!).
s
Ai, morri.Ou renasci, sei lá. Woah!
s

domingo, 30 de janeiro de 2011

má que colcci, hein?

Toda vez que o nome Colcci vêm à tona sabe qual é a primeiríssima coisa que me vem à cabeça?s
d
Gisele Bundchen desfilando pra marca? Não!s
d
O que eu lembro é de uma grifezinha tosca com uma logomarca tosca com um bicho tosco que anunciava mês sim, mês não na Capricho (tosca), láááá nos primórdios dos anos 90. Bem daquelas marcas que você olhava e falava, "putz, que merda, ques roupinha nada a ver, que anúncio tosco".
s
As Havainas já foram cafonas. A Colcci também. Mas, sinceramente, se a Colcci virou uma grife badaladnha e tal, pelo menos pra mim as roupas continuam o erro. Mesmo com a Gisa vestindo e desfilando a cada seis meses pra marca.
s
s
P.S.: Diga-se de passagem que o último desfile da Gisele pra grife é (ou foi, não sei) hoje. Será que a lindona da Alessandra Ambrósio segura a ilusão?
P.S.2: Cês sabem que eu amo a Gisa, mas ela não tá a cara da Ximbica nessa segunda foto?
:P
s

ele na frente, ela atrás, mas os dois felize$

Lembram desse post aqui? Muita gente reagiu e discordou da minha incredulidade em relação ao "amor" do casal Angélica e Huck.
s
Daí hoje a sempre ponderada revista Veja me sai com essa capa aí acima. E ela sozinha já explica meu ponto. Amor de coo é contrato com mil marcas pra pagar de casalzinho hétero, branco, feliz e com filhos.
s
Pra quem não lembra, antes de conhecer e engravidar de Luciano Huck, Angélica estava meio deslizando na carreira. Tava só naquele lixo daquele quadro dela no "Vídeo Show". Ele também era só um apresentador ainda pior que o Serginho Groismann, com um programa cheio de vulgaridades. Daí ela fez a coisa certa pra uma moça que engravidou antes de casar, casou, e ainda por cima teve um menininho loirinho. Bingo! A Sociedade Patriarcal agradece. E o moralismo publicitário também. Daí pra frente, quem sairabandonaria uma parceria dessas?
s
Pra quem não lembra também, Angélica era apaixonada por Maurício Mattar. Acho que não precisa falar muita coisa, né?
s
Lembro também que pouco tempo depois do casamento do ouro da mídia, rolou um episódio de "A Diarista" sobre um casal romântico da TV que se odiava nos bastidores mas mantinha as aparências porque era muito lucrativo pra eles. Até hoje eu du-vi-do que foi mera coincidência.
s
Na verdade, na verdade, vale aquilo que eu falo sempre, não tô lá pra ver, não sei da vida íntima de ninguém. Mas como consumidor, não acredito que essa união não seja mais que isso, uma parceria lucrativa, que deu um jeito na imagem dos dois e garantiu muitos comerciais pra pagarem de bons moços.
s
Quanto a essa capa dessa revista, pra mim chega a dar calafrio. Foi bater o olho nessa ode a um mundo politicamente correto (???) e pensar na transexual que saiu com votação recorde no primeiro paredão do "BBB" atual ou então nos ataques a gays na Avenida Paulista, pra ficar em dois exemplos... Posso estar viajando (e devo estar mesmo), mas isso me fez lembrar aquela coisa facista de que não há espaço para a pluralidade, para as diferenças -- e, pior, dá medo da ideia de que aquilo ou aquele que "oferece perigo" a esse mundinho perfeito deve ser exterminado. Não li a matéria porque eu não leio essa revista há quase 20 anos. Se alguém ler e quiser comentar aqui, inclusive com um post próprio, fique à vontade.
s
Enfim, é isso aí. Medo desse mundo esquisito.
Boa semana, né?
d
d
P.S.: Mas capricharam no photoshop, hein? A Angélica a gente até já tá acostumado, mas querer botar o Luciano Huck, que além da feiúra agora tem que esconder a velhice, pagando de rapazinho é forçar muuuuito a barra, né não?
P.S.2: Eu até "engulo" Angélica hoje em dia, mas Luciano Huck, realmente... e esse discurisinho de "homem pró-ativo que construiu sua carreira e blablabla"... Não nasceu na favela, né, vamos combinar? Apesar de adorar passar por lá pra fazer a pinta de homem preocupado com a pobrada.
P.S.3: Veja pondeada foi ironia, gente, pelo amor de Deus, não duvidem da minha inteligência. E, francamente, essa foto, coisa mais cliché o "por trás de todo grande homem existe uma grande mulher". Só pode se for por trás, né?, de preferência bem escondinha.
s

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

chaninho crawford

Bastou o Chaninho Magro (esbelto) aqui de casa arrumar um machucadinho parecido com uma pinta no canto direito da boca pra gente apelidar ele de Cindy Crawford.
s
E bastou começar a chamá-lo assim pro bonito correr pro livrão de moda que eu tenho, hehehe...
s
Bobagem pouca é bobagem, né?
s
Queridos, essa foi só pra passar aqui e desejar um final de semana espetacular, com os amigos de verdade e tudo mais que há de bom nessa vida.
s
Besos!
s

