sexta-feira, 30 de março de 2012

os ruivos cabelos de Marina Ruy Barbosa na capa da Nova -- bingo!

OK, vamos fechar uma semana em que muito falei de capas de revistas falando de mais uma (especialmente de uma revista que eu posso falar com alguma propriedade)?

Gostaram da Nova de abril? Mulheres? Beeshas?

Não morro de amores por Marina Ruy Barbosa, em parte porque só lembro dela pirralha chata e chorando em "Belíssima", em parte porque ela é só uma atrizinha irrelevante em começo de carreira mesmo. Mas tenho que respeitar o cabelo da criatura, é um espetáculo. E estamos falando de revista feminina, mulher adora um cabelão, portanto, ponto pra Nova!

Adorei a capa. Bem capa de Nova mesmo, como não via há muito tempo. A menina saiu bem, a expressão facial talvez pudesse ser um pouquinho mais interessante (novamente, atriz/estrela de capa em começo de carreira); talvez coubesse um sorriso de "eu tô podendo", mais condizente com as mulheres da Nova e com o cabelo dela (que tá podendo mesmo), mas isso é detalhe perto do resultado final. Tenho certeza que as leitoras da revista vão adorar. :)

A última vez que me lembro de uma ruiva ter causado na capa da Nova, olha, faz tempo (capa linda também, inclusive).

Quanto à mocinha, bonita desse jeito, se investir mais na carreira e se tornar uma boa atriz, com certeza vai brilhar muito e fazer muitas outras capas lindas. Leva jeito.

Bom, e é isto por ora. Agradeço ao RaFa, do "De Rabo a Cabo", que divulgou a imagem. E semana que vem tem mais posts sobre revistas e capas por aqui, com direito a mais duas da Nova (podem chorar, rs...).

Besos e, agora sim, ótimo fim de semana!
;)


P.S.: Meus leitores e amigos com mais jeito que eu para programas gráficos poderiam, por favor palpitar sobre um detalhe: Esse cabelo da Marina, o grande chamariz da capa, poderia ter sido melhor recortado em cima, não poderia? Ali, à nossa direita...
P.S.2: Ah, unha pintada! E como diria Dona Amorzinho, "é vermelha". Taí uma coisa que não se vê toda hora nas capas da revista.
.

GPC


Lindolfos, ótimo fim de semana pra todos nós,
que somos Gostosos Pá Caramba!
:D

Besos!
.

quinta-feira, 29 de março de 2012

simples assim

Eu amo as capas dessa revista Vida Simples. De verdade, é uma das pouquíssimas publicações que, nas bancas, me fazem realmente ter vontade de pegar a carteira e comprar um exemplar pra mim.

E olha só a capa de março. Olha só a capa de março! Preciso dizer mais alguma coisa?
:D

São capas lindas, com uma identidade forte (você bate o olho e sabe de que revista se trata), tudo isso sem nenhuma necessidade de forçar a barra pra pagar de cool. Perfeito.

Adoro trabalho bem feito e talento de verdade.
.

quarta-feira, 28 de março de 2012

activia

E a versão brasileira de uma das revistas que eu mais adoro comemora um ano em abril -- ainda sem ter realmente me conquistado. Algumas capas bacanas, como a da Grazi, outras tantas discutíveis (nada no nível medonho da Alfa, é verdade, mas enfim)...

Pra edição de aniversário chamaram a Deborah Secco e fizeram isso aí que você está vendo. Veja bem, não sei vocês, mas eu sou um tosco, vocês sabem, de modo que olho pra essa capa e só consigo pensar duas coisas:

1) essa cara: é diarreia das bravas, né Deborah?
2) Esse cabelo: ♫♫ "Get along gang, get along gang..." ♫♫

Quem foi que deixou a pobre da mulher com o cabelo da Portia, a porca-espinho do desenho lá dos anos 80? Achei sacanagem.

Enfim, acho que tinha tudo pra ser uma capa bacana, mas não consigo amar o resultado final, não. Acho que erraram nesse conjunto expressão/cabelo da Deborah Secco e nesse Louboutin que arrumaram pra ela. Sei lá.

E vocês, o que acharam? Gostaram? Algum hétero aí, que goste mais de mulher que de revista, pra opinar?

Abrazos!
.

terça-feira, 27 de março de 2012

é o glamour, Brasil

E olha que linda só que não a capa da primeira edição da Glamour Brasil! Puro glamour só que não, né? Achei tão acertada só que não. Mas, né?, quem sou eu na nite revisteira?

