sexta-feira, 29 de abril de 2011

beijo na boca é coisa do passado

Alguém aí viu ou ouviu falar da enquente "SIM, NÃO ou TALVEZ, MAS SEM BEIJO" que o portal da Folha de S.Paulo publicou esta semana?

Bem, pra quem não viu, a história foi a seguinte: para cobrir o lançamento do livro "Triângulo Rosa", que trata da experiência de um homossexual durante a perseguição nazista, um funcionário da Folha (sim, esta pessoa foi contratada pela Folha, aquela empresa que não contrata só jornalistas) publicou no site a enquete abaixo, com a seguinte pergunta:

"Se você fosse um prisioneiro em um campo nazista, você faria sexo com uma pessoa do mesmo sexo?"

Chocou? Espere pra ver as opções de resposta disponíveis no portal, repito, da Folha:

SIM.

NÃO.

TALVEZ, MAS SEM BEIJO NA BOCA.

Sinceramente, eu não sei o que é mais estarrecedor nisso tudo. É claro que à medida que essa medonha falha (de S.Paulo) caiu na boca do povo do Twitter, a Folha tratou de tirar rapidinho do ar. Graças a Deus, deu tempo de alguém dar um print screen. O funcionário qualificado, escolhido por gente que fala que "vai estar agendando a entrevista", foi demitido por justíssima causa, vamos combinar.

O mais engraçado foram as sugestões do povo pra novas enquetes da Folha, com coisa do tipo: "Você sentaria no sofá da Hebe?" Sim, Não, talvez, mas sem beijo na boca. KKKKKK!!!!

Ai, meu pai, é muita bobagem nesse mundo. E esse é o jornal que não dá pra não ler.

Bom, povo, tem muito mais posts engatilhados, mas, né?, é sexta-feira, vamo todo mundo caçar jeito de viver. Depois eu posto.

Se eu desejo um ótimo fim de semana pra todo mundo?

Talvez?

Não?

SIM, com muito beijo na boca! Até!

:D

incha lá

Eu trabalhava com um cara que dizia que o melhor emprego do mundo era o do Cumpadi Washington: "comia a Scheilla Carvalho, batia na Carla Perez (maldade!) e só falava 'tchu-tchu-tchu-páááá-tchan!".

Eu acreditava nessa história até eu começar a ver eventualmente essa coisa chamada "O Clone". É im-pres-sio-nan-te, toda hora que acontece de eu ligar nessa novela tá lá a eternamente atriz-mirim Carla Diaz dizendo o mesmíssimo texto: "Quando eu crescer eu vou ter um marido rico e vou ter muito ouro, inshalá!". Será que ela rezou a novena pra Santa Luma de Oliveira?

Se ela conseguiu muito ouro dez anos depois da novela eu não sei, mas que ganhou dinheiro tendo muito pouco trabalho, não tenho a menor dúvida.


P.S.: Eu não lembrava o quanto "O Clone" era ruim. O que é aquela Vera Fischer fazendo papel de Vera Fischer com hepatite?
P.S.2: Adivinha o que a Khadija tá fazendo dez anos depois?...

badassismos, All Star sujo, responsabilidade pela própria felicidade, introspecção et all

Bom dia povo. ,)

Sorry pelo chá de sumiço desta semana, desavisado. Me pegou de surpresa também, acho que foi ressaca das comemorações pelo niver do blog.

Um pouco isso e um pouco de introspecção mesmo, pensando muito em mim, na minha vida, nas coisas que me fazem feliz e naquela minha resolução de começo de ano.

Mas tá tudo bem. E já tem um monte de post engatilhado, logo, logo eu publico todos. Tô devendo uma boa passada pelos blogs parceiros também, realmente eu estive estranho esses dias.

Mas, repetindo, tá tudo bem!

Abração pra todos, muito obrigado pelos parabéns pelos 4 anos do blog.
;)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

um, dois, três, testando... quatro: DEU CERTO!!!!

"falta de assunto, hein?"

