quarta-feira, 10 de abril de 2013

o objetivo era a música



Leitores mais atentos já devem ter reparado que de tempos em tempos aparece aqui um post falando da mesma coisa: minha frustração por não ter talento pra música, minha inveja (saudável, me respeitem!) de quem vive da música.

Sei que todo mundo me associa às revistas, e de fato esse é um assunto que eu tenho grande interesse e algum conhecimento, mas definitivamente a coisa que mais mexe comigo é a música. Música é algo que alcança uma dimensão do ser em mim que eu ainda não consigo dominar integralmente. Só a música me proporciona uma elevação que nenhuma outra experiência me dá.

Aqueles arrepios ao som de um R.E.M., aquele êxtase com Callas (ou com o Woodstock!), aquela sensação que vem de toda música de verdade, isso é coisa que nada mais no mundo me proporciona de maneira igual.

Minhas muito humildes palavras nesse muito tosco blog, claro, não vão dar conta de expressar o que eu gostaria (ainda que, como dito, este seja o enésimo post a respeito). Se soubesse fazer música talvez eu desse conta do recado.

Deixo para os abençoados cantantes que aqui me fazem companhia a tarefa de emocionar vocês (tem um pouco de tudo).

Um bom dia.








♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫


4 comentários:

Serginho Tavares disse...

realmente, quem sabe fazer música é deus!
também gostaria de ter tido esse dom!
beijos meu querido e não deixe de passar hoje na festa do JED, afinal, você está lá!

mwah!

Lívia disse...

Fellini dizia que dirigir o aproximava de Deus, acho que todo mundo que mexe com arte fica um pouco mais próximo de Deus. queria eu tbm, queria eu tbm...

Oz Eventos e Cerimonial disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Douglas Mateus disse...

Cara... Parabéns pelo seu blog... Muito bom...
Concordo demais que a música nos transcende mesmo...
Escrevi sobre isso no meu blog também, quando fui assistir ao Musical Hair, em SP. e mais recentemente, um musical sobre a obra de Milton Nascimento. Como mexeu comigo, me emocionei demais...