quarta-feira, 7 de agosto de 2013

eu sei



Sabe quando você vê uma coisa e fica olhando pra ela, pensando que aquilo deveria te lembrar de algo? (mas você não lembra)

Pois semana passada eu fiquei com aquele "2 de agosto" na agenda martelando na minha cabeça. Mas não lembrava o que poderia ser. Aniversário de alguém? Dia de alguma prova que eu devia fazer.

Hoje, agora neste momento, eu me lembrei que na madrugada daquela sexta-feira dia 2 de agosto eu acordei porque no meio do meu sono eu lembrei de uma música. Uma música que eu não ouvia há anos. Uma música que eu nem gostava muito, mas que alguém adorava e que alguém vivia dizendo que era pra mim.

Na época eu não ligava muito, porque eu tava meio emputecido e meio duvidando daquele amor todo. Mas daí, hoje, pensando no esquisito fato de que eu ter acordado do meu sono profundo de inverno e lembrado dessa bendita dessa música, bem no dia 2 de agosto... daí eu sinto um misto de aperto no peito e alegria sem medida... porque eu finalmente entendi que a música (e o sentimento) eram de verdade.

Eu já sabia que da minha parte era por toda a vida mesmo. E agora eu vou tomar mais esta coincidência (ou será que não, caramba?) como certeza de que do lado de lá vai ser mesmo por toda a vida. Toda a vida.


Um comentário:

Latinha disse...

"A maior parte da nossa vida, é uma série de imagens. Elas passam pela gente como cidades numa estrada.
Mas algumas vezes, um momento se congela, e algo acontece. E nós sabemos que esse instante é mais do que uma imagem. Sabemos que esse momento, e todas as partes dele...irão viver para sempre."

Ainda bem que nosso inconsciente é mais danado que nossa memória, não?! Bom ser "surpreendido" por esses mistérios...

De qualquer forma, tenho certeza que além da música belissíma, são memórias belas também... e é isso que conta! ;-)

Até.