Essas palavras foram ditas num comment publicado às 15:54h do dia 25 de abril de 2007, em resposta ao segundo post publicado aqui no blog (o primeiro não levou nenhum.). Isso mesmo, querido leitor, querida leitora, "O Humberto Explica" está comemorando 4 ANOS hoje! :D

Apesar do nome, este espaço começou realmente sem pretensão nenhuma (bom, mais ou menos, leia aqui o primeiro texto de verdade). E já veio pedindo um pouco de noção no mundo.

Eu comecei o blog alegando que estava na correria e eu continuo alegando a mesma coisa, hehehe... Eu tinha prometido a mim mesmo um post toooodo pomposo, cheio de citações e menções e fotos...

Mas daí (além da correria), achei que era demais. Quem passa por aqui sabe bem o quanto eu gosto de escrever no blog, o quanto eu aprecio o retorno que ele tem, o quanto "O Humberto Explica" é algo importante pra mim.

Por tudo isso, achei que não precisava ficar me achando o último biscoito do pacote, com um mega-post gigantesco e chato de ler (coisa que quase não tem aqui, né?).

Decidi, assim, que o que precisava mesmo pra este post era agradecer o carinho de todos os leitores/amigos daqui: gente que era minha amiga antes do blog nascer, gente que se tornou amiga por conta do blog.

Meu abrazo, meu beso e meus agradecimentos sinceros a todos os parceiros, blogadores, comentadores, todo mundo que me dá o prazer de fazer um blog tão bacana por tanto tempo.

De verdade, presente mesmo é ter cada um de vocês por aqui. Muito obrigado!

Bora pra festa?

:D

domingo, 24 de abril de 2011

pondo em dia II - vitória de verdade

Vocês não acharam mesmo que eu ia deixar de comentar o fato de uma mulher, bonita, ter ganho aquela josta chamada "BBB", acharam?

Eu sei, o assunto é muito velho e o tempo pra comentar passou. Mas como eu disse num outro post, a falta de tempo me impediu de postar sobre um número de assuntos, mas há alguns deles que eu gostaria de comentar assim mesmo. Especialmente esse.

Eu segui a edição do "Big Bother Brasil" deste ano pelo Twitter, só rindo dos comentários dos amigos que assistiam. Na verdade, passei a fazer um esforço e acompanhar um pouco pela TV quando vi que o público escolheu levar de volta à casa um babaca completo, "apenas" para não dar uma segunda chance à transexual que participava do programa.

Até aí normal. Mas eu comecei a, digamos, "torcer por alguém" quando esse mesmo babaca passou a destratar Maria Melillo, sua ex-ficante, porque alguém (na verdade, a transex) contou a ele que ela era garota de programa blábláblá. Que Maria tinha mesmo feito fotos e vídeos eróticos não era mentira. Mas que isso fosse motivo pro idiota do cara pagar de "vingador do macho ofendido pela mulher bem resolvida com sexo" e começar a se achar, ah, tem dó! Aí não dou conta.

"Homem" como só ele, o tal cara fazia questão de se afastar de Maria, sem que tivesse a hombridade (bom, ele não deve saber o que é isso) de sentar e conversar com ela. Simplesmente tratou a mulher como se tratavam os leprosos há cem anos. Maria, ainda assim, e sem desconfiar do motivo real, insistia em se aproximar do sujeito. Até uma hora em que ela resolveu se dar o valor e uma chance de se envolver com um moço chamado Wesley (gente fina, inteligente, gato, e que tratava ela como uma pessoa).

Daí, pra minha surpresa, o mesmo público que voltou com o boçal pra casa tirou o boçal pela segunda vez do programa -- a cara dele foi impagável, aquela "marra" toda sumiu que foi uma beleza.

E para minha surpresa ainda muito maior (e minha felicidade, confesso), Maria ganhou o programa. Uma a uma, saíram todas as mulheres que se aproximaram do tal cara por interesse, porque achavam que ele era poderoso, e ficou para vencer justamente a que só se aproximou dele porque foi ela mesma, porque ela o queria (e depois não quis mais).