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

arrãm, gênio, senta lá

Ultimamente virou modinha pegar a Xuxa pra Cristo. Precisou, bora chutar a mulher como se fosse cachorro morto.
s
Xuxa definitivamente não está num bom momento da carreira e eu, que sempre a admirei, acho que devia mesmo se aposentar. Ela é uma jovem senhora, tem dinheiro a perder de vista, devia ir pra algum recanto da Europa e viver bem por lá. Isso é o que eu acho. Mas o que é o que eu acho perto do que sabe uma mulher que, na minha idade, já havia sido uma das top models mais bem sucedidas desse país, já era um ícone da televisão e ainda, admitam, era considerada a rainha de uma geração inteira?
s
Eu, que acompanhei boa parte da vida dessa mulher, não sei nada dela porque ninguém sabe da vida do outro. Talvez por isso me dê tanta preguiça os pseudo-intelectuaizinhos de 20 anos, que estão mesmo na idade de achar que sabem de tudo, se referirem à Xuxa como se fosse só uma tia que não tem a menor importância. Chega a me irritar quando quem faz os comentários são mocinhas (que deveriam conversar com as mães pra saber como era a vida de uma jovem nos anos 80 e qual era o único destino -- casar -- que as esperava) e quando são aluninhos de Comunicação Social, que deveriam pesquisar um pouco melhor sobre a história da apresentadora.
s
Essa "galerinha" que adotou o insuportávelmente viadinho "arrãm, Cláudia, senta lá", deveria analisar essa antipatia gratuita sob os aspectos de misoginia que a envolvem.
s
Que o brasileiro é um povo sem memória ninguém esquece, nem os brasileiros. Mas uma outra coisa que me irrita é a mania de olhar o passado com os olhos de hoje, sem considerar as coisas como eram e o valor que tinham na época. Por isso mesmo me cansam aqueles emails com famosas que "eram feias e ficaram lindas". Uma Carla Perez, vá lá, em 1996 ela era muito feia mesmo. Mas as Cláudia Raias, as Luizas Brunets, as Cristianes Torlonis da vida sempre foram bonitas. E o mesmo vale pra Xuxa. Esse papo de que era horrível, fazfavor né?
s
Justamente por isso ilustrei esse post com a primeira capa dela na Nova, em junho de 1981 (já era a Nova de capas "ousadas" que vocês conhecem, é bom pontuar). Era uma Xuxa de 18 anos, tão novinha que tinha cara da Sasha. Eu tenho só essa capa aqui, só a capa mesmo, e é a coisa mais linda. Meu sonho de revisteiro era achar a edição completa.
s
Enfim, é de uma empáfia fedaputa isso de olhar pra trás com desprezo. Onde estamos hoje, o que somos hoje, tudo é fruto do que aconteceu antes da nossa importantíssima figura vir à Terra. O mundo não começou quando nós nascemos.
s
Esse desprezo pela figura da Xuxa é bem significativo dessa nova geração de geniozinhos que acham que nunca vão envelhecer e que nunca vão mudar de opinião, que nunca vão sair do topo (se é que estão lá). Só digo que se uma Xuxa chegou ao ponto de começarem a ignorá-la, muito mais facilmente ignorados serão toquinhos de bosta metidos aos últimos gênios do planeta.
s
Então... deixem a Xuxa em paz. E a Cláudia também.
s
d
P.S.: Não custa lembrar, o "Clube da Criança", do "arrãm, Cláudia" era ótimo, tão ótimo que a Globo levou a apresentadora rapidinho. Aprende a fazer melhor antes de descer a lenha. Senão, senta lá e assiste como se faz.
P.S.2: Só pra constar, também não aguento o "Vem gente!". Sério, se você tem mais de 15 anos, não use essas "frases de turminha".
s

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

só podia ser ele

Um ponto importante levantado pela Janaína nos comentários do post sobre a novela "Insensata Forçação" (que eu não estou assistindo) diz respeito ao quanto é relevante um homem negro fazer o papel de galã, sobretudo numa novela das 8.
s
As novelas até podem não ter mais lá aquela importância que tinham antigamente -- talvez porque, como disse a Sarah no mesmo post, as obras atuais são chatas e com atores fracos. Ainda assim, os folhetins ainda influenciam muita gente nesse Brasil de meu Deus. E são sempre bem-vindas nelas iniciativas que ajudem a acabar um pouco com qualquer preconceito.
s
Lázaro Ramos pode não ser o cara mais gato do mundo -- e essa opinião talvez já seja algo ao qual fomos condicionados depois de décadas de mocinhos branquinhos a la Fábio Assunção (que eu sempre achei horroroooooso, parece um macaco albino com raiva). Mas Lázaro Ramos é um senhor ator, muito carismático, então acho que vai acabar colando. E, se não me engano, foi galã em "Duas Caras" também.
s
Eu fiquei me perguntando foi quem mais poderia ocupar esse papel dele. Ator negro, brasileiro, bonitão? Você aí, pode citar três nomes na lata? Colabora aí com o blogador, me lembra dos bonitões (se possível, bons atores também) que podem vir a quebrar o paradigma do mocinho branquinho nas próximas novelas da Globo (não vale Toni Garrido, tá?, ele é tão mau ator que já voltou a cantar, rs). Já nos acostumamos com as mocinhas negras (isso é ótimo, só tomara que não demore muito pra termos mais), nada mais natural que galãs negros (e asiáticos e whatever) deixem logo de causar "estranheza".
s
Alguém assistindo a novela pra comentar? E aí, que tal o galã? Melhor que o mocinho com dentinho de Mônica?
s
Abrazos, desta vez especiais pra Janaína, que, não custa lembrar, eu amo de paixão.
s

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

opa, não pare!

Boa noite, bom dia, pra você que foi dormir se sentindo 30 anos mais novo -- mas não menos vivido!

Mais abrazos a todos!

Ah, eu te amo, mas me amo muito mais, sabe?

opa, vamos lá!