O impagável pra mim, no entanto, é divulgarem a capa no mesmo dia que em que rolou na internet umas imagens da Juliana de boaça no Piauí. Cer-te-za que ela tava comemorando o lançamento da revista.
"Vamo brindáê gzente!! Valeu Gramú!!"

Igualzinha que nem a Juliana e a cozinha cool da revista, super adoro o mundo real das revistas.
Pronto, parei. Sucesso pra você Criativa, digo, Glamour Brasil.

E Ju, Mantê, te zôo, mas te adoro, tá?. Besos!

Besos pra vocês também.
.

segunda-feira, 26 de março de 2012

na hora certa

É cliché, mas um dos melhores conselhos que recebi na vida, de um amigo que eu estimo imensuravelmente, num momento em que TUDO ruiu foi: "Dê tempo ao tempo".

Na época eu era muito novo, e estava muito desolado. A verdade é quem em muito menos tempo do que eu imaginava a tal história se reverteu e as coisas mudaram de uma maneira digna de virada de enredo de filme.

Essa história me veio à mente porque agora, de novo, depois de muito tempo sofrendo por uma outra história, muito mais intensa, mas também não merecedora de tanto sofrimento, consegui o distanciamento necessário para entender que muito mais que uma perda, o que houve foi um ganho.

Tem gente que acredita em Deus, outros que acreditam em destino... tem os que acreditam em coincidência. Independente do que rege nossas vidas (se é que existe isso), o fato é que hoje consigo ver claramente que aquele rompimento, que foi uma das maiores dores que eu já senti foi, na verdade, um presente da vida pra mim, uma nova oportunidade, uma saída daquele mau caminho que me levaria a um fim de verdade.

O que me aconteceu de muito, muito ruim em dado momento, era, na verdade, algo muito, muito bom acontecendo na minha vida. E foram necessários anos pra que a ficha pudesse cair. A dor agora, não tenho dúvida, começa a acabar de verdade, porque compreendo que ela era só algo de que eu precisava pra crescer e valorizar meu próprio caminho.

Muito profundo (de butiquim), né? Ah, mas eu acho que vocês entendem.
;-)

Boa semana pra todos nós, queridos.
Abrazos!


P.S.: Não sei vocês, mas eu achei que esse texto ficou péssimo; não fluiu, não ficou redondo e não tenho certeza que passou a ideia que eu queria. Sorry, não pra pra acertar toda hora. :P
.

domingo, 25 de março de 2012

chato, né?

Pra não dizer que eu não homenageei Chico Anysio... Chico Anysio, aquele que realmente era um grande artista, mas que a gente realmente não achava graça. Aquele que casou com a Zélia, aquela vagabunda do confisco que quase me deixou órfão de pai aos 12 anos.

Enfim, eu nunca gostei do Chico Anysio, mas é inegável sua importância na cultura brasileira, seu talento e o valor dos outros tantos humoristas engraçados de verdade que ele lançou. A gente sempre lamenta.
.

sábado, 24 de março de 2012

all right


Vamo deixar uma musiquinha mais com a cara desse fim de semana de sol?

Besos, povo, se joguem e sejam felizes, que é pra isso que a gente veio.
;-)
.

quinta-feira, 22 de março de 2012

o amor segundo Annie Lennox

O amor começa com a Annie Lennox cantando isso:



E termina com ela cantando isso:



Mas o bom é que, cedo ou tarde, tá lá ela de novo cantando a primeira música. E assim segue a vida, já que a gente não consegue mesmo viver sem esse milagre que ela, Annie Lennox, chama de amor.



:/
.

quarta-feira, 21 de março de 2012

girls gone wild

Ela tinha uma carreira consolidada. Era excelente naquilo que fazia. Sempre foi uma mulher bonita. Seus trabalhos sempre foram grandes sucessos. Ela tanto poderia seguir melhorando, como fizeram Fernanda Montenegro e Meryl Streep, ou poderia ainda se dar ao luxo de parar e ir viver uma vida tranquila à margem esquerda do Rio Sena, em Paris, como fez Tina Turner.

Mas não, ela, dentro de todo o seu direito (não estou discutindo isso), optou por continuar aí, na pista. O único problema é que como seu talento e seu desempenho não são mais os mesmos, ela resolveu forçar a barra e apelar pra uma imagem de mocinha, mais mocinha do que era quando era mocinha de fato. De novo, está no direito dela, cada um faz o que quer da vida, nenhum julgamento, ainda mais moral, aqui.

O estranho na questão, de onde vejo, é que ela deixou de brilhar pelo seu trabalho e carisma e passou a lutar para estar sob os holofotes apenas por conta de uma juventude forçada, à base de garotões a tiracolo, frases de efeito e muito, muito photoshop. O trabalho ficou em segundo plano, deixando muito a desejar, e passou a ser ruim como em seu auge jamais imaginaríamos que poderia ser um dia.