A historinha do programa é a balelinha de sempre. A Maria (muito simpática até) é só mais uma participante de "BBB", jovem, sem muito a dizer ainda e, provavelmente, sem muita noção da importância da sua vitória.

Uma mulher bonita, com um "passado reprovável", que seguramente faria Playboy, que passou pelo programa como se não estivesse ligando muito para o que se espera de uma mulher na sociedade, ser eleita pelo mesmo público que deu a um idiota machista uma chance, sério, é algo que significa um avanço muito, muito grande em termos de gênero no Brasil. Pensar que o público de um programa como esse, que não é exatamente composto por gente muito inteligente, decidiu que essa mulher merecia ganhar me faz pensar que algo realmente mudou.

Eu sei que pode soar como exagero meu. Mas eu venho estudando gênero há anos, especialmente o que diz respeito ao feminino, e depois da minha surpresa de ver uma mulher ser eleita presidenta eu não esperava, de jeito nenhum, ver uma "gostosa" vencer esse programa, conhecido por tradicionalmente ter como campeões homens heterossexuais e "pegadores" (até um troglodita homofóbico no ano passado).

Enfim. A cada pequena (??) coisa como essa que acontece mais eu fico louco pra voltar aos meus estudos. E um pouco mais esperançoso eu fico de que os brasileiros um dia tenham uma mente um pouco mais aberta, sobretudo no que diz respeito à maneira de ver e tratar homens e mulheres.

É isso. Valeu Maria Melillo!


P.S.: E só pra constar, foi algo um tanto emocionante ouvir a galera na rua vibrando na hora da vitória, como se fosse final de Campeonato Brasileiro.

kate middleton meu coo

2011, século XXI, a tecnologia avançou, alguns costumes evoluíram, as mulheres conquistaram algum espaço... mas, ainda assim, o mundo continua com muitos problemas, como a homofobia, a misoginia, a xenofobia, a guerra, a fome, as usinas nucleares no Japão, os atiradores loucos em escolas de ensino médio... e ainda existe monarquia??

Ainda se mantém uma imbecilidade que se baseava no "direito divino"??? E, pior, vem a mídia brasileira e resolve criar um oba-oba porque um monarcazinha de merda lá da Inglaterra
vai casar
?? E assim, de repente, Kate Middleton Who? se torna uma pessoa tão importante para os brasileiros que todas as semanais resolvem dar capa pra ela???????? COMO ASSIM?????

Que mundo é esse meu Deus???!!! Tá tudo muito mais errado do que eu tava pensando!!!

E nem me venham com esse papo de "ah, é o filho da Diana". Pra mim é o fim que ainda se cultue a ideia de que alguém é melhor que toda a Humanidade porque descende de gente que se achava escolhida por Deus há trocentos mil anos. Especialmente gente que descende dos monarcas ingleses, que sucatearam o mundo todo e deixaram por isso mesmo.


P.S.: O Luciano Huck vai à cerimônia, para representar a felicidade de todos os brasileiros pelo momento importantíssimo para os seres humanos?

sexta-feira, 22 de abril de 2011

jornalismo alternativo

Só eu, tenho muita, preguiça, da Ilze, Scamparini, fazendo locução, de reportagem, pausadamente, desse jeito, irritante?

quarta-feira, 20 de abril de 2011

arriba!

Ontem revi, depois de muuuuitos anos, meu amigo João. A gente foi intercambista no Texas no mesmo programa e, no fim, estivemos juntos em uma das maiores aventuras da minha vida -- uma visitinha bem Quentin Tarantino ao México (spia o que era esse blogador, 15 quilos mais magro).

As coisas eram muito diferentes pra mim onze anos atrás, de modo que foi muito, muito bom conversar com o João neste novo momento. A sensação que eu tive é que a afinidade foi maior. Eu tinha o pé muito atrás antigamente, era mais bobo e mais inseguro. Ao contrário dele, que sempre foi um poço de serenidade. Nessa nossa viagem à terra da tequila mesmo, ele me salvou de uma das grandes.

