sexta-feira, 30 de setembro de 2011

e daí, né?



E aí, com alguma preguiça, fui procurar a música que minha aluninha me pede desde a primeira aula. "Avril Lavigne, Princess, tem certeza que você quer isso?" E ela só pedindo: "Quero 'why dá réf', professor!"

Daí hoje achei a tal música -- "What the Hell", como eu tinha imaginado. What the hell digo eu, how am I supposed to teach this to a nine year-old girl? Enfim, por precaução (e profissionalismo, sempre) fui dar uma olhadinha na letra antes. E não é que a porcariazinha da música vale pra mim? (ao menos a letra, já que a música né?, ainda é Avril para teens)

Spia o drama:

All my life I've been good,
But now...
I'm thinking, "What the hell?"
All I want is to mess around
And I don't really care about...
(...) So what if I go out on a million dates?
Don't get me wrong, I just need some time to play.


Então, né?, what the hell se meu status de relacionamento atual é "trilha sonora de Avril Lavigne". Quem nunca?

Quero mais é me jogar mesmo. Sorte de quem pegar.

Ótima sexta-feira pra vocês todos também, queridos!
Besos!
:D


P.S.: Pagarei bonito minha língua na aula, mas não, não vou mostrar clipe nenhum não. :P
.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

sobre Dilmas e Chewbaccas

Algumas pequenas bobagens que eu não tive tempo de postar semana passada, mas que não queria deixar passar:

Graças ao meu querido amigo Andreh, descobri que um daqueles bichinhos do "Guerra nas Estrelas", os Ewoks, fez uma depilação a laser e se tornou...

Nossa querida presidenta! (aquela que chiou o quanto pode porque queria ser chamada de "presidentA" (com razão), mas que depois falou que não ia fazer propaganda de "opção sexual" nas escolas.

Não sei vocês, mas eu ri MUITO.

***
Por falar na nossa querida presidanta, há que se tirar o chapéu para a capa (e perfil) que ela ganhou na estadunidense Newsweek, também na semana passada. Achei um tanto digno e continuo, sim, muito feliz quando penso que uma mulher chegou a esse patamar no Brasil (embora ainda espere mais de Dona Dilma e embora tenha me decepcionado bastante com a atuação dela naquele episódio Palocci).

***
Agora, das últimas bobagens que eu vi na rede, definitivamente a que eu mais gostei foi a zoação que fizeram com as fotos proibidas da Scarlett Johansson (clica aqui pra ver). Nêgo do mundo inteiro fazendo foto como a dela no espelho do banheiro, com a bundinha de fora. As minhas preferidas são a do pastor alemão e, claro, a do Chewbacca, que você vê abaixo (já que estamos no clima "Guerra nas Estrelas", né?)

E o Chewba ainda ganhou a capa da Esquire espanhola, catando a Princesa Léia. Não é o melhor? (quem achou a capa foi o Mans)

Toda vez que eu vejo o Chewbacca lembro de um caso da faculdade (e um daqueles apelidos que eu colocava e pegava). Mas esse eu conto depois.

Tá bom de bobagem por hoje, né?
Abrazos!
.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

notícia pra mudar a sua vida

Na Folha on line, hoje:


Hum... bem que o Shar-pei da vizinha tentou avisar que não funcionava muito em casos mais extremos.

Cada vez que eu vejo uma foto dessa mulher sorrindo penso naquelas ocasiões em que a gente joga uma pedra na água, sabe como?


P.S.: Cá pra nós, essas notícias "relevantes" da Folha on line, o que é isso?
..

Ponto de Partida

Vocês lembram da campanha deste e outros blogs pelo conto escrito pelo meu amigo Diego Rebouças?

Pois os votos de vocês valeram! "Ponto de Partida", o ótimo texto do Diego, foi um dos dez escolhidos entre os mais votados e será publicado numa compilação com os melhores trabalhos. :D

Parabéns Diego!! Você brilha demais. :)
E thanks a lot a todo mundo que votou.


