quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

jogo dos 7 erros - edição ELLE Brasil

À primeira vista a capa da edição de fevereiro da ELLE Brasil (zzzZzZZzzz...) é bem bacana. Mas aí, se você é do tipo de vagaba que há aaanos para de banca em banca pra analisar a cara das revistas brasileiras, daí a coisa muda um pouquinho. Eu achei vários errinhos, que num segundo momento me deram birra da capa. Mas pra não cansar ninguém com minhas nerdices de revisteiro, vão aí só sete mesmo. A saber:

1) Uau! "Lições de estilo com Alaïa"! Como revista de moda nenhuma pensou nisso antes??
2) "O lado chic da moda 70's". Olha, eu não vejo nada mais inovador desde que até a Capricho publicou matéria igual em 1993.
3) "As páginas bem humoradas da internet". Porque, né?, você usuária de internet, tem que comprar uma revista, de papel, pra descobrir o que tem de site de humor na web; genial!, mais século XXI impossível.
4) "Você é o que você compra -- Descubra qual o seu estilo de consumidora". Sério ELLE? Sério?
5) (a melhor pra mim) Chamada principal: "As peças mais quentes do inverno já estão nas lojas, se jogue!". Ê Brasil-colônia do meu coração... Digo do coração do povo do jornalismo de moda brasileira. Gente, a porra do país é verão quase o ano todo, a gente tá quase andando pelado na rua pra sobreviver e nega maluca me vem querer falar de inverno junto com as publicações de cima do Equador, oi??
6) Aline Weber. De novo. Eu adoro a Aline, acho que da safra dela é uma das poucas modelos que a gente inclusive reconhece só de bater o olho. Mas, porra, toda hora na capa, a ELLE parece que tem um contrato com um grupinho de 5 modelos que vão se revezando nas edições, é a coisa mais entediante do mundo. Moda com cara de repartição pública.
7) Pra arrematar, Aline Weber, de novo, mas dessa vez sem mão direita. Maravilha.


Deixei de fora a aflição que me dá esse cambito, que aparentemente é a perna da Aline. Tentando entender em que posição tá a outra perna (e como essa pobre se mantém de pé).

Visualmente, até que a ELLE Br deu uma melhorada nos últimos seis meses, é preciso reconhecer. Mas é sempre mais do mesmo, não há nada de inovador ou de transgressor ou de inspirador. E, desculpa, mas se não inova, transgride nem inspira, pra mim não é moda. O que é, não faço ideia. E acho que o máximo que consegue é entediar.

Next.


P.S.: Será que tá tão difícil assim criar moda que marque a nossa época? Vai ser sempre essa coisa de usar 50's, 60's, 70's, 80's e 90's? A moda vai seguir vivendo de passado até quando?


Update em 31/01/13: E não é que a ELLE já tinha cortado a mão da moça uma outra vez? =P



6 comentários:

Serginho Tavares disse...

gente, só você mesmo pra fazer esta análise porque eu nem perceberia nada disso, aliás nem leio este tipo de revista com mulher na capa!

Alan Raspante disse...

Apesar de achar bacana e etc, eu nunca leio também (como o Sérginho). Como eu não sou ligado em moda quando eu abro essas revistas parece que eu estou lendo grego!

Agora: o que me asssta nesta capa é o excesso incontrolável de photoshop! Logo logo as modeles nem vão precisar mais ir em estúdio para fazer as fotos, porque né???

Gostei dos 7 errinhos apontados, rs

Edilson Cravo disse...

Humberto:

Estão cada dia mais sem criatividade para fazerem boas capas...rs

Abraços meu querido revisteiro amigo..rs

Heron Xavier disse...

Quando li o título, fiquei procurando e procurando...e só tinha visto que a perna dela estava bem deslocada...até olhei para a mão que não existia rs.

E realmente, como eles precisam chamar para captar anúncios, escrevem qualquer coisa.

Bobo de quem compra, sendo que a informação está gratuita na rede.

Abraço!

Sérgio de Oliveira disse...

Boa noite Humberto, eu assinava a ELLE até o mês de agosto de 2012, mas resolvi cancelar a assinatura, fiquei analisando as capas da revista e que eu me lembre eles nunca colocaram uma negra na capa, ou estou errado? Com tantas modelos lindas como Lais Ribeiro, Emanuella de Paula, Ana Bella Santos, Samira Carvalho, Gracie Caravalho, eu acho que essa revista pensa que se destina ao público nórdico, só pode ser, se bem que lá na Alemanha, a Lais fez uma capa da Vogue, como você postou é sempre as mesmas caras, e todas muito arianas. Desisto!!!!!!

o Humberto disse...

Oi Sérgio, tudo bom?

Então, eu acho a ELLE das mais excudentes quando o assunto é negra na capa. Eu me lembro de duas, uma de 1989 e outra de 1991, estrangeiras. Só. Das meninas daqui, nunca. Nem Naomi fez capa na Elle brasil, dá pra imaginar isso?

Agora que a Suzana Barbosa vai ser a diretora geral pode desistir, pq vao ser as mesmas bonecas de cera de sempre. Se nem com a Regina Guerreiro nem com a Lenita Assef rolaram belezas negras, imagina com essa senhora.

Abração, volta mais vezes!