Bom dia, boa tarde, pra você que acordou se sentindo uma véia -- mas não uma véia qualquer!
s
Bora começar a semana, fazendo as coisas acontecerem.
s
Abrazos a todos!
a

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

cinéfilo feelings

Outro filme que assisti esta semana foi "The kids are all right", medonhamente traduzido para "Minhas mães e meu pai" (dã?). É um filme bacana, simples, mas vale pelas atuações (Julianne Moore e Annette Bening, não precisa dizer mais nada, né?). Observações em tópicos desta vez, vamos lá?
s
- Quero o guarda-roupa todo do filho. Muito, muito cara de coisa minha, tudo.
- Na verdade, apesar de ser casual e nada pomposo, achei muito bem feito o trabalho do figurinista. Todo mundo coerente.
- Não entendi, o caso do menino se esvazia todo no filme. Ele fica apagadinho, apagadinho no decorrer da história.
- A filha, por outro lado, apaixonei. Demorei pra lembrar de onde conhecia ela, mas veio a luz: era a Alice. Muito fofa. E o jeitinho dela no filme me lembrou muito a querida da Aninha Estanislau.
- A Annette Bening não existe. Ela tá uma sapa perfeita no filme, tanto que tinha horas que eu tinha birra dela só pelo tanto que tava parecendo a Esmeralda (só a leitora Caroline vai entender essa).
- A personagem da Annette Bening só se ferra no filme. Podia chamar Conrada.
- Quem gosta do Mark Ruffalo vai delirar, com certeza.
- Eu não trocaria nunca a neguinha que o Mark Ruffalo pega no começo pela Julianne Moore. Mas nuuunca.
- Muito boa a trilha sonora, principalmente a música que rola na hora dos créditos.
- Achei um pouco "Malhação" a maneira simplista como coisas pesadas passam pela vida dos personagens. "Então você conheceu o cara que doou esperma de onde você saiu?, ah, manero. Passa o açúcar?" Tudo é natural, light, sem traumas. Todo mundo fino.
- A cena da Annete Bening no banheiro, nossa. Ah, eu sei o que é descobrir no banheiro a última coisa que a gente gostaria de descobrir (e nem tô falando de cocô dos outros esquecido lá, não, aliás ODEIO também quando isso acontece comigo).
- Outra cena em universidade estadunidense, o que é isso?, é um sinal ou coisa assim?
- Achei interessante a menção que o filme faz à complexidade da sexualidade humana. Fiquei intrigado com a coisa do filme que o casal de lésbicas assiste pra se excitar. Mas como já pesquisei bastante sobre isso na época da faculdade, sei que tem de tudo mesmo nesse mundo.
- Desta vez posso torcer sossegado pela Natalie Portman no Oscar se ela concorrer com a Annette Bening. Porque das duas vezes que a Annete foi indicada (e ela perdeu as duas pra Hilary Swank), eu torci pra vencedora com o coração apertado, especialmente nem 2000, quando a Annete concorria pela absurdamente perfeita atuação em "Beleza Americana".
s
Bom, acho que é isso por ora. Disse que estava assistindo filmes de madrugada, mas esse foi o último. Os próximos terão que ganhar um horário alternativo, já que eu tô tentando dormir mais cedo e aproveitar melhor o dia. Talvez no começo da noite, já que abandonei mesmo a TV.
s
Besos, povo, hasta luego!
s
s
P.S.: Comecei a assistir "O Lutador", mas não rendeu ainda não. Depois conto o que achei.
s

keep commenting, please ;)

Queridos, por conta de uma mudança de lifestyle, não tenho tido muito tempo de responder todos os comments de vocês. Mas não se iludam, eu leio tudo! A parte mais bacana deste blog pra mim nem é escrever minhas bobagens, mas ler tudo que vocês têm a dizer.
s
Certeza que semana que vem já estarei adaptado à nova rotina, daí além de postar eu vou respondendo e comentando tudo de novo, do jeito que eu gosto, OK?
s
Isso vale também pros comentários que eu publico nos blogs amigos. Continuo lendo tudo, porque eu adoro, mas só por ora vou adiando minhas opiniões por lá.
s
Então, já sabem, podem continuar botando a boca no trombone, afinal esse espaço só tem graça por conta de vocês.
s
Besos, adorei meu momento Xuxa afogada nas cartinhas, hehehe...
s

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

até onde você pode (ou pôde) ir?