P.S.: Rafael, Tainá, Dan, Rafa Paschoal... vocês e todo mundo, desde já, escalados pra participar das próximas edições, hein?
.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

sábio garoto

E aí você tem um blog e escreve nele e às vezes acha que está só desabafando, que está só jogando na internet algo que talvez uma ou duas pessoas vão ler. Não sei se é assim com você, mas comigo às vezes acontece. Assim, do mesmo jeito que tem quem se acha importante demais e dono da verdade só porque tem um blog (uns péssimos), tem quem ache que é só um blog e ninguém vai ler (uns modestos).

Fato é que há blogs que mexem sim com a gente. E há posts que mesmo sendo apenas um desabafo do autor conseguem sacudir a gente de uma maneira que nimguém espera.

Sábado à noite, cansado e moído, passei rapidamente pelo "Eterno Garoto", do S.A.M.. E dei de cara com estas palavras aqui. Só digo que mexeu tanto comigo que eu imprimi no dia seguinte, em papel A3. Fixei em local visível para eu ler e reler até não me esquecer mais. Tudo isso porque a carapuça serviu exatamente para o momento da vida em que me encontro.

Mais uma vez, obrigado S.A.M.. Agora é tomar vergonha na cara, perder ainda mais o juízo (ou como diria a Vani, a cagolhonice) e não deixar mais de crescer por medo do que quer que seja. Porque eu posso crescer muito e viver muita coisa ainda. E é o que eu pretendo fazer. Ponto final. Ou melhor, ponto de partida.
.

irmão, é preciso coragem

Bom dia pra você que também começou a semana precisando de Coragem.
Besos a todos.

.
P.S.: grande abrazo a todo mundo que tem comentado por aqui. Eu mesmo vivo sem tempo pra comentar no dos amigos, então aprecio muito mesmo o carinho de vocês. :)
.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

it's the end of R.E.M. as we know it

Minha manhã de terça-feira começou sinalizando que o dia seria um daqueles em que tudo dá errado -- e por boa parte dele foi mesmo. Acordei mais cedo para chegar pontualmente ao escritório da minha nova aluna, acordei bem disposto, deixei tudo pronto e parti. E como ainda não tirei a bonita da carteira, fui do ônibus. Como o local da aula fica numa região da cidade que eu não visitava há algumas duas décadas, fui achando que tudo era como antes -- resultado: me perdi.

Peguei o celular pra avisá-la de um possível atraso, já que estava não sei onde, e dei-me conta de que não tinha salvo o número dela (muito bonito e profissional de minha parte isso). No fim, num desses pequenos milagres, fui orientado por uma boa alma e cheguei ao local com apenas cinco minutos de atraso. E dei minha aula.

Toda essa ladaínha apenas para falar que apesar de tudo ter dado errado até ali (e por mais um pouco, depois), em determinado ponto da aula fizemos um exercício de listening e ouvimos determinada música. E naqueles cinco minutos eu me perdi em pensamentos, me perguntando, mais uma vez, como música pode ser tão bom (já devo ter feito uns 20 mil posts sobre isso). Fato é que não importou o quanto tudo estava saindo errado, bastou uma música e eu me situei: leis de murphy acontecem, mas ninguém precisa morrer por isso -- a vida ainda é mais que isso.

E esse papo todo do quanto eu amo música vem porque na hora em que pensei nisso nessa aula lembrei logo do R.E.M., banda injustamente pouco mencionada neste blog. O R.E.M., cujas músicas são de longe as que mais me tocam, as que chegam a algum lugar profundo na minha alma, seja nas melodias tristes ou nas mais alegres. Do R.E.M., que na mais murphy das coincidências, divulgou ontem ter chegado ao fim.

Parece que 2011 não está mesmo a fim de ser um ano bacana para a música -- Amy se foi, Claudia Leitte é atração do "Rock in Rio", o R.E.M. chegou ao fim.

Por mais que eu lamente a notícia, ao menos as músicas de Michael Stipe e turma estarão sempre por aí. Eu teria que fazer um post imenso pra citar todas que eu adoro. Mas escolhi a que mais tenho ouvido ultimamente, no vídeo aí abaixo.

Uma pena que tenha acabado. Mas com essa decisão o R.E.M. mais uma vez reforça minha admiração pela banda: soube a hora de parar e não vai ser mais um desses grupos que se mantêm na estrada apenas pela grana, fazendo um trabalho qualquer nota.