Quem é ela? Depende. Se você quiser cair de pau e chamar de velha ridícula, ela é Susana Vieira. Agora, se você quiser chamar de diva, ela é Madonna.

Mais incompreensível pra mim do que o motivo que leva duas estrelas, com carreiras tão bem sucedidas, a apelarem para expedientes tão discutíveis para se manterem na mídia é o relativismo das opiniões das pessoas sobre elas. Coerência pra quê mesmo, né?
.

...


Bom dia.
.

terça-feira, 20 de março de 2012

"it's Jenna."

Eu acho que já contei aqui que quando eu tinha 13 anos rezava toda noite pra dormir e acordar com 36, sendo diretor das revistas femininas da Abril (eu queria ser o Alberto Pecegueiro). Daí vocês podem imaginar o que foi assistir "De repente 30" a primeira vez, parecia que era alguém realizando meu sonho.

Eu já estou quase chegando nos 36 e agora a vontade é mais de acordar com 13 e fazer tudo certo. Acordar com 13 anos e a maturidade e experiência dos 36.

Mas, enfim, nem foi por conta disso que resolvi postar. Foi pelo filme mesmo, que eu sempre gostei. É daqueles filminhos simpáticos com revista que a gente adora, como "O diabo veste Prada". E por causa dessa coisa da semelhança com minha própria história (ou o que eu queria que fosse), sempre revejo com carinho o filme da Jenna.

Bem na verdade, no entanto, o grande motivo do post é que agora eu tenho mais uma semelhança pra me ligar ao filme. Digamos que a fotogenia é um dom que Deus não me deu.

Bom, não sei se vocês vão entender, espero que não. Escrevi mais pra registrar o momento pra mim mesmo (porque o blog é meu e eu posso, rs...).

Abrazos a todos.
.

segunda-feira, 19 de março de 2012

saída pela direita!

Alguma dúvida de qual caminho deve ser seguido?
Ótima semana a todos. E uma musiquinha, pra gente começar bem.
;)
.

terça-feira, 13 de março de 2012

o show tem que parar

Sei que já postei outros dois desses "Keep Calm...", mas não resisti. Este de hoje era muito necessário.

Alguns amigos acham que o tal do "Keep Calm" erra já em pedir pra ficar calmo, que o negócio é xingar, fazer estardalhaço, liberar a Vera Verão que existe em você. É verdade, há horas na vida em que dar o berro é necessário. Mas há outros momentos, especialmente quando você já não tem mais 15 anos, em que o primeiro passo pra resolver um problema é justamente ficar calmo. Tomar decisões ou, pior, partir pra ação sem antes refletir um pouquinho costuma dar merda na certa. Quem nunca mandou um email que em sã consciência jamais mandaria que atire a primeira pedra.

Então há momentos na vida em que tudo resolve dar errado. O trabalho desaparece, o grande amor se revela uma bela duma furada, a coragem acaba. Vinte anos atrás, numa dessas, eu choraria, ficaria deprê, ia me perguntar "Por quê, Deus?!" com mais dramaticidade que uma Meryl Streep. Pra ser sincero, há momentos em que eu ainda ajo assim, e está aqui este blog para comprovar que não estou mentindo. Mas eu já evito.

O negócio é que a cada dia vai ficando mais natural pra mim agir como diz o mantra na imagem deste post: aconteça o que acontecer, por mais aflito que eu esteja, uma luz (ou um amigo de São Paulo) vem e me diz to "Keep calm and be a man". Deve ser isso a tal da maturidade. Já não tenho muito tempo nem paciência para pitis, nem os dos outros e nem os meus. Eu quero solução, eu me proponho a encarar a situação, por pior que esteja, porque só quero ser feliz. E felicidade para uma pessoa adulta, creio eu, está muito em saber lidar com as surpresas da vida (inclusive as boas).

Enfim. Rendi esse bocado de assunto só porque não queria simplesmente postar a imagem solta aí. E porque me convenço mais, a cada dia, que mais vale manter a cabeça no lugar enquanto se corre atrás da solução do que ficar dando show à espera de piedade e aplausos dos outros.

Buenas noches.
.

segunda-feira, 12 de março de 2012

que deselegante

Qual dos meus leitores inteligentes vai me explicar a relevância desta matéria aqui, exibida pelo "Jornal Hoje" semana passada? A quem interessa esse tipo de coisa? Sério, a quem interessa que uma "matéria" dessas seja veiculada num jornal deste porte?

