terça-feira, 31 de janeiro de 2012

a Véia sempre nova, urru!!


O que é ser acusada de copiar a Madonna comparado a ser a Madonna e, aos 68 anos de idade, copiar a Avril Lavigne? Né?
.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

coisa de Emily iniciante

E quem sou eu pra falar de Anna Wintour? Mas, sinceramente, quando a estrela da capa da Vogue é a Taylor Swift eu acredito fortemente que é hora de repensar essa opção pelas famosas. Acho que está além da hora da revista voltar a apostar nas modelos sob o risco de se perder de vez qualquer credibilidade no potencial de "bíblia" da moda desta publicação.

Mau gosto define. E olha que, francamente, nem achei a capa tão ruim assim. Mas, cá pra nós, vocês achariam normal a Paula Fernandes na capa da Elle, por exemplo?

Pena que Wilhelmina Slater é fictícia. Ela achava até a Shania o erro, imagina o que teria a dizer de Taylor. Certeza que Wil daria um jeito nessa bagunça da Vogue em dois tempos.
.

lost in lust


"So what if they watch when we do what we do?"
.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

né?

"A maturidade nos permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade e querer com mais vontade."


Thanks Sr. David.
.

domingo, 22 de janeiro de 2012

all the single heroes

Sei não, mas olhando esta imagem que achei totalmente sem querer no Google fico pensando que a Beyoncé copiou o Batman descaradamente. Será que o Robbin put the ring on it?

Enfim, apenas uma bobagenzinha pra passar por aqui e desejar uma ótima semana aos bons.
Besos.
.

sábado, 21 de janeiro de 2012

o maravilhoso mundo da moda brasileira

No site da Elle Brasil:

"É ao contrário."
Celso Kamura sabe de tudo.


P.S.: Maldade minha, eu sei. Afinal, a Geanine é bonita, é bonita, bo-ni-ta, bonita, muito bonita, praticamente a personificação da piada do "B-U-C-E-T-A, bo-ni-ta".
P.S.2: “Deixamos o aspecto natural da pele das modelos – nada dramático." Acredite, essa é a resposta de verdade que o Celso Kamura deu ao site da Elle. Assim, natural e nada dramática.
P.S.3: De verdade, sobre a moda brasileira, sabe tudo mesmo é o Ronaldo Fraga. Se você já não leu, spia agora.
.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

not a believer

São 2h e cacetada da madruga. Este sou eu, assistindo "Sex and the city" antes de dormir, como normalmente faço (tenho este hábito de assistir alguma coisa em inglês antes de descansar). Acordo daqui a pouco pra dar aula do outro lado da cidade, but I'm fine.

Estou na 5a temporada da série. Alguns dos últimos episódios foram incrivelmente próximos da minha realidade. Mas hoje, agora há pouco, ouvi Charlotte proferir as seguintes palavras:


"That's the thing, though. I did find love. I believed that there was someone out there for me, and I met him, finally. And we had a beautiful wedding. And then everything just fell apart. And I'm worried.
I'm afraid that he took away my ability to believe. I hate him for that, because I always believed before... and now I just feel lost. I'm trying to put myself out there, but I feel hopeless."


Francamente, não me sinto exatamente perdido (pelo contrário, até). E também não sei se posso falar em odiar. Mas o fato é que essas palavras são o mais próximo do que poderia definir como eu me sinto (aquilo que eu tento explicar cada vez que recebo uma das 20 mil notificações semanais de namoro). Estou num ponto onde simplesmente não posso dar um passo em direção a uma coisa na qual eu, ao menos por ora, não acredito mais.

Eu estou muito bem sozinho. Muito bem. Eu tenho um prazer sem precedentes em simplesmente poder fazer as coisas que eu quero, poder estar com meus amigos quando quero, poder experimentar as coisas (e as pessoas, por que não?) quando quero. Uma hora, talvez, alguém vai acabar me conquistando e eu vou me jogar de novo. Mas relacionamento pra mim pressupõe confiança. E neste momento eu ainda sou um poço de desconfiança. Não gosto disso, mas enfim. Eu não vou me envolver com ninguém antes que eu esteja pronto para isso. E antes que eu possa voltar a acreditar que existe alguém que mereça isso. Ponto final.

Hora de terminar de ver o seriado, para depois dormir. E, quem sabe?, sonhar.


P.S. curioso: E lá fui eu buscar uma imagem pra ilustrar o post. Achei uma perfeita e logo descobri que a moça que a postou, num outro blog, usou para citar exatamente a mesma passagem do episódio 2 da 5a temporada de "SATC". E o mais curioso: dei de cara com dois comentários do Dan no post. É isso mesmo, agora até o mundo virtual é pequeno assim?
;)
.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

who's that girl?