O R.E.M. pra mim vai ser sempre aquela única banda que conseguia me arrepiar com todas as suas músicas.



So long, guys. .
.

when it's time to say Goodbye



Há alguns posts esperando pra sair esses dias, mas, vocês já sabem de cor, eu ando sem tempo. Mesmo assim, achei que merecia passar por aqui pra postar este vídeo, com o final do episódio 11 da 4a temporada de "Ugly Betty" (sim, estou assistindo, não me julguem).

Eu realmente tiro o chapéu pra esses roteiristas estadunidenses porque ou eu tenho uma vida muito cliché ou eles realmente sabem como tocar as pessoas no ponto certo. Tome-se por "Ugly Betty" mesmo: uma série inspirada no sucesso de um dramalhão colombiano (ou venezuelano, Mr.TV, help!), nada muito fabulosa (durou apenas quatro temporadas), mas na maioria dos episódios acaba me deixando pensativo.

Eu já comentei algumas vezes aqui sobre o quanto eu detesto despedidas (chego a passar mal em alguns casos), mas a vida me ensinou que elas vão sempre acontecer e estou preparado para elas, ainda que não goste disso. No dia de hoje encontro-me, graças a Deus, muito tranquilo com relação ao último "adiós" que eu tive que dar, mas muitos de meus amigos estão passando pelo que passei um ano atrás; muitos dos meus queridos ainda sofrem de alguma forma com o fim de suas histórias.

Enfim, o vídeo acima, com o tal trecho de "Ugly Betty", sintetiza muito bem a situação (e a música ajuda a acertar em cheio quem ainda se emociona com esse tipo de coisa da vida). Por isso resolvi postar, até para dedicar a esses amigos (lembrem-se que isso passa, leva tempo, mas passa).

Um adeus, um final de uma história, é sempre dolorido quando os sentimentos foram sinceramente vividos. Mas é sempre um recomeço. E a vida espera que a gente siga em frente. Todos nós merecemos.

Boa noite/Bom dia queridos.


P.S.: O texto do vídeo, pra quem não estiver em dia com o listening:

‎I've had to say Goodbye more times than I would have like it, but everyone can say that.

And no matter how many times we have to do it - even if it's for the greater good, it still stinks.

And though we'll never forget what we've given up, we owe it to ourselves to keep moving forward.

What we can't do is live our lives afraid of the next Goodbye because chances are they are not going to stop.

The trick is to recognize when a Goodbye can be a good thing - when it's a chance to start again.

domingo, 18 de setembro de 2011

Rio

Eu deveria escrever. Aliás, eu escrevi, mas apaguei. Preferi deixar uma imagem e meu abraço forte aos queridos amigos Rafael Paschoal (finalmente!), Diego Rebouças e Rafael Morello (e mais outro pros amigos que eles fizeram agora meus amigos também!).

Há certas experiências na vida que são tão boas que eu acho que não há palavras que as descrevam. Rio de Janeiro, você é uma dessas.

E é isto. isto.
Abrazos!
:D


P.S.: Railer, Lobo... nos veremos em breve. ;)
P.S.2: Confirmando nosso parentesco espiritual, Sarah, você acertou em cheio de novo. :)
.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

WHY???

Sério, quando você acha que homem não tem como não prestar mais aparece um pra provar que, sim!, sempre dá pra prestar um pouco menos.

Alguém aí me explica POR QUE o Brad Pitt precisava fazer as declarações que fez? Qual a necessidade de, anos depois, quando finalmente a Jen tá numa boa, ele vir dizer que vivia de farsa e tal?

Além de uma deselegância sem tamanho (ainda mais em se tratando de figuras públicas, e sabemos todos o quanto a Jen já foi sacaneada por conta dessa história), esse tipo de declaração nesta altura do campeonato me deixa pensando se ele não está querendo desviar a atenção de outras coisas. Será que vai tudo realmente bem pra ele agora? Como saber se não está fingindo de novo.

Francamente, hein Seu Brad Pitt? Saudade de quando você era só aquele ator bacana de "Seven", "Kalifornia" e "Os 12 Macacos". Tomara que nasça mulher na próxima encarnação.