Enfim, queria registrar que às vezes dar-se conta de que você amadurece é muito bom. E que eu realmente gostei muito de voltar a ter esse amigo por perto.


P.S.: A gente tá parecendo as irmãs Galvão nessa foto. P.S.2: Meu amigo é fino. Enquanto você lê este post ele está a caminho de uma viagem meiga à Turquia, rs. P.S.3: Certeza que a Cris já foi pra Turquia! P.S.4: Eu amava essa camisa. :(

muuuito meeedo!!!

O que é mais medonho que uma pessoa tatuar o Datena, a Galisteu e a Cráudia Leite (só gente boua!) no corpo? Só a própria pessoa.

dúvida II

OK, eu confesso, não consegui adivinhar qual é a Susan Boyle e qual é a sua estátua de cera no Madame Tussauds. :S

dúvida I

Gente, há quantos anos a Mariah está grávida?

terça-feira, 19 de abril de 2011

nobreza e sertão

Acho uma pena que eu definitivamente não possa me dar ao luxo de parar às 18h para assistir uma novela. Pelo pouco que vejo, parece que "Cordel Encantado", novo folhetim das 6 na Gróbis, é muito interessante. A fotografia e o figurino são lindos, o elenco é bem bacana (tem até a Berta Loran) e o texto não deve ser muito ruim.

Tem alguém aí assistindo pra me contar se é boa?

É isto por ora, bom dia pra todo mundo. ;)


P.S.: Mas tem a Heloísa Perissé fazendo o mesmo papel de Heloísa Perissé, não tem? :S

segunda-feira, 18 de abril de 2011

mulheres? evoluídas?

Os leitores mais antigos do blog devem lembrar que minha dissertação no curso de Comunicação Social foi uma análise sobre a representação do papel social da mulher na publicidade entre 1976 e 2006. Um dia ainda disponibilizo isso por aqui.

Eu já tinha decidido aposentar esse tipo de estudos e uma carreira acadêmica depois de cansar dos processos fraudados pro Mestrado na UFTBH, mas aí, sabe lá Deus por quê, a vontade de voltar a me dedicar voltou. Andei cogitando cair na besteira de tentar mais, sei lá, com vontade mesmo de voltar à pesquisa. Adoro publicidade e revistas, vocês sabem, e a questão do gênero sempre foi meu foco.

Curiosamente, a Bombril começou a veicular essa campanha nova, sobre as "mulheres evoluídas". E no meio daquelas análises toscas que eu li, uma única aluna (em cerca de 180) fez uma bom trabalho, justamente sobre esse comercial. Hoje também li esta crítica interessante aqui.

Daí deu vontade de comentar também, então vamos às minhas considerações (nada pomposo como num trabalho acadêmico, não custa lembrar):

Mulheres evoluídas, mas ainda as responsáveis pela limpeza da casa, certo? Bacana! Comercial do Bombril continua sendo feito para as mulheres.

Mulheres evoluídas se vestem como homens. Ou seja, mulher, aquele ser atrasado, quando finalmente evoluiu virou homem. Poxa, nem um publicitário dos Anos 1950 teria pensado numa dessas!

Mulheres evoluídas tratam homens como seres inferiores, na verdade como cachorrinhos. Bom, se depois de passar por toda a História da humanidade sendo tratada assim, elas passaram a tratar os homens do mesmo jeito, é sinal de que não evoluíram tanto, né? Piadinha de comercial? Gracejo? Humor? Bom, pra mim sõa mais como retrocesso - na questão da igualdade de gênero, na questão da imagem da mulher na mídia, na questão da publicidade.

A escolha das protagonistas. À exceção de Marisa Orth, o que dizer das outras duas? Eu adoro a Dani Calabresa, mas vamos combinar que apesar de imitar com perfeição a Luciana Gimenez ela bem que precisou se casar com o Marcelo Adnet pra ganhar visibilidade. E a outra (nem sei o nome) é repórter de um programa cheio de homens. Um detalhe bem menor e discutível, mas um detalhe que eu exploraria mais. Nem que fosse pelo curioso da escolha. Por que não a Tatá Werneck, por exemplo?