Conhece essa louraça belzebu que eu adoro? Não?

Então clica aqui (se o inglês estiver em dia) e descubra. Depois, num outro post, eu volto pra comentar.
.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

365 palavras

Numa época em que todo mundo é tão cheio de si, tão certo da própria "inteligência" e tão programado pra estar 24 horas falando de si mesmo como se estivesse numa entrevista de emprego, torna-se cada vez mais interessante (ao menos pra mim) a pessoa que é espontânea, autêntica.

Aquela pessoa que tem uma luz própria, que tem ideias próprias, alguém capaz de cativar pelo simples fato de ser ela mesma (e, por favor, não estou falando daquele tipo de "autêntico" Luana Piovani -- "super" autêntica, aliás --, que "diz o que pensa").

Existe alguém, com quem tenho o prazer de conviver, que é um bom exemplo. Quando o conheci, gostei de cara. Mas ele me parecia sempre tenso. No meu aniversário do ano passado, ainda com seu jeitão de quem estava se protegendo, ele ganhou a simpatia de todo mundo. Mas de uns tempos pra cá, talvez exatamente porque ele esteja se permitindo viver mais, "desencanar' mais, sua luz tem brilhado cada vez com mais força.

Falo do meu amigo Heron, que você conhece do "Hora Minuto". Há algumas semanas tive a honra de saber de seus novos projetos. E ele falou de um novo blog. Era de dar gosto a empolgação dele enquanto falava. E a ideia era genial! Eu sabia que vinha coisa boa.

E eu não me decepcionei. Há alguns dias o Heron lançou o (afinal, qual o nome, Heron?) "365 Palavras", um blog onde, claro, 365 palavras serão diariamente lidas e interpretadas em curtas frases, sendo uma por dia, até o final do ano.

O blog é muito bacana e ainda por cima lindo. Um sucesso!

Pra ilustrar este meu post escolhi "determinação". Ainda não apareceu por lá, mas é uma palavra que me lembra muito este meu amigo. E escolhi laranja porque é uma cor que inspira confiança -- o que também me lembra o Heron.

É isso. Um dos grandes prazeres pra mim nesta vida é o de conhecer, ouvir e aprender com gente genuinamente brilhante. Deixa as ensaiadas, com aquele vocabulário e mente limitados, para as dinâmicas de grupo.

Sucesso pra você, Heron!

Sucesso pra nós todos, aliás!
Besos.
.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

fênix dog

Depois de um dia inteiro de muitas bobagens postadas neste blog, uma imagem e uma notícia que valem pra começar a semana cheio de boas energias e com um pingo de fé na humanidade: o querido Titã se recupera bem! Spia que fofo que ele tá!

Este blog deseja vida longa a ele e à bonita da veterinária que tá cuidando dele. E continua também na torcida pra alguém por na internet a cara do infeliz que enterrou vivo esse tilzinho fofo.

Yo go, Titã!
.

when it hurts instead

Imagine que você é uma garota londrina, e seu namorado terminou com você. Você não está mais com seu ursinho Simon Konecki (acima) e lamenta.

Daí, o que você, como qualquer outra pessoa no mundo, vai fazer pra curtir a dor de cotovelo do fim do namoro?

Vai ouvir "21", claro!


But, wait!

Deve ser foda quando a nova namorada do seu ex-namorado é a Adele. Faz o quê nessa hora, rasga o cu com a unha, muda de planeta? Ou ouve Gretchen?
.
"He settled down, you loser!
You stop crying and go find someone like him!"




P.S.: Dica do blog: amiga londrina, ouve Alanis!
.

alucicrazy de sono

Sabe quando você já tá morrendo de sono, mas fica enrolando na internet de madrugada, só pra não dormir? Isso rola bastante comigo.

Daí numa dessas, tava eu vendo clipes a esmo, quando fui ver o tal clipe da Grazi vestida de noiva e tomei um susto: "Beyoncé Love on Top (Live at Roselanches)". Entendi a mensagem, desliguei o note e fui dormir. Porque, né?, de que adianta ficar acordado quando já se está tendo alucinações de sono?


P.S. Digno: Não entendeu porra nenhuma? Então não conhece Barbacena nem nunca foi de BH ao Rio pela estrada.
P.S.2: Só eu acho que a Beyoncé loira fica a cara da Grazi, né?
P.S.3: A musiquinha da Beyoncé não é ruim, não, escuta aí. ;)
.

