segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

amor verdadeiro, amor eterno

Achei muito curioso que num dos seus últimos posts, falando sobre a experiência de ser um recém-separado, meu amigo Edu conta que quer assumir a solteirice, mas que pra isso precisa de "uma certa independência, esteja sozinho ou acompanhado." E conclui sabiamente que "é mais saudável assim."

O que há de curioso nisso? Na decisão do Edu (muito certeira, por sinal), nada. Curioso é eu me encontrar exatamente no outro extremo, pensando em me deixar apaixonar de novo -- mas decidido que pra assumir isso preciso justamente de "uma certa independência, esteja sozinho ou acompanhado, porque é mais saudável assim."

De todas as coisas que me passaram diante da possibilidade de me envolver de novo num relacionamento (ou simplesmente, de me declarar apaixonado de novo, independente de compromisso), a que mais me martelou é que o grande desafio agora será estar com alguém, ou gostar de alguém, sem me anular; Sem deixar que meus projetos, meus likes e meus deslikes, meus amigos e meus sonhos passem para um segundo plano.

Mais do que (simples, mas não facilmente) abrir o coração de novo depois de tamanha decepção, a grande tarefa será viver um romance sem deixar de ser eu mesmo, sem deixar de ter minha autonomia. Preocupar-se e ser atencioso com o outro sem deixar de cuidar e de gostar de mim.

Sei que não é muito fácil ser racional ou lógico quando se há sentimento envolvido (ainda mais esse tipo de sentimento, que faz tão bem). Mas a vida é isso aí, é aprendizado constante. E seja solteiro ou comprometido, o importante é que a gente, cedo ou tarde, aprenda a ser feliz e a se valorizar sozinho, pelo que é e gosta. Independência é mais que conseguir pagar as próprias contas. Independência é estar bem de verdade, não importa se sozinho ou acompanhado. E amor verdadeiro, amor eterno mesmo não existe sem amor próprio.

Boa sorte pro Edu e pra mim, seja lá o que acontecer.
Boa semana a todos!
.

13 comentários:

E ヅ disse...

Pois em Verdade vos digo: não estamos em lados opostos não...

o Humberto disse...

Eita! :D

FOXX disse...

finalmente o humberto se curou.
não é bom gente?
é mto bom!
boa sorte, meu querido amigo.
vc logo encontrará um amor a sua altura.

Rafa disse...

Um amor bom, cálido, sem sofrimento..sorte aí querido!

Cores da Crise de meia idade! disse...

Vai melhorar....
Sempre!

Caroline disse...

Não tenho palavras para escrever, pois você simplesmente disse tudo!!!

To contigo e não abro.

Bjos

Helena disse...

Boa sorte para todos nós! E saudades!

Edilson Cravo disse...

Humberto:

Palavrinhas de ordem para qq relacionamento dar certo de verdade: RESPEITO, CUMPLICIDADE, COMPANHEIRISMO, AMIZADE E MUITOOO TESÃO.
Linda semana. Abraços.

Janaína disse...

Edlson, meu caro.. cravou bem as palavras! Escreve um livro que eu compro! Falou e disse!
Humberto, meu lindo... sua última frase disse tudo: "amor verdadeiro, amor eterno mesmo não existe sem amor próprio". Ando completamente focada em me dar valor, e parece que os primeiros efeitos disso começaram a aparecer. Mesmo com dois anos e meio de atraso e várias dúvidas sobre a compensação de se permitir ou não esse dejavú. Fato é: os outros dão pra gente o valor que a gente se dá. E modéstia às favas, a gente não é qualquer coisa não, meu amor! Não é meeeeeeeesmo!!
Beijos.

P.S.: Depois te conto o bafo desse dejavú. Detalhe: Você conhece a peça... rs

Lobo disse...

É bem por ai. Acho que eu dei sorte de já vir com isso internalizado, porque desse mal nunca sofri. Pelo contrário, meus relacionamentos costumam terminar porque o outro tenta me anular e não consegue. Perde a noção e para de respeitar meu espaço, meu tempo, minha privacidade. Tenta transformar o dois em um, quando se todos quiserem preservar sua sanidade é bom que o dois continue sendo dois.

Um beijo Humberto, e vamo que vamo, por um mundo com menos projetos Elma. Acadêmico até vai, mas inteligente é muita bondade de sua parte hahaha. Mas sim, é a treva, e eu fujo de lá como o diabo foge da cruz, mas né, tem vezes que não dá.

railer disse...

independência sempre, isso é muito importante! boa sorte com a nova fase!

abraços,
raileronline

o Humberto disse...

;)

Laila Seabra disse...

Mesmo com sofrimento o amor sempre vale a pena. Só não vale se anular mesmo. Lindas palavras!