terça-feira, 2 de abril de 2013

1888

No último post que publiquei aqui eu falei sobre a estranha relação entre a policial defensora de brasileiras escravizadas na Turquia e a empregada doméstica que ela tem, praticamente escravizada também, 24 horas por dia prontinha pra servi-la. Graças a Deus isso é apenas ficção, e ainda por cima obra de Glória Perez, então, coisa surreal mesmo.

O pior, entretanto, é que a realidade é quase isso. A relação entre patrões e empregados domésticos neste país é tão inacreditável que só agora, no século XXI, criou-se uma regulamentação pra ela, a PEC 66.

Vocês já devem ter lido a respeito por aí (deixei um link no próprio post supracitado), então, já deve ter suas conclusões.

Eu não ia tocar no assunto (porque me chocam os argumentos de algumas pessoas, inclusive bem instruídas, sobre esse resquício de escravidão no Brasil). Mas daí, numa dessas coincidências da vida, uma das leitoras mais queridas (e brilhantes) deste blog me enviou um texto seu, onde ela expressa com o bom senso de sempre, seu ponto de vista a respeito do assunto.

O artigo da minha querida amiga Lorena Possa será publicado no próximo post, logo mais (depois do almoço, prometo!). É um presente que este blog ganhou e que eu quero compartilhar com vocês. Seja lá qual for o seu entendimento a respeito da PEC 66 e das mudanças ela deverá trazer, vale conferir o que a Lorena tem a dizer.

Adianto que concordo com todas as ponderações dela.

Sinto-me honrado mesmo em poder publicar texto tão bom neste meu blog. Sintam-se todos convidados a escrever aqui também, sobre o tema que for.

Por fim, até pra preparar pro que vem por aí, deixo essa belezura de vídeo, estrelado por uma senhora que, ao que tudo indica, nasceu no Brasil novicentista.

Abraços a todos. E, mais uma vez, muito obrigado Lorena!



P.S.: sorry, desta vez não consegui ajustar o vídeo de jeito nenhum; mas taí, dá pra ver. ;-)


2 comentários:

Edilson Cravo disse...

Humberto:

Antes tarde do que nunca se fará justiça a classe das domésticas que simplesmente fazem muita diferença na organização de vida de muitas famílias.

Beijo e linda semana.

Heron Xavier disse...

Humberto, beleza?

Seu blog deu salto com este tanto de postagens, curti demais!!!

Fiz questão de assistir o vídeo desta senhora até o final e achei bem interessante (para não dizer outra coisa) a entrada de seus empregados para promovê-la.

A mulher é rica, bem sucedida e ainda usa esta sei lá o que amarela na cabeça para vir falar de CLT?

Menos.

Abraço.