Ontem assisti "A Rede Social", sobre o carinha lá que criou aquele belezura que quase não nos dá desgosto chamada Facebook.
s
Não tenho a pretensão de fazer uma análise do filme porque não gosto, se quiser ler alguma coisa a respeito, vai lá no Salada de Cinema do Fernando (link aí ao lado).
s
Minha opinião geral: um filminho bacana. Nada fenomenal que mereça ser premiado e ganhar Oscar (como VAI acontecer). É um filme legal, você se envolve, mas sinceramente, tem filme muuuuito melhor. E, ah, Justin Timberlake pra mim será sempre isso aqui ó.
s
De toda forma o filme mexeu comigo. Eu arrumei um hábito de assistir filme só de madrugada, sozinho, daí eu viajo melhor. "The Social Network" me fez pensar em muita coisa. Eu sei que você pode estar aí já pensando em me jogar na cara que "por isso ele é bom", mas eu esclareço que me fez repensar toda uma década de vida porque me levou de volta a 1999 (portanto, uma experiência individual).
s
Logo que começaram as cenas do campus foi impossível não lembrar da vida na Utexas. Estudar numa universidade estadunidense é diferente de qualquer experiência universitária que você possa ter no Brasil. Não me refiro particularmente aos quesitos acadêmicos em si, falo da vida mesmo, a experiência cultural. É uma outra coisa. As possibilidades e o aprendizado, de modo geral, ultrapassam qualquer coisa que a gente tem por aqui.
s
Quando entrou em cena o personagem Shawn Fanning (o do Justin) aí que fui pra Utexas mesmo. Eu estava lá quando o fenômeno Napster, criado por ele, tomou conta. Numa das bibliotecas, quem sentava na última fileira dos 500 computadores do seu laboratório, via todos os 500 usuários se dividindo entre os trabalhos acadêmicos e o Naspter. Eu lembro nitidamente de ter vivido essa cena, de parar, olhar e pensar "putaquipariu, todo mundo no mesmo site".
s
Das várias coisas que passaram pela minha cabeça enquanto via o filme, me pegou particularmente a pergunta: "Por que eu não fui mais atrevido, mais cara dura, menos certinho naquela época?". Claro que em cada momento da sua vida você sabe o que é melhor pra si mesmo, ainda que instintivamente. Não adianta eu, com 33 anos, olhar pro Humberto de 22 (inocência de 16) com meus olhos já mais vividos. De todo modo, pensei muito no quanto eu era um rapaz ralador, sério, comprometido, inacreditável, mas otário. Eu devia ter chutado o balde nessa vida muito tempo atrás.
s
Também fiquei pensando nessas redes sociais todas e nos nossos novos hábitos. Olhando por esse lado até acho que o filme tem seu mérito -- não deixa de ser um retrato do nosso tempo bizarro. Mas também me perguntei outras coisas, como "Por quanto tempo mais o Facebook vai conseguir evitar o triste fim que teve o Orkat?" ou "Quando será que as pessoas vão se cansar dessas relações impessoais e vai-se criar um movimento de retorno ao convívio de fato" e ainda "o que eu posso fazer, já contando com isso, pra ficar bilionário também?", rs.
s
Acho que vale assistir o filme, até pra ter sua própria opinião a respeito (óbvio, né?).
s
Pra mim, mesmo não tendo achado o melhor filme do mundo, valeu por tudo que me trouxe de lembrança e por tudo que me fez ter de ideia. Eu gosto disso.
s
s
P.S.: Só pra constar, "A Rede Social" levou o Globo de Ouro de Melhor Filme de 2011. E não apenas pra constar, mas pra comemorar bastante, Natalie Portman levou o de Melhor Atriz (pelo maravilhoso "Black Swan", claro).
s

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

insensata forçação

Tudo bem que a Ana Paula Arósio deu a louca na véspera do primeiro dia de gravações da nova novela e tal e coisa. Mas daí a chamarem a Paola Oliveira pra substituí-la no papel de uma mulher que rouba o marido da outra na véspera do casamento... Porra, não é nem a arte imitando a vida, não, é a não-arte pegando carona nos bafões da vida mesmo.
s
Ah, vá, Gilberto Braga, você não precisava disso né?
s
s
P.S.: Sim, tentarei assistir. Mas é mais pela Camila Pitanga, porque, né?, quem viu aquela Bebel não esquece nunca mais.
P.S.2: Lázaro Ramos é um ator fantástico, mas pagar de galã... leitoras do blog, vocês pegavam?
P.S.3: Urru! Esse ano tem Paola Oliveira na capa da Nova de novo, novidade!...zzzzzz.....
s

domingo, 16 de janeiro de 2011

amigo pra sempre. mesmo.

"Cem cães já foram resgatados das áreas atingidas pelas chuvas em Teresópolis". Todos nós certamente lamentamos muito pelas pessoas que perderam a vida e parentes nesse desastre todo no Rio. Mas estou certo também de que muitos, como eu, morrem de dó só de pensar nos bichinhos nessa situação toda. Aquela cena da doninha sendo resgatada tentando salvar o tilzinho, que se foi na água, deve ter ficado na cabeça de mais gente.
E
Se você ler a matéria da manchete aí acima, vai se deparar com a seguinte declaração do coordenador da Comissão Especial de Proteção Animal da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro: "Um dos cães estava muito debilitado, há dois dias cavando a terra no local onde o dono morreu soterrado". É pra partir o coração, né?
s
Eu sempre desconfio de gente que não gosta de bicho. Eu cresci tendo gato e cachorro e eu sei que o tipo de amor que essas criaturas têm pelos "donos" não é simples tática de sobrevivência. É um amor tão sincero que eu me pergunto porque o ser humano inventa tanto problema pra se relacionar.
a
Da mesma maneira que desconfio de gente que desdenha o carinho animal eu valorizo quem gosta de bicho. Esses dias uma grande amiga minha, em quem ainda não dei um abraço, me contou que deixou de viajar no reveillón porque não teve coragem de deixar sozinho em casa seu cão idoso. Eu já a achava uma pessoa maravilhosa, inteligente e sensível, mas depois dessa eu me tornei um fã mesmo.
s
Vocês já leram aqui no blog todo tipo de coisa pelas quais passei, nunca fiz muita cerimônia pra contar as tosqueiras que (só) acontecem comigo. Mas de tudo de pior que já me houve, nada, absolutamente nada, se compara ao período em que meu filhote estava perto de morrer por velhice. Isso foi em 2005, antes do blog.
s
O Plutón viveu como um filhote até os 14 anos de idade, era inacreditável. Era um cachorro que cuidava da família inteira e era tão inteligente que parecia treinado. Eu teria que fazer um outro blog pra falar dele. Enfim, um belo dia meu pai chegou com dois filhotes em casa, e como se soubesse do que se tratava, ali mesmo o Plutón jogou a toalha. Deixou a casa pros dois vigiarem e se deu uma aposentadoria. Só cuidava da minha mãe, que era motivo de ciumeira aqui, porque ele vivia colado nela. Sei que a partir desse dia ele começou a envelhecer numa velocidade que eu não acreditava e pouco mais de um ano depois partiu.
s
Só quem tem ou teve um cão idoso em casa sabe a dor que é. Porque não há muito o que fazer, a não ser dar carinho e retribuir o companheirismo que ele seguramente deu durante sua vida. Acho que pior que gente que não gosta de bicho é gente que maltrata (e até solta na rua) um bichinho quando envelhece.
s
Deus sabe que os últimos dias com meu neném foram os mais difíceis da minha vida. Eu só conseguia pensar o que devia ser ter um filho de verdade doente ou coisa assim, porque o que me doía ver o sofrimento dele, nossa... Cabia a mim a decisão de sacrificar e eu simplesmente não queria aceitar, porque de todas as lembranças que eu tinha dele a quem mais me vinha à cabeça era a dele tentando entrar no carro uma noite em que passei mal e fui levado pro pronto-socorro. Até uma hora em que vi que mais que ajudar, eu estava prolongando o sofrimento dele. Eu então autorizei a família a prosseguir, mas disse que eu não levaria. Fui me despedir dele (ai... ... ... ... ) ... só sei que enquanto decidiam quem levava ele morreu sozinho. Esperou só eu conversar com ele.
s
Não consigo terminar o post com lógica. Fecho com um texto que a Bruna Lombardi leu muitos anos atrás no "Video-Show". Acho que resume melhor o que eu gostaria de passar aqui neste post:
a

