quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

presente em minha vida

Passado o período das festas, sempre rola aquela pergunta: "ganhou muitos presentes". E eu sempre me pergunto, o que esse povo considera presente?. DVD da Adele? Camisa? Um par de Havaianas?

Tudo vale e tudo é bem-vindo, afinal alguém investiu tempo e dinheiro pra te agradar. Mas eu aprendi há algum tempo que, ao menos pra mim, presente é mais. Presente é uma demonstração de atenção e consideração por você (desculpe tantos ãos na frase).

A primeira vez que me deram um presente assim (e esse caso merece um post à parte), uma amiga, durante um amigo oculto de chocolate na faculdade, deu uma caixa de bombons pra quem ela tirou (e todo mundo mundo fez o mesmo). Mas pro meu desconserto total, quando acabou a distribuição dos presentes e todos se perguntavam pra quem era, afinal, uma cesta enoooorme que ela trouxe, a Marta se levantou, pegou a tal cesta e disse "este é meu presente pro meu amigo nada oculto, amigo de todas as horas e amigo que eu quero ter perto de mim pra sempre, o Humberto". Tem como mensurar valor de um presente desses?

Outro mimo que eu nunca esqueci foi um pacote sortido de bala Chita. Se você não conhece, a bala Chita é uma guloseima tradicional aqui na roça, simples que só ela, mas uma delícia. Quando voltei do Texas contei pro povo um caso, de um dia que lá em Austin eu e minha amiga brasileira saímos no tapa porque ela achou UMA bala chita perdida na mochila (já estávamos lá há uns cinco meses, o desespero foi grande). Enfim, quando chegou o natal, a Christiane, minha amiga que ouviu a história, me apareceu com esse pacote, pra eu não sentir falta da bala (e de carinho) nunca mais.

Em 2012 eu já ganhei um outro presente desses. Quando eu vinha do Rio pra TuBHcanga, meu filho Philleas me convenceu a dar um pulo em Rio das Ostras com ele. E no clima de "vão bora!" que eu tô este ano, fui lindamente. Como ele tinha que trabalhar, fiquei solto naquela cidade por dois dias. Solto na praia por dois dias. Solto na praia quase deserta e de mar azul por dois dias. Solto na praia deserta, de mar azul e, acreditem, pela primeira vez na minha vida, com sol, por dois dias! Não há palavras para descrever a experiência. A coisa mais próxima que eu achei pra exemplificar o êxtase foi a imagem aí acima. Não era só uma coisa de mineiro em praia (parecendo muito com criança); era uma coisa de revigorar todas as energias, de voltar a ter coragem, de peitar medos que não são meus e que me puseram a vida inteira. Estar ali era lembrar quem eu sou e voltar a ter prazer no simples fato de estar vivo e com saúde. Não, não vou conseguir descrever, mas acho que vocês entendem.

Isso é presente pra mim. Ter amigos dessa natureza é o maior presente que alguém pode ter.

Não posso deixar de citar neste post, meu querido Rafael Paschoal, que não apenas me presenteou com sua amizade como me deu outros tantos amigos (incluindo o Philleas supracitado).

E citar também a leitora Leidi, que deixou um comentário lido por mim nas férias, pouco antes de sair do reveillón, e me fez começar o ano cheio de alegria. Obrigado a vocês todos também, cada um de vocês, especialmente pelos comments ótimos deixados nos posts de retrospectiva.:)


É isto, e o blog tá de volta, povo. E mais uma vez, feliz 2012, que este seja um ano brilhante pra todos nós!
:D


P.S.: E eu vou lembrando de mais amigos que merecem entrar nesta categoria de gente que me deu presentes inesquecíveis: Guilherme Bernhardt, Carol Malho, Luisa Brasil e Letícia Estanislau (e família). Muito obrigado sempre.
.

13 comentários:

Janaína disse...

Êita coisa boa!! Já estava com saudades de suas idéias e de seus escritos inteligentes por aqui!
Bem vindo de volta!
Beijo!

Caroline disse...

Amigo que texto lindo!!! Estou com mais vontade ainda de viver...como se isso fosse possível kkk....2012 é nosso e ninguém tira isso da gente.

Bjos e tenho dito!!!

melo disse...

bom retorno e presentear é arte rara, difícil mesmo a quem diz conhecer a fundo o outro a ser presenteado..

mas, presentes, como disse, nem sempre são materiais e menos ainda devem ser medidos pelo embrulho, tamanho ou valor (real ou agregado e olha que o segundo geralmente é que efetivamente empresta e dá valor ao objeto, não a etiqueta ou nota fiscal, o que pomos de nós nos presentes lhes dá esse tom de graça, carinho, amor e afeto) antes pelo que representam e de onde e como vieram.

presente mesmo é poder amar e ser amado, um abraço, um beijo e estar com quem se gosta quando se quer..

Heron Xavier disse...

Começou o ano muiiiito bem meu caro Humberto!

Gostei demais do post e claro, do novo momento...é isto aí, 2012 leve e com muita coisa boa para você!!!

Abração.

Mr. TV disse...

oi, oi, oi, oi, oi, muitos ois pra vc meu querido, e trata logo de escrever muito, amo seus textos, tu sabe disso, ah, adorei a parte solto na praia por dois dias, praia deserta e mar azul por dois dias, com sol por dois dias, fiquei cm muita inveja (boa tá?) desses dois dias kkk... abração, fica cm Deus rapaz!

Alan Raspante disse...

Só no ano passado que eu comecei a ver "presentes" com outros significados e, claro, saber qual o verdadeiro presente. E isso é muito bom!

Reginaldo disse...

Confesso, sou meio sem inspiração para presentear, se pudesse seria "vale presentes" sempre, mas são tão impessoais!!

Ainda existe a Bala Chita!?

Bom retorno das Vacaciones!

railer disse...

eu tb gosto de dar 'experiências' de presente para as pessoas, coisas que vão fazê-los passar ótimos momentos e, quem sabe, até ao meu lado!

welcome!
pq sumiu do meu blog?

railer disse...

eu tb gosto de dar 'experiências' de presente para as pessoas, coisas que vão fazê-los passar ótimos momentos e, quem sabe, até ao meu lado!

welcome!
pq sumiu do meu blog?

FOXX disse...

que 2012 então te traga muitos presentes! muitos!

Lobo disse...

Odeio essa coisa de presentes. Sei lá, acho um abraço tão melhor... presente é uma coisa tão dificil, sempre rola aquela obrigação de presentear de volta, tem que ter criatividade, é dificil alcançar expectativas... prefiro nem esquentar... não gosto nem de dar, nem de receber presentes, me deixa sem jeito demais...

Beijo Humberto!

RAFAEL disse...

Engraçado que surpreendo as pessoas com presentes muito mais do que fazem comigo...mas não sou do tipo que espera, então qdo acontecem coisas como essas que vc mencionou, pra mim tb é uma felicidade absurda...e confesso, fico envergonhado.

Bom 2012...

Eu ganhei uma havainas de natal...rs

abração

Leidi Callegario disse...

Humberto, quando postei aquele comentário não pensei que fosse ter essa relevância... Que bom saber que eu fui responsável por uma parte da sua alegria.
Obrigada por me citar no teu post, foi uma grata surpresa. E o meu comentário sobre você foi sincero e merecido.

P.S. Sei que estou super atrasada no comentário, mas, como estava sem net, só lí os posts atualizados hoje.

Mais uma vez, feliz 2012!