Bom, e por aí vai. Vejamos o lado bom: pelo menos a tal "mulher evoluída" da Bombril não é o Carlos Moreno vestido de mulher.


P.S.: É, fudeu, perdi a prática, minha análise saiu . Dan, dá um help aí, você que é um homem da publicidade. Discorde de mim pra aquecer o debate. ;)

essa sacolinha de plástico, hein?

O Brasil todo viu isso aqui. Houve quem noticiasse e muita gente na internet lembrou disso aqui.

Contudo, entratanto, porém, na profissionalíssima e nada comprometida imprensa mineira, quase nada aconteceu. Spia bem a capa do "Estrago de Minas" (onde nada aconteceu) de ontem.

Você aí, leitor (a) que não mora em TuBHcanga, fique atento. E nunca, nunca custa lembrar disso aqui também.

20 anos da Marie Claire Brasil

Eu adoro a Penelope Cruz, mas quem é que vai me explicar essa escolha da Marie Claire brasileira para a capa da sua edição de 20 anos, este mês? Putamerda, não tinha UMA brasileira que merecesse a honraria de representar as leitoras daqui?

E, sinceramente, nem achei a capa essa coisa toda, mesmo pessoalmente. Mas, enfim.

Eu gosto da Marie Claire. Sempre foi uma revista com matérias bacanas, boas fotos, ensaios lindos. Quanto às suas capas, teve uma primeira fase (1991-1996) só com modelos internacionais, depois (de 1996-2001) contou com as top models nacionais (que depois tomaram conta do mundo da moda) e por fim chegou à fase das estrelas globíferas. Eu gostava muito da segunda fase.

Mais sobre os 20 anos da Marie Claire, aqui. No mais, parabéns, "polêmica" na capa ou não (e polêmica sempre combinou com a revista), a comemoração é mais que merecida.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

I'm coming, babe!

Bom final de semana pra todo mundo! Se joguem nesta vida delícia. Abraço muito especial pra Cris e pra todos os meus amigos blogadores!

:D

quinta-feira, 14 de abril de 2011

meo Deos

Que futuro esperar de um país onde um universitário no último período, a dois meses de se formar, tem de analisar criticamente um anúncio e decide analisar a piada aí acima? E ele ainda aponta "que é um absurdo uma empresa se prestar a um papel desses" e alega que "tem razão de a propaganda ter sido censurada".

:O

Pode cortar os pulsos?

terça-feira, 12 de abril de 2011

vida real

O bacana de ter um blog é que você passa a admirar muito os blogs de outras pessoas. Às vezes acontece de eu ler coisas em outros espaços que parecem ter sido escritas pra mim. Palavras que eu gostaria de ter dito, mas não cheguei a ter o talento ou a luz necessários para dizê-las.

Ontem, passando pelo valioso blogroll do "o Humberto Explica", li um texto que se encaixa tão perfeitamente na descrição acima, que vou tomar a liberdade de linká-lo aqui. É do S.A.M., o eterno garoto, e não poderia ser mais verdadeiro e mais lindo.

E, eu preciso dizer, salvou minha noite ontem, me ajudando a enterrar o sentimento de choque e decepção e a abrir a porta para os melhores sentimentos que querem entrar.

Obrigado S.A.M.. Obrigado Sr. Federic.

Besos a todos. .

.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

into my life

Hoje cedinho, enquanto me preparava pra trabalhar, ouvi num desses programas de músicas antigas, essa velhinha do Colin Hay.

Impressionante como fui arremassado pra 1990; por alguns segundos eu senti correr nas veias o sangue do pré-adolescente que tinha certeza que o mundo era dele. Eu vi até o poster da capa da Elle com a Claudia Scheiffer noviiiinha na banca.

O olfato costuma ser o que mais aguça lembranças perdidas em minha memória. Mas a música às vezes manda muito bem.