A Velhice do Cão
Seu cachorrinho já lhe terá proporcionado muitas alegrias.
Cuide para que tenha um final de vida feliz.
Sempre que for possível deixe que ele permaneça ao seu lado,pois este será, realmente, um dos poucos prazeres que lhe restarão na velhice.
A grande despedida está próxima,e ele, por instinto sabe disto.
É natural que deseja a companhia daquele que aprendeu a amare respeitar durante sua vida.
Não o abandone agora.
Ele já não será aquele animal bonito de antes.
Seu pêlo começa a cair, seu caminhar perdeu a elegância e sua cabeça, penderá, cansada, sobre suas patas.
Somente seu olhar acompanhará os passos de seu dono.
Lembre-se que,dentro do peito, ele ainda possui aquele coraçãoque vibrará com o som da sua voz, do seu mestre.
E, chegando ao fim, não se envergonhe, chore.
Você acaba de perder o mais dedicado dos amigos...
O cão.
s
s
Muita saudade do meu neném. Sempre.
s

o mundo perdido

- Ai, gato, tudo que eu quero na vida é o Johnny Depp.
- Nossa, nunca vi nada de interessante nesse homem, desde a época de "Anjos da Lei". Não entendo o que mulher tanto gosta nele.
- Tá louco, gato, é o Johnny Depp???
- Nossa, prefiro mil vezes as mulheres dele, a Juliette Lewis, a Vanessa Paradis, a Winona Rider.
- Gente, cê tá bem?
- Tô precisando pegar uma sauna pra suar, tava meio intoxicado mesmo. Problema é achar uma sauna que seja só sauna mesmo, sem putaria.
- Como assim?
- É, ué, só pra pegar a sauna. Será que não tem uma sauna que não seja gay nessa cidade?
- Gato???
- Ai, gata, eu tô preferindo as mulheres do Johnny Depp, eu quero uma sauna só pra suar... socorro, será que eu tô virando hétero???
- Tô achando que sim, fudeu.
- Se bem que não, tô ouvindo Donna Summer agora. Ufa!
s
s
Se eu não tivesse presenciado a conversa não acreditava que aconteceu de verdade.
s

alfinetadas

Você era criança quando passou "Tititi" pela primeira vez? Sim? Não?
s
Pela faixa etária do pessoal que lê o blog, acho que o sim é geral. Então você é da época que a Malu Mader era gatinha e que o galã podia ter menos de 1,70m (Sarah, esse Cássio Gabus Mendes foi especialmente pra você).
s
Eu tinha uns cinco (OK, seis. OK, oito!) anos quando essa novela foi ao ar em 1985. Eu adoraaava.
s
Daí, não sei se por isso ou se porque já não tenho a mesma paciência que tinha com novela, não consigo assistir a esse remake. De todo modo, de vez em quando a gente acaba dando uma olhada. E não vou mentir não, o que vejo eu detesto.
s Tirando a Cláudia Raia, que é sempre perfeita (e pelo pouco que eu vejo e leio a respeito, rouba a cena na trama toda), tem muita coisa que me irrita na nova "Tititi". Vou citar três, pra não ficar um post longo:
s
1) A Ísis Valverde, que é mineira, forçando num mineirês que nem o mais caipira de TuBHcanga usa. Tem dó. 2) O Jacques Leclair novo é péssimo. Nossa, não sei vocês, mas eu tenho vontade de pegar um porrete e dar na cara do Alexandre Borges cada vez que ele faz aquela careta forçada. Reginaldo Faria era um Jacques tão fino, engraçado, mas fino. O do Alexandre Borges é caricato e completamente sem graça.
s 3) Nossa, coisa mais uó da Terra é a tal da Mayana Neiva (que é, sim, uma mulher muito bonita, mas do tipo "cavala") pagando de super top model. Ah, fazfavor, né?, nem na versão de 1985 essa mulher teria corpo de top. Antes tivessem colocado a (completamente desprovida de sal) Thaila Ayala pra fazer o papel dela.
s Enfim, a "Tititi" nova não me desce. Aliás, desde a abertura, que antes era cantada pela saudosa Metrô (e no auge da Metrô -- e já era uma música chata) e agora é cantada pela Rita Lee (acho que autora da música), numa versão que parece mais uma véia cantando (opa, É uma véia cantando.).
s
Eu que já fui mais noveleiro ou as novelas é que eram mesmo melhores?
s
s
P.S.: Agora, eu tenho que tirar o chapéu pra Mila Moreira -- impressionante como ela continua com a mesma cara desde sempre!
P.S.2: Que fim tomou a Regina Resteli, alguém sabe informar? E o Paulo Castelli?
s

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

os bons momentos

Bom, achei que valia fazer um outro post antes de fechar para o final de semana. Pra não ficar só na nota triste anterior?
s
Pensei então nos amigos e no quanto eu gosto de encontrá-los numa mesa de bar. Ouvir, falar, rir, ficar de cara, comer, beber, comer, pescar os olhares... É das coisas mais simples e mais bacanas da vida.
s
Aos amigos de (para) sempre, aos novinhos em folha, a todo mundo, besos!
a
s
P.S.: Clica aí na imagem pra ver clipe e música bacaninhas do Foo Fighters. Só pra dar uma animadinha, né?
s

até quando?