P.S.: Pobre da Jen, lá em Malibu, com as pernas pra cima, ouvindo essa belezura aqui uma hora dessas.
.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

para sempre Amy

E pensar que faria hoje 28 anos. Só 28 anos. Saudade eterna, Amy.
=(

terça-feira, 13 de setembro de 2011

muito linda

Voltei!
(só que mais ou menos, rs)

Na verdade, voltei de viagem, mas continuo correndo esta semana. Falo das novidades logo. Passei hoje porque achei que Leila Lopes, a Miss Universo 2011, merecia ficar registrada no blog.

Gostei de ver como, no fim das contas, torcemos todos pela representante de Angola no concurso (ao menos pelo Twitter foi quase unanimidade).

Lembro quando era criança, e existia uma tradição maior de concursos de misses no Brasil, eu odiava porque a mais bonita sempre ficava em segundo lugar e sempre ganhava uma feiosa nada a ver. Talvez por isso ontem tenha ficado tão feliz que não tenha havido surpresa ruim.

Leila é linda, respondeu sua tal pergunta de miss com muita dignidade e ainda se mostrou humilde e simpática. Muito, muito merecido o título.

Sem contar a relevância de uma mulher africana vencer aquele festival de caucasianas -- nada contra as branquelinhas, na verdade, até porque seria preconceito às avessas; Mas sabemos que há alguns anos uma negra, ainda mais com traços de negra, vencer um concurso desses seria algo impensável (quem lembra do Sílvio Santos, perguntando à Deise Nunes, assim que foi coroada em 1986, "como era ser a primeira Miss Brasil preta"?).

Mais importante pra ressaltar: Leilinha (tô íntimo) ganhou porque era a melhor ali. Ponto final.

Achei muito digno tudo isso. Devia ter uns 25 anos que não acompanhava um concurso desses, mas achei válido. E, lá do seu jeito, achei histórico.

Abrazos a todos, logo escrevo mais.
;)

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

gurilinha eu volto

Vou ali e já volto, povo. Daqui uns 10 dias eu volto (bom, se eu ganhar na mega-sena nesse intervalo não garanto nada...).

Aproveitem para ler os posts antigos e os blogs dos amigos aqui do blog.

Besos, fui!
:)

domingo, 4 de setembro de 2011

never being boring



Imagine um adolescente tímido, muito tímido. Do tipo que passava mal só de ser convidado pra uma festa (e que, por isso mesmo, nunca era convidado).

Esse era eu, em 1991. Novinho e bobinho de dar dó. Mas como qualquer pré-adolescente eu era cheio de sonhos e, sabe lá Deus por quê, eu tinha certeza que cedo ou tarde eu os realizaria.

Nessa época, inseguro que só eu, era louco por um clipe do Pet Shop Boys. Sim, esse mesmo aí em cima. Porque um desses teenage dreams meus era um dia me jogar numa festa assim, cheia de amigos e de amigos dos amigos, simplesmente curtindo tudo e sendo feliz a noite inteira.

Vê como são as coisas: Eu fui vivendo, esqueci desse "sonho" (ainda bem, né?), fui conhecendo pessoas, vivendo de tudo. Mas sempre que via o clipe pensava na tal festa, na delícia que seria uma festa assim, uma noite assim.

E aí, alguns muitos anos e muitas festas boas depois, numa bela noite eu saio de casa despretensiosamente -- e a tal festa "clipe de Being Boring" acontece. No meio da noite olhei ao meu redor, senti meu sorriso no rosto, e a música e as imagens todas do clipe vieram à minha mente -- porque era exatamente tudo aquilo que estava acontecendo.

Me joguei (todo mundo se jogou). E a sensação de que os tais sonhos, mesmo os mais inocentes, acabam realmente se tornando realidade uma hora me fez sair da festa com o mesmo brilho nos olhos dos 13 anos. O bacana da vida é que ela tem seu próprio tempo, e no fim tudo o que você tem que fazer é ir vivendo de tudo, curtindo cada experiência -- never being boring. Acho que isso é o que importa.