Quem foi que disse que o tempo não voa?

.

pondo em dia I

Na correria das últimas semanas muitos assuntos ficaram sem post. Eu sei que o tempo passou, alguns temas esfriaram, mas eu resolvi falar sobre eles assim mesmo. Em partes.

Começando pela patética história daquele deputado escroto (e seus eleitores imbecis), Preta Gil e "CQC". Serei sucinto:

1) Sobre o parlamentar, nem há o que falar. É uma vergonha completa. E dá muita vergonha pensar que ainda se elege esse tipo de gente. Mas, né?, quem sabe daqui uns 200 anos o brasileiro aprenda a votar?

2) Preta Gil tem toda a razão em se sentir ultrajada. A resposta do tal senhor à pergunta dela foi de uma escrotice chocante. Só que aí pegaram a Preta Gil pra rainha dos gays e tal. Olha, não custa lembrar, Preta Gil ano passado ia dia sim, dia sim no programa da Ana Maria Braga, junto com a Deborah Secco e a Betty Lago, fazer campanha ferrenha pró-Dourado. Ou seja, vamos jogar menos confete aí porque ela já fez a parte dela ajudando um moço que pensa bem, bem parecido com o deputado fluminense a respeito de homossexulidade. . 3) "CQC". Eu já gostei muito do programa. Sempre tive minhas ressalvas com Marcelo Tas, mas gostava do programa como um todo. Claro, até a vaidade (e o merchandising) subir à cabeça e rolar o mesmo que rolou com o "Pânico na TV".

Se por um lado eu achei idiotice dar visibilidade a um insano como o tal deputado (claro, só pra causar e ganhar audiência), por outro achei válido porque jogou mais lenha na fogueira e reacendeu a discussão (a propósito, que fim tomaram os playboyzinhos que agrediram um rapaz com uma lâmpada fluorescente em São Paulo?). Mas daí, na semana seguinte, de novo um festival de "causação": o programa inteiro enrolando pra exibir a matéria sobre a polêmica causada pela entrevista com o deputado (natural, TV é assim), muito sensacionalismo e pra fechar, o apresentador mostrou uma foto da filha lésbica, como se ele fosse um mártir por isso. É uma linha de raciocínio meio esquisita não? A mim parece a mesma do deputado, que alegou não ser racista mostrando a foto de um cunhado mulato.

Pra piorar, imediatamente depois de heroicamente mostrar a foto da filha homossexual, como se isso não fosse algo natural, Marcelo Tas exibe, no "Top 5", uma cena de Sílvio Santos tirando sarro da cara de "uma figura diferentona" (palavras de Tas) um gay afeminado, como se fosse a coisa mais engraçada do mundo. Peraí, tá incoerente isso, não tá, não? Eu sei que, em tese, o "Top 5" mostra os micos da TV, mas ficou meio ambíguo isso aí? De quem era o mico? Do Sílvio Santos?

Enfim, nesse imbróglio todo, fiquemos atentos. Já que o assunto veio à tona, seja da maneira que for, que se transforme num debate em busca de soluções. Porque o deputado dizer que estava falando que gays, e não negros, eram promíscuos, todos nós sabemos que é para escapar da punição (já que ofender negros é crime inafiançável, já ofender gays...).

Toma vergonha nessa cara, Brasil. Tá na hora.

Boninho Terezo

Eu sei que todo mundo ama o U2 e tal. Eu mesmo adoro. Mas eu já gostei muito mais. Na verdade, a banda, as músicas e tudo o mais eu ainda gosto muito.

O que eu não aguento é esse marketing Madre Tereza de Calcutá do Bono. Me dá muita preguiça. Daí que o show de São Paulo lucrou $ 50 milhões. Tá certíssimo, banda icônica internacional, show espetacular, lindo. Mas aí vem Seu Bono, o bom, e faz uma "homenagem" às vítimas do atirador no Rio, exibindo os nomes dessas pessoas no telão durante o show.