Então o padre vendeu 7,6 milhões de exemplares do livro novo dele, uh? Se cada um sai por cerca de R$ 20,00, estamos falando de R$ 150 milhões em faturamento. Não seria interessante que o jornalista perguntasse qual o fim desse dinheiro? Afinal, ainda que o padre "escritor" recebesse 1% dos lucros, estaríamos falando de R$ 1,5 milhão. E o voto de pobreza? Existe, Seu Padre?

Padre Marcelo é aquele senhor que esteve no "Teleton", o "Criança Esperança" do SBT em prol dos pacientes da AACD, e não doou um centavo. Na ocasião ele passou todo o tempo justamente exaltando o sucesso de vendas do tal novo livro.

Beleza de jornalismo esse. E beleza de líder espiritual também. É o tipo de coisa que vai me fazendo mais agnóstico a cada dia.
.

20 em cada bairro


Grande Paulo Gustavo, pra gente começar bem a semana.
Abrazos a todos!
.

sábado, 10 de março de 2012

the calmest

Este tem mais a ver comigo que o outro, eu acho.
.

sexta-feira, 9 de março de 2012

foco até pra ser feliz

Ótimo fim de semana pra você que já viveu o suficiente pra entender a mensagem sem viajar na maionese.

Dica da minha sempre sábia e fina amiga Helena (aqui).

Besos, vá ser feliz.
.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Crow, Sheryl Crow

Sabe quando você pensa num assunto que puxa outro assunto que puxa outro? Pois é, ontem à noite, antes de dormir, foi assim comigo. Não sei por que cargas d'água, lembrei de quando eu já achava a Lilia Cabral uma atriz estupenda e ninguém falava muito disso. Era a época de "História de Amor", uma das novelas mais perfeitas que já assisti (e do Manoel Carlos, veja bem). Lilia interpretava a Sheilla, a "vilã", e era simplesmente brilhante.

Enfim, talvez fale disso depois. Porque o negócio é que essa lembrança me trouxe à mente a música tema da personagem, "Run, baby, run", da Sheryl Crow. E daí fui jogar no Youtube e vi que ela tinha clipe e tudo e eu nunca tinha visto. E daí, finalmente, cheguei no assunto deste post: o quanto eu gosto de Sheryl Crow e o tempo que não tenho notícia dela.

Lembrei de pelo menos uma dúzia de sucessos que eu adorava e fiquei viajando no quanto eram bacanas o clipes. Sei lá, sem querer ser nostálgico demais (até porque estamos falando de um "passado" muito recente), mas eram tempos em que dava pra ser bonita e cool e "descolada" sendo, sobretudo, uma excelente cantora. Uma coisa não eliminava a outra.

Acabei lembrando de várias outras cantoras de verdade, de modo que num próximo momento farei um post pra todas elas. Afinal, que eu tenho paixão por música já não é novidade por aqui, mas acho que nunca falei especificamente do meu particular apreço pelas vozes femininas.

Bom, quem quiser matar saudade da Sheryl, é só clicar nos links no final do post. Difícil pra mim é dizer qual eu gosto mais.

Besos, ótima quinta-feira a todos.


P.S.: Não googlei nem nada, se alguém tiver notícias da Sheryl conta pra gente, please.
.

)))))C'mon C'monAnything But DownIf It Makes You HappyRun, Baby, RunAll I Wanna DoThe First Cut is the DeepestMy Favorite MistakeGod is GoodEveryday is a Widing RoadA Change Would Do You GoodD'yer Mak'erSweet Child o'Mine


quarta-feira, 7 de março de 2012

WTF??

Meu francês não é muito bom (na verdade não existe), então não pude ler chamada nem matéria nenhuma da revista. Parto, portanto, apenas de uma matéria publicada no site Vírgula, que afirma que essa moça aí, na capa da Cosmopolitan francesa, é uma modelo plus size (gorda, para quem sabe de inglês tanto quanto eu sei de francês).

Francamente: se for essa uma mulher pra ser considerada gorda (ou mesmo uma modelo considerada gorda) pode parar o mundo porque eu vou querer descer.

As pessoas perderam completamente a noção ou o quê?
Que medo.
.

segunda-feira, 5 de março de 2012

o pulo do gato



Um comercialzinho clássico, do auge da publicidade brasileira, estrelado pela Adriana de Oliveira... e que diz tudo pelo momento.

Uma ótima semana a todos, cheia de boas surpresas, do previsível bom da vida e de bons sentimentos.

Abrazos.
.

sexta-feira, 2 de março de 2012

w,w

Gone to make fun of distance.
Will be back soon -- in this blog.

Have a nice weekend.
.