quarta-feira, 7 de agosto de 2013

nos olhos de Di

Esta é a Vanity Fair de setembro. Absolutamente linda capa. Absolutamente inesquecível Diana, em sua melhor fase, pelas lentes de Mario Testino, não muito antes de morrer naquele acidente estúpido, dezesseis anos atrás.

O tempo corrido não me permite, por ora, escrever tudo o que gostaria sobre Lady Di. Vivemos em tempos onde qualquer criatura é chamada de diva. Qualquer sub-celebridade funkeira com nariz de plástica é tida como linda. Diana viveu e morreu com os holofototes apontados para ela. Uma googlada deve confirmar que ela foi a criatura mais fotografada (imagina que inferno) de sua época. Uma outra época, que começou a acabar naquela noite infeliz.

Nunca fui de ter ídolos, nunca fiz bem o estilo fã. Mas sempre adorei Diana. Era coisa de carisma mesmo. Era a única figura naquela realeza britânica ridícula que eu realmente gostava (e muito provavelmente porque ela destoava daquela babaquice toda).

Quando o plantão da Globo anunciou que o acidente tinha sido fatal parecia que era parente que tinha ido, tamanha foi a minha chateação. Por mais ridículo que soe, às vezes eu acho estranho pensar que ela não está mais por aqui.

A princesa que tentou viver feliz longe daquela vida tosca de gente que acredita ser melhor que os outros por conta de um direito divino.

De verdade, saudades Lady Di. Você continua despertando em mim os melhores sentimentos. E a mesma fascinação de sempre.


P.S.: Veja bem que quase 20 anos depois de ter partido, ela emplaca a edição de estilo da Vanity Fair. Acha que é todo dia que nasce alguém assim, né?



3 comentários:

Latinha disse...

Lembro do susto ao ouvir a notícia, tinha dado carona a alguns amigos de um jantar e estava voltando para casa, quando ouvi no rádio...

Corri para casa para acompanhar a cobertura aquela noite...

Ela faz falta!

Tainá disse...

Ai Humberto, nao brinca... pra mim ela é celebridade se bancando à ativista no estilo Angelina Jolie e Ivete Sangalo. e só. (talvez com um toque de 'icone de moda')

o Humberto disse...

Nossa, Tainá, isso é pq vc não viveu naquela época. NADA estilo isso que vc falou, nada, nada. Outra coisa, ooooutros tempos. Acredite, muito diferente.