é rola

Eu sabia que eu conhecia essa nova logomarca da UFMG de algum lugar...

Tem que tirar o chapéu pra esses "designs", tão cuidadosos, tão detalhistas, tão inteligentes... só mesmo essa gente brilhante (e telespectadora do Pato Donald à tarde) pra conseguir expressar num simples "m" toda a popularização que tomou conta dessa instituição tão bacana.

Achei top.
.

Medo Katy

"Grana eu tenho, só me falta-me o glamour.
E um dermatologista, evidentemente."
.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

presente em minha vida

Passado o período das festas, sempre rola aquela pergunta: "ganhou muitos presentes". E eu sempre me pergunto, o que esse povo considera presente?. DVD da Adele? Camisa? Um par de Havaianas?

Tudo vale e tudo é bem-vindo, afinal alguém investiu tempo e dinheiro pra te agradar. Mas eu aprendi há algum tempo que, ao menos pra mim, presente é mais. Presente é uma demonstração de atenção e consideração por você (desculpe tantos ãos na frase).

A primeira vez que me deram um presente assim (e esse caso merece um post à parte), uma amiga, durante um amigo oculto de chocolate na faculdade, deu uma caixa de bombons pra quem ela tirou (e todo mundo mundo fez o mesmo). Mas pro meu desconserto total, quando acabou a distribuição dos presentes e todos se perguntavam pra quem era, afinal, uma cesta enoooorme que ela trouxe, a Marta se levantou, pegou a tal cesta e disse "este é meu presente pro meu amigo nada oculto, amigo de todas as horas e amigo que eu quero ter perto de mim pra sempre, o Humberto". Tem como mensurar valor de um presente desses?

Outro mimo que eu nunca esqueci foi um pacote sortido de bala Chita. Se você não conhece, a bala Chita é uma guloseima tradicional aqui na roça, simples que só ela, mas uma delícia. Quando voltei do Texas contei pro povo um caso, de um dia que lá em Austin eu e minha amiga brasileira saímos no tapa porque ela achou UMA bala chita perdida na mochila (já estávamos lá há uns cinco meses, o desespero foi grande). Enfim, quando chegou o natal, a Christiane, minha amiga que ouviu a história, me apareceu com esse pacote, pra eu não sentir falta da bala (e de carinho) nunca mais.

Em 2012 eu já ganhei um outro presente desses. Quando eu vinha do Rio pra TuBHcanga, meu filho Philleas me convenceu a dar um pulo em Rio das Ostras com ele. E no clima de "vão bora!" que eu tô este ano, fui lindamente. Como ele tinha que trabalhar, fiquei solto naquela cidade por dois dias. Solto na praia por dois dias. Solto na praia quase deserta e de mar azul por dois dias. Solto na praia deserta, de mar azul e, acreditem, pela primeira vez na minha vida, com sol, por dois dias! Não há palavras para descrever a experiência. A coisa mais próxima que eu achei pra exemplificar o êxtase foi a imagem aí acima. Não era só uma coisa de mineiro em praia (parecendo muito com criança); era uma coisa de revigorar todas as energias, de voltar a ter coragem, de peitar medos que não são meus e que me puseram a vida inteira. Estar ali era lembrar quem eu sou e voltar a ter prazer no simples fato de estar vivo e com saúde. Não, não vou conseguir descrever, mas acho que vocês entendem.

Isso é presente pra mim. Ter amigos dessa natureza é o maior presente que alguém pode ter.

Não posso deixar de citar neste post, meu querido Rafael Paschoal, que não apenas me presenteou com sua amizade como me deu outros tantos amigos (incluindo o Philleas supracitado).

E citar também a leitora Leidi, que deixou um comentário lido por mim nas férias, pouco antes de sair do reveillón, e me fez começar o ano cheio de alegria. Obrigado a vocês todos também, cada um de vocês, especialmente pelos comments ótimos deixados nos posts de retrospectiva.:)


É isto, e o blog tá de volta, povo. E mais uma vez, feliz 2012, que este seja um ano brilhante pra todos nós!
:D


P.S.: E eu vou lembrando de mais amigos que merecem entrar nesta categoria de gente que me deu presentes inesquecíveis: Guilherme Bernhardt, Carol Malho, Luisa Brasil e Letícia Estanislau (e família). Muito obrigado sempre.
.

domingo, 1 de janeiro de 2012

ponto de partida

Não se iludam: este blogador com certeza está offline em algum lugar neste mundo. Tirem um tempo pra vocês também. ;)

Feliz ano novo mais uma vez, meus queridos, se joguem.
.