segunda-feira, 22 de outubro de 2012

travessia

Adoro livros. 

Não vou dizer que sempre os adorei porque, por conta de uma professora escrota no primário, passei a infância com pavor deles. Só ali, pelos meus 12 anos, é que eu tomei gosto pela leitura, graças à minha saudosa madrinha (que adorava Ágatha Christie -- que eu nunca li) e à Série A Inspetora.

Também adoro receber livros. E semanas atrás aconteceu algo ainda melhor: recebi um livro do autor, com essa dedicatória maravilhosa aí.

O livro, "Travessia", é a primeira obra publicada do meu unique amigo Diego Rebouças. Lembram quando a gente votou pro conto dele, "Ponto de Partida" ganhar no concurso da Cantão? Pois bem, como vocês sabem, este blog dá sorte (e, mais importante, confia e aposta no talento dos amigos) e não apenas o conto foi publicado, como ele ganhou a oportunidade de publicar esse primeiro livro, primeiro também de uma série da Cantão, chamada "Eu Amo Escrever", com livros dos outros nove autores vencedores.

Quanto ao livro, NAONDE que eu conseguiria fazer uma resenha crítica sobre um trabalho de Diego Rebouças? EU não me atreveria!

Só posso dizer que o livro agora habita lugar de destaque na minha biblioteca, de forma que todo mundo que passe por aqui já bata o olho e já dê uma lida. Posso lembrar também que meu outro amigo, Átilas Lobo, descreveu a publicação de maneira certeira: "você lê e vê o Diego falando na sua frente".

A melhor "análise" que eu poderia fazer sobre "Travessia" é sugerir MUITO que você aí adquira o seu exemplar e leia. Eu, Adauto que sou, sempre fui um moço de prosa (toda a verborragia deste blog confirma isso). Mas mesmo pra mim, um asno da poesia, "Travessia" é uma leitura extremamente prazerosa e edificante. Repito: leiam!

Pra concluir o impossível, deixo (com autorização do autor) dois de seus poemas. O primeiro, na minha opinião, já um clássico; e o segundo, especialmente dedicado àquela amiga que não gosta das cotas, que tem um valor pessoal muito grande pra mim.

Deliciem-se com Diego Rebouças e seu "Travessia", primeiro de muitos outros livros brilhantes que meu amigo vai escrever -- e me mandar! ;-D


"Agora só me resta sonhar"

já sei namorar,
já sei beijar de língua,


mas essa herpes,
meu Deus,
e essa íngua,


Francamente.



"Mas se todos fazem"

minha terra tem favelas
onde canta o tiroteio


se você acha isso poesia
experimente ficar no meio.



P.S.: Tem como não amar?
P.S.2: Compre o seu "Travessia" ou presenteie sem erro clicando aqui.


5 comentários:

Edilson Cravo disse...

Humberto:

Muito bacana da sua parte incentivar um amigo a divulgar o livro dele.

Abraços.

Mr. TV disse...

intertextualidade, hehe, adorei o minha terra tem favelas!! novo mundo! rs

Alan Raspante disse...

Não. Não tem como não amar!!

Meu Deus, eu preciso comprar o meeeeu logo!

Caroline disse...

Hum..vou querer ler demais!!

Bjo

Raphael Martins disse...

boa pedida!