Francamente, Bono Vox, homenagem seria se o ingresso do seu show custasse um preço condizente com a realidade das pessoas, especialmente nos países subdesenvolvidos onde você adora pagar de salvador. Eu posso estar errado, mas duvido que algum desses jovens, se estivesse vivo, teria grana pra bancar uma idinha a um show do U2.

Por essas e outras que eu continuo preferindo o R.E.M., que além de fazer música muito melhor, faz "caridade" sem estardalhaço. Enfim, sei que é tudo relativo. Mas EU tenho preguiça.


P.S.: Já que tô falando de bandas que já gostei mais, posso citar o Skank? Eu adoraaaaava quando era adolescente, mas hoje ouvir a voz do Samuel Rosa me dá diarreia. Especialmente se for alguma música nova.

domingo, 10 de abril de 2011

contracorrente

Depois de dois filminhos fracos, hoje foi a vez de eu dar sorte de novo e assistir a um longa ótimo. Falo de "Contracorrente" (detalhes técnicos aqui).

O filme me deixou bem pensativo (e me fez lembrar de muita coisa) praticamente do começo ao fim (na verdade, perdi o comecinho, mas enfim). É disso que eu gosto, filmes que mexem comigo.

Em tese, é uma obra de temática gay (sabe Deus como tinha biba no cinema), mas como bem pontuou meu amigo Heron, "Contracorrente" é muito mais que isso. É um drama mesmo, cheio de nuances e com muito mais aspectos envolvendo as personagens do que o que costuma haver em romances. Aspectos como religiosidade, cultura, vida em sociedade, caráter. Se é pra fazer uma comparação, gostei muito mais que "Brokeback Mountain", por exemplo.. Além dos protagonistas, chamam muito a atenção as mulheres do filme, especialmente, claro, a Mariela (a Eva Longoria colombiana) e a Isaura (linda, linda a atriz, e a personagem acaba nos ganhando no fim das contas).

Bom, como vocês já sabem, eu desisti há muito de ser um crítico de cinema. Mas se me cabe, como blogador, fica a sugestão. É um filme muito bom, para gays e não gays (eu diria até que é um filme particularmente interessante para mulheres, considerando a atual circunstância). Na verdade é uma obra que ultrapassa esse detalhe. É um filme muito bom e ponto.

Quando algum de vocês assistir, volta aqui no blog pra contar o que achou.

Abrazos, ótima semana pra todos. .

.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

sétimo dia, hora do sete

Queridos, ótimo final de semana pra todo mundo. Cheio de sevens! :D
Besos!

.

pinóquio

Essa semana assisti ao filme "Vips", do Fernando Meirelles, estrelado pelo Wagner Moura, e cuja história se baseia na vida do tal Marcelo Nascimento da Rocha, aquele cara que se fez passar por filho do dono da Gol e foi entrevistado ao vivo pelo Amaury Jr. Pronto, já contei o filme todo. É só isso.

Pra uma obra dirigida por quem é e estrelada por quem é, eu esperava muito mais. Pra mim, o melhor continuou sendo a hora de rir da cara do Amaury Jr. (toooooooooodo trabalhado no botox!). De toda forma, uma coisa eu não sabia. Achei que o tal do Marcelo era só um safado, doidão, malandrão. Não sabia que o buraco ali era mais embaixo. O problema do moço é um belo caso de mitomania. Não sabe o que é mitomania? Clica aqui (ou aqui).

Eu conheci pelo menos três pessoas que têm esse problema, ao menos uma delas já diagnosticada com ele (até as outras chegarem a um consultório é mais complicado). É uma coisa meio triste, especialmente pra quem convive com essas pessoas, sobretudo quando cai a que é um caso de doença mesmo. Talvez por isso eu tenha sentido uma empatia pela mãe do protagonista, interpretada pela Gisele Fróes. A cena em que ela vê o filho se passando por outra pessoa, ao vivo, em rede nacional, bem, me deu um calafrio.

