terça-feira, 17 de abril de 2012

Igreja, gays e um diálogo possível

Quando o assunto é Igreja e homossexualidade a gente já espera um festival de ignorância dos dois lados. Se for em matéria jornalística, então, aí que a gente já fica contando com um "debate" onde ninguém quer ouvir ninguém e o que enteressa é o sensacionalismo e a troca de farpas.

Por conta disso, esta matéria aqui, exibida mais cedo no "Jornal Hoje", me surpreendeu positivamente. Chega a dar gosto o bom senso do povo de Maringá, ao menos o dos entrevistados. Penso que os representantes da Igreja e do Movimento se mostraram bastante sensatos e também os pontos observados pela população são bem válidos.

Mais uma prova de que nesse mundo onde todo mundo é dono da verdade, nada é realmente tão importante (e, por que não?, tão fácil) como um pingo de respeito e capacidade de diálogo.

E vocês, o que acharam?
Abrazos.
.

5 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

qdo o fanatismo e o sectarismo não falam tudo é possível ...

Tainá disse...

Ai Humberto, posso falar? Sou meio que bem contra a parada gay. Imagina o publico mais homofóbico que tem, um pai de família conservador de 40 anos. Ele liga o noticiário e vê um monte de homem semi nu se agarrando. Ele com certeza não vai falar 'Olha, eles são dignos de direitos (tipo uma relação estável, ou adotar crianças), são gente igual à gente.', mas sim 'Olha só essa bando de viadinho criando desculpa pra se agarrar, vê se pode uma putaria dessas passar de dia na TV.'
Não tenho muita certeza qual seria a maneira mais efetiva de conseguir os direitos, mas parada gay muitas vezes acaba gerando e reforçando muito mais o preconceito do que combatendo-o.

Cores da Crise de meia idade! disse...

Boa vontade é sempre necessária!
Minha avó já dizia: "Quando UM não quer, DOIS não brigam!"
bjs

Lobo disse...

Hum...

Eu realmente não tenho opinião sobre o assunto. Sou um dos que levanta o escudo quando a igreja começa a cuspir farpas e segue a vida como se ela não estivesse lá.

Dialogo a gente sempre espera, mas acho sinceramente que o espaço pra diálogo em certas questões já acabou faz tempo.

Um beijo!

o Humberto disse...

Então, Tainá, o buraco é mais embaixo. Mas eu super concordo que há exageros, como sempre falta um pouco de noção.
:/