sábado, 28 de julho de 2012

Ana Paula Arósio, mais uma vez

Quando vi a Ana Paula Arósio pela primeira vez eu tinha acabado de fazer 11 anos. Foi um pequeno estardalhaço pra quem acompanhava a Capricho (porque parecia muito com a Cláudia Zardo, que era uma das gatinhas da revista na época, e porque a Ana também era muito novinha, não era comum uma menina de 12 anos na capa).

Dois anos depois, quando eu tinha acabado de fazer 13, a Ana Paula já era Ana Paula Arósio e já era conhecida como modelo de sucesso. Um ano depois disso, então, só dava ela.

Mais três anos, e em 1994 ela estreou como atriz no SBT (e eu não vi, porque tenho ojeriza dessa emissora desde sempre), mas continuou modelo/estrela. Em 1998, dez anos depois daquela primeira capa, Ana foi emprestada (veja bem o poder da mulher) pelo SBT à Globo para protagonizar (lindamente) a minissérie "Hilda Furacão". O resto acho que todo mundo sabe um pouco.

Daí, muitos anos depois, às vésperas de começar a gravar "Insensato Coração" (aquela chatice sem fim), Ana, que seria a mocinha, se delisgou da Globo, sem divulgar motivo, e sumiu. Su-miu. Fez a Lídia Brondi e não quis mais saber de TV, de nada, foi se enfiar no interior com os cavalos que ela sempre adorou.

Ontem o site Fuxico, do portal Terra, publicou essa matéria aqui, de onde tirei a foto que ilustra este post. Só reforçou a admiração que eu sempre tive pela Ana. Ela continua linda. É aquela típica italianinha, um pouco mais rechonchudinha agora, o que pra mim parece totalmente coerente, e o sorriso, se isso é possível, está ainda mais lindo -- talvez porque vem carregado de sinceridade, eu acho.

A Ana passou por boas na vida (lembram do episódio do noivo que se suicidou na frente dela?). E fez muito sucesso muito cedo, e só faria mais sucesso ainda se continuasse a carreira. Nem acho que era hora de ela parar, mas desde que soube da decisão dela de parar com tudo, tirei o chapéu. Porque ela fez aquilo que eu vivo falando que as Madonnas e Xuxas da vida deviam fazer, que é parar e ir viver.

É óbvio que não dá pra regular a vida dessas pessoas pela minha (nem a de ninguém, hello?!). Elas são superestrelas, a ir-realidade delas é outra. Mas eu não acredito que essa vida vigiada 24 horas por dia, com cobras do (baixo) nível de uma Fabíola Reipert na sua cola, faça alguém realmente feliz. Enfim.

O objetivo do post era só declarar mais uma vez o respeito que eu tenho pela Ana Paula. Numa época em que neguinho faz de tudo pra ficar famoso (menos trabalhar), ela vem e dá essa sambada bonita, com galocha, na cara da sociedade. Espero que esteja realmente bem, que ela faça bom uso do dinheiro que ganhou ralando muuuito por muitos anos sem parar, e que siga feliz. Se quiser voltar no futuro, pra interpretar talvez uma mamma numa dessas duzentas novelas de italiano, terei prazer em revê-la. Se preferir continuar quietinha no meio do mato, ierei admirá-la do mesmo jeito.

E é isto. Bom fim de semana a todos!
.

7 comentários:

Janaína disse...

Estou contigo e não abro!
sempre adorei a Ana Paula Arósio! na Capricho ela tinha uma coluna que escrevia um diário da sua vida nno Japão, era o máximo!
como eu tbm tenho pavor do sbt, não vi sua estreia como atriz, apenas quando fez Hilda.
E tbm acho o máximo ela ter "tomado as rédeas" de sua vida!

bom final de semana!

o Humberto disse...

Janaína, minha filha, cê sumiu mais que a Ana Paula Arósio, coméquicêtá??

Mr. TV disse...

Palmas, de pé, para a lindona!

Alan Raspante disse...

Concordo plenamente contigo. Ana deve estar feliz, aliás, por mais que seja prazeroso e tudo mais, deve ser horrível ser "a linda" sempre ou estar na mídia 24 horas por dia. Ela deve ter chegado no limite em diversos momentos... Creio que ela fez o certo, ela deve ter começado a viver...

Laila Seabra disse...

Concordo em gênero, número e grau. Ser famoso é(deve ser!) um saco, ser vigiado por fotógrafos, ter a obrigação de envelhecer sem engordar, sem ter rugas, etc etc etc... tenho náuseas só de pensar... ótimo post!

Caroline disse...

Como eu queria fazer isso!!!

Edilson Cravo disse...

Sempre fui admirador da Ana Paula desde que ela fazia as capas da Capricho e depois que ela fez a Hilda o que era admiração virou amor. Uma das mulheres mais fotogênicas que a tv já viu.

Abraços e linda semana.