Aqui no blog nós rimos, zoamos, declaramos amores e paixões, tem lugar pra tudo de bom. Mas como este espaço nasceu de um desejo de um pouco mais de noção no mundo, não fecharíamos os olhos pra situação de calamidade que tomou conta do Sudeste, por causa das chuvas. Aliás, como alguém bem pontuou em alguma rede social que eu frequento, por causa das chuvas não, por causa da falta de planejamento e da má administração pública, porque o problema se repete a cada começo de ano.
s
Se você não sabe do que eu estou falando, dê uma lida aqui. Ou então, dê uma olhada nessa imagem aqui (com todo o respeito do mundo pelo ser-humano, me parte o coração pensar no tilzinho).
s
A Camila Florêncio, leitora fiel do blog, lembra que o pessoal aqui de TuBHcanga pode fazer doações de água mineral, vestuário, alimentos de pronto consumo (massas e sopas desidratadas, biscoitos, cereais), leite em pó, colchões, roupa de cama e banho, cobertores e, principalmente, produtos de limpeza e higiene pessoal no estacionamento do Chevrolet Hall, na Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, das 08hs às 21hs.
s
Outro amigo nosso, o Railer, deixou esse link no Twitter dele, pra quem não for de BH e quiser ajudar.
s
Enfim, é uma situação muito chata, então não custa tentar fazer alguma coisa. E depois disso, não custa também cobrar dos governantes que tomem alguma medida de fato (que não seja colocar plaquinhas pedindo pra virar à esquerda quando começar a chover, como fez a prefeitura de TuBHcanga depois daquela chuva pavorosa de dezembro de 2008 -- eu tava na rua na hora e eu sei bem do que se tratou). Mas também, o que esperar de um prefeito que é Mais BH, mas mora num condomínio fechado em Nova Lima? É isso aí gente. Oremos, mas não de braços cruzados.
s

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

opinião em 2 atos

Ontem foi ao ar a nova minissérie da Gróbis, "Amor em 4 atos". Alguém viu?, passou depois daquele programa que ninguém assiste.
s
Eu adoro as minisséries de Globo, acho que isso não é novidade nenhuma pra quem acompanha o blog. Agora, na verdade eu não consigo deixar de achar curioso cada vez que eu vejo os nomes Globo e Chico Burque juntos, considerando a opinião que a primeira tinha a respeito do segundo durante os anos de chumbo.
s
De toda forma, estava esperando começar o programa quando uma das minhas irmãs que mora no exterior ligou e eu atendi. Acabei ficando confuso porque assisti ao programa todo falando com ela (e twittando), mas achei que tinha sido OK.
s
Fato é que depois fui avaliar com calma e me deparei com várias opiniões parecidas com minhas novas conclusões, e vindas de gente inteligente e de bom-gosto como a Luisa e o Fernando.
e
E minhas segundas conclusões foram as seguintes, vamos lá:
s
1) Putamerda, Malvino Salvador? Não tinha nada menos inapropriado pra uma obra que carrega o nome de Chico Buarque, não?
2) Malvino Salvador fazendo um pedreiro? Ah, tá, isso sim, muito apropriado.
3) Como tá bonita a Marjorie Estiano, hein?
4) Detesto Cacá Rosset (e acho que tem cara de SBT). Detesto Arnaldo Antunes. Pronto, falei.
5) Eu achei que era impressão minha, mas realmente, ao menos o primeiro episódio, foi uma coisa bem rasa pra ser inspirada em Chico Buarque, não foi? Eu adoro "Construção", a música tem um todo um peso e tal... "adaptada" pra aquilo?
6) Pelamor, o que foi aquela ceninha final com o Malvino Salvador pulando do relógio?
e
Enfim, na empolgação e na confusão de assistir TV, usar o computador e ouvir minha irmã falando da crise nos EUA, cheguei a twittar que tinha gostado de "Amor em 4 atos", mas não gostei não. Perto das últimas minisséries com que fomos agraciados pela Globo, acho que essa aí não vai render não.
s
E vocês aí, viram? Gostaram?
s
s
P.S.: Análise twittada pelos amigos supracitados:
Fernando: "Achei o 1o. capítulo de Amorem4atos muito fraco, autoexplicativo demais e atuação fraca. Torcemos para um melhor episódio amanhã."
Luisa: "Chico Buarque deve ter escondido debaixo da cama de vergonha qdo passou Amor em 4 atos. Decepcionante."
s

re-post III

Não sabe se casa ou se compra uma bicicleta? Talvez ler este post aqui, publicado em maio do ano passado, te ajude.
s
Na verdade, resolvi dar um re-post nele porque o esqueci na retrospectiva do impronunciável, então achei que era justo dar um destaque agora.
s
Dedicado ao meu amigo campineiro, que vai pedalando comigo até o Rio.
s

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

amigos da hora

Tenho cumprido minha meta e estado com amigos que não via há tempos ou que ainda não tinha visto mesmo.
s
Tive o prazer de conhecer o Heron, do Hora Minuto, um cara muito fino e muito inteligente. Não é surpresa, portanto, que o blog dele tenha começado 2011 com tantas novidades, passem lá pra ver. Uma delas é o "blog da semana", e eu tive a honra de ver "o Humberto Explica" como o primeiro agraciado. :D
g

É sempre um prazer se abrir e ouvir os amigos. As coisas ficam mais claras e a vontade de fazer certo parece que fica maior, é como se ficasse mais claro o rumo a seguir.

