sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Time Tested beauty


For attractive lips, speak words of kindness.
For lovely eyes, seek out the good in people.
For a slim figure, share your food with the hungry.
For beautiful hair, let a child run his fingers through it once a day.
For poise, walk with the knowledge that you never walk alone.
The tender loving care of human beings will never become obsolete.
People, even more than things,
have to be restored, renewed, revived, reclaimed and redeemed.
Never throw out anybody,
And remember, if you ever need a helping hand,
You'll find one at the end of your arm.
As you grow older, you will discover
that you have two hands:
one, for helping yourself; the other for helping others.
Your good old days are still ahead of you.
May you have many of them.


De acordo com este documentário, o poema acima (de Sam Levenson), cujo título é também o nome deste post, foi lido por Audrey Hepburn em seu último natal em família, em 1992.

Impressionante essa mulher. Lembrei de Audrey há alguns dias, quando pensava no quanto sua beleza, ainda mais que devida ao rosto e corpo perfeitos e à sua elegância, era fruto de sua humildade e de sua humanidade. Audrey foi uma pessoa realmente muito bonita.

Agora há pouco (este é outro post programado, escrito tarde da noite) conversava com um jovem que também admiro muito. E que também é muito bonito. E confesso que há algo de narcisismo na minha relação com essa ele, porque muitas vezes o acho muito, muito parecido comigo quando era novinho como ele.

Não sei se eu era assim tão lindo. Mas sei, porque a maturidade nos permite ver algumas coisas mais claramente, que por esse moço vai ser um homem ainda mais lindo. Porque ele nunca se acha o último biscoito do pacote. E porque há nele uma beleza que vem da alma. É uma beleza de caráter. É um brilho que outros tantos não têm, porque esses estão preocupados em fingir ser o que não são. É uma luz especial a desse amigo.

O poema, o post, são dedicados a ele. O poema, aliás, parece ter sido escrito pra ele, sobretudo ontem. Adoraria dedicar a Audrey também, mas nem precisaria, porque é bater o olho nela e lembrar dele.

Bom, esse é quase outro post para um só leitor. Na verdade não é, porque o exemplo de vida de Audrey Hepburn está aí para nós todos. Mas o que está nas entrelinhas neste texto, ah, tem dono, sim. :) Seja forte, meu amigo lindo.

Ótimo fim de semana pra todo mundo.
.

3 comentários:

Edilson Cravo disse...

Ela era uma mulher de beleza, caráter e talento. Engajada em causas sociais tornou-se uma das figuras mais icônicas com seus figurinos impecáveis e sua elegância ímpar.

Lindo texto, linda homenagem ao seu amigo também, lindo fim de semana.

Obs: Li suas postagens sobre Adriana Oliveira e me deu muitas saudades dela, acompanhava a carreira dela sempre com mto carinho.

Abraços.

Alan Raspante disse...

Audrey era um ser incrível. Uma pessoa linda em todos os sentidos :)

Belo texto!

Abs.

Cores da Crise de meia idade! disse...

HH,

Uma das pouquíssimas vezes que se pode observar de perto a trombada de rara, mas RARA, mesmo , beleza e conteúdo!
Foi o que fez Audrey Hepburn ÚNICA!
bjs