Enfim, não sei se sugiro o filme, não. Acho muito mais válida a discussão sobre a mitomania. :S


P.S.: Pra quem viu o filme e ficou sem saber quem é o ator que caiu no papo do mentiroso, segundo umas googladas, é o Cigano Igor (mais o Marcos Frota mais a bonita da Carolina Dieckmann, que era casada com ele na época).

.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

lástima

Péssimo isso que aconteceu no Rio hoje. Péssimo que um imbecil resolva "importar" o que há de pior em outros países (isso de entrar atirando em escolas). Péssimo que esse imbecil se suicide e não pague pelo que fez. Péssima, péssima a cobertura jornalística absurdamente sensacionalista (num dos 20 mil dias do Jornalista no ano). Péssimas as teorias que aparecem ("ele era muito esquisito, um cara muito reservado" -- ??!!?). Péssimo pensar no desespero dos alunos na escola, no desespero das famílias. Sinceramente, péssimo tudo.

Falar disso aqui no blog é só mesmo pra deixar registrado um pesar muito grande. Porque fica muito difícil dizer alguma coisa que não soe também péssimo. Na hora de uma tragédia como essa, e considerando que nem há o muito o que fazer, só resta a indignação. E o silêncio.

.

no bueiro com britney spears

Eu não gosto de ser radical. Acho que tudo na vida é conversável. A gente sempre pode mudar ouvindo o ponto de vista do outro. Isso, entretanto, não me impede de ser fiel às minhas convicções. Algumas opiniões não são simples preconceitos, são conceitos mesmo, estabelecidos depois de muito pensar sobre determinados assuntos.

Uma dessas opiniões minhas diz respeito à senhora Britney Spears. Ninguém NUNCA conseguiu me convencer de algum talento (ou beleza ou whatever) dela. Nem quando eu morava nos Estados Unidos e ela estava no auge (???). Mas o que eu tinha pra dizer a respeito dela aqui no blog eu já disse aqui e aqui.

Ontem ela lançou clipe novo. Nem me dei ao trabalho de ver (preconceito? não, preguiça estabelecida mesmo). Vi alguma coisa em alguns blogs sobre uma "referência no vídeo ao 'clássico' dela mesma 'Slave 4u'". Gente, é esse o apocalipse de que trata a música, né?

Anyways, eu não perderia meu corrido tempo falando dessa mulher pela terceira vez por aqui se não fosse a necessidade de sugerir o irretocável texto do meu amigo Dan, do "Naipes Flamejantes". Façam o favor de clicar aqui e ler. Porque se a minha crítica à Britney Spears é tão tosca quanto ela, a dele está no ponto.

Dan, você é que é meu divo!

Besos a todo mundo, bom dia.


P.S.: Sei que é tarde pra comentar, mas muita, muita vergonha alheia daquele episódio de "Glee" dedicado a Britney Spears, tentando fazê-la pagar de mulher revolucionária. Com todo respeito, meu cu.

P.S.2: Não pude evitar de lembrar disso aqui também. Muito bom.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

mudança de estação

Pra começar bem uma semana que já começou maravilhosa. Uma música que sempre me vêm à alma quando eu sinto uma mistura de paz, felicidade e excitação.


Let the seasons begin. :)

domingo, 3 de abril de 2011

e quem é que sabe de alguma coisa, afinal?

Filme que assisti no final de semana: "Sexo Sem Compromisso", comédia romântica água com mais água com açúcar, estrelada pela Natalie Portman (que é fantástica até nesse tipo de filme, impressionante).

Bom, eu queria dizer mais a respeito. Não do filme, mas da enésima ironia do destino na minha existência. Definitivamente, minha vida só pode ser uma novela (às vezes água com açúcar) em alguma outra dimensão.

Pra você, que provavelmente é a única pessoa que entendeu este post, uma música (do filme). Aliás, mais uma outra.

Abraço pra todo mundo, ótima semana pra nós!

sábado, 2 de abril de 2011

vai o quê?



Eu sempre quis ter um motivo pra por este vídeo aqui no blog. Acho que, com essa, pode-se considerar que estou de volta. :P

Ótimo final de semana pra todo mundo!

:D
.