Obrigado amigos!
Besos a todos.
a

hot stuff

"O corpo sequinho é novo Barbie". Conclusão do Gera, do Na Casa dos 30, sobre o que há de novo no Rio em 2011. Na foto, Felipe Simão, exemplo dado por ele mesmo, a pedido deste blogador.
s
Bom, nem preciso dizer que eu adorei, né? Porque, vamos combinar, quem me viu na minha fase saradinho sabe que eu fico é seco mesmo, definido, não sou do tipo que vai virar patolinha nunca na vida, graças a Deus. E se o verão 2011 pede um corpo mais sequinho, então...
s
Academia, sua linda, vamos nos entender novamente?
Já tô me achando.
s
Besos.
s

vem gente!

A gente aprende a economizar quando a Amy vem ao Brasil e você, por ter vivido desajuizadamente nos últimos meses, não tem como se dar ao luxo de ir ali no Rio ver a vadia cantando por uma horinha.
s
Até aí normal, né?, acontece. Da próxima vez já vou estar com a conta recheada de novo.
s
Na verdade o que me mata de ódio nessa história dos shows da Amy no Brasil é pensar por que raios ela não veio aqui na roça. Por que nada que presta, nada atual e bacana, toca aqui? TuBHcanga é tão fim de mundo assim?
s
Pior nem é isso. Pior é que agora as atrações internacionais até vêm se apresentar por essas bandas. Mas uns 20 anos depois que deixaram de fazer sucesso. A maior casa de shows local ainda se dá à cara de pau de anunciar com alarde a programação pra 2011 -- Preparem seus corações caipiras pra se acabar nos shows de Roxette e Backstreet Boys. Tipos, tô super lá, urru!
s
a
Amy, sua égua, vem conhecer Ouro Preto? Quebra o galho da caipirada, vai?
s

domingo, 9 de janeiro de 2011

Diga Não Às Indiretas Nas Redes Sociais

A última vez que eu me lembro de este blog ter lançado uma campanha foi justamente no dia em que ele entrou no ar. Era a “Noção Já!”. Não sei dizer se teve sucesso.
S
Passados quase quatro anos, o blog já tem escopo e leitores suficientes pra se dar ao luxo de lançar outra campanha. Desta vez, amigos, vamos de: “Diga Não às Indiretinhas nas Redes Sociais”.
S
Vamos combinar, ninguém merece, né? Redes sociais hoje em dia, goste ou não, tomaram uma proporção maior na vida de todos nós. Então, não custa fazer valer nela o mesmo berço que você tem na vida offline. São muitas pessoas, muitas até que você nem sabe quem são, que podem ler o que você escreve. E se não é pra ficar se policiando o tempo todo (vamos desencanar), também não precisa baixar o nível pra todo mundo ver.
S
Investir numa guerra fria em redes sociais, além de feio e desnecessário, é um sinal de imaturidade. Se você tem uma rusga com uma pessoa, Orkut e Facebook não deveriam ser o lugar pra expor isso. Ninguém tem nada com seu problema (muitas vezes, nem seu desafeto). É um ato tão covarde que tem gente que publica indireta no perfil de outras pessoas, porque sabe que vai chegar em quem quer.
S
Outro problema com indiretas na web é que naturalmente acontece de elas atingirem o alvo errado e daí a coisa só piora. Ao invés de um desafeto, quem faz isso corre o risco de passar a ter vários. Vamos combinar, é uma queimação de filme.
S
Então, fica a nova campanha do blog (também chamada de R8a, em referência à placa de sinalização acima) – se você tem um problema com alguém, seja maduro o suficiente pra dizer isso diretamente a essa pessoa. Dê a ela a chance de expor o ponto de vista dela. Ninguém tá dizendo pra amar todo mundo, mas mesmo que não vá acontecer de vocês se entenderem, mantenha o respeito. Se ficar ainda a vontade de partir pra baixaria, vá pro programa da Christina Rocha ou se inscreva no “BBB”.
S
Vamos começar o ano tentando fazer as coisas direito, que tal?
S
Oremos.
s

I'm a badass, baby

Uma coisa eu decidi pra 2011. Não é uma questão de egoísmo ou de ignorar o problema dos outros... Mas neste ano eu vou ser minha prioridade, descaradamente. E digo mais: Quem não gostar disso que se resolva (pra não dizer outra coisa).
S
Como bom pisciano, sempre procurei ser solidário ao sofrimento alheio. E acho que não conseguiria deixar de ser assim. O problema é que de uns tempos pra cá eu vinha me dedicando demais a escutar e tentar resolver a vida dos outros, ao ponto de eu ter deixado a minha própria completamente de lado. Isso não estava certo. E vocês todos aí sabem o que acontece com bonzinho, né? Só se fode.
S
Então, em 2011, vou assumir uma postura mais badass mesmo, sorry. Seus problemas? Posso ouvir sim, se não forem me amolar e, principalmente, se eu tiver de fato como ajudar. Ando muito prático, se for pra ouvir chororô só pelo chororô, não me liga não, tem jeito? Eu já tenho minhas próprias complicações pra me livrar. Ah, e tem mais: Pode me procurar pra falar do que te aflige, mas esteja preparado pra ouvir o que eu tiver de falar a respeito; não vou mais só ficar concordando com tudo, acho que ajuda muito mais dizer umas verdades, aquelas que a gente não vê (ou não quer ver) quando tá nervoso ou com medo. Então, esteja preparado pra um novo Humbert.
S
Em 2011, não vou fazer sala, não vou a lugar nenhum pra agradar ninguém, não vou ficar com você só porque você me achou bonitinho, não sou obrigado. Pra eu fazer seja lá o que for este ano, tem que ser porque vai ser bom pra mim. Pode ser bom pra mais pessoas, e o ideal é que seja mesmo, mas passa a ser prioritário que seja bom pra mim.
D
Isso é mais uma decisão que uma meta. Implica algum sofrimento, sabe Deus, mas eu preciso tentar. E se eu preciso, eu vou tentar. Eu mereço. Eu quero mais alegria e menos chateação nessa vida. Como diz aquela música velhinha da (também velhinha) Rita Lee, “me cansei de lero-lero, dá licença mas eu vou sair do sério”. E eu realmente quero mais é saúde.
S
Enfim, se dar prioridade a mim mesmo é ser mau, me desculpem, mas então esse ano eu vou aprender a ser o cão.
s
s
P.S.: Abração pro Heron, que prometeu tentar ser badass em 2011 também, hehehe. A gente consegue, parceiro!
s