'Cause we were never being boring
We had too much time to find for ourselves

And we were never being boring
We dressed up and fought, then thought make amends
And we were never holding back or worried that
Time would come to an end
We were always hoping that, looking back
You could always rely on a friend

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

não é a vida, mas é bonita, é bonita, é bonita

Ah, achei um vídeo mais legal pra deixar pro fim de semana! Já ouviram falar da Geanine Marques? É essa bonita aí na foto.

Eu não sou o maior expert a respeito dela, mas sei que é cantora e paga de modelo em desfiles do Alexandre Herchcovitch, que é amigo dela. Muitos consideram Geanine muito exótica (e muitos outros acham feia mesmo). Eu preciso dizer que EU acho bonita, nunca a vi pessoalmente, mas já convivi com uma mulher muito parecida com ela e era linda (e enfim, eu não gosto de belezinha óbvia, pelo menos não na maioria das vezes).

Fato é que essa polêmica toda em torno do "exótico" da Geanine chegou às passarelas internacionais e, em 2009, um repórter do blog da Semana de Moda de New York perguntou à moça, na cara dura, se ela se achava bonita (ou algo como "how do you feel about yourself?", sei lá). A resposta da Geanine -- em português! -- é um clássico.

Resumindo, clica aí no vídeo e aprende o mantra pro fim de semana! Levanta a cabeça, sacode essa cabeleira sedosa, sobe no salto e não deixa ninguém te derrubar, não. Porque afinal, você é bonita!



Agora sim, bom final de semana pra todo mundo!
:D

mulheres no gel



Pra mim, a despedida-desabafo da apresentadora Keila Lima, daquele lixo chamado Rede TV, foi de longe o melhor da semana.

Claro que é discutível lavar roupa suja assim no trabalho, ainda (ou especialmente) que seja na saída, mas tem de tirar o chapéu quando a pessoa resolve mostrar que ser um pouco autêntico e corajoso ainda pode valer mais que ser covarde e aceitar absurdos como nepotismos e coronelismos midiáticos. E além do mais, achei que a moça foi até bem fina (adoro quando ela tira o ponto eletrônico, hehehe).

Em seu lugar entrou a Regina Volpato, que é uma ótima. Desejo muito boa sorte a ela, provavelmente vai precisar.

E pra nós, desejo um ótimo fim de semana! Nós merecemos!
Besos!


P.S.: A Regina Volpato, que saiu do "Casos de Família" porque se recusou a baixar o nível (e foi substituída pela tosca da "Alô Cristina" Rocha super disposta a baixar o nível) podia ter entrado no ar já no dia da saída da Keila, né? Já teria tido um perrengue pra resolver. :P


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

vai na sombra

Lembram da Sombria, vilã da She-ha (ou do He-man, não lembro), que a gente não via a cara, era sempre uma sombra no lugar? Então...

Lembram que eu comentei que tinha adorado a capa da Playboy nova da Galisteu? Tinha mesmo, achei bem digna. O negócio é que quando escrevi o post só tinha visto a foto na web. Nas bancas a capa é um fracasso -- não dá pra ver nada! Mesmo de perto é ruim, mas se você estiver a um quarteirão da banca aí definitivamente não dá pra ver nada além de uma capa de pura sombra com um pedaço de corpo, não se sabe de quem, passando por ela. Achei sacanagem com a mulher e aí entendi a careta (ou não) que ela fez quando soube qual tinha sido a capa escolhida.

Nisso acabei me lembando que o recurso da sombra já havia sido usado na capa da primeira Playboy dela, em 95. Mais discretamente, mas cobrindo metade da cara.

Daí vi a foto divulgada dela no lançamento da revista este ano...

Bem. Sei lá. Pensei nisso tudo e lembrei da Sombria.

E é isso. :P


P.S.: Não, não é só isso. Eu não tive tempo de comentar na época, mas o que foi aquela capa dela na Nova de julho? Quem viu de perto vai entender do que eu estou falando.
P.S.2: A capa da Playboy de setembro já é super iluminada, dá pra ver rosto, corpo e tudo o mais que se queira da bela moça na capa (seja lá quem ela for). Tudo perfeito para uma revista feita para homens que gostam de mulher.