segunda-feira, 28 de maio de 2012

é ódEo



Este blog, que anda devagar-quase-parando (e não vou enganar vocês, qualquer hora dessas vai parar mesmo), começou cinco anos atrás pedindo um mundo com mais "noção".

"Noção", vocês bem sabem, é uma maneira informal de se referir ao cada vez mais escasso "Bom Senso". Estivesse vivo hoje em dia, talvez John Lennon faria um manifesto da cama do asilo, com Yoko Ono ao lado, pedindo ao mundo para "Dar uma chance ao bom senso".

Fato é que entre bobagens, desabafos, "explicações" e até análises de revistas, realmente sempre procurei incentivar o hábito do bom senso no nosso dia a dia. Do meu jeito tosco, claro, mas sempre tentando, já que o que mais vemos normalmente é um festival de ignorância, sobretudo na internet, onde se postam os piores absurdos nos comentários (e nas matérias) da Folha, por exemplo, e onde Luana Piovani é considerada formadora de opinião.

Enfim, tudo isso para sugerir a quem puder que assista à palestra acima, do Professor Leandro Karnal, dentro do "Café Filosófico" (que eu amo desde sempre). É um vídeo longo, de duas horas (uma de monólogo e outra de debate), mas extremamente pontual e, eu diria, necessário. Karnal discorre sobre o tema "noção" (dentro do assunto principal, o ódio) com o conhecimento, inteligência, talento e perspicácia que eu gostaria de ter tido aqui no blog ao longo desses anos. Enfim, é alguém que fala com propriedade sobre a questão.

Se você puder assistir, garanto que não vai se arrepender.

E é isto por ora!
Abrazos, até breve.


P.S.: O vídeo foi uma sugestão do amigo Fernando Império, do "Salada de Cinema" (e praticamente primeiro leitor aqui do blog).
.

10 comentários:

Raphael Martins disse...

Não pára...

Alan Raspante disse...

Eu também acho que você não deve parar. Tá legal. Eu sei como é... Chega uma hora que acaba cansando mesmo, assim... Do nada! Mas acredite: a vontade volta. Sempre volta. Querendo ou não, é como um vício como o cigarro, por exemplo.

Eu vou precisar de um tempinho pra ver esse vídeo, mas verei. Realmente parece ser interessante. Agora: bom senso? É algo que anda mesmo em falta atualmente. Uma pena mesmo...

Mr. TV disse...

Qtas x eu vou ter q explicar pra vc Humberto q o Humberto explica já faz parte da minha leitura, e eu não estou preparado para mudanças. Eu cresci mtoo como pessoa lendo o que você chama de bobagens de um jeito tosco, amo esse espaço, o q ta faltando véi? Diz pra mim se alguem fez mal prucê q eu saio aqui de santa catarina e vou pra Minas ensinar esse alguem q cm você ngm mexe, ta bom assim prucê? faz isso não, aproveita q ai tem os melhores pão de queijo, toma um cafézinho bem quente e relaxa, teus amigos estão aqui, pro q der e vier. vou ver o vídeo sim! abração!

Mr. TV disse...

nossa, e a gramática eu deixei congelando no meu cérebro, hehe, fica com Deus viu! beijo no coração

David® disse...

"noção é algo que Deus deu apenas pra mim". Eu ri alto com essa fala dele e super me identifiquei.

♫ não para, não para, não para...

Muah!

melo disse...

bom senso? e existe? onde?

pare se assim sente, já fiz e recomendo, sempre digo: antes prazer que obrigação

railer disse...

vou tentar ver depois. valeu.

Leidi Callegario disse...

Como assim, parar?
Olha, Sr. Humberto, esse negócio de você querer parar com o blog e deixar seus leitores com opções tipo ' site ego' tá me fazendo perder as esperanças de que talvez o mundo seja belo.

Eu tô fazendo drama, mas eu tô falando sério!
Tô no coral: ♫ não para, não para, não para, não!

o Humberto disse...

É, Dona Leidi, eu já tinha preparado até o derradeiro, rs... mas liguei meu fodas. E acaba que o motivo que me fez criar um blog permanece, que é a necessidade de ter um motivo pra escrever todo dia e não perder a prática. Se eu parar de escrever e desaprender a fazer a única coisa que (eu acho que) faço bem, aí estarei fo di do. =)

Desta forma, para a alegria de uns, desespero de outros e pouco caso de outros outros, taí o blog de volta, de vera. Vamos ver no que vai dar.

Abrazos pra você e pra todo mundo.
=D

Leidi Callegario disse...

Ai, que alívio!