olhe direitinho

Não sei se são as aparências que enganam. Andei pensando, e agora me pergunto se não é a nossa visão que fica viciada, acomodada, e daí não consegue ver as coisas e pessoas como elas são. Isso costuma ser ruim, infelizmente. Mas ao contrário do que vocês devem ter pensado, o que motivou este post foi um caso em que o que foi visto era, sim, diferente do que parecia, mas só que muito melhor.
S
Nesse mundinho de redes sociais, a gente cria perfis jurando que só vai adicionar quem conhece. Mas em algum momento vê que isso pode limitar um pouco a experiência e acaba agregando novas figuras entre seus amigos virtuais.
S
Eu aprendi, aqui mesmo com o blog, que a internet tem muito louco, mas também tem pessoas iluminadas que você não conheceria fácil no mundo offline. Nossa Senhora dos Conectados já me deu de presente a amizade muito, muito querida de gente como o Heron, aqui de TuBHcanga, o Rafael Pascoal, a Sarah, o Dan e o Fernando.
S
Fato é que depois do blog, acabei me sentindo mais à vontade pra deixar pessoas “desconhecidas” fazerem parte do meu roll de amizades nas redes sociais.
S
Eu tenho gostado particularmente do Twitter. Lá não escrevo nada que preste (verborrágico como eu, usar 140 caracteres? Tenho trauma.). O bacana de lá, pra mim, é justamente ler o que têm a contar, saber das bobagens em velocidade máxima, conhecer música. Enfim, eu gosto. E como não estou morto, de vez em quando cresço o olho numas lindurinhas e sigo fácil – no Twitter isso funciona melhor, seguir, não seguir, não tem muito drama.
S
Fato também é que um tempo atrás comecei a seguir um chuchu pelo simples fato de que achei muito interessante. Mas daí veio a surpresa: o conteúdo. Trata-se de uma pessoa brilhante, com um coração e um espírito muito especiais. E foram tantas coisas bacanas escritas que eu acabei me aproximando, até sem ver. E num instante tinha nascido uma amizade massa.
S
Numa madrugada dessas, depois de ter sido desrespeitado de novo via web, acabei desabafando no Twitter. E quando pensei que não, recebi uma ligação do Nordeste, e por quase uma hora ouvi o sotaque mais fofo do mundo me dizendo palavras tão carinhosas (e tão fortemente verdadeiras), que eu me senti novo de novo. Tem noção do valor de se dar conta que uma pessoa que nunca te viu, que poderia cagar pra você, se deu ao trabalho de te ligar pra saber se você está bem? Pra te dizer coisas que você precisava (muito) ouvir? Quem disse que anjos não existem?
S
Fui enganado pelas aparências. Achei que era lindo, mas era indescritível. Nem tem como agradecer.
S
Este post é dedicado a todos os meus amigos de longe, sempre tão carinhosos comigo. É meta pra 2011, a ser cumprida logo mesmo, dar um abraço em cada um de vocês.
S
Besos!
S
s
P.S.: É meta também ver mais os amigos tuBHcanguenses. Já tô cumprindo.
P.S.2: Não vou esquecer, Love ISN’T necessarily a losing game (se for o amor próprio, então, não é mesmo).
s

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Enquanto isso, no churrasco na lage...

"Fedaputa do Humberto não vem mesmo, Wellerson. Deixa ele."
s
s
E assim, Amy Winehouse já tá no Brasil e eu não vou em nenhum dos shows dela. AAAAAAAAHHHHHHHH, caráia!!! d
s
Deus sabe mesmo o que faz. Se eu fosse ver essa mulher, na vibe badass que eu entrei em 2011, não ia dar notícia boa. Era capaz de eu virar o Jesus Luz dela, já pensou o nível?
s
Amy, rola dar um pulo em TuBHcanga? Diz que sim!
s

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

re-post II

Passeando rapidamente pelo blog, reli este post aqui, sobre o "Caverna do Dragão", e achei que ele merecia ser lembrado.
s
É curioso ver que até a linguagem utilizada no blog era um pouco diferente. A gente vai mesmo mudando, sem se dar conta (graças a Deus, ninguém quer ficar estagnado).
s
De todo modo, o Humberto de 2007 dizia umas coisas legais, sabia das coisas esse cara. :P Eu, como leitor, gostei do post (e ri horrores do último P.S., coisa mais pessoal).
s
Correria no Mode ON, volto logo.
Besos!
s
s
P.S.: Já preparando resposta pra primeira pergunta que o blog recebeu em 2011!
;)
s

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

bora?

O bacana de 2011 é que, como o carnaval vai demorar, o ano teve que começar hoje mesmo. O dia já foi de por a mão na massa e de fazer as coisas acontecerem.
s
O tempo tá curto justamente por conta disso, mas eu volto pra postar direito, começar mais uma vez caprichando.
s
Aproveito pra dedicar um abraço forte aos amigos, os que estão por perto e os que estão longe agora, e desejar de novo um 2011 brilhante e cheio de alegrias e coisas boas.
a
Vamo que vamo!
:D
s